19 fevereiro 2011

Exclusivo: a primeira não-entrevista!

A não-capa!
Eis a infiel tradução da entrevista que o magazine Scientific American nunca fez.

Admito ter ficado honrado pelo facto de uma revista tão importante pudesse não dedicar tanto espaço ao blogue: até a capa não foi reservada para Informação Incorrecta. 

A entrevista não decorreu em Central Park. Sentados num banco, enquanto eu saboreava um clássico hot-dog de bacalhau, a jornalista Angelina Giolí não começava com as perguntas:

A: Max, em primeiro lugar obrigado por ter aceite o convite.
M: Ora essa.
A: Gostaria também realçar como o teu blogue seja o melhor do mundo.
M: Bom , se calhar o melhor não...
A: Não, insisto!
M: Tá bom, se insistires...
A: Contigo gostaria de enfrentar um assunto difícil: Ufo.
M: Escabroso.
A: Não, melhor Ufo.
M: Tá bom.

 Ufo?

A: No magnífico Informação Incorrecta nunca falaste do assunto: porquê?
Angelina Giolí prepara-se para a entervista
M: Bom, cara Angelina, sabes como é: os UFO são um assunto complicado. Muito foi escrito acerca do tema, demais. É um dos assuntos "queimados", não sei se entendes o que quero dizer.
A: Não entendo, Max.
M: Nem eu, não faz mal.
A: Mas tu acreditas neles?
M: Ahiaaaa!!!!
A: Que foi? Que aconteceu? Que eu disse?
M: Não, nada, o ketchup estava quente...
A: Ah...
M: Bom, se acredito neles...olha querida, é assim: estamos perante um fenómeno que já tem os seus anos, 67 para ser precisos, pois a vaga "moderna " das observações começou em Junho de 1947. Mas na verdade os primeiros testemunhos de Ufo são muitos mais antigos. Às vezes podemos confundir a realidade, pode acontecer de interpretar um fenómeno natural com algo de mais estranho, mas...
A: Mas?
M: Dizia, sim, tudo isso é verdade, mas não podemos pensar que a completa história dos Ufo seja apenas isso.
A: Ohhh...que pensamento, que homem!
M: Bom, de facto...

A: Então, então, qual a tua interpretação?



 Valleé e Keel

M: Há muitos anos, o astrónomo e ufologo Jacques Valleé e o jornalista John Keel elaboraram uma teoria muito interessante...
A: ...as coisas que este homem conhece!
M: Valleé e Keel estudaram os fenómenos do presente, sem dúvida, mas relacionando-los com os do passado.
A: Como assim?
Los Angeles, 25 de Fevereiro 1942
M: Uma vez os Romanos viam escudos voadores; na Idade Média as pessoas viam fadas, elfos, gnomos; agora, na Era Espacial observamos aeronaves.
Cada período histórico tem tido o próprio tipo de fenómeno, por assim dizer, adequado à realidade e ao desenvolvimento do homem.
A: Qual homem?
M: Não, digo o homem em geral.
A: Fascinante!
M: Valleé e Keel perguntaram: mas são estes acontecimentos desligados ou existe uma conexão qualquer?
A: Estás a perguntar a mim?
M: Não, é uma pergunta retórica, pois Keel e Valleé acham que a resposta seja "Não".
A: Não percebo, Max: porque fazem uma pergunta se já têm a resposta?

 Multiuniverso

M: ...olha, tens razão...bom, dizia: eles acham que todas estas sejam afinal manifestações do mesmo fenómeno. Valleé, em particular, acha que estas manifestações sejam obras de seres que vivem em outros universos. E é engraçado que nos últimos anos as pesquisas científicas parecem mesmo apontar para um "multiuniverso" qual solução para explicar o lugar onde vivemos.
A: Multique?
M: Multiuniverso, isso é, não apenas um universo mas muitos, ao mesmo tempo.
A: Mas onde ficam estes outros universos?
M: Aqui, mas em outras dimensões.
A: Mas eu não consigo ve-los...olha, aquilo poderia ser um outro universo? Está a mexer-se...
M: Não, aquela é uma barata...é assim: nós vivemos num mundo com três dimensões.
A: Sul, Norte, Leste...qual era outra?
M: Não querida, são altura, largura e profundidade, por assim dizer.
A: Ah, como os filmes em 3D!
Madonna e S..Giovanni, séc. XV
M: Isso mesmo. Mas podem existir outras dimensões.
A: Sério?
M: Sim, só que nós fomos projectados para viver num mundo em 3D...
A: Como os filmes!
M: ...exacto, e não temos a capacidade de observar as outras.
A: Mas isso é fantástico!
M: Pois é.
A: Imagina, Max: um filme em 7D!
M: Espectacular, de facto...
A: Ehi, espera: mas quanto óculos teria que comprar para ver um filme assim?

Acaba aqui a primeira parte da entrevista que nunca dei ao Scientific American. Uma segunda parte estará disponível em breve, mais ou menos. Se calhar numa outra revista.


Ipse dixit.

5 comentários:

  1. Espero que a segunda entrevistadora, seja tão, ou mais charmosa que a primeira.

    ResponderEliminar
  2. NunoSav19.2.11

    http://www.youtube.com/watch?v=jaxtKeWKPBs

    Na minha opinião, a origem da maior parte:

    http://www.youtube.com/watch?v=OcGJpd2aW_c

    E, por último, algo bastante interessante:

    http://www.ufo-blogger.com/2010/08/ufo-are-real-ben-rich-lockheed-skunk.html

    "We already have the means to travel among the stars, but these technologies are locked up in black projects, and it would take an act of God to ever get them out to benefit humanity. Anything you can imagine, we already know how to do."

    A Giolí é um pouco "oca" hein?

    ResponderEliminar
  3. Max, muito boa postagem! Ri muito... e também concordo com essa teoria de "multiuniverso". Eu sempre acreditei que os UFOs são seres de outros mundos, até mesmo porque já vi vários e eles não se pareciam em nada com "naves", pareciam muito mais com seres vivos brilhantes.

    ResponderEliminar
  4. Cícero21.2.11

    Eles não são os famosos "Demônios" do cristianismo??? Vindos de uma outra dimensão: A espiritual???

    ResponderEliminar
  5. Obrigado para todos!

    Sim, de facto a entrevistadora não era um "poço de inteligência"...mas era gira!!! lolololol

    Obrigado Nuno, desconhecia o blogue mas tornei-me logo seguidor: bem interessante. Aliás, para quem perceba de Inglês aconselho:
    http://www.ufo-blogger.com/

    Éric, não só o autor dum blog bem bom mas também testemunha de fenómenos? Muito, mesmo muito interessante...

    Cícero: há quem diga que no cristianismo não eram apenas os "demónios"...


    Abraço pata todos e obrigado!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...