28 julho 2011

Portugueses mais ricos

1º: Américo Amorim
Portugueses!

Eis uma boa notícia: estamos ricos.
Não "todos", mas alguns.

E a boa notícia não acaba aqui: estamos mais ricos!

A seguir a lista dos homens mais ricos de Portugal.
A fortuna dos 25 mais ricos de Portugal aumentou 17,8 por cento, somando 17,4 mil milhões de euros, revela a lista anual liderada por Américo Amorim.

O mais rico é, desde há quatro anos, sempre ele: Américo Amorim. Os activos do accionista da Galp Energia e da corticeira Amorim cresceram 18,2 por cento face à lista do ano passado e atingem, agora, os 2,6 mil milhões de euros.


Mas eis a lista completa:

2º Alexandre S. dos Santos
1º Américo Amorim: 2.587,2 milhões de euros
Corticeira Amorim, Galp (energia), Banco BIC, Banco Popular Espanhol

2º Alexandre Soares dos Santos: 1.917,4 milhões de euros
Jerónimo Martins, Pingo Doce (supermercados), Hussel, Olá (gelados), Jeronymo (café)

3º Belmiro de Azevedo: 1.297,6 milhões de euros
Sonae, Continente, Modelo, Modelo 24 (supermercados), Vobis, Worten, Worten Gamer (electrónica), Sport Zone, Modalfa (vestuário), Clix , Novis, Optimus (comunicações), Star Viagens (turismo), Público (diário), Worten Mobile, MaxMat, MaxGarden,  Zippy, Star, Área Saúde, Loop Footwear, Book.it, Pet&Plants, Bom Bocado, Tlantic (Brasil), Hipermercados 8.ª Avenida, Algarveshopping, Arrabidashopping, Cascaishopping, Centro Comercial da Amadora, Centro Comercial de Albufeira, Centro Colombo, LeiriaShopping, Centro Comercial de Portimão, Rio Sul Shopping, Centro Vasco da Gama, Coimbrashopping, Estação Viana, Ferrara Plaza, Gaiashopping, Guimaraeshopping, Loureshopping, Madeira Shopping, Maiashopping, Norteshopping, Parque Atlântico, Viacatarina, Serra Shopping, Maia Jardim (Portugal) Avenida M40, Centro dos mares, Luz del Tajo, Parque Principado (Espanha), Boavista Shopping, Franca Shopping, Parque D. Pedro, Pátio Brasil Shopping, Shopping Metrópole, Shopping Penha, Tivoli Shopping, Manauara Shopping, Shopping Plaza Sul, Shopping Campo Limpo, Uberlândia Shopping (Brasil)

4º Família Guimarães de Mello: 1.006,6 milhões de euros
Brisa (autoestradas), CUF (química), EDP (energia), Banco Comercial Português, Efacec (empresarial), José de Mello Saúde, José de Mello Imobiliária

5º Família Alves Ribeiro: 779,7 milhões de euros

3º Belmiro de Azevedo
6º Perpétua Bordalo da Silva e Luís Silva: 679,7 milhões de euros

7º Rita Celeste Violas e Sá, Manuel Violas: 650,6 milhões de euros

8º Maria do Carmo Moniz Galvão Espírito Santo: 645,8 milhões de euros

9º Família Cunha José de Mello: 638 milhões de euros

10º António da Silva Rodrigues: 551 milhões de euros

11º Max: 18 Euros

12º Leo: 7 bolachas, 2 ossos


Ipse dixit.

Fonte: Público

5 comentários:

  1. Max
    Coitado do Leo! Só 7 bolachas e 2 ossos.
    Vamos fazer uma campanha para aumentar as bolachas e os ossos do Leo.
    Ainda bem que no final do post tem um pouco de humor.
    Saber que poucos tem muito e que ainda tem crianças morrendo de fome nesse mundo é uma vergonha.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Os ricos ficando mais ricos e os pobres ficando mais pobres.

    ResponderEliminar
  3. olissipo
    "Os ricos ficando mais ricos e os pobres ficando mais pobres" Com toda a simpatia possível... porque estimo o autor... leitores... e comentadores... deixo uma opinião que tenho desde criança... esta máxima... tão ouvida... pouco ou nada tem de verdadeiro... apenas ajuda a acordar ressentimentos e acirrar animos... quase sempre contra inocentes... era o que faltava que ter dinheiro fosse delito... e eu acredito que aqui foi escrita como figura de estilo... e em sentido lato... adorei comentar... e me sentir parte deste blog...

    ResponderEliminar
  4. "Os ricos ficando mais ricos e os pobres ficando mais pobres."

    Quando escrevi esta frase, me referi aqueles que são os "Senhores do Mundo", que enriquecem cada vez mais,
    monopolizam e compram cada vez mais empresas, ficando cada vez mais ricos. Em contraste a isso, a população miserável pobre, como por exemplo o povo faminto da África, fica cada vez mais pobre e miserável, alem de se estender mais.

    Não estou falando que ser rico ou ter dinheiro sobrando é ruim, estou falando da desigualdade social que cresce a cada dia.

    ResponderEliminar
  5. Olá Olissiponense! Olá Observer!

    Em primeiro lugar, repito ainda uma vez, pois acho ser importante: não tenho ideologias políticas ou religiosas que possam ditar o que escrevo.

    A seguir: ter dinheiro não é um delito, era só que faltava.

    Para concluir: todavia vivemos numa altura particular, uma altura na qual são pedidos sacrifícios não indiferentes.

    Eu não tenho nada contra os sacrifícios, se for verdade que até hoje vivemos "acima das nossas possibilidades" (e aqui seria precisa uma looooooooonga divagação), então é justo que alguém pague a conta.

    Alguém quem? Todos, óbvio.

    E aqui encontramos um pequeno problema.

    Porque eu, trabalhador em conta própria, no próximo ano terei de pagar mais impostos.

    Porque eu, trabalhador dependente, já este ano terei o salário cortado.

    Também eu, dono de empresa, terei de pagar mais. Mas tenho um truque: assumo pessoal com contractos à prazo ou não assumo e pago com recibos verdes.
    O que custa menos e permite poupar alguma coisa.

    Na prática, desfruto a precariedade para limitar as perdas, enquanto as outras categorias não podem fazer o mesmo. Pelo contrário, muito dos que pertencem às duas categorias anteriores são os que sofrem estas novas condições de trabalho.

    Há ainda um outro aspecto: a falta de concorrência que é vivida neste País (mas no estrangeiro as coisas não são tão melhores). Experimentem encher o depósito numa da três empresas de distribuição petrolífera: poupar? Nem pensar, os preços são idênticos.

    Agora, "rewind" e observamos.

    O homem mais rico de Portugal, Américo Amorim, é o que detém a maior participação privada na Galp, uma das três.

    Belmiro de Azevedo (3º), entre as outras coisas, tem uma importante participação no sector das telecomunicações, outra área onde não há real concorrência.

    Família de Mello (4º lugar) tem participação na EDP, sector onde a palavra concorrência não tem qualquer significado.

    Um mero acaso?

    Ter dinheiro não é pecado. Já a forma como este dinheiro for conseguido...

    Tudo isso, repito, dito por quem fica bem longe de coisas como "O Poder ao Povo" etc. etc.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...