16 março 2011

Manual de sobrevivência - Parte II

Bla, bla, bla...mas não se pode fazer um exemplo concreto?
Sim, claro.

Um exemplo, talvez um pouco antipático, mas necessário. E, por uma vez, fora do âmbito económico: falamos de religião, algo de muito intimo.

Não é um acaso: a religião, tal como a fé política, pode representar uma das convicções mais fortes.

Calma, não vou aqui tentar convencer o leitor a abandonar as próprias crenças, claro: só realçar como estas podem ser desfrutadas para condicionar as nossas escolhas, para enganar-nos.

Nota importante

O respeito para os crentes, tal como os não crentes, está fora da discussão. Por isso este não pode ser lido como algo contra a religião. O que é aqui criticado não é a Fé mas os homens, e espero que ninguém possa sentir-se ofendido com quanto segue. Isso tanto para que fique claro.




Qual Igreja? (é que há muitas)

Nos últimos anos assistimos a uma autêntica "explosão" de igrejas: um fenómeno bem conhecido no Brasil, nos Estados Unidos e que começa a aparecer também em Portugal.

Há um pouco de tudo: Igreja Solidária, Igreja do Jubileo, Igreja dos Pastorinhos, Igreja Universal de Jesus Cristo, Igreja do Nazareno, Igreja Maná, Igreja de Deus Mundial, Igreja de Cristo Evangélica Carismática, Igreja Cristã Corpo do Messias, Igreja Pentecostal Catedral de Vida, Igreja Cristã Mananciaçal de Águas Vivas...

E depois as minhas favoritas: Fogo no Altar e Igreja Baptista em Chamas que, contrariamente ao que é possível pensar, não têm apenas fieis bombeiros.


Jesus e os 12 Sócios

Entre todas, umas das mais bem sucedidas é Canção Nova, que em verdade igreja mesmo não é mas representa um movimento que consegue capturar muitos fieis.

Ao entrar no ao site dela, deparamos com vários links. Seguimos alguns.

Por exemplo: "Clube". É o "Clube da Evangelização" que recolhe os Sócios Evangelizadores.
Como é possível tornar-se Sócio Evangelizador? Com dinheiro.

Dinheiro??? Muito bem, então começamos aqui a utilizar o nosso sistema.
Antes demais: duvidar e perguntar. Porque uma igreja quer o meu dinheiro?

Resposta:
O Sócio Evangelizador da Canção Nova abraça conosco o compromisso de evangelizar, sendo o sinal concreto da Providência de Deus para a continuidade de nossa missão.

Ser Evangelizador é atrair novos corações para o encontro pessoal com Jesus. É uma ação conjunta entre Ele e o homem. Você pode cooperar com a ação do Espírito Santo, assumindo conosco o desafio de evangelizar e formar homens novos para um mundo novo.
Ahe? Então passamos à fase seguinte: ler.
Pegamos na Bíblia e procuramos ao menos uma passagem na qual Jesus Cristo tentou tornar os Apóstolos Sócios pagos.
Olhem, não há, esquisito.

"Sim", pode ser a resposta, "mas o dinheiro é preciso para a organização da Igreja: temos rádio, televisão...".

Então tentamos utilizar o cérebro. Rádio e televisão para quê? Jesus não tinha nada disso na altura e conseguiu maravilhas. À disposição só 12 analfabetas, o que não era muito, no meio dum império que não via os Cristãos como amigos, bem pelo contrário. Então?

"Sim, mas com estes meios a Voz do Senhor chega mais depressa e em todos os lugares".
E porque tanta pressa? Na Bíblia aparece um tempo limite? E todos os lugares porquê? Jesus, segundo as fontes, nunca abandonou a zona da actual Israel.

"Sim, mas enviou os Apóstolos".
E também Canção Nova envia os Apóstolos, aliás, esta igreja envia directamente Anjos:
O Sócio-arrecadador é um colaborador importantíssimo no dia a dia do Clube da Evangelização, carinhosamente chamado de "anjo da confiança". É ele quem atua, principalmente em regiões distantes dos centros comerciais, recolhendo as doações e conquistando novos sócios.
"Anjos da confiança"? Gente que recolhe dinheiro? Desculpem, esta parece mais uma venda porta-a-porta.


O Espírito Santo e as contas bancárias

Mas é possível também fazer doações com outros meios. Por exemplo: débito automático.

É simples, basta utilizar um destes bancos:

Banco do Brasil Agência 3358-8 Conta 3689-7
Bradesco Agência 3373-1 Conta 215-1
HSBC Agência 1378 Conta 0676370
Santander Agência 0164 Conta 13-000147-3
Banco Real Agência 0617 Conta 0004315
BRB – Banco de Brasília Conta 204007584-9
Itaú Agência 0247 Conta 31453-7
Banese Agência 028 Conta 101368-6 Tipo 03
Caixa Agência 2003 Conta 339-1 Tipo 003
Citybank Conta: 29346770 Agência: 001 - Paulista

Sou eu que vejo mal ou esta "humilde igreja" tem algo como 9 contas bancárias?

Entre as quais, além disso, podemos encontrar entidade como HSBC, Santander e Citibank, ou seja, quanto de mais equivoco possa existir no mundo bancário internacional.


Os mercantes no Templo

Mas não é tudo: há mais.

livros, todos pagos, claro: "Como rezar bem o rosário" (e gastar 8,90 Reais), "Quando rezar?" (e gastar outros 9,90 Reais), "Como rezar" (caso não tivesse ficado claro com o primeiro livro, são outros 9,90 Reais), "A minha missão é montar" (aqui é melhor evitar piadas, custa 25,90 Reais), "Quem me roubou de mim?" (e ainda precisam do livro para perceber? São 19,90 Reais).

Há vários kit, entre os quais o kit "Porta a Porta" (pois... 193 Reais),
Compact Disc ("Adoração e vida ao vivo" de Walmir Alencar, 23,90 Reais, isso é que é um negócio),
DVD (como sobreviver sem o DVD oracional Livrai-nos do Mal de Luzia Santiago, 27,90 Reais?),
Boné (Boné Revolução Jesus 17,90 Reais),
Mochilas (Mochila Canção Nova 45 Reais),
T-Shirt (a camiseta com Nossa Senhora das Graças é um espanto, apenas 27,90 Reais), 
Espaço Crianças (com artigos à venda, óbvio),
e depois adesivos, bijuterias, bolsas, estojos, chaveiros, pulseiras, terços, crucifixos, escapulários, palestras, porta-cd... 

Para os fieis de Portugal, uma campanha exclusiva: O Projecto Dai-me Almas, onde não querem almas mas, adivinhem? Exacto, dinheiro.

Meus senhores, esta é uma máquina para fazer dinheiro. A de cima parece a lista dum mercado, não um movimento religioso....mercado? Isso faz lembrar algo... 
João 2 
13 Estando próxima a Páscoa dos judeus, Jesus subiu a Jerusalém. 
14 E achou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas, e também os cambistas ali sentados; 
15 e tendo feito um azorrague de cordas, lançou todos fora do templo, bem como as ovelhas e os bois; e espalhou o dinheiro dos cambistas, e virou-lhes as mesas; 
16 e disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio. 
17 Lembraram-se então os seus discípulos de que está escrito: O zelo da tua casa me devorará.

Ah, pois, a cara velha Bíblia, e quem se lembrava dela?


As ideias políticas

Tudo bem: mas afinal, se uma pessoa deseja acreditar na Canção Nova, qual o problema?

O problema é que este movimento não é apenas económico-religioso: é também político.
Antes das última eleições no Brasil, Canção Nova tomou uma clara posição contra um dos candidatos, a actual Presidente Dilma Rousseff.

Já escrevi que Dilma não me convence, mas não é isso que interessa, pois o problema aqui é: com que direito um movimento religioso, que condiciona milhões de fieis, atreve-se a intervir num debate político e tentar assim orientar os votos?

Resposta: com o direito do dinheiro. Pois as várias doações servem sim para financiar a televisão e converter desta forma os infiéis, mas também para interferir na vida política dum País com declarações como esta do padre José Augusto:
José Augusto, o padre-politólogo
O que tem me agitado são muitos e-mails que eu tenho recebido. E a questão é essa da eleição. E eu não posso deixar de falar também porque eu sou sacerdote de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Diante de tantos pastores se pronunciando, diante de tantos bispos se pronunciando, nunca vi uma eleição tão agitada como essa, nunca vi. Tenho 44 anos de idade e nunca vi uma eleição tão agitada.
Por que de tanta agitação? Porque os rumos da nação brasileira estão prestes a mudar, e eles poderão mudar para o pior, para o lado pior se nesse segundo turno - eu vou falar com clareza - se o PT ganhar.
Depois o fundador do movimento, Mons. Jonas Abib afirmou que a Canção Nova não apoia candidato nenhum. Mas isso, claro, depois da mensagem ter sido espalhada. Tanto que o padre, após uma alegada "persecução", continua alegremente no movimento.


Defender-se

Jorge Tadeu, o apostolo-jacto
É fácil cair num esquema deste quando é presente a fé.
A fé pode justificar tudo.

Há alguns tempos, o pastor da Igreja Maná adquiriu um jacto pessoal. A motivação? Conseguir espalhar a palavra do Senhor mais longe.
E o devoto acredita nisso, acredita em tudo.

Quando lembramos de exemplos como o de S. Francisco, que rejeitou as próprias riquezas, a resposta é que os tempos mudaram. Sim, é verdade: mas também as almas?

Como já afirmado, a fé tem este poder. Pode ser fé religiosa ou política (o princípio é idêntico), não importa. É um cantinho do nosso cérebro no qual decidimos conservar o irracional.

Por si não é mal, aliás, o Homem precisa do irracional também. Marx demonstrou ser um óptimo economista, mas do Homem conhecia pouco ou nada quando afirmou que "a religião é o opio dos povos": é muito mais do que isso.
Por isso, repito ainda uma vez: este não é, nem deseja ser, um escrito contra a Religião, que é um direito inalienável (e uma bênção para quem tem Fé): cada um é livre de escolher a própria religião, a própria igreja, a própria fé. Seja a Igreja Católica ou   a de San Bernardino Envolto em Chamas. 

Mas quando isso afecta a nossa capacidade de julgar a realidade de forma objectiva; quando houver pessoas que exploram esta nossa "fraqueza"; quando isso acontece sem o nosso conhecimento, então é preciso fazer alguma coisa. Defender-se.

Eis o tesouro da dúvida e das perguntas: pôr em função as nossas defesas, obrigar o cérebro a trabalhar, a tomar partido, aprender a observar as coisas com outros olhos.
Eis a riqueza do conhecimento: poder comparar, avaliar.   
Eis a potência da comunicação: trocar experiências para perceber e alertar o próximo.

O próximo? Ah, pois, não estamos sozinhos neste planeta.
E disso vamos falar na parte seguinte.

Como "seguinte"? Há outra?
Eh sim, há outra...esperamos seja a última... :)


Ipse dixit.

2 comentários:

  1. Anónimo17.3.11

    fantástico!!
    é mesmo isto!!

    ""obrigar o cérebro a trabalhar, a tomar partido, aprender a observar as coisas com outros olhos"".

    isabel

    ResponderEliminar
  2. Olá Isabel!

    em primeiro lugar: muito obrigado.
    A seguir: hesitei antes de publicar este post.
    Pensei: "Epá, a religião é um assunto muito delicado, alguém vai sentir-se ofendido e vou levar na cabeça".

    Depois decidi publicar, pois afinal estas são as minhas ideias. Da mesma forma como costumo escrever acerca de economia ou geopolítica, assim não vou evitar determinados assuntos só porque alguém pode incomodar-se. Não seria honesto.

    Afinal o único comentário é este, de Isabel. E até é positivo.

    Isabel, ainda uma vez: obrigado!

    Um grande abraço!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...