05 janeiro 2011

Master of Puppets e o desaparecimento das notas

Um post de música?
Não, mas achei graça: "Master of Puppets", o Senhor dos Fantoches, bem descreve a situação na qual vivemos. Além de ser um óptimo álbum dos Metallica. Eu prefiro "...And Justice for All", mas é uma questão de gostos.

50 Euros

Pegamos numa nota de 50 Euros. Na parte de trás é possível observar um código: uma letra e 12 dígitos.




O que é isso? Um número de série?
Sim, mas não só: é o verdadeiro símbolo do engano no qual somos obrigados a viver. Vamos ver a razão.

O código começa com uma letra, no caso da presente nota a letra "S". Cada letra representa um País: a Alemanha é a X, a França U, Italia S, Áustria N, Espanha V, Bélgica Z, Holanda P, etc.

Na prática, a letra indica a qual banco central pertence a nota em questão. Em verdade o termo "pertence" é amplamente incorrecto, mas neste caso fingimos de acreditar que cada nota pertença a um banco central nacional.

E a Y?

Agora um teste: tentem encontrar uma nota com a letra Y.

Encontraram? Então escondam a nota, pois as "irmãs" desta já desapareceram. É uma raridade.
Não encontraram? É o mais provável.

Explicação: a nota com a letra Y pertence à Grécia. E as notas "emitidas" pelo banco central da Grécia já foram retiradas. Oficialmente? Não, claro. Mas, de facto, foram retiradas.

Porquê?

Um passo atrás.
Em Maio de 2010, a Grécia ficou tecnicamente falida. Como membro da União Europeia (um País da UE não pode entrar em bancarrota!), obteve um empréstimo, aliás, "o" empréstimo: 110 biliões de Euros, o maior empréstimo alguma vez efectuado pelo Fundo Monetário Internacional.

Agora, imaginem que um dia os Gregos acordem e digam: mas que raio, o nosso País ficou uma colónia, vivemos como bestas, agora basta: recuperamos a nossa independência.

E o dinheiro emprestado pelo FMI? Epá (também os Gregos dizem "Epá", evidentemente), meus senhores, tenham paciência mas agora temos assuntos mais importantes: hospitais, escolas, reformas...logo veremos.  
 
E aqui entra em cena a nota coma  letra Y. Ao olhar no interior das próprias carteiras os Gregos descobrem que o dinheiro deles, puff!, desapareceu. As notas têm varias letras: X (muitas), U (muitas também), N, P, S...mas Y não.

Estão na posse de dinheiro de outros Países. Na verdade podem gastar só algumas moedas. Mas notas não.

Um dia as notas Y poderão reaparecer. Mas antes que isso aconteça, os Gregos terão entretanto versado o próprio sangue na tentativa de sobreviver perante as ordens do FMI.

Nas moedas metálicas o nome do País aparece, tal como aparecia nas antigas notas nacionais: nas notas do Euro não, é cifrado. E agora podemos perceber qual a razão.

As outras letras...

Lembramos outras letras interessantes que nos próximos tempos podem sofrer uma diminuição da popularidade:

Irlanda T
Portugal M
Espanha V

Outra particularidade.

Os números das notas têm algumas características peculiares, entre as quais o facto de não ser sequenciais. na nota do exemplo anterior o número reportado é 00000004795, o que não significa que esta seja a nota imprimida após a 00000004794.

Isso significa que não é possível determinar a quantidade de notas imprimidas: só quem emite (oficialmente um banco central nacional, na realidade o BCE) conhece este total.


Master of Puppets...


Fontes: Megachip, Nonnepossopiu.net

Sem comentários:

Enviar um comentário

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...