06 abril 2011

O que fazer? (e ficar sem leitores) Parte II

Ainda Eduardo:
Então, prezado Max o que deve ser feito? Pois milhões estão gritando que ninguém faz nada. Porém a pergunta é: O que fazer baseado na realidade e no possível?
Correcto Eduardo, correcto.
Mas para enfrentar esta parte, temos que ser honestos e ler as entrelinhas.


O bolo

Eu lancei aqui uma iniciativa e um tópico:
  • a iniciativa é uma(s) petição(ões)
  • o tópico é para debater os problemas abismais que marcam Portugal nestes dias.
Alguém viu sugestões dos leitores? Conseguem encontrar hipóteses? Palpites?

A única sugestão foi de Gilson Sampaio, não acaso uma pessoa já muito activa na blogosfera (e, ironia, tive que chumbar a proposta dele...).

Mas os outros?
Feedback: zero.

Eduardo: nem se esforçam para uma miserável sugestão num ínfimo blogue e querem organizar a revolução no mundo?

Eu sei, eu sei...se fosse um blogueiro inteligente, não deveria ser tão crítico com os leitores, com o risco de perde-los. Mas estamos aqui para dizer que sim, somos mesmo bons, somos porreiros, somos os melhores, ou estamos aqui para tentar perceber as coisas e também encontrar possíveis soluções?

Perguntam a mim as soluções?
Meus senhores, eu costumo ler os vossos comentários, todos, nem um escapa. Por isso sei que estou a interagir com pessoas inteligentes, que têm capacidade para analisar, reflectir, exprimir opiniões, escolher.
E, de facto, vocês analisam, reflectem, exprimem opiniões e...e escolhem esperar.



É um pouco como bater os ovos, empastar a farinha, preparar o creme, moldar o bolo, coloca-lo no forno e depois esperar que alguém venha a extrai-lo antes que queime.

Eu não sei que raio de ideia transmiti ao longo deste ano de trabalho; mas, no caso, melhor lembrar o seguinte: eu sou uma pessoa absolutamente normal, tal como todos os leitores, não tenho mais capacidades, pela simples razão que o mundo é feito de pessoas absolutamente normais, todas iguais.

Não acaso, quando aparece uma pessoa mais inteligente, eis que avança a rotulagem: um génio.
E se a pessoa ficar um pouco aquém, eis outra rotulagem: um Francês (ou um atrasado, em alternativa).
As outras são pessoas totalmente, absolutamente, completamente normais.

Não há por aqui ninguém que possa apresentar soluções milagrosas. Não há aqui e nem nos outros lugares pessoas fantásticas com as soluções no bolso.

Vocês conhecem já todas as soluções, vocês são a solução.

Esperar que alguém apresente soluções é exactamente o que foi feito até agora.
A condição na qual estamos não se criou sozinha, não houve um Deus que desceu na Terra e impôs este estado de coisas.

Tudo aconteceu porque ficámos à espera, porque demandámos.

"Eles são os políticos, eles que decidam".
Depois as coisas correm mal, porque os políticos não cuidam dos nossos interesses mas dos deles. Então eis que o cidadão pergunta: mas como é que isso não funciona?
Eh, difícil responder, não é?

Aqui, neste blogue, está a acontecer a mesma coisa.

"Senhores, vamos fazer uma petição?"
"Siiiiim, boa ideia, bravo Max!".
"Alguém tem propostas?"
"........."

Deixem-me perceber uma coisa: era suposto só eu fazer propostas?
Eu faço, claro.
Mas se depois o leitor não gostar?

"Ele é o autor do blogue, ele que decida"
É assim que funciona?


Exemplo?

Um exemplo simples simples?

Quanto tempo passam em frente do computador?
Mesmo que seja pouco: quanto tempo é preciso para escrever um mail e envia-lo para o Parlamento, Presidente da República ou outra entidade qualquer?

O que é preciso para  escrever uma carta e dizer :"Não, não concordo, quero que as coisas sejam feitas de outra maneira, nomeadamente..."?
Imaginem se, não digo todos, mas muitos, mesmo muitos cidadãos fizessem o mesmo.

Poderia uma acção destas ser ignorada?
Sim, óbvio.

Mas apenas de forma aparente. Porque a realidade é que um Presidente ou um Parlamento, para ser considerados legítimos, precisam dos votos, os vossos votos.

Sem votos seria preciso avançar com formas de poder mais descaradamente não democráticas.
Mas, meus amigos, neste caso falamos de outro tipo de jogo, um jogo muito mais "pesado" e não apenas para nós.

Os políticos precisam de votos. Precisam desesperadamente do consenso popular, por isso ficam particularmente atentos aos sinais que a sociedade envia.

Porque acham existirem tantas sondagens? Porque a classe política utiliza os resultados para aperfeiçoar o rumo. E qual melhor sinal duma massa de cidadãos que afirma estar descontente com as escolhas do partido? Ou para propor alguma coisa?

Alguém costuma enviar tal carta? Ou um simples mail? Com todo o tempo passado na frente do ecrã, não tiveram 5 minutos para escrever? Ah, percebo...

E depois esperam que alguém surja para resolver os nossos problemas.
Parece-me bem.


O Herói Solitário

Eu já fiz a minha escolha: vou em frente com, no mínimo, uma petição (mas serão mais, com certeza) e com todas as iniciativas que surgirão na minha cabeça (faltando as ideias das outras cabeças).

Vou fazer publicidade nisso (internet é excelente neste aspecto: Facebook, Orkut...), recolher apoios (se existirem) e apresenta-las (para depois ser deitadas no lixo).
Fora dos partidos, desligado das ideologias.

Mas farei alguma coisa.

Mesmo sozinho, vou em frente, porque sinto de ter um dever: não tenho a Síndrome do Herói Solitário, nem quero ou posso salvar o Mundo.

Simplesmente, recuso conformar-me e quero ter um papel activo, por pequeno que seja.
É um dever com a minha pessoa, a minha família, os meus amigos. (lágrimas, comoção, que homem!)

Cedo ou tarde, Informação Incorrecta voltará a ser o que era: um blog de informação, pois haverá outro blog dedicado a coisas mais concretas, iniciativas. 

Quanto aos leitores, são vocês que sabem, são vocês que decidem, não posso responder eu.
O que posso fazer é pôr este blogue, o meu tempo e o meu trabalho à disposição.
Ser ponto de encontro, recolher ideias, divulga-las.

É pouco?
É o que tenho.

E hoje tiro folga.


Ipse dixit.

9 comentários:

  1. Anónimo6.4.11

    Oba, entao, um problema è falta de recursos? Nao sei quanto alto è o consumo de drogas em Portugal, mas legaliza-las (eu diria todas, mas pode se começar pela maconha) e todo o dinheiro assim arrecadado que se utilize pra fins sociais (educaçao , saude etc ).
    Que o consumo existe, e nao vai parar com repressao (o que gera despesas ligada a luta ao trafico, o qual enriquece...). Menos hipocrisia
    Meus 2 cents
    Cele

    ResponderEliminar
  2. Anónimo6.4.11

    Um link (em italiano) o titulo è "la mariuana cura il cancro-anzi no"
    http://www.luogocomune.net/site/modules/news/article.php?storyid=3715]

    ResponderEliminar
  3. Prezado Max, pensar em petições e perder o último capítulo da telenovela? Ora, tenha paciência.

    Sinceramente não dei sugestão por não saber que tipo de petição vc se referia. Algo grandioso que resolva todos os males do mundo é meio difícil. Que tal pedir a nacionalização dos bancos que é o que vc discorre em um post recente?

    Mas não deveríamos começar com algo pequeno? Que tal pedir que os bancos sejam obrigados a declarar seus donos, a quantidade de recursos e a quantidade de empréstimos, fundos, etc, quanto têm em título dos tesouros, etc em no site do bc mensalmente?

    Ou algo alternativo que diz respeito ao meio ambiente e estimula a participação tipo pedir um plebiscito para votar sobre a reforma da lei florestal (Brasil)? Ou para se criarem leis de banimento dos OGM, "defensivos" agrícolas, fluoretação da água?

    Sei que o plebiscito sobre a reforma florestal foi tentado por um partido brasileiro sem sucesso (eu mesmo assinei um pedido).

    Poderíamos fazer uma petição para atacar a ridícula concentração da mídia no Brasil, na mão de poucos que utilizam de concessões públicas para beneficiar seus projetos políticos e econômicos.

    Abs.

    ResponderEliminar
  4. ...

    As vezes um tapa na cara é interessante. Tipo aquele remédio ruim q vc tem que tomar quando está constipado.

    Amigo Max, essa falta de iniciativa que carregamos é decorrente de outros fatores, mas bom, não há explicações que nos faça chegar a um "aaaaaaaaaaah bom, compreendi". Realmente é algo incompreensível.

    Não sei como motivar-me para que surjam estas idéias e principalmente o conceito de "atitude". Tampouco sei como fazer isto com outras pessoas. Mas tudo isso não responde nada, apenas um desabafo sincero.

    Como escrevi na parte um, e como vc propôs com a idéia da petição, o uso da internet para com esse modelo de desobediência civil é interessante, levando em conta que vc é de Portugal, eu sou brasileiro, e deve ter pessoas de outros países que acompanham o blog. Então seria uma iniciativa supranacional.

    Que tipo de perguntas poderíamos fazer (também a nós mesmos) para fazer andar a carruagem e não deixarmos o bolo queimar? Superar isto talvez seja mais difícil que ganhar na loto.

    Acabo de lembrar da última coisa do gênero que vi, mas acabou por ser um fracasso. A iniciativa do francês Cantoná, de organizar uma multidão de pessoas insatisfeitas para retirar o dinheiro dos bancos, era realmente boa. Mas fracassou, como esperado.

    A pergunta (cada vez mais abstrata) já muta para: Como fazer as perguntas para nós mesmos para chegar a estas novas boas perguntas para serem feitas para outros, levando em conta o papel supranacional, e então transformar esta ideia em algo inteligente, e ainda mais, como fazer para que não aja o fracasso?

    Desculpe amigo, não fiz nada do que vc disse no post. Talvez amanhã eu tenha até me esquecido de tudo isso. Mas as minhas intenções, e a de todos, são sinceras, mas bem, de intenções o inferno tá cheio, como dizem aqui no meu país.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo6.4.11

    http://www.youtube.com/watch?v=3aC4A7bSnXU

    Deixo aqui uma sugestão, baixar o salário daquela cambada de chupistas que costumam estar na Assembleia da República a receber salários milionários, e mete-los a andar de autocarro e comboio, em vez de BMs e Mercedes topo de gama, e no fim espeta-los em pensões em vez de hoteis 5*. Farto de chupistas comedores.

    ResponderEliminar
  6. Max, está nos faltando uma coisa:

    Como sermos mais interessantes que novelas, playstation, vídeos de sacanagem, drogas, automóveis, programas televisivos fúteis, tragédias noticiadas, sensacionalismo, etc., etc., etc.

    Normalmente usamos a verdade, a sinceridade e um pouco de discernimento que buscamos ter, mas...

    Abraços sinceros

    ResponderEliminar
  7. André7.4.11

    Este país é mesmo assim, demitiu-se o governo, quando na realidade demitiu-se toda a classe política, já há quem fale que o Presidente da República também se deve demitir, demitiram-se os média, que nunca aprofundaram e denunciaram a verdadeira situação do país; demitiram-se os economistas que nunca expuseram em praça pública os verdadeiros riscos que corriamos, nem quiseram pressionar o sistema político; mas a realidade é bem mais dura, demitimo-nos todos nós enquanto sociedade e enquanto cidadãos, demitimo-nos de ser português, porque no fundo o poder de decisão está muito para além de nós e reside em Bruxelas!
    É a guerra injusta de um David contra um Golias, e todos padecemos perante aquilo que nós é desconhecido, porque não convém falar, e muito menos questionar.
    Somos refens desta condição, do insustentável peso de ser português! Reféns do nosso passado histórico, reféns do nosso presente, e a partir de hoje reféns do nosso futuro.

    ResponderEliminar
  8. Tenho várias opções e opiniões:

    Primeiro é acabar com a imunidade dos políticos! Cada um no seu trabalho tem deveres e responsabilidades! Aqui há? Há objectivos? lol Não me parece...

    Depois nacionalizar as empresas que nunca deviam ter sido privatizadas! PT, EDP, Brisa, Galp entre outras... Facturam centenas de milhões por ano enriquecendo o bolso de poucos Portugueses e não Portugueses... Nacionalizadas enriqueciam Portugal por inteiro!!

    Fortalecia o poder das finanças! Porque não é a fuga ao fisco um dos nossos problemas???

    Criava limites de salários! Se há salário mínimo tem que haver um máximo!! Há que criar justiça social neste país!! Continuando na onde diminuir os subsídios de desemprego, estimulando assim a nova procura de emprego...

    Na saúde promovia novos caminhos... Toda a gente sabe que o futuro na saúde está na prevenção e não no tratamento!! Fora com os lobies da indústria farmacêutica, "uma doença um medicamento"??? lol Enfim...

    Educação, a pobreza afecta directamente as crianças... Uma família estável cria uma criança "estável". Continuar com as reformas do parque escolar e criar disciplinas de prevenção! Educação social; musical; física; etc!! Criar uma "doutrina" saudável!
    Rever os números Clausus das universidades! Todos sabemos que não há espaço para tantos enfermeiros... técnicos de saúde.. etc... para que continua-los a formar em escala industrial?????

    Medidas mais estremistas:

    Acabar com a bolsa!!! Que serviço util traz isto há nossa sociedade??? Crise dos anos 30 provocada pela bolsa... Crise actual provocada por banqueiros e analistas de títulos!!

    É a minha opnião... Só comecei a ver este blog há uma semana...
    Gostei muito... Continua assim MAX!

    Cumps a todos...

    ResponderEliminar
  9. Olá Max

    Sei que até podes querer ajuda para iniciar uma petição... no últimos post que te enviei fiz um comentário que se destrichado pode dar uma petição. mas sou brasileira, minhas sugestões tem o tom de brasilidade, não sei se adequa ao teu país... embora esteja percebendo que nós temos os mesmíssimos problemas. Coloca tu uma ideia, um projeto de petição... e vamos analizá-la junto contigo, depois de feito isso formulas tua petição. e então vamos compartilhá-la por todo canto para ver o que há de retorno! o que achas?... afinal é tua palavra e o teu blog! abção!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...