16 fevereiro 2011

Como funciona uma Bolsa de Valores



Então? Quase um ano de blog e ainda não falámos de como funciona uma Bolsa? Realmente, já não fazem blogues como uma vez...

Em primeiro lugar, há três tipos de bolsas: a bolsa normal, a bolsa de estudo e a bolsa de valores.
Acerca da bolsa normal, interessante sacola onde objectos variados são colocados, vamos dedicar um futuro artigo dividido em 8 partes; ignoramos a bolsa de estudo, sobra a bolsa de valores.
Vamos falar disso, duma forma muito simples.

Antes de mais, é preciso entender o que é uma sociedade de capital aberto.




A Empresa de Capital Aberto

A Bolsa de Lisboa
Diz Wikipedia:
Empresa de Capital Aberto é uma sociedade anónima cujo capital social é formado por acções - títulos que representam partes ideais - livremente negociadas no mercado sem necessidade de escrituração pública de propriedade (por parte da pessoa física compradora).
Em palavras simples, falamos das empresas SA (ou S.A): são empresas onde o capital não fica nas mãos de uma pessoa mas é dividido em acções, as quais são de propriedade de mais pessoas.

Por exemplo:
Informação Incorrecta SA: 51% das acções de Leonardo, 49% de Max. Leonardo, neste caso, detém a maioria das acções da SA.

Mas como é que chegou a ter esta maioria?
Comprou as acções de Informação Incorrecta SA. Comprou mesmo fisicamente, com dinheiro.

Quando uma sociedade quer tornar-se uma SA, transforma o próprio capital em acções, as quais são sucessivamente vendidas.

Exemplo:
Informação Incorrecta tinha um capital de 100 Euros. Ao tornar-se uma sociedade de capital aberto, transforma o capital em acções: cada acção vale 1 Euro.
Total: 100 acções.

Neste caso, Leonardo comprou 51 acções. Comprou e pode vender também. Mas onde?
E aqui que entra em jogo a Bolsa.


A Bolsa de Valores

A Bolsa de São Paulo
A Bolsa de Valores é o lugar onde os traders vendem e comprar valores mobiliários.

O trader é a pessoa que opera na Bolsa, pode ser um profissional (não faz outra coisa) ou um pequeno investidor (ocasional) e é a pessoa que compra e vende os acções das empresas de capital aberto. Mas, além disso, trata de vários instrumentos financeiros e das obrigações.

Além das acções, uma empresa (ou Estado) pode emitir obrigações: tu, cliente, compras uma das minhas obrigações e eu, empresa, após um ano devolvo o dinheiro com que compraste a obrigação mais os juros.
Muito simples.

E depois há os instrumentos financeiros, literalmente instrumentos para fazer render ainda mais o dinheiro que desejamos investir. Um exemplo clássico são os produtos derivativos, como os futures. Costumam ser produtos com uma margem de risco maior, mas que podem implicar ganhos maiores também.

O trader trata de tudo isso: acções, obrigações e produtos financeiros. Estas três coisitas juntas tomam o nome de valores mobiliários.

Então a Bolsa outra coisa não é senão o lugar onde acontecem as compras e as vendas dos valores imobiliários. Apenas isso.

Como funciona?

Nos filmes de Hollywood são mostrados os traders que gritam, levantam braços, trocam sinais, no meio duma confusão infernal.
Na verdade, este é apenas um aspecto da Bolsa e não o mais importante. Hoje em dia, a maior parte das compras e das vendas (as transacções) são feitas por via informática: o computador.

Mas em que se baseia uma transacção? Porque o leitor, por exemplo, teria que adquirir as acções da Informação Incorrecta SA?

Como vimos, hoje Informação Incorrecta SA tem um capital de 100 Euros, dividido em 100 acções de 1 Euro cada uma.
Mas isso é hoje. Amanhã a empresa pode valer mais do que isso.

Exemplo.
Leonardo, que detém a maioria das acções (51%) decide de avançar com uma enorme campanha publicitária: esta tornará Informação Incorrecta o blogue mais lido em todo Portugal e Brasil. Um super-blogue.

Isso, claro, tornaria Informação Incorrecta um blog mais valioso. Então as suas acções também ganhariam com isso: já não apenas 1 Euro mas 2 Euros.

Leonardo diz: Max, publica no jornal o início da campanha publicitária. E Max obedece (coitado, detém a minoria da sociedade!).

A Gazeta de Portugal
Lisboa, 30 de Fevereiro de 2011,
Informação Incorrecta, o blogue que trata de economia, geopolítica e sociedade, decidiu investir numa enorme campanha publicitária com o objectivo de tornar o blogue no mais lido.
"Um grande passo para todos nós" afirmou Leonardo, que detém a maioria das acções, "o mundo da informação não será o mesmo após esta campanha".
Esta operação de marketing visa tornar Informação Incorrecta no blogue mais lido do planeta.

A Bolsa de Wall Street
Os traders compram o jornal e lêem: Informação Incorrecta começa uma grandiosa campanha publicitária que tornará o blogue no mais lido do planeta (os jornais exageram sempre).

O trader, sempre atento, pensa: "Epá, se eu comprar as acções de Informação Incorrecta agora, enquanto valem 1 Euro, posso vende-las num segundo tempo, quando o valor delas será bem maior."

Assim o trader compra partes das acções. Outros trader observam e pensam: "Olha olha, o tal trader comprou as acções de Informação Incorrecta, será que ele sabe alguma coisa acerca deste blogue?" e compram também.

Como reflexo desta situação, o valor de Informação Incorrecta aumenta na Bolsa: todos querem as acções do blogue, e quando todos querem uma coisa, o valor desta coisa aumenta.

Obviamente pode acontecer o contrário.  
A Gazeta de Portugal

Lisboa, 31 de Fevereiro de 2011,
Más notícias acerca da campanha publicitária de Informação Incorrecta. Ao que parece, a iniciativa foi um fracasso e agora o único leitor do blogue é um hamster de Lima, no Peru, que adormece cada vez que o ecrã do dono estiver ligado. "Antes costumava roer todos os móveis da sala" afirma Pedro Gonzales, o dono, "agora ligo o ecrã, abro a página de Informação Incorrecta e Pirikito [o hamster] adormece num sono profundo".

Obviamente estas não são boas notícias e o trader pensa: "Mas que raio de blogue, desta forma Informação Incorrecta vai perder valor. Melhor vender as acções".
Os outros traders pensam: "Olha, porquê ele vende as acções? será que conhece alguma coisa negativa acerca do blogue?". E vendem também.

Como resultado, todos vendem, ninguém quer comprar as acções de Informação Incorrecta. E quando ninguém quer uma coisa, o valor desta coisa diminui.

Só isso?
Não, em verdade a Bolsa é muito mais complexa. Mas este apresentado é o esquema-base.


SA: super-empresa ou super-dívida?

Uma última reflexão.
Quando ouvimos falar de uma empresa cujas acções são tratadas na Bolsa, pensamos: "Wow, esta empresa é tratada na Bolsa, deve ser mesmo importante e rica".

Mas pensem num pormenor: quando uma empresa transformar o próprio capital em acções, está a tentar vender estas acções em troca de dinheiro. Isso é: está à procura de dinheiro.

O caso típico são as equipas de futebol.
A maioria delas surgiram no início do século XX e as estruturas permaneceram inalteradas ao longo de décadas.
Depois, no final da década de '90, muitas tornaram-se sociedade de capital abertos. Porquê?

Para obter dinheiro. O dinheiro em caixa já não era suficiente para gerir as sociedades, era preciso mais do que isso. Então foram criadas as acções (que, então podem também ser uma forma de auto-financiar-se).

Muitas delas, agora, são autênticos buracos negros...


Ipse dixit.

5 comentários:

  1. Prezado Max, o seu humor é muito legal de se ler.
    Parabéns!
    E claro; as informações também.
    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Vitor16.2.11

    Excelente outra vez Max!!

    Abraços!

    ResponderEliminar
  3. Dom Eduardo e Dom Vítor: ainda uma vez, muito obrigado!

    E um abraço.

    ResponderEliminar
  4. Muito legal a adaptação dos fatos, para discernimento geral. Para muitos (desinformados), a bolsa de valores é apenas algo que está lá longe e que é sinônimo de progresso...

    Me avise de antecedência quando abrir o capital do II, já vou reservar uma graninha kkkkkkkkkk!

    ResponderEliminar
  5. Tá vendo, Max? Só elogios. Acrescente o meu, com um agradecimento todo especial.

    Tenho informações privilegiadíssimas que na final da Copa do Mundo 2014 o Brasil perderá a final para a surpeendente equipe de Guiné-Bissau. Isto devido a uma incontrolável desaranjo intestinal, mais conhecido por aqui como caganeira ou piriri, que acometerá a todos os jogadores da seleção brasileira -titulares e reservas. Além dos calções sujos e das pernas bambas terão que carregar aqueles suportes de soro fisiológico pelos gramados.
    Se topares uma aposta valendo 100 euros, registramos um contrato com a minha opção por Guiné-Bissal e a você pelo Brasil.
    Como se vê é uma aposta pro futuro.
    Depois, quem sabe, eu divido meu contrato em 1000 partes, cada uma a 1 euro e arrange alguns incautos compradores. Você pode fazer o mesmo.
    Isto é, a grosso modo, o mercado futuro, não é?

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...