05 maio 2011

Breve história das Quatro Irmãs - Parte II

Segunda parte do artigo acerca das Quatros Irmãs, as maiores companhias petrolíferas.
A primeira parte pode ser lida neste link.

Boa leitura!


As Quatro Irmãs conseguiram dinheiro principalmente no downstream.

Deles são as maiores refinarias e os mais importantes distribuidores de petróleo do mundo, em todas as suas formas. A RoyalDutch / Shell é ao mesmo tempo a maior refinaria e o maior vendedor de petróleo, e fornece actualmente um décimo dos barris de produtos refinados produzidos em todo do mundo.

A política da empresa tem trazido grandes benefícios com esta escolha, que levou até um número recorde de lucros desde 1988.

A Shell também possui a maior refinaria do mundo a Aruba, uma ilha das Antilhas Holandesas, em frente à costa da Venezuela. Em 1991, a Shell vendeu uma refinaria tecnologicamente ultrapassada na vizinha ilha de Curaçao enquanto renovou as instalações de Aruba.

A realização desta nova sede tornou o óleo cru venezuelano cada vez mais importante para o fornecimento de petróleo no mundo. O ouro negro que vem dos Países africano, como Nigéria e Angola, é refinado nas instalações da Shell em Aruba, que são localizadas bem perto da grande refinaria "Lago" da Exxon Mobil, perto do lago de Maracaibo, Venezuela, donde provem a maior parte do petróleo da Venezuela.


As atividades da Royal Dutch / Shell está atualmente focada no desenvolvimento do mercado de gás natural e por isso a empresa investiu pesadamente em instalações Middle Distillate Synthesis (MDS) que convertem o gás natural liquefeito em líquidos de High Grade. Em construiu instalações MDS na Malásia, na Nigéria e na Noruega.

Em 1993, a Shell juntou-se à Mitsubishi e à Exxon Mobil num um projeto de gás do valor de 3 mil milhões de Dólares, na Venezuela, e já iniciou a expansão da indústria petroquímica no Brasil por um valor de 1,1 mil milhões de Dólares. Sempre em 1993, a BP Amoco descobriu vários campos de petróleo na vizinha Colômbia.

Em 1969, a Exxon tinha 67 refinarias de petróleo em 37 Países. Em 1991, mais de 60% ​​dos lucros da Exxon eram provenientes de operações downstream.

Somente no primeiro quadrimestre deste ano, a Exxon registou 2,4 mil milhões de Dólares de lucro, o maior patamar atingido desde Rockefeller ter fundado a Standard Oil of New Jersey em 1882. Não foi uma coincidência a continuação da Guerra do Golfo durante o mesmo período, ao longo do qual a Exxon satisfez as exigências dos militares dos EUA e dos seus aliados.

No início dos anos 90, a Exxon assumiu a divisão dos plásticos da Allied Signal e inaugurou uma joint venture com a Dow e a Monsanto no campo dos elastômeros termoplásticos.

De acordo com dados do relatório que a Exxon Mobil entregou ao SEC em 2001, a empresa teve lucro líquido de 16 mil milhões de Dólares em 2000.

No período 2003-2006, durante a ocupação do Iraque, a empresa tem regularmente batido todos os recordes de lucros quadrimestrais da história empresarial dos Estado Unidos.

Recentemente, as Quatro Irmãs voltaram ao upstream (a extração do petróleo), tornando-se os quatro maiores vendedores de gasolina nos Estados Unidos. Estas quatro empresas possuem as condutas mais importantes do mundo e a maior parte do petróleo também.

A Royal Dutch/ Shell tem 114 navios na sua frota. Recentemente, a empresa adicionou mais sete navios gigantes para o transporte de gás natural liquefeito. A Shell tem 133.000 funcionários ao redor do mundo e em 1991 tinha um capital de 105 mil milhões de Dólares. A plataforma petrolífera Bullwinkle, no Golfo do México, é maior edifício do mundo.

Exxon Mobil é o principal fabricante de lubrificantes e os seus cientistas inventaram a borracha butílica. Realiza as suas operações em 200 Países e é a primeira empresa em operação no difícil mar de Beaufort, onde construiu 19 ilhas de aço para as perfurações. A Exxon detém a maioria do território do Iêmen (5,6 milhões de acres), do Omã e do Chade. O seu capital, em 1991, ascendeu a 87.000 milhões de Dólares.

A mais recente onda de fusões na indústria do petróleo começou no início dos anos 60.
Oito das 25 maiores empresas juntaram-se antes de 1970.  

Exxon englobou  Monterey e Honolulu Oil. Chevron juntou-se com Standard Oil of Kentucky, Atlantic Oil adquiriu Richfield Refining para formar ARCO, que depois englobou ​​Sinclair. Marathon Oil comprou as acções da Plymouth Refining.

Outra onda de fusões aconteceu na década de 80. Chevron englobou Gulf em 1984.  
Texaco comprou Getty Oil. Mobil comprou Superior Oil.  
Bp adquiriu Britoil e Sohio (Standard Oil of Ohio).  
ARCO comprou assumiu City Services, U. S. Steel comprou Marathon Oil.

A descoberta de petróleo no Mar do Norte, em 1984, consolidou as posições de Big Oil, em particular as da Shell e da Exxon.

E Shell e Exxon juntas, como Shell Expro, obtiveram as primeiras concessões.

Em 1985, a Shell adquiriu os interesses na Colômbia da Occidental Petroleum. Em 1988, assumiu os ativos que a Tenneco tinha nesse País. Os anos 90 viram a Amoco fundir-se com a BP para dar forma a BP Amoco. E em 1999, a BP Amoco assumiu o controle da ARCO.

Exxon englobou Texaco no Canadá e no México a Compania Geral de Lubricantes em 1991. Conoco foi adquirida pela DuPont. Em Março de 1997, a Texaco e a Shell decidiram unificar as operações de refino.

Os última vaga de fusões viu a união de Exxon e Mobil, em Novembro de 1999. Naquele mesmo ano, a Chevron comprou a tailandesa Rutherford-Moran Oil e a argentina Petrolera Argentina San Jorge. Em Julho de 2000, a Chevron fundiu a própria secção petroquímica com a Phillips para formar Chevron Phillips Chemical Company. No mesmo ano, Chevron ligou-se a Texaco.

Em 30 de Agosto de 2002, a fusão da Conoco com Phillips Petroleum resultou na criação da Conoco Phillips, que em 2005 assumiu o controle do gigante do carvão Burlington Resources.
Em 2002, a holandesa Shell comprou Pennzoil/Quaker State, bem como a maior companhia de petróleo britânica independente, a Enterprise Oil. Em 2005, a Chevron englobou a Unocal. E as Quatro Irmãs continuam, sem parar.

As Quatro Irmãs trocam também os gestores com os maiores bancos internacionais.
Exxon Mobil partilhou membros do concelho de administração com JP Morgan Chase, Citigroup, Deutsche Bank, Royal Bank of Canada e Prudencial. 

Chevron Texaco com Bank of America e JP Morgan Chase.

BP Amoco com JP Morgan Chase.

Shell com Citigroup, JP Morgan Chase, NM Rothschild e Banco da Inglaterra.

O ex-diretor da Federal Reserve, Alan Greenspan, vinha do conselho de administração da Morgan Guaranty Trust e ocupou o mesmo lugar na Mobil.
O diretor da BP Amoco, Lewis Preston, também conseguiu tornar-se presidente do Banco Mundial.

Mas a lista é comprida.

E agora as companhia as petrolíferas não devem comunicar quais os próprios accionistas.
De acordo com os últimos relatórios apresentados (1993), a acção combinada dos Rothschilds, dos Rockefellers e dos Warburg ainda controla as Quatros Irmãs.

O controle exercido pelos Rockefellers através dos megabancos de Nova York e Banker's Trust, que em 1999 foi comprado pela Deutsche Bank, controlado pelos Warburg, na tentativa de tornar-se o maior banco do mundo.

Em 1993, Banker's Trust era o maior acionista da Exxon, Chemical o quarto e JP Morgan o quinto. Ambos são agora parte do Morgan Chase.

Banker's Trust era o maior acionista da Mobil.

BP indicava Morgan Guaranty como o maior titular em 1993, e na Amoco era Banker's Trust o segundo maior accionista.  

Banker's Trust era também o quinto maior accionista da Chevron, JP Morgan o quinto da Texaco.

Assim, o Deutsche Bank e o JP Morgan Chase, controladas pelos Warburg e pelos Rockefeller, aumentaram as próprias participações na Exxon Mobil, na BP Amoco e na Chevron Texaco.
Wells Fargo e Mellon Bank eram ambos entre os dez maiores acionistas da Exxon Mobil, Chevron Texaco e BP Amoco, em 1993.

As informações a Shell são difíceis de obter, uma vez que tem sede no Reino Unido e Holanda e não tem que prencheer qualquer relato.

Sabemos que 60% da empresa é detido pela Royal Dutch Petroleum, holandesa, e 40% pela Shell Transport Trading, Reino Unido.

A empresa tem apenas 14.000 accionistas e poucos gestores. Aqueles que investigaram concordam na ideia de que Shell ainda seja controlada pelas famílias Rothschild, Oppenheimer, Nobel e Samuel, juntamente com a casa britânica dos Windsor e da casa holandesa dos Orange.

A Rainha Beatriz, da casa dos Orange, e Lord Victor Rothschild são os maiores detentores das ações da Shell. A mãe da rainha Beatriz, Juliana, foi a mulher mais rica do mundo e financiadora de movimentos da direita radical.

O Príncipe Bernhard, o esposo dela desde 1937, tinha sido membro da Juventude Hitlerista, das SS e funcionário da IG Farben. Actualmente está na direcção de mais de 300 empresas da Europa e fundou o famigerado Grupo Bilderberg.


Na altura em que somos roubados, é sempre útil identificar o ladrão.
Pena não ter um polícia disposto a prende-lo...


Fonte: Globalresearch

Sem comentários:

Enviar um comentário

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...