08 abril 2011

Banco Central e Taxa de Juro


O Banco Central Europeu aumentou a taxa de juro.

Mas que significa isso? Porque um Banco Central decide aumentar ou baixar a taxa de juro? E que acontece? O que muda para o cidadão?

Ena, quantas perguntas, calma pessoal, vamos ver.


O preço do dinheiro

Pode parecer esquisito falar de "preço do dinheiro": mas é mesmo assim, tudo tem um custo e o dinheiro não é uma excepção.

Para encontrar alguns exemplos acerca deste assunto podem ler o artigo O que é a taxa de juro?.
E depois voltar aqui, óbvio.

Resumindo, podemos dizer que quando o leitor entra num banco para pedir um empréstimo, este implica o pagamento duma taxa de juro, que é variável: este é o preço do dinheiro, quanto o banco cobra para emprestar o montante pretendido.

O Banco Central, no caso especifico o BCE mas as regras são as mesmas em todo o mundo (ou quase),  decide quais as taxas de juros, através da implementação duma taxa principal, que, em cascata, influencia as taxas cobradas pelos bancos para os empréstimos comerciais, hipotecas, contas correntes e assim por diante.

Cortar esta taxa é sinónimo de "abrandamento monetário", enquanto aumenta-la significa o contrário, um "aperto monetário".




Cortar a taxa

Basicamente funciona assim: cortar a taxa de juro é "dar oxigénio" ao mundo da economia.

O banco central corta a taxa e, de consequência, os bancos cobram menos por cada empréstimo, hipoteca, etc. O dinheiro, desta forma, custa menos.

Sim, verdade, vai reduzir a taxa das contas bancárias, ou seja, no final do ano os juros ganhos com os depósitos serão menores.

Mas esta perda é amplamente compensada pelo facto que as famílias terão acesso facilitado ao crédito (o dinheiro custa menos!), será mais simples comprar casa e as empresas poderão investir mais.

Tudo isso movimenta a economia e faz as coisas funcionarem melhor: o mercado imobiliário cresce, os fabricantes e os vendedores de casas têm mais dinheiro, as empresas investem mais e criam empregos, trazem mais dinheiro para casa e assim por diante.

Um paraíso, pois cortar a taxa de juro significa ajudar a economia.


Aumentar a taxa

Em contrapartida, o aumento da taxa tem o efeito oposto.

O Banco Central decide aumentar a taxa de juro e o sector bancário vai aumentar a taxa de juro de hipotecas e empréstimos.

Verdade, quem tem dinheiro na conta bancária ganha mais no final do ano, mas...mas comprar casa fica mais caro, as prestações mensais sobem, empréstimos e hipotecas ficam mais caras, as empresas têm que endividar-se mais para investir. Pois o dinheiro agora é caro.

Tudo isso diminui a economia: o mercado da habitação abranda, as pessoas têm menos dinheiro, as empresas atrasam os investimento e menos empregos são criados.

Há menos dinheiro em circulação.

E a inflação? Os preços?


Preços, a economia e a inflação

Antes de continuar, caso haja dúvidas, é possível consultar Inflação ou Deflação Parte I, Parte II e Parte III.
E depois voltar aqui.

Então, se for tão simples, não seria suficiente cortar a taxa de juro para resolver todos os nossos problemas?

Infelizmente não.
Nos Estados Unidos e no Reino Unido, por exemplo, as taxas de juros são praticamente zero.
E mesmo assim as economias não funcionam, bem pelo contrário.

Porque para mexer o elefante económico é preciso muito mais do que isso.

E quando o governador dum Banco Central vê a economia que não funciona, apesar de ter as taxas de juros tão baixas, praticamente zero, está com as costas para a parede, sem saber o que mais fazer (dois exemplos ao acaso: Ben Bernanke da Federal Reserve e Jean Claude Trichet do Banco Central Europeu).

Pois baixar as taxas de juros, por várias razões sócio-económicas, pode implicar o aumento da inflação.

Em particular, se o governador do Banco Central foi tão fraco de obedecer às ordens dos bancos privados e imprimir dinheiro com os vários Quantitative Easing, em vez de deixar cair o sistema para que este pudesse recuperar de forma fisiológica, então o perigo inflação e hiperinflação é bem real.

Neste caso, a queda da economia pode ser abrupta, com prejuízos notáveis e a recuperação muito lenta.

Como vimos, baixar a taxa de juro pode trazer inflação: aumentar a taxa de juro, pelo contrário, pode combater esta tendência. Mas com um custo: travar o crescimento económico.

E o crescimento económico abrandará.


Ipse dixit.


Fonte: Informazione Scorretta

4 comentários:

  1. Anónimo8.4.11

    ai max , de boa

    o que vc acha de ovnis no japao e essa papo todo de ufologia,

    da uma olhada nesse video , sem mais comentarios...

    http://www.youtube.com/watch?v=R8kgCEEJe0Y&feature=feedu

    ResponderEliminar
  2. Vitor8.4.11

    Excelente artigo! :D

    Agora pouco fui ver o preço do ouro e está quase em R$ 1.480...

    Um indicativo que já estão fugindo do papel e procurando abrigo no ouro?

    Estaríamos presenciando o fim deste capitalismo parasitário?

    ResponderEliminar
  3. Olá Anónimo!

    Não sei nada acerca dos Ufo no Japão, vi só agora o vídeo do link.
    O vídeo é engraçado, mas não acho ser um Ufo.

    Nas repetições a baixa velocidade vê-se que a "luz" não está onde parece estar, está mais à frente (cobre o fundo, não é parte dele).

    Além disso, há uma espécie de "bolha" no fundo mesmo antes da luz aparecer: pode ser a onda de choque duma explosão.
    A propósito: antes da invenção dos "flash", os fotógrafos utilizavam magnésio para criar relâmpagos de luz: o magnésio produzia uma luz muito clara, branca e particularmente forte.
    Mesmas características da luz do vídeo. E perto dos vulcões há o magnésio vulcânico...

    Para mim, ou é um falso ou (mais provavelmente) outro tipo de fenómeno.

    Abraço e obrigado pelo link!

    ResponderEliminar
  4. Olá Vitor!

    Sim, de facto o ouro é, como sabemos, o refugio por excelência.
    E há uma fuga do papel, mais acentuada do que previsto.

    Segundo alguns analistas, isso pode ser considerado um sinal dum próximo conflito. Entre quem? Não sabemos, mas certos analistas costumam ter uma visão de longo alcance, e muitas vezes acertam.

    Quanto ao capitalismo: a minha opinião é que não, este capitalismo parasitário ainda não vai cair. Acho que vive "na corda bamba", pois por natureza é altamente instável, mas ainda tem algo para dizer (e isso é muito mal!).

    Todavia, concordo com o facto que não pode representar o futuro, de forma nenhuma. O problema é sempre o mesmo: e depois?

    Abraço!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...