26 janeiro 2011

Os Cruzados

Hoje parece ser o dia dos jornais e das "revelações".

Será que o exército dos Estados Unidos tem entre as suas fileiras aspirantes cruzados?
Assim parece.

Este, de facto, é o resumo das palavras de Seymor Hersh, jornalista do The New Yorker.

Num discurso no Catar, afirmou que os sectores-chave do exército americano são geridos por "cruzados" do fundamentalismo cristão, e que querem "transformar as mesquitas em catedrais."



Hersh falou no campus da Escola para o Serviço Estrangeiro da Universidade de Georgetown, em Doha, no início da semana passada. Fez esses comentários ao discutir o próximo livro dele.
Outro jornalista, desta vez da revista Foreign Policy, participou no evento e relatou as observações.



Disse Hersh:
O que eu realmente estou a dizer é a maneira em que oito ou nove neo-conservadores, os radicais, se quiserem, têm subvertido o governo dos Estados Unidos. Tomaram o controle.

Afirmou que a atitude que "preenche" uma grande parte do Joint Special Operations Command, que é parte da secção das forças militares especiais e que realizou missões secretas para matar alvos dos EUA, e de apoio para as mesquitas em catedrais .

Além disso, Hersh disse que Stanley McChrystal, chefe do JSOC antes do mandato como principal general no Afeganistão, bem como o seu sucessor e muitos outros membros do JSOC:
são todos os sócios, adeptos ou pelo menos apoiantes dos Cavaleiros de Malta 

Seymor Hersh
Blake Hounsell, o repórter de Foreing Policy, argumentou que Hersh estava a referir-se à Soberana Militar Ordem de Malta, uma organização católica.

Hersh:
Muitos deles são membros da Opus Dei, sabem o que fazem ... Esta é uma cruzada, literalmente. Acham ser protectores dos cristãos.
Lutam contra os muçulmanos [como] no século XIII. E esta é função deles.

Também criticou o Presidente Obama:
Justo quando precisávamos dum negro com raiva, não o tivemos.

The Washington Post questionou Hersh questionado acerca das suas frases após a negação de McChrystal sobre a própria adesão aos Cavaleiros de Malta.

A resposta de Hersh:
Não tenho nenhum problema com a ideia de que existe um elevado grau de fundamentalismo no JSOC. Está a aumentar e é empírico.
Existe uma incrível tendência para o fundamentalismo cristão, não só católico, no exército.  
E acrescentou que o comentário do "preto com raiva" tinha sido uma piada que a plateia apreciou.

O Washington Post também conversou com o editor do New Yorker, David Remnick, que disse:
Sy é um dos melhores jornalistas que esse país já teve, e isso é tudo o que tenho para dizer sobre ele.

Fonte: HuffingtonPost
Tradução: Informação Incorrecta

3 comentários:

  1. http://christianinvaders.org/?page_id=28

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Osga!

    Vi os dois trailers e até deixei um comentário.
    Mais do que "choque de civilizações" seria correcto falar em "ignorância & medo".

    Abraço!

    ResponderEliminar
  3. Osga, sou um idiota: reparei agora de ter deixado um comentário em Português num site Inglês... :(

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...