08 fevereiro 2011

Spam!

Abro a caixa do correio: cheia.
Epá, quantos amigos que tenho, nem sabia...

Depois começo a ver.
"Compramos ouro usado" não promete nada bem.

Os tempos são difíceis e a compra-venda de ouro é um negócio que rende agora. Mau sinal.
Continua: "Pagamos a dinheiro". Porquê, como tencionavam pagar? Em grão de arroz?

Controlo: o papel não é reciclado. Mau.



Vamos em frente.
"No Jumbo os descontos são imediatos"
"Até60%DescontoImediatoAsterisco: nos artigos assinalados neste folheto."

Wow! Molho Framboesa Florette 1,00 €!!!
Mas eu não gosto do molho framboesa e nem estou muito interessado na boneca Barbie com 40% de desconto. Também fico indiferente perante o WC para gatos, pois tenho um cão. E o mocassin senhora? Talvez, se houvesse o tamanho 45 e tivesse estilo de homem.

Na última página, pequeno, num canto: SGS Empresa com Sistema de Responsabilidade Social Certificado. O que é esta coisa da "Responsabilidade Social"? O folheto é de papel reciclado? Não? Então que raio de responsabilidade é esta?
Ou acham que eu vou à procura do site da SGS para ver se entre os requisitos pedidos para certificar é presente também a utilização de papel reciclado? Custa tanto escrever: 100% papel reciclado?
Mau.

Em frente.

"Schlecker...a minha drogaria & perfumaria..."
Bom para ti, mas que tenho eu a ver com isso?

Vamos ver as ofertas.
Bandas cera fria facial, 10 unidades desconto de 1,30€. Interessante: isso substitui a máquina de barbear? E a tinta para os cabelos com 25% de desconto, posso ficar loiro?
Mais importante ainda, o papel é reciclado? Não? Mau.

"Chateau d'Ax, Saldos -50%"
Divã Atlantic em pele Master (deve ser um novo animal), 4.990€, fantástico, vou comprar 4, nunca se sabe, papel reciclado? Não? Mau.

A Lidl, depois, é o máximo: 22 páginas de inutilidades para publicitar os seus produtos, mais uma entrevista com Pedro Reis e Maria Duarte (mas quem é esta gente?) que afirmam "Somos os dois românticos" (ahe?), uma página inteira para um aparelho que permite "ouvir um cêntimo a cair, a 10 metros de distância!" (o top para qualquer forreta), As Dicas dos Astros de Maria Helena que pode ler as estrelas mas, a julgar pela foto, não consegue arranjar um cabeleireiro decente, e não pode faltar a sugestão musical, desta vez com o álbum ao vivo de Eros Ramazzotti (o que diz muito acerca de quanto na Lidl percebem em termos de música...).

Pena, pois até gosto de comprar na Lidl mas...papel reciclado? Não? Mau.

Ao encontrar a conta da electricidade, até fico contente: finalmente algo de útil.

No total tenho cerca de 250 gramas de papel não reciclado na minha frente, totalmente inútil.

Destino? Caixote do lixo.

Aliás, usualmente nem costumo ler, o percurso é directo: caixa do correio > caixote do lixo (em verdade vai para o ecoponto, caixote azul!)

Quantas pessoas fazem o mesmo? Alguém pode calcular o desperdício?

Mas o que faz pensar é o seguinte: estamos em 2011 e ainda temos que aturar esta publicidade que é igual à que era praticada no começo do séc. XX?

Porque tenho de receber um folheto de 14 páginas com ofertas de divãs? Não tenciono mudar de divã, nem agora nem nos próximos meses. Da mesma forma, não me podem convencer a usar um penso higiénico, juro, não preciso.

O que eu, eventualmente, poderia considerar, seriam ofertas "dirigidas", isso é, acerca de artigos que efectivamente pudessem interessar-me.

É por isso que existe internet.

Cada empresa sabe muito bem o que o consumidor costuma adquirir, é só comparar o número de cartão (multibanco ou de crédito) com o talão de compra, é já tudo informatizado.

Desta forma seria possível descobrir que eu não utilizo pensos higiénicos, nem comida para gatos: vice-versa, poderia estar interessado em comida para cães.

Uma forma inteligente para capturar a atenção do consumidor.
E poupar uma enormidade de papel...

Desculpem o desabafo.


Ipse dixit.

Fonte: a minha caixa do correio

5 comentários:

  1. Companheiro, a tal da nova ordem não é fundamentada somente nas grandes falcatruas que podemos ler nos blogs. A base dela é a difusão dessa mentalidade impessoal, mesquinha e estritamente comercial com que somos bombardeados todos os dias. Sem contar com a mudança dos fundamentos do Estado como instituição...
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  2. Caro....? (original, parabéns!)

    A finalidade é manter o cérebro empenhado, sempre. Somos bombardeados de informação, a quase totalidade inútil. A caixa de correio cheia é mais um exemplo.
    Concordo.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  3. Anne,

    então no Brasil é como aqui no Velho Continente? Cheio de correio inútil?

    Abraço!

    ResponderEliminar
  4. Aqui no Brasil é assim: propaganda inútil na internet, na televisão, no rádio, nas ruas.. Pra qualquer lugar que você olhar vai ter alguma dessas propagandas tentando te enganar.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...