06 setembro 2011

As ervilhas de Mendel

Gregor Johann Mendel nasceu na actual República Checa, e tinha duas irmãs: Veronika e Theresia. Eram os filhos dum camponês de Hyncice, onde Johann nasceu no dia 20 de Julho de 1822.

Tudo isso, sinceramente, não podia interessar menos.
Mas continuemos.

Frequentou o liceu de Olmutz e em 1834 entrou no Mosteiro de San Tomas de Brunn do abade Cyrill Napp.
Isso também não é muito entusiasmante.

Uma vez entrado no Mosteiro, Johann adquiriu o nome de Gregor e começou a estudar Matemática, Botânica e Meteorologia. Uma vez licenciado, enfrentou o exame para ser professor, coisa que conseguiu após ter sido chumbado várias vezes.

E seria possível continuar com o resto da vida dele, mas admitimos: é uma grande seca.
Vamos ver por qual razão Mendel ainda hoje é lembrado.


A ervilha, esta desconhecida

Mendel é hoje famoso porque cultivava ervilhas. Também a Del Monte produz ervilhas, mas Mendel foi um pouco além.

O bom Gregor ex-Johann gostava de jardinagem, assim começou a estudar a vida deste simpático legume.

Um legume fascinante, sem dúvida, com uma bonita forma esférica e uma cor verde-esperança. Qualquer pessoa poderia admirar uma ervilha ao longo de vários minutos antes de cair num sono profundo.

Mas Mendel não: ele conseguiu penetrar na essência da ervilha e roubar os mais íntimos segredos. Pois as ervilhas têm muitas coisas escondidas.

Uma vez ingressado na psique da raça ervilhosa, Mendel seleccionou 7 pares, cada par com características diferentes, e começou a cruza-las. Uma autêntica orgia de legumes.

Gregor observou que do casamento destes 7 pares nascia uma geração de outras ervilhas uniformes. O que não tinha nada de extraordinário: se Mendel tivesse conseguido obter morangos a partir das ervilhas, isso sim que teria sido fantástico.

Mas o bom Gregor ex-Johann continuou a observar e notou que a partir da segunda geração, as ervilhas apresentavam mutações: não casuais, mas mutações que seguiam padrões matemáticos.

Matemáticos, não empíricos.

Outra coisa que o sagaz Mendel notou, foi que cada característica era transmitida aos descendentes de forma independente, não serial: era uma característica própria da ervilha pai (ou "mãe"? Como terá conseguido reconhecer as ervilhas dos ervilhos?) e era transmitida ao filho, tal e qual.

Mendel tinha assim descoberto a lei que regula a hereditariedade. Que não tem nada de casual: pelo contrário, obedece a rígidas regras, "matemáticas", como vimos. Mendel não sabia, mas tinha posto as bases da moderna genética.

Em 1865 os tempos eram maduros e Gregory escolheu partilhar as próprias experiências.
Ao longo de duas reuniões na Sociedade de História Natural de Brunn, Mendel falou das suas descobertas perante um público de biólogos, químicos, botânicos e médicos.

A reacção foi unânime: perante Mendel e as suas famílias de leguminosas, um sono profundo apoderou-se dos presentes e a descoberta não foi apreciada.

Mendel recolheu as suas ervilhas, voltou para o mosteiro e em 1884 morreu, com grande tristeza de todos os legumes que, ainda hoje, idolatram Mendel como "O Redentor", filho do Deus Legumo.

Se a história tivesse acabado desta forma, hoje ninguém lembraria um monge que no século XIX cultivava ervilhas. Mas os estudos continuaram, embora a distância de décadas, e finalmente a obra de Mendel e das suas ervilhas foi devidamente apreciada.

As ervilhas contra Darwin

Apreciada? Sim, mas nem por todos.

Porque as Leis de Mendel abalaram, e de que forma, o Evolucionismo de Darwin. Mendel tinha afirmado (e, coisa ainda mais importante: demonstrado) que a transmissão das características nos seres viventes acontece de forma independente do ambiente e do corpo.

Há precisas relações matemáticas que regulam a transmissão, não há espaço para o acaso.

Tudo o contrário de Darwin.

Quando em 1953 foi descoberto o DNA, foi finalmente encontrado o agente responsável pelas leis da transmissão de Mendel. Foi a pedra tumular do Darwinismo clássico. Uma teoria quase filosófica que tentou passar por ciência e que pela ciência foi obrigada a reinventar-se.

Mas de tudo isso não encontramos quase nada: a Teoria da Evolução continua a ser apresentada como Bíblia, aliás, até superior à Bíblia mesma.

Isso não autoriza a aderir ao Criacionismo: deveria, pelo contrário, ser um estímulo para procurar novas estradas. O que não acontece: a obra de Mendel quase aparece como um corolário vindo para confirmar quanto exposto pelo Darwin.

Nada de mais errado.


Ipse dixit.

Fontes: Wikipedia (italiano), Wikipedia (inglês), BastaBugie

13 comentários:

  1. Como terá conseguido reconhecer as ervilhas dos ervilhos? Deus legumo.
    Essa foi boa, hahahahaha
    Coitado do Mendel.
    Só tu mesmo, falar da obra de Mendel e ainda fazer a gente rir.

    Obrigado Max

    Abraços

    ResponderEliminar
  2. hauhauhauaha se tu tivesse me dado as aulas de biologia eu não teria dormido tanto...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo6.9.11

    Adorei este post, principalente o final...

    Realmente, a teoria da evolução não passa de uma "teoria" mesmo.

    Mas esta tal "teoria" ja está tão difundida e "cega" que pouco tempo atrás vi um convite de formatura de um curso superior em biologia e adivinha o tema do layout?
    Sim, Darwin... E isso que era um curso superior, me da vergonha quando vejo acadêmicos venerando essa teoria como prova e verdade sobre a nossa existência. Triste..

    Mas, infelizmente também, como parte do que ando estudando, muitos cientistas estão nos empulhando o Darwinismo como prova numa campanha de difamação do cristianismo.

    Esta matemática de mutação, nada mais é do que a lei universal, a sequencia de Fibonacci. A geometria sagrada aplicada a vida.

    Sobre a geometria sagrada, ela está em todas as coisas, em todas as formas de vida. Está no som, no cheiro, nos seres vivos, nos materiais, em tudo.

    Saiba mais:

    Parte 01:
    http://sabedoria-ancia.blogspot.com/2011/03/geometria-sagrada-parte-01.html

    Parte 02:
    http://sabedoria-ancia.blogspot.com/2011/04/geometria-sagrada-parte-02.html

    Parte 03:
    http://sabedoria-ancia.blogspot.com/2011/04/geometria-sagrada-parte-03.html

    Parte 04:
    http://sabedoria-ancia.blogspot.com/2011/04/geometria-sagrada-parte-04.html

    Parte 05:
    http://sabedoria-ancia.blogspot.com/2011/05/geometria-sagrada-parte-05-por-drunvalo.html

    Qualquer coisa que você fizer seguindo esta matemática ou geometria o resultado será o mais natural e harmônico possível, pode ter certeza, a perfeição está nesta sequencia que, uma vez aplicada, lhe dará os melhores resultados possíveis. Este é o segredo do sucesso de muitos arquitetos, designers e cientistas.

    Fica esta dica.

    ResponderEliminar
  4. Max
    Claro que o Darwinismo clássico está morto e quase enterrado, até o evolucionismo actual não consegue explicar MUITAS coisas..

    A verdade é uma teoria em estudo.

    Novas teorias, existe sempre aquela hipótese de a Lua ser uma nave Alien gigante, e que que os extraterrestres desde o inicio da Terra, tem vindo a alterar geneticamente os habitantes da terra até conseguirem o escravo ideal.....

    Já agora, isso do criacionismo já está ultrapassado agora é o Inteligent design, no fundo a mesma coisa mas tem mais pinta de teoria cientifica.

    Saudações

    ResponderEliminar
  5. Anónimo6.9.11

    Evolucionismo | Método científico e provisoriedade:

    http://www.youtube.com/watch?v=RfIPXo5SWd8&feature=results_video&playnext=1&list=PL9474D4E35A47B092

    ResponderEliminar
  6. rafael7.9.11

    é max, sou estudante de biologia e aprecio o trabalho de darwin, e a grande proposta dele na sua teoria era a seleção natural, e isso de fato acontece, é muito facil perceber, quer exemplos? os tentilhoes de galapagos por especiação geografica e as borboletas q surgiram depois das revoluções industriais no territorio ingles adaptadas as novas condições de muita poluição. os mecanismos da adaptação, estes sim nao estao claramente compreendidos, e usar as experiencias caseiras de mendel nem de longe refutam a evolução.

    ResponderEliminar
  7. rafael7.9.11

    vou me corrigir, qd eu disse "mecanismos da adaptação" era pra ter dito mecanismos da segregação genetica, estes sao completamente estatisticos

    ResponderEliminar
  8. Anónimo7.9.11

    Rafael,
    estas afirmações sobre os tentilhoes e as borboletas ja foi completamente refutada. Assim que eu achar e lembrar a fonte, posto aqui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16.3.12

      hahahahahahaha
      como pode mentir descaradamente desse jeito??
      ta querendo parecer inteligente e bem informado? vá estudar!
      RIDICULO!

      Eliminar
  9. Pra quem quiser saber mais sobre esta teoria tão controversa:

    http://www.impacto.org.br/index.htm

    http://seteantigoshepta.blogspot.com/2009/08/pagina-de-indice-todos-os-artigos-que.html

    http://seteantigoshepta.blogspot.com/2009/03/teoria-da-evolucao-provada-falsa-darwin.html

    É preciso muito estudo e bom senso antes de tomar uma posição...

    ResponderEliminar
  10. Anónimo16.3.12

    que bosta! a unica coisa que presta é o nome do blog!
    já que ele só desinforma!
    Por falar em desinformação, pessoas que sequer sabem o significado da palavra TEORIA usanso-a como argumento só não chega a ser hilário por ser extremamente demprimente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16.3.12

      Completando meu post:
      Vocês prestem um grande desserviço a nossa religião!
      Sou evangélico mas não sou burro!

      Eliminar
  11. Querido evangélico,

    além destas inutilidades, consegue dizer algo de jeito? Construir um raciocínio? Justificar o que acaba de dizer? Ou este é o máximo que o seu cérebro pode produzir? Porque se for assim, temos coisas mais importantes para fazer: você pode voltar a ler a Bíblia sem na realidade percebe-la, eu posso fazer outras coisas.

    Um abraço.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...