26 outubro 2010

Terrorista Made in USA

É grande, feia e má, terrivelmente má!

Não, não é Angela Mekel. Falamos de Al-Qaeda, a mãe do Terror, o Berço de Todo o Mal, a Ruína da Humanidade, etc., etc.

O grupo liderado pelo ex agente da CIA, Bin Laden, é considerado o responsável dos piores ataques terrorista das últimas décadas: não só 11 de Setembro, mas muito mais.

Mas ainda mais importante do que isso, por quanto perturbador possa ser, é a actividade de divulgação que "A Base" (este é o nome traduzido do grupo) leva em frente. É com o proselitismo que Al-Qaeda recruta novos ferventes apoiantes dispostos a fazer qualquer coisa em nome de Allah.
E um papel fundamental é desenvolvido pelas mensagens mediáticas.




O bom rapaz

Observem a seguinte fotografia à direita.

Este senhor é Adam Yahiye Gadahn, uma das últimas descobertas dos caçadores de estrelas de Al-Qaeda, e a imagem é retirada do último vídeo atribuído ao grupo terrorista. 

Bonito, olhar intenso, barba ordenada, toalha na cabeça: tem tudo para ter sucesso.
Pena que não seja árabe.  

Adam Yahiye Gadahn é americano: nasceu no Oregon, no dia 1 de Setembro de 1978. 

Bom, afinal qual o problema? Uma pessoa pode nascer nos Estados Unidos e converter-se aos ditames do Corão. 

Sim, verdade. Mas vamos conhecer um pouco melhor o bom Adam Yahiye Gadhan. 

O pai do rapaz é Phil Pearlman, músico que obteve uma certa popularidade undeground nos anos '60 e '70. Ah, pormenor interessante: Phil Pearlman é Judeu.

O avô do jovem Adam é Carl Pearlman, conhecido medico urologista e, naturalmente, Judeu.
Mas Carl Pearlman é conhecido também por causa duma outra sua actividade: de facto, foi director da Anti-Defamation League

 Esta simpática sociedade é um grupo de "pressão" fundado em 1913 nos Estados Unidos, cuja finalidade legal é parar, por apelos à razão e à consciência e, se necessário, com a a lei, a difamação contra os Judeus.
Com um orçamento anual de mais de 50 milhões de Dólares, a ADL possui 29 escritórios nos EUA e três escritórios em outros Países, tendo sede em New York.


E onde foi que o bom Adam decidiu converter-se para o Islão? Sim, exacto: durante uma estadia na casa do avô. Melhor escolha logística teria sido impossível, não há dúvida.

Enquanto vivia com os avós em West Floral Park, Santa Ana, Gadahn descreveu-se como tendo um "vazio tedioso" e procurou maneiras "para preencher esse vazio." Explorou o cristianismo na internet, rádio e localmente, mas depois disse que achou o cristianismo evangélico das "divagações apocalípticas" ser "paranóico" e oco.
Faz sentido: o cristianismo evangélico é bastante paranóico, enquanto fazer explodir pessoas é muito mais pragmático.

Recapitulamos: temos um rapaz americano, neto dum influente membro da lobby israelita, que decide não seguir o cristianismo (?!) para converter-se ao islamismo e lançar mensagens vídeo.

Vídeo que são difundidos pela agência Site. A qual, doutro lado, costuma difundir em exclusiva as mensagens de todos os chefes de Al-Qaida.
É o Site que, ao longo destes anos todos, deu a conhecer as mensagens dos Bin Ladens (o gordo, o magro, o esquerdino, o quase-preto, etc.).


Desemprego e espionagem

Sediado em Bethesda, Maryland (uns 300 km de Nova York), o Site Intelligence Group foi fundado em 2002 por Rita Katz e Josh Devon, os quais são...exacto: Judeus.

Breve parêntese acerca da fundadora do Site, Rita Katz.

Na própria biografia, Rita diz que começou a trabalhar na investigação do terrorismo por acaso. 

Rita Katz
Estava entediada (uma condição comum nos Estados Unidos, ao que parece) em Washington e à procura de um emprego quando respondeu a um anúncio de jornal para um projecto de investigação que estava à procurar dum assistente de pesquisa de língua árabe. 

O director do projecto, Steve Emerson, disse que o trabalho de Rita teria implicado um monte de "coisas administrativas e cópia". No entanto, ela ficou envolvida em investigações secretas de organizações árabes-americanos.

O que é bastante normal: quantas vezes estamos à procura dum simples trabalho de escritório e ficamos envolvidos em aventuras estilo 007?

Sempre na biografia, Rita afirma o seguinte:
Desde muito antes do 11 de Setembro, ela foi pessoalmente informar os funcionários do governo, incluindo o ex-czar do terrorismo Richard Clarke e a sua equipa na Casa Branca, bem como investigadores do Departamento de Justiça, Departamento do Tesouro e Departamento de Segurança Interna, sobre o financiamento e o recrutamento do movimento radical islâmico. 
Isso fornece um ideia dos relacionamentos que Rita e o seu Site Intelligence Group acumularam ao longo dos anos e que, portanto, incluem membros do FBI, de vários departamentos federais e até da Casa Branca.
Não esqueçam isso da próxima vez que virem um vídeo de Al-Qaeda.


Síntese

Assim, última recapitulação: temos um rapaz americano, neto dum influente membro da lobby israelita, que decide não seguir o cristianismo (?!) para converter-se ao islamismo e lançar mensagens vídeo que são difundidos por um grupo, o Site, dirigido por Judeus que têm contactos de alto nível na administração e no governo dos Estados Unidos.

E todos estes elementos são facilmente rasteareis. Este artigo foi redigido não com base em qualquer blog ou site conspiracionista, mas simplesmente com as informações que podem ser encontradas na secção "Fontes" (em baixo), de público domínio.

Cada um agora pode retirar as próprias conclusões.

Está tudo à vista, é só preciso querer ver.


Ipse dixit.

Fontes: Wikipedia (Adam Yahiye Gadhan, Anti Defamation League), Power Base, Site Intelligence Group,

Sem comentários:

Enviar um comentário

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...