26 agosto 2011

A comida dos escravos (esperando o fim do mundo)

Enquanto há pessoas que esperam o fim do mundo e que apagam os links de quem pensa o contrário, o mundo continua a tratar todos nós como escravos. Porquê?

Simples: porque somos escravos.

"Pronto, lá vai ele com outro discurso acerca da finança e da economia...".

Nada disso.
Sim, verdade: argumentos acerca desta realidade não faltam.
Sabia o bom Leitor que147 companhias controlam 40% do valor monetário de todas as empresas transnacionais?

Isso mesmo: ao analisar mais de 43.000 empresas, é possível descobrir um núcleo central. É como ver uma teia de aranha: há muitos fios, muitos nós, mas no centro há apenas 147 companhias que controlam a teia.

Este é o fruto da primeira tentativa de fazer um pouco de luz no nebuloso mundo da finança: o trabalho, conduzido por um grupo de pesquisadores da Cornell University, New York, foi publicado online no passado dia 28 de Julho.

E quem pensar ainda em fantasias como "livre mercados" ou "concorrência" faria bem a ler todo o documento.

Mas, como afirmado, não é disso que vamos falar. Pelo contrário, eis algo de muito mais "pragmático", algo que podemos encontrar no nosso dia a dia, quando entrarmos num supermercado ou numa loja qualquer.
Porque o que acontece no mundo da finança e da "alta" economia é o reflexo do que se passa no mundo da "baixa" economia, a nossa economia.

Realmente podemos escolher os produtos? De verdade temos a liberdade de preferir um fornecedor em detrimento de outro?

Na área da alimentação, por exemplo: o café Tofa é muito diferente do Nespresso? E qual o melhor: o chocolate da Nabisco ou o da Ferrero? Estes são pormenores, pois podem comprar o que querem: o dinheiro acabará sempre nos bolsos de poucas empresas. Muito poucas mesmo.



Nestlé

A Nestlé, por exemplo, tem 6.000 marcas (sei mil): de forma consciente ou não, acabamos sempre com o entregar o nosso dinheiro à empresa suíça.

Eis uma amostra das marcas da empresa:

Cereais: Cinnamon Toast Crunch Cheerios (outside US, Canada and Australia) Cini Minis Honey Nut Cheerios (outside US, Canada and Australia) Oat Cheerios Cookie Crisp Golden Grahams Honey Stars Koko Krunch Milo Cereals Nestlé Corn Flakes Nesquik Shreddies Shredded Wheat Clusters Trix

Yogurt: Munch Bunch Ski  

Café: Bonka Nescafé Nespresso Partner’s Blend Ricoffy Ristretto Ricoré Sical Tofa Taster’s Choice Zoégas Shrameet  

Água: Aberfoyle Aqua D’Or Aqua Pod Acqua Panna Al Manhal Aquapod Arrowhead Buxton Contrex Deer Park Hépar Ice Mountain Henniez Korpi Levissima Nestlé Aquarel Nestlé Vera Ozarka Perrier Poland Spring Powwow Minere Pure Life/Pureza Vital Quézac San Pellegrino San Bernardo Viladrau Vittel Zephyrhills

Outras bebidas: Nestea (Joint venture with Coca-Cola, Beverage Partners Worldwide) Enviga (Joint venture with Coca-Cola, Beverage Partners Worldwide) Milo Carnation Caro Nesquik Libby’s Growers Direct Organic Fruit Juices Good Host Juicy Juice Ski up and go  

Pequeno almoço: Bear Brand Carnation Christie Coffee-Mate Dancow Gloria Klim La Lechera Milkmaid Nespray Nestlé Nesvita Nestlé Omega Plus Nido Ninho Svelty Emswiss Milo

Gelados: Camy Dreyer’s Edy’s Frisco Häagen-Dazs (North America and the United Kingdom) Hjem-IS (Denmark & Norway) Maxibon Motta Mivvi Nestlé Nestlé Drumstick Oreo (Canada) Peters (Australia) Push-Up Schöller Skinny Cow

Comida para bebé: Alete Alfare Beba Cérélac FM 85 Gerber (the world’s largest baby food company) Good Start Guigoz Lactogen Nan NAN HA NanSoy Neslac Nestlé Nestogen Nido PreNan

Desportiva: Musashi Neston Nesvita PowerBar Pria Supligen

Saúde: Boost Carnation Instant Breakfast Nutren Peptamen Glytrol Crucial Impact Isosource Fibersource Diabetisource Compleat Optifast Resource

Temperos: Buitoni Maggi Carpathia CHEF Thomy Winiary

Congelados: Stouffer’s Lean Cuisine Buitoni Hot Pockets Lean Pockets Papa Guiseppi Tombstone Pizza Jack’s Pizza DiGiorno Pizza California Pizza Kitchen Frozen

Chocolate e produtos de forno: 100 Grand Bar Aero After Eight Allens Animal Bar Baby Ruth Bertie Beetle (Australia) Big Turk (Canada) Black Magic Boci (Hungary) Blue Riband Bono(Brazil) Breakaway Butterfinger Butterfinger BB’s Butterfinger Crisp Bon Pari (Czech Republic, Poland and Hungary) Cailler Caramac Carlos V Chips Ahoy! (Canada) Coffee Crisp Chunky Drifter Frigor Galak/Milkybar Goobers Heaven Hercules Bars (with Disney) Icebreakers Kit Kat (Hershey’s in the US) Lion Matchmakers Milky Bar Mirage Joff Munchies Nestlé Alpine White Nestlé with Almonds Nestlé Crunch Nestlé Crunch Crisp Nestlé Crunch with Caramel Nestlé Crunch with Peanuts Nestlé Crunch Pieces Nestlé Crunch White Nestlé Milk Chocolate Nestlé Princessa Nestlé Wonder Ball Nips Nuts (Europe) Oh Henry (except US) Peppermint Crisp Perugina Baci Polo Quality Street Raisinets Rolo (Hershey’s in the US) Rowntrees

Pastilhas e rebuçados Jelly Tots Pick & Mix Randoms Fruit Gums Tooty Frooties Juicy Jellies Snowcaps

Smarties Texan Bar Toffee Crisp Toll House cookies Turtles Walnut Whip Violet Crumble Yorkie XXX mints

Comida para animais: Alpo Beneful Cat Chow Dog Chow Fancy Feast Felix Friskies Go Cat Butchers Bakers Winalot Gourmet Mighty Dog Mon Petit ONE Pro Plan Purina Tidy Cats

Quem dirige isso tudo?
A Nestlé é uma empresa suíça, no cujo topo encontramos Peter Brabeck-Letmathe que, além de trabalhar na Nestlé, participa nos conselhos de Administração do banco Credit Suisse, da empresa francesa L'Oréal, da Delta Topco Limites (gere os contratos da Formula Um), da Exxon Company (petróleo).

Mas todas as figuras de topo da Nestlé são interessantes, pois ocupam lugares que, casualmente, resultam ser bem úteis para a empresa mãe:

- temos Nandu Nandkishore, Vice Presidente da Associação Internacional dos produtores de Comida para Bebés

- temos Helmut Oswald Maucher, Presidente do Concelho de Administração da Stiftung Demoskopie Allensbach (sondagens), do Concelho da Universidade de Munich e do Instituto de Frankfurt de Estudos Avançados,

- temos James Singh do Concelho da televisão RTL,

- temos Laurent Freixe, do Concelho do Foreign Investment Advisory Council of Russia, do ECR Europe (para servir melhor o consumidor, lololol), do Liaison Committee (Parlamento do Reino Unido),

- depois elementos que pertencem aos Concelhos de Administração da Galderma Pharma (medicamentos), GEA-Group AG (energia), Alcon (medicina), Osem Investment, GS1 (ex EAN International), Programa de sustentabilidade da Universidade de Cambridge, Economiesuisse, SwissHoldings, SIX Regulatory, Committee on Extraterritoriality (Paris), Câmara de Comércio Internacional (ICC), Câmera de Comércio Suíço-Americana.

Não falta nada. Todos homens nos lugares certos.

Todos homens que não podem não concordar quando é altura de grandes decisões. Por exemplo: será boa ideia enviar leite radioactivo para as crianças famintas da Africa?
Voto unânime: sim, com certeza.


Os cigarros da Kraft

Acham a Nestlé um caso isolado? Nem por isso.

Nunca ouviram falar da Kraft? A subsidiaria da Philip Morris (exacto, aquela dos cigarros). liderada por Irene Blecker Rosenfeld (olha, uma hebraica)  vende em 155 Países.

As marcas possuídas são tantas que a mesma Kraft organizou a lista em ordem alfabética:  

A: A.1., Alpen Gold
B: Breakstone's, Bubbaloo
C: Cadbury Creme Egg, Capri Sun, Carte Noire, Cheeze Whiz, Chips Ahoy!, Club Social, Cool Whip, Côte d'Or, Cracker Barrel, Crystal Light, Cadbury Dairy Milk
D: Deluxe, Dentyne
F: Flake
G: General Foods International, Gevalia, Grand Mere, Green & Blacks
H: Handi-Snacks, Halls, Hollywood Gum,Honey Maid
J: Jacobs, Jell-O
K: Kenco, Kool-Aid, Kraft
L: Lacta, Lu
O: Oscar Mayer Lunchables
M: Marabou, Maxwell House, Milka, Miracle Whip
N: Nabisco, Nabisco 100 Calorie Packs, The Natural Confectionery Company, Newtons, Nilla, Nutter Butter
O: Onko, Oreo, Oscar Mayer
P: Philadelphia, Planters, Polly-O, Premium, Prince
R: Ritz, Royal
S: Simmenthal, Stimorol, Stove Top
T: Tang, Tassimo, Toblerone, Trakinas, Trident, Triscuit
V: Velveeta
W: Wheat Thins

O quê? Só isso?
Nem pensar!

A Kraft, por exemplo, controla a Nabisco; mas esta, por sua vez, controla outras marcas: Arrowroot, Barnum´s Animal Cracker, Cameo, Nabisco Classic, Easy Cheese, Flavor Originals, Ginger Snaps, Cheese Nips, Mixers, Mallomars, Snack Well's, Stoned, Toasted Chips, Teddy Graham's, Wheatsworth.

Tudo, lembramos pertence à uma empresa que, por sua vez, é uma repartição da Philip Morris.

Estão contra o fumo? Comprem um pacote de Oreo e financiem uma das maiores empresas de cigarros (Philips Morris, Marlboro, LM, Chesterfiled entre outros...).


As outras

Vamos falar da PepsiCo., com as marcas AMP Brisk Mountain Dew Ocean Spray Mist Aquafina Lipton Ice Tea MUG Pepsi Sobe Gatorade Tropicana No Fear Energy Drink Propel Enhanced Water Starbucks Food Lay’s Doritos Tostitos Cheetos Sun Chips Baked! Frito Lay Dips Baken-Ets Chester’s Puffcorn Cracker Jack El Isleno Plantain Chips Frti-Lay Peanuts Funyuns Gamesa Grandma’s Matador Maui Style Potato Chips Miss Vickie’s Munchies Munchos Natural Nut Harvest Quaker Rold Gold Ruffles Sabritones Santitas Smartfood Spitz Stacy’s?

Ou da Coca-Cola? Da Sony? Da Rockefeller Group International? Da Nike? Da Lockheed Martin?  

Não vale a pena, pois a história e os resultados seriam sempre os mesmos.
O que conta é perceber que a nossa capacidade de escolha é muito limitada. Não só: mas que ao adquirir um produto acabamos com o financiar empresas que nada têm a  ver com o produto comprado.

As pessoas precisam de comer, todos sabemos disso: o mercado da comida é de essencial.
O que justifica, por exemplo, os mais de 2 biliões de Dólares (ano 2009) investidos pela Nestlé na procura de alimentos cada vez mais atractivos; alimentos que utilizem sais, gorduras, açucares e outros produtos químicos que possam produzir um autêntico "vício psicológico". Desfrutando também a publicidade.

Mas esta é outra história ainda.

As alternativas

Aqui gostaria de pôr um quesito: porque devemos ficar preocupado com a empresa que vende um determinado produto?

Em primeiro lugar por uma questão de saúde.
Quase todas as marcas citadas até agora vendem produtos nos quais estão presentes substancias tóxicas, grandes quantidades de gorduras e aditivos como MSG, HFCS, mercúrio e aspartame. São substancias venenosa para o corpo, o sistema nervoso e o cérebro. A comida assim preparada está a tornar o mundo mais gordo, mais doente e mais idiota.

Depois há o controle. Controla a comida para controlar as pessoas. É isso que se passa. Mas quem encontramos atrás das empresas que controlam a comida?

O Presidente da Nestlé é membro do World Economic Forum. Que não é uma organização de escuteiros.
O Presidente da Coca-Cola, Muhtar Kent, é membro do Grupo Bilderberg, cujo pai foi homageado pelas associações judaicas International Raoul Wallenberg Foundation e American Sephardi Federation (!!!).
A Presidente da PepsiCo., Indra Krishnamurthy Nooyi, é membro do World Economic Forum também, tal como Ray O Johnson, da Lockheed Martin.

Ao adquirir os produtos destes senhores, alimentamos o World Economic Forum, o Grupo Bilgerberg, o Council on Foreign Relations.

Alternativas? Sim, melhores e mais saudáveis.

Prefiram produtos locais, sempre.
Porque comprar uma garrafa de água produzia a 300 quilómetros de distância?
O que tem a água da vossa zona que não presta? Sempre água é, não é o caso de ser estúpidos.

Se poderem, optem pelos produtos frescos.
Sim, verdade, o produto congelado ou já embalado tem vantagens: mas tem aditivos também.
O que é melhor: o pão embalado ou aquele produzido pelo forno da esquina?
O que vale mais? A praticidade ou a saúde nossa e das nossas famílias?

Só isso?
Como "só isso"? Ohé, mas eu escrevo para o boneco o quê? Fogo...


Ipse dixit.

Fontes: TheVigilantCitizen, Kraft Foods Company, Nestlé, Arvix (pdf em Inglês), ScienceNews

16 comentários:

  1. Mas... há sempre um mas...

    Como na Origem, no berço, das Corporações, está a acontecer uma tentativa de subversão contra elas... um dos braços protectores já está em acção...

    A FDA está em guerra aberta contra os Agricultores Tradicionais Biológicos, contra os Produtos de Origem Natural, enfim contra tudo o que as Corporações que referiste não produzem...

    E alterar/acabar com este tipo de Corporações vai precisar de algumas gerações, no mínimo. Isto se entretanto nada nos salve, tipo cometa, mega-furacões/tufões/tornados, aquecimento global, arrefecimento global... enfim, é escolher.

    Como podem ver aqui a coisa começou a piorar seriamente a partir deste ano, 1919... e agora quase um século depois, estamos atascados até ao pescoço naquilo que todos nós permitimos que se desenvolvesse e atingisse este estado monstruoso: AS CORPORAÇÕES.

    E elas apenas têm um objectivo: Obter LUCRO.

    Escravos? Claro que sim. Só os distraídos é que ainda pensam que são livres!

    ResponderEliminar
  2. "Escravos? Claro que sim. Só os distraídos é que ainda pensam que são livres!"

    - Concordo a 100%.


    Abraço,
    -- --
    R. Saraiva

    ResponderEliminar
  3. "Odeio Aranhas"<=>"Odeio Corporações"

    ResponderEliminar
  4. Um caos organizado por alguns - a superclasse: um neo-feudalismo, uma nova ordem a seguir ao caos.


    -> A superclasse (alta finança internacional - capital global) não só pretende conduzir os países à IMPLOSÃO da sua Identidade (dividir/dissolver identidades para reinar)... como também... pretende conduzir os países à IMPLOSÃO económica/financeira.
    -> A superclasse é anti-povos que pretendem sobreviver pacatamente no planeta...
    -> A superclasse ambiciona um Neofeudalismo - uma Nova Ordem a seguir ao caos...

    -> Marionetas dos 'Bilderbergos' (ex: Sócrates e afins) fizeram o seu trabalho: silenciaram 'Medinas Carreiras', e armaram a RATOEIRA para a falência: endividamento esperando um - ILUSÓRIO - crescimento perpétuo...
    .
    -> Mais bandalhos/cúmplices dos 'Bilderbergos' (ex: os praticantes do Terrorismo_CGTP) também fizeram o seu trabalho:
    - face a uma entidade pagadora em deficit (leia-se Estado), apresentavam propostas de aumentos - e não - propostas de orçamentos... leia-se, queriam mais dinheiro não importa vindo de onde... leia-se, jubilavam quando os aumentos vinham (...e...) varriam para debaixo do tapete o facto da entidade pagadora ter necessidade de pedir dinheiro emprestado a especuladores, e necessidade de vender activos...
    {obs: agora andam por aí chorar lágrimas de crocodilo: «alerta para "perda de soberania" do País»}




    ANEXO:
    DEMOCRACIA HOLOCÁUSTICA...NÃO!
    .
    -> Muito pessoal está-se a borrifar para 'isto': querem é curtir... [nota: estão no seu Direito];
    -> Muito pessoal é adepto da competição global... [nota: estão no seu Direito];
    -> Muito pessoal adora fêmeas economicamente fragilizadas (mais dóceis)... oriundas de outras sociedades [nota: estão no seu Direito];
    -> Muito pessoal adora machos provenientes de sociedades tradicionalmente poligâmicas [nota: estão no seu Direito];
    -> Muito pessoal adora negociatas-fáceis [nota: estão no seu Direito];
    -> ETC...
    --->>> Todavia, não podemos pactuar com os 'Democratas Holocáusticos' - são aqueles que pretendem democraticamente determinar a eliminação de Povos/Identidades -,... visto que o DIREITO À SOBREVIVÊNCIA é um Direito Universal!
    .
    .
    -> Apesar de os portugueses não serem a nação mais antiga da História... será que os portugueses devem abdicar da existência duma Pátria sua?
    RESPOSTA: na minha opinião, NÃO!
    .
    Concluindo: Não vamos ser uns 'parvinhos-à-Sérvia'.... antes que seja tarde demais, há que mobilizar aquela minoria de europeus que possui disponibilidade emocional para se envolver num projecto de luta pela sobrevivência... e SEPARATISMO!...
    .
    Nota: Quando se fala em SEPARATISMO-50-50... não se está a falar em apartheid, mas sim, em LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA, ou seja, separatismo puro e duro: uma Nação, uma Pátria, um Estado.
    .
    .
    P.S.
    -> Uma NAÇÃO é uma comunidade de indivíduos de uma mesma matriz racial que partilham laços de sangue, com um património etno-cultural comum.
    -> Uma PÁTRIA é a realização e autodeterminação de uma Nação num determinado espaço.
    -> Ora, existindo não-nativos JÁ NATURALIZADOS com uma demografia imparável em relação aos nativos... como seria de esperar, abunda por aí muita conversa para 'parvinhos-à-Sérvia'.

    ResponderEliminar
  5. P.S.2.
    Só o Direito à Sobrevivência dos povos autóctones... é que permitirá combater o Neofeudalismo que a superclasse (alta finança internacional - capital global, e suas corporações) pretende implementar.

    ResponderEliminar
  6. Enquanto isso andam por aí uns distraídos que dizem que vem ai imagine só o fim do mundo...
    Cometas, ETs, zombis, Nibiru, o anticristo, Jesus Cristo, o diabo a quatro.
    Que espectáculo...
    Ou será que isso também faz parte da encenação?
    Já parou para pensar nisso Max?
    A quem servirá a instabilidade das pessoas?
    A irracionalidade e o medo?

    ResponderEliminar
  7. Se o Max continuar nos mostrando a realidade cruel, vou ser o primeiro cãozinho no mundo a cometer suicídio!

    ResponderEliminar
  8. Rino-Ceronte27.8.11

    MOSTRE-NOS ENTÃO UMA SOLUÇÃO, Ó GRANDE LÍDER....KKKK

    VC SÓ MOSTRA A REALIDADE!!! UM POUQUINHO DE ILUSÃO NÃO DÓI!!! HAHA..

    ResponderEliminar
  9. @Rino-Ceronte E porque não começa o amigo com uma ideia para podermos discutir Ó GRANDE FALA-BARATO?

    Falar é fácil...já fazer: está quieto.

    São pessoas como você meu amigo que mostram como anda tudo bem controladinho, ou seja, ficar à espera que os outros resolvam os nossos problemas.

    Mude de atitude - é o melhor para si e para todos nós.


    Abraço,
    -- --
    R. Saraiva

    ResponderEliminar
  10. maria27.8.11

    olá todos: Max nos brinda com informações objetivas bem organizadas, que da minha parte agradeço muito. Sei lá quem disse uma coisa interessante: pensar globalmente, agir localmente. Mesmo sem grandes informações, tateando meio que intuitivamente, me parece que para quem busca alternativas de sobrevivência não seria oportuno gastar energia com organizaç~~ao de grandes massas, até porque a humanidade em geral esteve e está condenada a burrice crônica. Que tal arranjar uma terrinha, plantar sua comidinha, como eu faço e me dou bem, embora nem por isso fique livre dos pesticidas que estão nas sementes já globalmente manipuladas!? Que tal praticar pequenas trocas com o excedente com vizinhos? Por exemplo: eu troco ovos por farinha, troco feijão por mel, e nisso sem alarde, em 10 anos, nos envolvemos 50 pessoas, dessas que não sabem nada de política global, mas sabem economizar o pouco que têm e ainda sabem distinguir pelo cheiro ou ausência de, comida de veneno puro!? Que tal construir uma casinha boa e confortável básicamente com o que os idiotas jogam fora e não entendem ser material de construção!? Que tal fazer um grande buraco no chão até encontrar água pura, potável (no meu caso foram 7m e meio, pedras abaixo)e eis a autosuficiência no líquido mais precioso no mundo!? Que tal buscar um controle pessoal da energia elétrica que utiliza!? No meu caso, tenho um bom geradorzinho (na verdade ainda não encontrei petróleo, nem sei como refiná-lo em óleo disel HIhihi...) mas melhor que pagar a luz tão cara por estes pagos do sul do Brasil!? Que tal arranjar umas placas de energia solar e ter água quentinha a disposição!? Que tal subir bem alto, bem alto, fincar uma torre de radio transmissão, captar sinal dos satélites a girar em torno do planetinha terra e dispor de internet, que está longe de ser uma maravilha mas me permite ler o Max e falar com vocês!? Que tal gastar o mínimo dos mínimos em roupa, faze-las em casa, brincar de inventar modas pessoais em vestuário, utesílios domésticos e móveis!? Que tal não se deixar seduzir por nada que consuma inadvertidamente!? Que tal testar e fazer funcionar os próprios remédios que um corpo já desgastado pela idade, como o meu estão exigindo!? Que tal valer-se dos amigos bichos e de sua inteligência e amizade real para garantir a segurança da sua toca/casa/paraíso possível!? Que tal usar o precioso tempo para trabalhar nisso tudo, estudar isso e muito mais com paci~encia e afinco, conversar com quem sabe das coisas práticas, possíveis de serem feitas, exequíveis, e ensinar aos que estão próximos/distantes como sobreviver nesse mundinho que o Max descreve com precisãqo cirúrgica!? E,muito mais que sobreviver, inverter a ordem desejada das coisas no único espaço onde cada um tem controle da situação: a sua própria vida!? Sei que vários de vocês vão me achar simplória, talvez idiota, mas sinceramente, até agora eu não encontrei sabotagem mais gostosa, prazeirosa e rendosa para fazer. Muitos abraços.

    ResponderEliminar
  11. Max e todos

    Sobre o suícidio, foi uma brincadeira que fiz aqui, não quis de modo algum ironizar o que você escreve, simplesmente brinquei sobre a situação global.
    Quanto ao que a Maria fala, concordo plenamente, a Maria em poucas palavras deu uma lição de exemplo para o mundo.
    muito obrigado Maria, e desculpem a brincadeira.

    ResponderEliminar
  12. Caro Max,
    Aqui nesta terra a malandragem barra pesada usa a expressão "tá tudo dominado", e é a melhor forma pra traduzir tudo que acontece nestes tempos. Monsanto e suas sementes "suicidas", Banco do Brasil e sua linha de crédito (Próagro) a exigir de nossos pequenos agricultores as notas fiscais dos venenos que são aspergidos nas plantações por este país a fora (sem nota fiscal do veneno..., sem financiamento).

    Muito, muito circo para a patuléia extasiada: futebol, Big Brother, novelas, filmesinhos imbecilizantes, violência gratuita, programas de auditório, culto a celebridade, e poraí vai. Não dá pra achar que tudo isso é por acaso, que não há sujeito oculto na oração.

    "A comida assim [[[ PREPARADA ]]] está a tornar o mundo mais gordo, mais doente e mais [[[ IDIOTA ]]]." Tive a impressão nalgum outro post passado, lamento, mas não consegui encontrá-lo, que você duvidava da existência da trama de uma turma, que não sei se se trata de Iluminatis, de Bilderbergs, Trilaterais, de seja lá quem for, numa conspiração macabra. Desculpe se não soube compreender a mensagem.

    Misturando tudo, mas falando do mesmo: num antigo programa do sr. Jô Soares, a entrevistada era uma educadora renomada (novamente minha memória falha em lembrar do nome). A senhora combatia a idéia do apresentador, de que a televisão simplesmente oferecia ao seu espectador aquilo que ele queria assistir. A educadora rebatia dizendo que a preferência era moldada, e que as pessoas eram induzidas a gostar de algo pueril, estéril e por muitas vezes imbecil. Minha nota: inclusive do programa em questão, pseudo-intelectual. Não falou com estas palavras, é claro. Outra: quando do surgimento das lutas MMA, anteriormente chamadas de "Vale-tudo", a mídia generalisadamente caiu de pau na sangria deste escárnio/esporte. No exato dia de hoje, haverá dentro em pouco vários combates numa arena qualquer daqui desta cidade (digito do Rio de Janeiro). Agora, na imprensa escrita, falada e televisada, só elogios ao tratar do evento. Para os presentes, pena ninguém morrer, bom, pelo menos até aqui. Sem remédio, alguns litros de sangue no chão fica de bom tamanho. Como não imaginar que algo além de nosso conhecimento não esteja no controle? Sim, somos todos escravos, não há a menor dúvida, de preferência com os dentes bem tratados para alcançar-mos um melhor valor no mercado. Abraço Max.

    ResponderEliminar
  13. Desculpe Max,

    Me entusiasmei pelo assunto escrevi meu comentário, e só depois li os dos demais. Me chamou a atenção o que escreveu Maria. Rapaz tenho um pouco deste negócio de bicho-grilo. Viver uma vida o mais livre possível de qualquer instituição, embora o imposto de renda te alcance nos confins da amazônia. Na, no meu modo de ver, estimulante narrativa de Maria me veio a mente o documentário "Garbage Warrior". A questão vista de forma muito secundária no filme era: Ninguém pode viver a margem das contas de água, de esgoto, de luz. Como as corporações poderiam sobreviver? Já imaginou, todos com suas placas solares, ou como Maria, seu gerador, seu poço, seu fogão a lenha ou solar, sua máquina de costura? Nos encontros do personagem da fita (não me perguntem o nome) com os senadores norteamericanos, a questão era colocada de forma dissimulada por aqueles digníssimos senhores. Abraços Maria e Max.

    ResponderEliminar
  14. Controlam a fome,
    controlam os alimentos,
    controlam a economia,
    controlam a mídia,
    controlam a propaganda,
    controlam a educação,

    Se isso tudo não faz parte de um plano por favor me acorde.

    Próximo passo,
    criar um poder universal para controlar as emissões de gases poluentes através de leis e impostos. Sim, aos poucos vão inserindo uma idéia de governo global.

    ResponderEliminar
  15. Rapaz,

    Depois do pvnam acima, já virei corporativista convicto. Povos autóctones pacíficos, com seus exércitos linha-dura bem armados. Já pensou? Portugal do Norte, Portugal do Sul. Chipre do Norte, Chipre do Sul. A Holanda apóia esta divisão, jamais gostariam de uma divisão leste/oeste. Qual Holandes ficaria com o lado praieiro de seu território? Putz!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...