26 julho 2011

Terras Raras


E falamos de terras raras.

Enésimo exemplo de como as notícias importantes não encontram espaço nos media.

Recentemente, a OMC, a Organização Mundial do Comércio (um dos três membros da sagrada autoridade de Washington, juntamente com o Fundo Monetário Internacional e Banco Mundial) publicou um relatório especial, cujo título técnico é aparentemente inócuo e trata de exportações .

Parece existirem 30 novas restrições que surgiram em vários Países, restrições que impedem ou limitam a exportação de certas matérias-primas. E se trata de matérias-primas em quase todos os casos cruciais: alimentos, carvão, ferro, terras raras.

Os números dizem que, entre Outubro de 2010 e Abril de 2011, foram 30 os casos de matéria atingidas por aumento dos impostos sobre a exportação ou até reais proibições. Protagonistas são China, Índia, Vietnam e Indonésia. Mas também os EUA limitam alguns produtos, que consideram estratégicos.

O ponto é exatamente este: não há razões económicas, mas estratégicas.


Um exemplo? As Terras Raras. O que é isso?

As Terras Raras são, na maior parte dos casos, minerais. Minerais "raros", isso é, de escassa disponibilidade, ao ponto que a China controla 97% das exportações mundiais.

"Tá bom", podemos pensar, "que fiquem com elas. Afinal se são tão raras nunca devem ter sido utilizadas em grande escala, por isso não fazem falta".

Infelizmente não é assim.

Antes demais, vamos ver quais estas Terras Raras:
Lantânio
Cério
Praseodímio
Neodímio
Promécio
Samário
Európio
Gadolínio
Térbio
Disprósio
Hólmio
Érbio
Túlio
Itérbio
Lutécio

Não parecem grandes coisas. E na maioria dos casos são minerais desconhecidos: ninguém entra numa loja para pedir "meio quilo de Gadolíno bem fresquinho, por favor".

Todavia, o quadro muda ao ler quais as aplicações. Estes minerais são componentes fundamentais nas seguintes aplicações:
  • supercondutores
  • magnetos
  • catalisadores
  • veículos híbridos
  • optoelectrónica (laser)
  • fibras ópticas

e a lista poderia continuar. Vista assim, a questão é bem diferente: temos aqui um bom pedaço do nosso alegado futuro tecnológico.

Num recente artigo, o International Herald Tribune individua como causa dos entraves à exportação o "egoísmo" dos Países do Terceiro Mundo. Bonita análise, sem dúvida.

Mas a razão é um pouco mais complexa. Ou simples, pontos de vista. As Terras Raras estão a ficar cada vez mais raras, tal como outros recursos naturais. E na China fazem duas contas: ou exporto e ganho agora, mas no futuro vou ficar sem Terras Raras; ou não exporto, perco dinheiro mas no futuro terei uma reserva de Terras Raras.

Dito de outra forma: começou a guerra dos recursos.

Mr. Patra, chefe da sociedade indiana "Rare Earth" diz:
Por muito tempo o Ocidente tem entrado na posse dos recursos naturais do Oriente a preços baixos. No futuro não será mais assim. 
Ámen.
E torna-se mais fácil perceber o porquê do silêncio geral acerca da questão: como justificar a ideia de "eterno crescimento" face à escassez de matérias primas?

Melhor ficar calados, pois tudo está muito bonito sob este sol.


Ipse dixit

Fonte: International Herald Tribune, Megachip

2 comentários:

  1. Leonardo26.7.11

    Gostei da expressão "terras raras"
    haha

    ResponderEliminar
  2. Anónimo27.7.11

    Estudo o pico petrolífero e o fim de outros recursos há um bom tempo, e realmente a mídia fica em silêncio perante os grandes problemas que enfrentaremos no futuro.

    As coisas por hora estão sendo camufladas, mas quando vier a tona, conhecendo o comportamento humano, mergulharemos num caos inimaginável.

    Marcos

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...