04 março 2011

Post negro

Ando um pouco em baixo. Será que comi demais?
Não é bem isso.

Acabei de ler os comentários, que agradeço ainda uma vez (e amanhã vou responder): é bom ver que há pessoas, e muitas, que querem ir além do óbvio. Não importa se as ideias são diferentes, até acho bem melhor assim: um mundo onde todos pensam da mesma forma seria pior do que o Inferno.

E depois eu não ofereço verdade, nada de dogmas nos quais é obrigatório acreditar.tento apenas realçar algumas informações que às vezes, com o ritmo e o estilo das nossas vidas, podem passar despercebidas.

Então porque estou em baixo? Porque entre todos os comentários havia um, de Tony, o seguinte:
A história é sempre a mesma, muda local, data e personagem (ou não). Fico surpreso como a maioria engole os medias e desvaloriza a própria sabedoria, a história. A poucos anos atrás vimos eles forçarem guerra, veremos de novo e futuramente também.
Quando li estas palavras, de repente, senti um sentido de tristeza descer.
Fogo, Tony tem razão, é assim mesmo: mudam os actores (até um certo ponto), mudam os lugares, mas a história nunca muda.



Iraque: quem se lembra das armas de destruição maciça de Saddam Hussein, dos laboratórios químicos montados nos camiões, dos foguetes capazes de atingir meio hemisfério?

A guerra acaba, com custos humanos alucinantes, um País fica no caos total, e alguém fala em "vitória".
Passam poucos anos e outro alguém aparece a dizer que não, de facto o fantástico arsenal do antigo ditador nunca tinha existido, foi um erro dos serviços secretos ou da CIA.

Um erro? Como assim? E quem paga por isso? Ninguém? Ah, tudo bem.

Afeganistão, a sede do Grande Mal. O País está nas mãos dos Talibãns e de Al Qaeda, dois sujeitos que ficam sobrepostos numa confusão intencional. Alguém vai nas televisões para explicar que há cidades escondidas no interior das montanhas, o inimigo tem a disposição armas que nem podemos imaginar.

A guerra ainda não acabou, não há nada naquele desgraçado País, apenas camelos, muçulmanos e plantações de drogas. Mas aparece outro alguém e diz que não, de facto não existem cidades escondidas, nem fantásticos arsenais. Foi um erro dos serviços secretos ou da CIA.

Um erro? Um outro erro?

Vamos ainda mais atrás: o 11 de Setembro de 2001. Sinceramente, eu não sei o que aconteceu naquele dia: mas ainda espero que alguém venha a explicar-me porque ruiu o edifício nº 7. Foi ignorado, literalmente. A Comissão de investigação simplesmente fez como se o nº 7 nunca tivesse existido.

Porque ninguém é capaz de explicar como é possível que uma estrutura de cimento e aço, com 47 andares, que não foi atingida por aviões, com sistemas anti-incêndio, possa ruir após ter tido pequenos fogos em apenas dois pisos.

Ainda mais atrás? Não, chega.
O objectivo deste post não é fazer uma lista de acontecimentos já conhecidos. O objectivo é uma pergunta: como é possível?

Podemos avançar com muitas explicações.
Podemos dizer que somos narcotizados com uma informação domesticada.
Podemos dizer que a vida que conduzimos impede de ver a realidade qual ela realmente é.
Podemos dizer que somos vítimas duma grande conspiração. Reptiliános, Rothschid, façam vocês.

Eu acho que a explicação é outra. Mais terrível ainda.
Simplesmente, eu acho que ninguém está interessado.

Meus amigos, vamos encarar a realidade.
Segundo uma recente sondagem de 2008, 81% dos Americanos não acredita na versão oficial do 9/11.

81%? Mas com uma percentagem assim, seria lógico ter um movimento de cidadãos, da maioria dos cidadãos, que exigissem a verdade, já. O teu governo mente acerca da morte de 3.000 pessoas, no teu País, e tu não fazes nada?

Exacto, não fazes nada.

Porquê? Porque no final do dia, tu podes sempre voltar para a tua casinha, arrumar o carro de 30.000 Dólares, comer algo, ligar a televisão com Dolby 5.1 e seguir o Super Bowl em directo, enquanto os filhos não perturbam porque entretidos com a Playstation 3.

Isso na América. Na Europa as coisas mudam poucos, não há Super-Bowl mas há a Champions League.

Quem está disposto a arriscar tudo isso? E em troca de quê? Da verdade? E uma vez obtida a verdade? Quantos Super Bowl vale a verdade?

A verdade pode devolver um País normal? Não pode.
Porque há as eleições. E tu sabes quem ganha nas eleições. Não é o melhor, não é o mais inteligente, não é o mais virtuoso. É o medíocre que tem os melhores apoios.
Direita? Esquerda? Qual a diferença entre um Bush e um Obama? Sim, Obama é um pouco mais escuro, mas além disso?

Esqueçam os Reptilianos, esqueçam os Rothschild. Os nossos inimigos têm outros nomes: Resignação e Cobardia.
Uma vez derrotados estes, os Reptilianos poderiam voltar para o planeta deles enquanto os Rothschild seriam obrigados a trabalhar, pela primeira vez após gerações.

O verdadeiro triunfo dos regimes democráticos é o ter insinuado nas nossas mentes a certeza de que nada pode mudar e ter tornado a mediocridade uma virtude. Aliás, A Virtude.

Os bancos pedem juros? É normal, pensa o homem, sempre foi assim, desde que nasci.
Normal???
Não apenas o Alcorão, mas até a Bíblia condena os juros, mas claro, o padre esquece este pormenor no sermão do Domingo.

Quanto milhões de Euros são investidos nas Forças Armadas a cada ano? É normal, pensa o homem, em caso de guerra...
Guerra???
Mas que raio querem fazer com dois submarinos em caso de guerra? Vê-los afundarem enquanto chovem os misseis nucleares lançados pelos satélites?

Quanto ganham as Mentes Pensantes de Bruxelas? Eh, pensa o homem, mas é um trabalho de grande responsabilidade...
Responsabilidade???
16 milhões de desempregados só na Europa, eis quanto custa esta cambada de incapazes irresponsáveis.

Quantas pessoas morrem de fome a cada dia? Eh, sim, mas as doenças, depois na África há pouca água...
Ahe?
Mas fazem ideia de quanto milhares de milhões de Dólares ganham em Wall Street graças à especulação com os géneros alimentares?

E agora temos a Líbia. A revolta do povo, morte ao ditador, viva a liberdade, o povo unido jamais será vencido etc. etc.
O povo unido...onde estava o povo unido enquanto Sócrates, Lula, Merkel, Berlusconi, Obama, Sarkozy, Bush, Putin, Barroso iam abraçar o "terrível" ditador?

Não há nada de escondido, está tudo à vista. Estes "Reptilianos", estes "Rothschild", nem precisam de esconder as coisas. Esconder para quê? Quem está interessado nisso? A censura somos nós.

Há recém licenciados que nem sabem escrever em Português: vi um mail na semana passada, fiquei de cabelos em pé, estava escrito num Português pior do que o meu, está tudo dito.
Há jovens que nem sabem quem é o presidente da república (e talvez esta seja uma sorte, dito entre nós), para os quais o hino nacional é a canção da selecção.
Não é culpa deles, que fique claro: eles absorvem o que lhe for subministrado. Estamos a criar gerações de ignorantes.

E os que acham não ser ignorantes, estão cada vez mais confundidos.
Público? Privado? Se uma empresa privada não pagar o que deve ao Estado, é criminalizada, há processo, há investigações, é a vergonha da sociedade, por isso que o País vai mal.
E se o Estado não pagar os privados? Nada: o privado tem que esperar meses, às vezes anos. Mas o Estado não deveria ser o exemplo?
E se o Estado pedir duas vezes os mesmos impostos? Um erro, pois, mas olhas quantos erros...

Se o privado faz pagar duas vezes o mesmo artigo, chama-se "ladrão".
Se isso acontecer com o Estado? Chama-se "Dupla tributação". E é legal.
Não acreditam? Experimentem comprar um carro em Portugal para perceber do que estou a falar.

O honesto pára e pensa: mas que é isso? Onde está o Bem? Onde está o Mal? Valores? Só se for na Bolsa.

Reptilianos? Rothschild? Mas por favor, estes fulanos (os Rothschild, pois os Reptilianos não existem) desfrutam o estado de estupidez no qual felizes gostamos de viver e ponto final.
Podem contar o que querem, podem repetir o mesmo jogo de sempre, não faz diferença: nós continuaremos a acreditar neles e a votar neles. E quando chegará a altura da guerra, eles serão os nosso lideres, as nossas esperanças: pois os "outros" são o Mal, nós o Bem.


Para que tudo possa renascer a haja um novo Super-Bowl.

Onde está o bicarbonato de sódio?
Conselho: não escrevam post sem ter feito a digestão.

19 comentários:

  1. Oi Max,

    Discordamos em relação aos reptilianos, MAS meu caro, esse foi seu melhor texto! Estou batendo palmas para ti.

    Um big abraço!

    ResponderEliminar
  2. Luiz4.3.11

    Parabens ! Assim poderemos despertar de nossa sonolencia ...

    ResponderEliminar
  3. Haha. Lindamente escrito.

    Sou um teorico de conspiração, por natureza. Alias, penso que talvez alguma parte desses são os verdadeiros pensadores do mundo moderno. Já não dizia Aristóteles : duvide, duvide e duvide?

    Em relação aos reptilianos, estou a escrever uma historia com eles.
    Mas as vezes (lendo o seu texto por exemplo) penso que esses Reptilianos, sirianos, nibirunianos são contra informação. Como assim?
    Eles desviam a atenção do verdadeiro problema ( bancos e governos corruptos).

    Ps.: Conversando com um amigo meu, agente chegou algumas conclusões :
    - Nosso ideal de estado já tem lá uns 1000 anos? Sofreu um upgrade há uns 222.
    - Nossa base de Justiça (judiciario) ainda é ROMANO? 2000 anos?
    - Mentira que agente matava preto, e escravizava a pouco mais de 123 anos?
    - E ditaduras?
    - Mentira que morre 2 milhoes de pessoas por dia de fome?


    Porra, não ta na hora de repensamos as sociedades como um todo?
    O que q ta faltando? Pessoas Boas?
    Pessoas boas dispostas?

    Tem horas que eu fico muito puto da vida. E penso que umas bombas atomicas seriam beneficas para a terra, tirar essa praga (humanos) da face da terra.

    ResponderEliminar
  4. Xenofonte4.3.11

    Parabens Max,mais um excelente texto, como vem sendo habitual.
    Hoje em dia vivemos numa sociedade globalizada e isso tem os seus pros e contras.
    Felizmente essa globalizacao permite-me, que eu estando em Londres, neste momento, possa comunicar instantaneamente com os meus amigos e familia em Portugal e permite-me ter acesso a mil e uma fontes de informacao sobre os mais diversos temas. Cabe-me a mim interpolar os diversos dados das diversas fontes e tentar construir uma opiniao pessoal.
    O lado negro e' que temos algo que e' definido como conhecimento MainStream (jornais,tvs e sites mais mediaticos, controlados por grupos financeiros que por sua vez tambem financiam campanhas democraticas) e infelizmente esse lado e' definido, pela grande maioria das pessoas, como o lado oficial e indiscutivel do mais normal assunto.
    Dito isto, julgo que a maioria das pessoas nem esta' interessada em saber a verdade sobre os assuntos que os leitores deste blog acham interessantes, preferindo debrucar-se sobre temas simples e inoquos, tais como as namoradas do Ronaldo ou quantas gramas de coca e que a Lindsay Lohan sniffou. O rebanho prefere estar na ignorancia, pois, de facto, e' o caminho mais facil.
    Para que ser proactivo na busca da verdade se temos pessoas idoneas, qualificadas, isentas de facciosismo, que o fazem por nos? Nao digo que todos tenhamos de ser jornalistas de investigacao, mas nao custa nada questionar-mo-nos e procurar respostas. Alias, julgo que isso sempre foi valorizado e fazia parte da essencia humana.

    Infelizmente cheguei a um ponto em que simplesmente desconfio dos governos e dos mainstream media. Na minha opiniao, e' aqui que faco a distincao entre a importancia da internet e da televisao. Enquanto que um nos da a liberdade de pesquisarmos, o outro condiciona-nos e faz-nos comportar como mais uma ovelha no rebanho. Impressionante a rapidez com que agora se demoniza o Kaddafi que sempre foi um demente, mas que ainda ha meses, os representantes maximos dos estados ocidentais andavam a fazer negocios.

    Vivemos numa falsa democracia, porque o povo trilhou esse caminho, o da ignorancia, as opcoes que nos sao dadas por esta ideologia sao derivadas disso mesmo. Obviamente convem aos partidos politicos que as coisas continuem assim, ou seja, que o povo na sua maioria continue burro,ignorante e passivo. A subida anual do facilitismo no ensino e' prova disso mesmo,fluoridacao da agua canalizada tambem.

    Penso que se chegou a um ponto em que e menos importante discutir o binomio esquerda/direita mas sim primeiro averiguar as intencoes e inteligencia dos nossos representantes democraticos. Certamente que as doutrinas economicas e politicas sao importantes, mas primeiro, o povo nao pode permitir ter charlatoes como primeiro-ministro e presidentes, respectivamente. Depois de aplicado esse filtro avance-se para questoes mais tecnicas.

    Um abraco a todos e continuem a questionar-se e a procurar as respostas a essas mesmas questoes.

    PS: Tambem nao acredito nos Reptilianos :P, mas gostaria de saber a verdadeira extensao do poder dos De Rothschild e afins. Penso que esta onda de "revolucoes" no norte de Africa e medio oriente foram provocadas pelo Ocidente, mas ainda nao sei ate que ponto os governos sao responsaveis por tal. Gostaria de saber quais sao os varios actores neste vasto e complicado palco.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Concordo com o meu amigo Xenofonte.

    É que nem me chateia muito "eles" fazerem o que fazem:
    - Matar
    - Roubar
    - Extorquir
    - Impingir
    - Mentir
    ...éne coisas que sabemos.

    Aquilo que realmente me deixa incomodado e coloca a minha cabeça num constante turbilhão de ideias e sentimentos (para além daqueles calafrios cheios de revolta) é a atitute IMPÁVIDA, SERENA, BURRA, CONFORMADA, IMBECIL, IGNORANTE,

    E-G-O-Í-S-T-A

    ...que as pessoas têm.

    Irrita-me profundamente que as pessoas aceitem TUDO sem se INTERROGAREM: O que é isto? É bom para todos? É legal? É benevolente? É VERDADE???

    Um abraço triste de Lisboa,
    -- --
    R. Saraiva

    ResponderEliminar
  7. É triste mas é verdade. Fazer o que? Tém algum mesias por aí?

    ResponderEliminar
  8. Massa mesmo o post! Mandou bem.

    Concordo com o Thiago Guimarães quando ele fala que esse papo de reptilianos é contra informação, algo para nos confundir. Agora, a dinastia de banqueiros lendários existem e são desses que tenho medo.

    ResponderEliminar
  9. Amigo do Informação Incorrecta... Você é um ótimo escritor...!!!
    Tenho um site (www.libertar.info) e acabei colocando seu post lá com a fonte do seu site...
    Isto que você escreveu é o que tenho pensado também... é a realidade!!!
    Continue assim colega! Você tem nos ajudado a compreender muitas coisas!
    Desejo tudo de bom!

    ResponderEliminar
  10. Em poucas palavras: Excelente!

    ResponderEliminar
  11. Oi Ravena!

    Ainda bem que discorda: se todos concordassem comigo, este seria o blogue mais aborrecido da blogosfera. E eu ficaria preocupado também: significaria escrever apenas obviedades!

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  12. Obrigado Luiz!

    Começo a ser um pouco pessimista, o que não é costume: haverá ainda espaço para despertar as consciências?

    abraço!

    ResponderEliminar
  13. Olá Thiago. Boas observações, sem dúvida, a melhor das quais para mim é a seguinte: "não ta na hora de repensamos as sociedades como um todo?"

    Sim, sem dúvida.

    "O que q ta faltando?"

    Começo a pensar que a resposta seja: liberdade.
    Parece um paradoxo, pois "oficialmente" nunca o Homem foi mais livre. Mas após 2.000 anos o risco é descobrir que nunca existiu uma situação tão repressiva como agora.

    Quanto à bomba: fique descansado, acho que alguém já está a pensar nisso, infelizmente: é uma questão de tempo. As guerras têm um efeito regenerador, é sabido.

    O que é triste é que após 2.000 anos ainda temos que pensar na guerra como uma das soluções.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  14. Olá Xenofonte.

    Epá, este parece um comentário escrito por mim :)

    Mas em verdade há uma importante diferença: eu não tinha realçado o extremo paradoxo no qual vivemos.

    Xenofonte escreve da Inglaterra, lê um blog escrito em Portugal, difundido também no Brasil, no Canada, nos Estados Unidos...em tempo real Xenofonte pode comentar, trocar de ideias, efectuar pesquisas com outros instrumentos...este é fantástico e tudo deve-se ao progresso, não podemos esquecer isso.

    Mas, ao mesmo tempo, esta overdose de informação deixa-nós ignorantes. No final dos anos '60 uma das exigência era o conhecimento para todos. Hoje este conhecimentos está aqui, ao alcance do teclado, mas a maioria de nós não parece estar interessada e contenta-se com a informação mainstream.

    Homem, animal curioso.

    Rothschild? Desfrutei os dias de inactividades para procurar alguma coisa e acho que já amanhã irá sair alguma coisa. Mas é sempre pouco, há bem poucas notícias certas acerca desta família.
    Um caso, sem dúvida...

    ResponderEliminar
  15. Olá Saraiva.

    Sim, concordo com o facto das pessoas serem egoístas.
    Mas gosto de ser um pouco optimista: são egoístas ou são mantidas num estado de egoísmo?

    Toda a sociedade é construída com base em actividades que ocupam grande parte do nosso tempo (o trabalho), o pouco tempo livre é preenchido com acontecimentos de escasso valor (o "jogo do dia", a "melhor novela da temporada") ou notícias inúteis (e aqui é só escolher os exemplos).
    Não sobra muito para pensar em coisas mais importantes: ou por causa do cansaço, das preocupações; ou porque não sabemos onde encontrar informações de qualidade; ou porque afinal há sempre coisas importantes que têm de ser feitas (a inspecção do carro, calcular os impostos, a escola dos filhos, agora o censo...).

    Eu gosto de pensar que se as pessoas tivessem acesso à informações decentes, muitas delas mudaria de ideias acerca da realidade.

    Aos menos, espero :)

    ResponderEliminar
  16. Olá Getulio!

    Boa pergunta, boa mesmo. Gostaria de poder responder.

    Infelizmente não há uma receita mágica. E uma pessoa, sozinha, não tem os meios para inverter uma situação que foi criada ao longo de muito tempo e com muitos recursos. Acho, mas posso estar enganado.

    A melhor coisa que podemos fazer é ter os olhos abertos. Isso é simples e o truque é "duvidar". Sempre. Sobretudo quando há alguma coisa que é feita em nosso favor: não há almoços de graça.

    A seguir: falar, difundir as ideias, o nosso ponto de vista. Só quem tem consciência da própria condição pode muda-la.Por enquanto não encontro nada mais. Mas se encontrar algo, prometo: digo logo!

    Abraço!

    ResponderEliminar
  17. Olá Tony!

    Quando comecei este blogue não acreditava nas grandes famílias dos banqueiros maus.
    Ainda agora tenho algumas dúvidas acerca do verdadeiro papel deste senhores: mas que existam, bom, acho ser claro nesta altura.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  18. Olá Marcos!

    Muito obrigado pelas boas palavras e, sobretudo, parabéns pelo blogue! "Libertar" é um blogue colorido e bem "vivo", gosto!

    Continue com o bom trabalho e desde já fica na blogroll aqui ao lado!

    Abraço!

    ResponderEliminar
  19. Ola Anne!

    "...é nessas horas que eu gostaria de viver no lugar mais inóspito do planeta, de preferência, sem muitas pessoas por perto e sem tecnologia (de qualquer tipo), não.. uma câmera fotográfica e um telescópio seria bom. Um lugar com um monte de livros, talvez uma biblioteca/observatório inóspito seria bom pra mim."

    Muito engraçado. Acho que cedo ou tarde todos sonhamos de ter um espaço isolado, onde poder finalmente observar, estudar e perceber.

    Como sempre, o seu blogue é uma Oásis no meio da confusão.

    Grande abraço para a mágica Anne!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...