10 agosto 2011

London´s burning


Milhares de Leitores perguntam: "Max, mas que se passa na Inglaterra? Explica! Explica!!!".
Ok, não foram milhares, mas centenas. Ou dezenas. Talvez ninguém pediu nada, mas não faz mal, vamos falar do que se passa na Terra da Rainha.


Quais são as causas dos motins 
em Londres e em todo o Reino Unido?

Boh.

Que como explicação não é grande coisa, mas, como sempre, identificar as causas dum fenómeno tão complexo como os tumultos em Londres e no Reino Unido não é fácil.

Podemos procurar um denominador comum entre o que começou em Tottenham e os tumultos na banlieue de Paris ou os confrontos na Via Padova em Milano.
Primeiro: a agitação social nos subúrbios.

Podemos tentar conectar tudo ao fenómeno das revoltas árabes.
Segundo: o desconforto que tornou-se raiva para os efeitos da Grande Depressão.

Ou ainda podemos acreditar que esta seja o fruto duma abordagem simplesmente violenta, característica das camadas inferiores da sociedade inglesa; afinal esta é a terra onde nasceu o punk.
Ponto três: um substrato social dispostos a confrontação física. 

Mas qual será a resposta correcta?

Boh.
Outra vez? Tá bom, vamos tentar perceber algo...



As causas dos motins em Londres e no Reino Unido

Nas televisões podemos ver pessoas que assaltam lojas, roubam e, já que saíram de casa, aproveitam para partir tudo.
Apenas ladrões? Se assim fosse, porque não actuaram antes?

A causas dos motins em Londres e no Reino Unido são mais complexas disso. é mais um conjunto de situações, são fenómenos humanos e sociológicos.

Talvez a resposta melhor resida numa mistura das três hipóteses acima ilustradas, sendo redutor apontar apenas uma dela qual causa fundamental.

1.
Mesmo hoje falei com Anil, amigo logo regressado de Londres: não tem dúvidas em descrever Tottenham (onde tudo começou) como um bairro complicado, onde a multirracialidade não é uma escolha mas uma consequência das dificuldades da vida..

Há ressentimento contra o sistema, há desespero, com blocos étnicos que comportam-se como placas telúricas.

Para que o fósforo pegue fogo é preciso enxofre na cabeça: em Tottenham e em outros bairros socias da Inglaterra, o enxofre não falta. O gueto e a exclusão do contexto urbano, onde não há nenhuma maneira fácil de sair, com o desemprego e sem espectativas para o futuro, tudo isso faz crescer a raiva.

Esta é a cabeça do fósforo, aqui temos o enxofre. Que é um bom ponto de partida, mas nem sempre suficiente para que o fogo possa espalhar-se.

2.
O impacto da Grande Depressão, como no caso das revoltas árabes, foi decisivo.

Intensificação pelo desemprego, a falta de capacidade para pagar as rendas das casas,  o facto dos que trabalhar sofrerem a maior exploração, especialmente no caso dos grupos étnicos de cor diferente do branco.

E doutro lado o espectáculo dos super-ricos que, apesar da crise, tudo podem comprar: um espectáculo que todos podemos observar nas revistas patinadas, nas televisões: um estalo na cara, dia após dia. Tudo isso e uma faísca.

Os que partem as vitrinas, as montras, os que deitam fogo, todos eles não pedem liberdade ou democracia, não querem uma melhor distribuição da riqueza ou novos conceitos particularmente elevados.

No entanto partem, e haverá uma razão.

Isto é, poderiam beber uma cerveja em vez de partir tudo. Mas partem.

Normalmente, por trás duma manifestação de agressão, há uma demanda de atenção ou um grito de socorro. Com os saques das lojas roubam televisões de plasma, leitores de DVDs, roupas de marcas populares; duma certa forma têm aplicado uma redistribuição da riqueza.

À maneira deles, claro, à maneira de quem nasceu e sempre viveu num lugar assim, por uma noite tomaram-se mais ricos.

Aproveitar a confusão para tirar algumas mercadorias, talvez para depois vende-la, talvez para comprar as coisas que não podem comprar porque sufocados pelas dívidas e o colapso económico da Grande Depressão: isso tem algo em comum com as revoltas árabes.

Depois há sem dúvida uma sentimento de revolta contra as instituições. A raiva de quem já não sabe o que fazer.

Ninguém quer justificar o que acontece nas cidades inglesas, que fique claro; mas temos o dever de perceber: tudo isso é uma faísca potente.

3.
E o substrato social? Na Islândia nada disso aconteceu. Nem na Somália, onde de fome se morre. Cada um reage com base em o que é.

Uma certa fisicalidade inata (a boxe nasceu aqui, o punk nasceu aqui, os hooligans nasceram aqui), combinada com um baixo nível cultural e um forte consumo de álcool. Mas isso já é generalizar, o que é sempre bastante estúpido e em pouco pode ajudar na compreensão do problema.

Porque depois existem milhares de outras causas.

O copo

Surpresa? Nem por isso.

Artigo Profecias para 2011:
Aqui as previsões para 2011 são simples: na Europa e nos Estados Unidos, aumento da criminalidade. Normal, há mais pobreza.
Repito: uma previsão verdadeiramente simples.
Vamos ler a História: pobreza e revoltas vão de mãos dadas.

Por isso pensar que os tumultos do Reino Unido sejam algo de distante e ligado à causas locais seria um erro.

Na Terra de Sua Majestade chegou a conta; e entre o silêncio dos media, outras contas acabaram de ser entregues: no Chile, por exemplo (milhares de pessoas contra o Governo de Sebastián Piñera; ou na Índia, em Puna e Nova Deli, com mortos.
Na semana passada em Madrid, Espanha, com os indignados; ou em Bari, Italia, com a raiva dos imigrados.

Hoje estava no autoestrada a ouvir a autorádio: um economista explicava que temos de compreender, temos de baixar o nosso nível de vida. Que poderia ser uma boa ideia se todos baixassem os próprios padrões. Mas quando "todos" significa apenas alguns e sempre os mesmos?

Quando o copo está cheio, basta uma gota.
E não faltam copos por aí.






Ipse dixit.

Fonte: Informazione Scorretta

11 comentários:

  1. Caro Max,
    "... por uma noite tomaram-se mais ricos".
    Síntese mais que perfeita de toda a desumanização por que passa o mundo.
    Parabéns.
    Abs

    ResponderEliminar
  2. Mitzrael10.8.11

    ... ou talvez convenientemente e cuniventemente, aproveitarem a boleia para passarem a aplicar justificadamente medidas ainda mais repressivas e restritivas nesta sociedade!

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  3. Muito bom o artigo, Max.

    Falta falar sobre o 'Tahrir' Israelense.

    Abraços!

    ResponderEliminar
  4. Vivendo ca posso confirmar que de facto, tal como em Lisboa tens muitas zonas conflituosas, sendo Tottenham uma delas. A diferenca e' que aqui tens muito mais racas dada a origem variada dos imigrantes, o que pode tornar tudo mais explosivo.

    Existe tambem outra diferenca: as pessoas necessitadas tem apoios brutalmente maiores do que em Portugal. Por norma sao-lhes concedidas casas em boas condicoes em zonas nao muito longe do centro(zona 2,3 do metro). Eu moro na zona 2 em Fulham(zona simpatica) e todos os meses pago £700 por um quarto. A habitacao em Londres e' bastante cara isso e' um problema grave que mais cedo ou mais tarde sera resolvido(bolha do imobiliario que nao rebentou totalmente como aconteceu na Irlanda por exemplo).

    Para alem dessa habitacao "gratuita" ainda tem outros subsidios e o NHS(todos temos). Ja passei por esses bairros e as condicoes das casas sao clarametne melhores que o Bairro Branco (Monte da Caparica),Quinta da Princesa(Amora), Fontainhas ou Cova da Moura. Como seria de esperar dado o nivel de vida mais alto. As condicoes da classe mais baixa podiam e deveriam ser melhores mas nao tao ao nivel degradante que por exemplo se ve nos EUA.

    Penso que o que tem acontecido nestes ultimos dias nao passa de vandalismo e oportunismo de miudos mal intencionados. Miudos que na sua maioria andam vestidos com roupas de nikes e adidas, com iphones e blackberries. O materialismo desnaturado, infelizmente e' algo que tem vindo a crescer com o passar do tempo.

    Com isto nao quero que nao se viva numa sociedade assimetrica e injusta. Aqui uma boa educacao ira reflectir-se fortemente nas oportunidades que iras ter no futuro. Infelizmente parte do sistema educativo e' privado o que faz com que a distribuicao de oportunidades nao seja justa.

    Ainda para mais com a brilhante medida de quererem triplicar o custo das propinas nas universidades publicas(£3000 anuais para £9000) so vai tornar o ensino qualificado simplesmente inacessivel para boa parte dos alunos. As medidas de austeridade que se tem aplicado no mundo ocidental atingem de forma muito mais violenta as classes media e baixas o que torna propicio a que este tipo de eventos acontecam mais frequentemente.

    Apesar do fosso ser cada vez maior continuo a achar que estes motins dos ultimos dias sao actos de vandalismo de putos que querem tudo de mao beijada e que estao a destruir pequenas lojas de pessoas honestas e trabalhadoras.

    Espero que estes eventos facam com que a sociedade reflicta pois isto vai ser bem mais recorrente com o adensar da crise economica.

    Ontem no caminho para casa as ruas que normalmente estao com muito movimento, estavam semi desertas, e as lojas fechadas. Uma perspectiva diferente das ruas nas quais ando todos os dias. O medo e' sem duvida uma ferramenta eficiente...

    Ca estarei para responder a alguma duvida sobre Londres que os colegas de blog possam ter.

    Abraco

    ResponderEliminar
  5. Ricardo10.8.11

    "nao passa de vandalismo e oportunismo de miudos mal intencionados. Miudos que na sua maioria andam vestidos com roupas de nikes e adidas, com iphones e blackberries. O materialismo desnaturado"

    "actos de vandalismo de putos que querem tudo de mao beijada e que estao a destruir pequenas lojas de pessoas honestas e trabalhadoras"

    Alguém reparou que o perfil revolucionário ocidental se encaixa nessa descrição?

    Inglaterra... Espanha... todos?

    Alguém já ouviu sobre O MARKETING DA REVOLUÇÃO? Sobre consultores, até da Sérvia que criam slogans e logotipos para as lutas de classes?

    Será que, na melhor oportunidade que temos de exigir mudanças no sistema, seremos ofuscados por jovens alienados e completamente ignorantes inspirados por mensagens manipuladasna internet?

    E o resultado será simplesmente, mais da mesma coisa, porém com uma qualidade de vida bem inferior?

    ResponderEliminar
  6. Caro Max

    Já parou pra pensar que talvez seja o famoso ataque de falsa bandeira aquele muito usado pelos governantes: PROBLEMA - REAÇÃO - SOLUÇÃO
    Vamos ver qual será a "Reação" e a "Solução" que virá e então teremos as respostas para isso.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Anónimo10.8.11

    São estas pessoas que realmente precisam de ajuda e de uma revolução:

    http://www.behance.net/gallery/Trash-Land/1820899?utm_source=Triggermail&utm_medium=email&utm_term=ALL&utm_campaign=MIH%20August%20'11

    Sem mais...

    ResponderEliminar
  8. Não há novidades sobre Londres e demais manifestações de falsa bandeira mundo a fora em nome do povo milenarmente escravizado à demência para sua perene exploração por todas as casas grandes do mundo enquanto vão avançando sua agenda e a 3ª guerra mundial já em curso acelerado neste invisibilizado 4º reich nazi-sionista em ascensão. A CIA e similares não dormem em serviço.

    O SISTEMA É ESCRAVAGISTA, ALIENÍGENA , INUMANO E ANTROPOFÁGICO. Nunca desligue seu detector de mentiras. Ninguém virá nos salvar... Sinto muito, sou grato.

    ResponderEliminar
  9. Vale a pena ler esse post sobre a Inglaterra.

    http://burgos4patas.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. Anónimo11.8.11

    Alguém aí ja viu esta revelação bombástica de Arizona Wilder?

    segue o link da primeira parte:

    http://www.youtube.com/watch?v=E8K7b6VSaQ8&feature=watch_response

    São ao todo 10 partes, recomendo que até os mais céticos assistam até a ultima parte! Claro, devemos questionar tudo, mas não se deixem levar pelo fanatismo cético.

    ESTES VÍDEOS SÃO DE EXTREMA IMPORTÂNCIA! Sempre quis saber mais sobre eles... Se alguém já viu o depoimento completo e ainda possui informações, por favor, comente!

    ResponderEliminar
  11. Blog Divisão 50-50
    .
    12/28/2005
    Post 14-> COMBATER A PRIVATIZAÇÃO DO PLANETA: por um mundo público, contra a privatização do mundo

    — Isto não tem nada que saber!!!

    — Os Mega-Capitalistas [Apátridas] – dotados de fortunas colossais – não estão somente interessados em ‘Altos Lucros’… , eles estão também fortemente empenhados em lançar o CAOS no Planeta [1- Caos Social , 2- Caos Demográfico, 3- Caos Ambiental...; dissolver/liquidar Identidades]… para depois… ANIQUILAREM os Estados Soberanos [os Países que existem no Planeta]!…
    — De facto, enquanto o Planeta vai caminhando na direcção do CAOS… os Mega-Capitalistas ( Bieldbergs e Afins… ) vão-se posicionando… no sentido de ASSUMIREM O CONTROLO do Planeta: Com o fim do Serviço Militar Obrigatório, as Forças Armadas foram reduzidas a ‘profissionais’… que irão trabalhar para quem lhes pagar mais… , e… com Mercenários (leia-se, Exércitos privados) muito bem pagos [e dotados de armas de alta tecnologia - Armas Nucleares, Armas Químicas, Armas Biológicas]… vai ser MUITO FÁCIL liquidar milhões e milhões… para que depois… os Mega-Capitalistas [Apátridas] possam – a partir do CAOS… – erguer uma NOVA CIVILIZAÇÃO no Planeta:
    —> um PLANETA PRIVADO… com Senhores Donos do Mundo -> um NEO-FEUDALISMO à escala global!!!… Aonde as pessoas serão controladas como ‘animais de estimação’ pelos Senhores Donos do Mundo… –>> … ‘a Privatização da Vida Humana’… [[[nota: no limite, a Superclasse (alta finança internacional) ambiciona a privatização da vida: de facto, ao mesmo tempo que promove o caos... a Superclasse também promove a ideia de que a humanidade não sabe tomar conta de si própria]]]

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...