16 setembro 2011

Nova Ordem Mundial? Parte V

Última! É a última parte!!!
Boa leitura.

A Igreja Católica ao serviço da Nova Ordem Mundial

Fieis ou não, o estudo dos princípios por trás da Igreja deve ser feito de forma objectiva. É preciso estudar e observar os preceitos que essa defende as propostas e observar se as ações são consistentes ou não com o corpo da doutrina. Pois aqui estamos a falar do poder temporal, não do espiritual.

No caso da Igreja Católica, o conceito defendido ao longo de dois mil anos baseia-se no primado de Deus sobre o homem. As Escrituras e a Tradição fornecem uma base intocável, o depósito da Fé segundo os termos consagrados, definidos pelo sucessor de São Pedro, o Papa.

O homem marcado pelo pecado original deve obedecer a uma autoridade superior e seguir todos os preceitos da Igreja Católica, estes princípios são imutáveis. Quando alguém não concorda com estes princípios, é preciso que deixe a Igreja Católica. Este é o caso de muitas igrejas protestantes.
No entanto, uma mudança fundamental ocorreu com o Concílio Vaticano II (1962-1965).


Este conselho foi o resultado duma longa série de reflexões que impulsionaram muitos homens da Igreja, mas também fora da Igreja, desde o século XIX. Depois de uma longa luta entre os defensores do tradicional e os progressistas. estes foram capazes de impor a própria visão durante a grande reforma do Concílio Vaticano II.

Para esses apoiantes, a Igreja deve se adaptar às inovações nas políticas, mudanças técnicas e sociais que marcam o mundo. Para os defensores da tradição, óbvio, o oposto: é o mundo que deve adaptar-se aos princípios da Igreja.

Esta "humanização" da Igreja através da promoção dos direitos humanos e da sua cooperação com organismos internacionais foi claramente exposta na encíclica de 1963 de Papa João XXIII, Pacem in Terris.

Lembrando o progresso da ciência e tecnologia de ponta para "intensificar a cooperação e reforçar a união" dentro da raça humana, está destinada a reforçar o "bem comum universal" que os Estados não podem fornecer, de acordo com a encíclica.

E para isso, acrescenta o documento com lógica, "Hoje em dia, o bem comum universal levanta problemas de dimensões globais. Não podem ser resolvidos por uma autoridade pública cujo poder, constituição e modo de ação depende da dimensão global e que podem executar as suas ações em toda a terra.

Portanto, a ordem moral em si exige a criação de uma entidade pública de jurisdição universal. "

Desejando que este "poder supranacional ou global" não seja estabelecido pela força, a encíclica aprovou a Declaração dos Direitos do Homem de 1948 com algumas objeções. E acrescenta que "Nós consideramos essa declaração como um passo para a criação duma organização jurídico-política da comunidade mundial" .


Esta mudança na direção da Igreja Católica é a marca registrada de todos os Papas desde o Concílio Vaticano II. Na sua mensagem de Natal em 2005, Bento XVI encorajou os homens a envolver-se "na construção de uma nova ordem mundial". E utilizou mesmo estas palavras.

É portanto lógico que Bento XVI peça a criação duma "" autoridade política mundial " na sua encíclica, Caritas in veritate em Julho de 2009.

Lembrando a interdependência global, o Papa pede uma "reforma urgente das Nações Unidas, tal como da arquitetura económica e financeira internacional, para dar forma ao conceito de família das Nações (...)".


Conclusão

Esta breve descrição da história dos defensores da globalização a partir da Idade Média até o século XXI, mostra como essa tendência seja muito antiga.

É baseada numa cobiça sem limites e na busca dum ideal de controle completo da riqueza global. Esta tendência tem ganho impulso e depois da queda do Muro de Berlim, os eventos estão a acelerar, assim como a crise.
A década de 2010 será decisiva para a raça humana.


Acabou! Acabou!!!
Ah, não, ainda não...
Algumas notas

Esta série de artigos tem gerado algumas dúvidas nos Leitores e também em quem escreve (eu!). Vamos ver algumas delas, em ordem de chegada. Mais ou menos. Aliás, não.

Fada do Bosque:
Não concordo que Aldous Huxley quisesse endoutrinar as pessoas para se tranformarem em apologistas da Nova Ordem, muito pelo contrário, ele quis na realidade alertar para o que o seu irmão, Julian Huxley [...] um eugenista ferrenho e seus compinchas estariam a fazer nesse campo. Bem sei que seu pai Thomas Huxley teve muita importância, mas não considero que os irmão sejam todos iguais... Quanto a Orwell, teve também um papel importante para abrir os olhos das pessoas, com o que estava a decorrer nos bastidores do poder.
Concordo.
É verdade que este parece um caso de tara genética, mas tal como no caso de Orwell, não parece existir admiração no mundo "inventado", bem pelo contrário...

Anónimo:
Ja ouvi dizer que muitos dos que participam ou participaram do plano para Nova Ordem Mundial, sinceramente acham que estão fazendo a coisa certa, a melhor coisa para o mundo e a humanidade.

Infelizmente, acho que muitos deles pensam assim, apesar de fazerem o que fazem, acham que estão certos em suas politicagens. Mas isto é totalmente insano e paradoxal. Assim como a mente de um comunista revolucionário.

Um exemplo disso seria, planejar um mundo de atitudes éticas, mas a execução deste plano é montada e feita quase inteiramente de atitudes anti-éticas. Ou seja querem uma coisa mas fazem outra, se contradizem em nome do objetivo que julgam ser perfeito. E por causa disso, se acham superiores que os outros. Eles sinceramente se acham superiores por terem que fazer estes sacrifícios anti-éticos.

Um paradoxo.
É triste, é insanidade mental.
Concordo.
A ideia duma nova humanidade pode não ser má, aliás, seria preciso repensar muitos dos princípios que regulam o nosso mundo. E um planeta mais consciente, a nível global, dos próprios problemas e capaz de profundas cooperações entre as várias partes é algo de desejável.

Mas aqui o primeiro dos problemas é quem está a propor esta nova ordem, os meios utilizados e os fins: que não parecem mesmo ser "ao serviço" de toda a humanidade, mas apenas de poucos.

Anónimo:
Olá,

muito bom seu texto, com muitas peças do gigante puzzle. mas falta aí uma das mais importantes. A família real inglesa, onde a rainha de Inglaterra é a maior proprietária de terras do planeta.

Não sei ainda como relacionar essas peças todas com esta ultima que citei, mas acho que ao descobrir esse elo os restante aparecerão por acréscimo.

Cumprimentos e parabéns pelo seu trabalho
Obrigado pelas boas palavras, embora o texto não seja de minha autoria: eu limitei-me a traduzir e a acrescentar algumas partes (poucas). Meu trabalho será, pelo contrário, tentar reduzir isso numa espécie de gráfico ou umas biografias para reunir todas as "peças", mas ainda não sei.

E sim, de facto fala-se muito pouco dos Windsor e das posses desta família, assim como os Rothschild aparecem apenas no início. Esquisito, pois a família real inglesa desenvolve um papel de primeiro plano (para quem conhece um pouco de história contemporânea italiana: ver Massimo D'Alema no navio Britannia
enquanto recebe ordens da Rainha...).

Quanto aos Rothschild, bom, é só observar o papel deles na história dos últimos 250 anos.

Ricardo:
Uma coisa bizarra e, pelo menos na parte do Brazil que eu vivo, muito importante... são essas sociedades (e como a fada levantou, as ONGs)... eu sou neto de maçons, tanto por parte de pai como de mãe... mas nenhuma parte da família foi responsável pela construção do estado o qual eu moro... que assim como os estados deles, é repleto da simbologia maçônica.

Já participei como convidado de ritual em uma loja daqui. Minha infância participei de festas em Lyons club... já entrei em Rotary Clubs...

Eu acho que a teia da nova ordem mundial é muito complexa e muito grande... ao ponto que, de fato, todos nós somos responsáveis por ela... cada um influencia um pouco... não existe uma decisão unilateral... não é uma pirâmide perfeita que tenha um topo composto por uma ou muito poucas pessoas...
Ricardo foi banido do blog, todos os comentários dele foram apagados e nem quero ouvir falar de alguém com este nome :)

Agora, a sério: uma das coisas que gostei desta série foi o facto de ter "esquecido" os Maçons, pois o risco quando se fala de NWO é de cair nas histórias de sempre: os símbolos, os Templários, os Huguenotes, as Lojas, etc. etc. Tudo muito pitoresco, mas aqui falamos de algo de mais concreto: dinheiro, um oceano de dinheiro, os recursos do planeta nas mãos dum punhado de homens.

Com isso não estou a dizer que os Maçons não tenham nada a ver com o assunto principal, isso pode não ser e nem conheço muito acerca deles.
Pode ser que a Maçonaria compartilhe alguns princípios da Nova Ordem Mundial, não nego isso: mas ao procurar, dia após dia, para tentar perceber um pouco mais a nossa sociedade do ponto de vista do poder e das riquezas, é muito mais frequente encontrar as grandes famílias de banqueiros, servidores públicos ligados ao banqueiros, decisões políticas ligadas aos banqueiros.

Muitos bancos e poucos Maçons: eu acho que isso significa alguma coisa.
Eu acho que a teia da nova ordem mundial é muito complexa e muito grande... ao ponto que, de fato, todos nós somos responsáveis por ela... cada um influencia um pouco
Verdade: é uma teia grande e parte da responsabilidade é nossa também, não podemos negar isso.
... não existe uma decisão unilateral... não é uma pirâmide perfeita que tenha um topo composto por uma ou muito poucas pessoas.
Esta é a única parte com a qual não concordo. Ricardo é banido outra vez. :)

Outra vez, Fada do bosque (mas qual bosque???):
Ainda agora estive a pensar na resposta que me deixou o Embaixador português em França no seu blogue, sobre as teorias da conspiração.
Claro que considero uma pessoa extremamente recta e de bom carácter, sigo o blogue dele há quatro anos e não tenho tido dó nem piedade nos comentários que lá deixo, pois sei ser um blogue muito "frequentado".
Nunca me moderou ou reteve um comentário, mas hoje disse algo muito simples, que me fez pensar duas vezes no papel de cada um em relação a tais teorias: Foi absolutamente devastador para quem pensa como eu [...].
Interessante, sem dúvida. Uma resposta sibilina que pode significar tudo e o contrário de tudo.
Sinceramente, não sei que dizer.

Walner:
Li em algum lugar, não me lembro onde, que as pessoas têm em seu código genético uma predisposição ao pensamento de esquerda, digamos assim. Tocava em mim uma espécie de orgulho de meus genes serem de uma estirpe vermelha.

Bem, toda vez que alguém vinha com este papo de que a revolução bolchevique fora alimentada pelos banqueiros, em mim provocava um incomodo, para logo após, surgir uma firme convicção de que se tratava de um absurdo.
Daí vinha uma atenuante daquelas apaziguadoras de consciências: "claro, os caras estavam a financiar apenas para lucrarem depois de alguma forma. Eram e são capazes de vender até a mãe!", ou alguma idiotice do tipo.
Com o tempo assimilei a ideia de que o comunismo na sua vertente soviética, era um erro e uma propaganda contra o regime. Agora, lendo estas 3 primeiras partes desta síntese que você nos brinda com o costumeiro apuro, sinto todos os meus genes, que fumam charutos cubanos, se contorcerem de dor. Minha pergunta é: será que o desenrolar deste novelo chegará à Fidel? Não que a ilha seja o projeto perfeito e acabado de socialismo.

O socialismo sendo a mola para implementação de um projeto totalitarista orwelliano, através das instituições financeiras, ícones máximos do capitalismo dito selvagem? Jamais suspeitei. Na inocência dos meus quase 50 anos, ao escutar uma tese destas, só me restava torcer o nariz e sair de banda. "Estes teóricos conspiracionistas...!"

Max, não há a menor chance das tuas fontes serem a Margareth ou o Ronald, ou ainda, o Krugman? Que faço dos meus genes, que na meia idade descobrem que sempre foram vistos como massa de manobra pela elite globalista?

Bom, na verdade, com o passar dos anos, meus genes leninistas/marxistas foram batendo em retirada e me aproximei mais do pensamento de Bakhunin e sua tese libertária. Rá, rá...! Agora quero que alguém me diga que estes meus outros genes também servem à causa dos globalistas!
Penso seja preciso distinguir, um pouco como quando se fala da Igreja.
Ao falar mal da Igreja falamos de quem? Das pessoas em boa fé (em todos os sentidos), da mensagem de Cristo ou da hierarquia do Vaticano? Porque não são as mesmas coisas.

Eu acho que ninguém com um mínimo de raciocínio possa falar mal da mensagem de Cristo. Mas quando falamos do Vaticano, bem pelo contrário...
Com o Comunismo é o mesmo: a teoria Comunista não é uma má teoria (na minha óptica é simplesmente uma utopia, o que não significa que seja má de todo), mas a União Soviética, assim como a Coreia do Norte, Cuba ou a Venezuela são outras coisas. E o facto que alguém possa ter-se aproveitado duma teoria não significa que a mesma seja negativa.

O caso do WWF é esclarecedor: quem não ama a Natureza? Acho que todos gostamos dela e desejamos protege-la. O facto que elementos do NWO estejam a explorar esta organização não torna má a ideia de proteger a Natureza.

Mas os genes de Walner não estão ao serviço do globalismo: estão ao serviço de quem deseja uma sociedade mais justa, por isso melhor cuidar deles.

Eu também fiquei surpreendido após ter lido dos Bolscheviques financiados pela JP Morgan. Mas temos de ser objectivos e admitir que muitos trechos de 1984 de G.Orwell tinham muito em comum com a antiga União Soviética: esta, incidentalmente, é uma das razões pelas quais acho o Comunismo uma utopia, pois é muito fácil que no processo para alcançar o Socialismo/Comunismo haja uma descarrilamento autoritário.

Orwell foi grande porque percebeu que a obra dele poderia ser utilizada como forma de propaganda: e por isso foi hábil em misturar elementos comunistas e fascistas, sem nunca citar directamente um ou outro. O resultado é a visão duma sociedade que preocupa os contemporâneos, pois nela podemos ver um dos possíveis futuros.

Bakhunin? Percebo, percebo muito bem, pois já sei que cedo ou tarde Max também descobrirá o anárquico que está escondido nele.

E podia faltar ela? Não, não podia :)))

Maria:
acho que compreendo os teus genes e me solidarizo com eles. Até porque os meus também já passaram por experiência semelhante a tua.
É difícil sentir as ilusões ir se esfarelando uma a uma. Como eu tenho uns 10 anos de vantagem sobre ti, deixa-me dizer uma coisa: dessa família de anarquistas clássicos (Bakunin, Malatesta,Kropotkin...) li bastante, digamos tudo que encontrei pela frente, e acreditei até porque li também as vidas dessa gente, os prós e contras,as circunstâncias e a época.
E cheguei a conclusão que era uma gente mais decente que a família Marx e entorno. Mas o que esse povo pensou, agiu, escreveu e o que foi feito usando a palavra deles lá vai uma diferença brutal, atravessada por tudo o que o Max nos descortina. Faz tempo já larguei de pensar os pensadores e passei a investigar os fazedores.
E, entre anónimos, sem fama e sem glória nem martírios, encontrei os que julgo melhores. Até porque, um dia me dei conta que todo aquele que aparece tem por trás uma mola propulsora da qual, no mínimo, se deve desconfiar. Desculpa-me se jogo mais areia nos teus olhos, mas queria compartilhar contigo essa experiência.
Por uma vez não concordo com Maria, e vou marcar isso no calendário pois é evento bem raro.
Eu não sou Comunista, nunca fui e nem desejo ser pois vejo falhas nas teorias de Marx e companhia (opinião pessoal, claro). Mas percebo quem goste dos princípios e, como afirmado antes, não acho que estes sejam apenas "areia nos olhos".

"Areia" seria continuar a sonhar com a revolta da classe proletária, isso sim, pois os tempos mudaram e a sociedade de hoje tem pouco em comum com aquela do 1848: não é possível ficar agarrados a uma teoria de 160 anos atrás numa sociedade que muda com a mesma velocidade da luz.

Mas será que no Comunismo não há nada, mesmo nada de bom? Não podemos pensar uma coisa destas, não seria possível uma teoria ter conseguido fascinar centenas de milhões de seres humanos sem ter princípios válidos.
Por isso não podemos dizer simplesmente "estava tudo errado" e deitar tudo no lixo: algo de bom pode e deve ser retido.

O mesmo se passa com o Capitalismo (a versão clássica, entendo, não a aberração destes dias): talvez uma estrada possa ser esta, tentar reter o melhor das velhas teorias para chegar a algo de novo.

Mas não contem comigo, pois são 2 da manhã e tenho que dormir.

Ah, o autor da série original: Pierre Hillard, professor de Ciências políticas e escritor.
O quê? Um francês conseguiu escrever algo de jeito? Pois, ao que parece...mas isso confirma a minha ideia: não é um escrito perfeito :)

Eis o link: Voltaire Net

As outras partes:
Nova Ordem Mundial Parte I
Nova Ordem Mundial Parte II
Nova Ordem Mundial Parte III
Nova Ordem Mundial Parte IV


Ipse dixit.

22 comentários:

  1. maria16.9.11

    olá Max: a expressão areia nos olhos que eu usei quando conversava com um dos teus comentaristas tem a ver com o desgosto que a gente sente (ele e eu também) quando constata a distância entre as teorias político-sociais, seus princípios e tal e a dura realidade da sua suposta demarche.
    Também acho que todas estas utopias (comunismo, anarquismo, liberalismo) têm belos princípios aproveitáveis. Mas que fazem chorar, como areia nos olhos, quando se percebe que o liberalismo político combinou-se com um capitalismo truculento que afunda o mundo na miséria da maioria e a super riqueza de poucos,substituiu as potencialidades da democracia pelo terrorismo de estado; que o socialismo afundou no autoritarismo, deu crias como fascismo e nazismo e nunca chegou nem perto de ser comunismo; que o anarquismo perdeu-se em meio a divergências de uma revolução social de curto verão,lá onde tentou realizar-se.E nisso, acho que tu, eu e quase toda gente concorda.
    Até mesmo a idéia federalista (de matiz anarquista) reinventada por esses grupos de poder que dominam o nosso triste mundinho pode ser uma boa idéia, desde que partindo da organização local pelos interessados, ou seja, o povo das localidades que nessa idéia vislumbrassem uma forma de organização político social benéfica para a maioria. Mas, por suposto não é disso que estão a por em prática os donos do poder, como tu, o Burgos e um que outro blog que leio escancaram.
    Desculpa se não me fiz entender,mas aproveito a ocasião para insistir em te perguntar se um próximo desdobramento das práticas contemporâneas de uma nova, não tão nova ordem mundial não poderia ser abocanhar países com recursos e divisas como Argélia, Venezuela, Irã, e porque não Brasil, a exemplo do que foi feito na Libia, sob pretextos humanitários e/ou ecológicos? Não tenho grandes argumentos para sustentar esta hipótese, mas esta impressão me persegue. Por isso gostaria da tua opinião, porque ela é sempre sustentada por argumentação objetiva. Abraços

    ResponderEliminar
  2. Isso tudo que você coloca Max é um repensar total em muitas coisas que acreditava.
    Um escritor que muito me impressionou nesse meu tempo de buscas foi Serge Hutin (Governantes Invisíveis).
    Agora tenho que assimilar isso tudo, e tentar com a tua ajuda Max e de todos aqui, saber como podemos nos livrar disso, digo, como fazer a minha mísera parte nisso tudo?
    Será que ainda temos tempo para alguma coisa, ou é melhor deixar tudo para o tal do "Elenin"? Ou ficar sentado, assistindo a derrota cerebral dos seres humanos?

    ResponderEliminar
  3. Ricardo16.9.11

    Hehehehe... agora que estou banido... posso mudar de nome... hehehe... enfim... tanto comentário bom que fiz nesse blog e o mais confuso é que foi publicado! Heheheh...

    Logo após esse comentário fiz outro, falando que eu tentando conversar à sério com um conhecido ele já evocou as 13 famílias e os templários... também odeio essa áurea mística que querem colocar na nova ordem mundial.

    Eu já trabalhei na ONU (Sociedade da Informação), em uma ONG (Fundação André Tosello), já tive outra como cliente (Fundação Roberto Marinho)... eu já cuidei da aplicação de fundo perdido do FMI (e vi o desvio de 700 mil dólares feito por um japonês que naquele momento já havia almoçado com mais de 20 presidentes ao redor do mundo), quando resolvi mudar de vida... já fiz a besteira de colaborar para o WWF e para o Greenpeace... essas coligações todas que essas pessoas fazem são muito poderosas. Quando falei da maçonaria construindo o brasil, não é especulação, é que todo mundo era religioso, e todo mundo com poder de decisão (rico) era maçom. Meu avô construiu uma cidade praticamente inteira só com o dinheiro dos velhos do Lyons Club da cidade... sem 1 centavo do governo... sei lá...

    ... como você disse, "muitos bancos e poucos maçons"... só coloquei (SEM MISTICISMO) a Maçonaria como apenas mais uma ferramenta, como o Council of Foreign Relations, Clube de Roma e as diversas fundações... formas de se fazer acordos e tomar decisões sem câemeras, mídia ou eleitores...

    Você levantou muito bem os nomes das pessoas envolvidas... tenho 100% de certeza que quando essas pessoas que "movem a economia" se reunem, não há nada de místico ou religioso sendo discutido...

    Você meesmo levantou as pessoas que desejavam a união européia liderada pela alemanha... e um dos princípios deles, que eu saiba, era a intervenção do estado na economia e eram contra o liberalismo econômico... por isso reafirmo que não há decisão unilateral... são muitas elites, muitas opniões contrárias... e há sobe e desce... há inimigos reais...

    Mas eu queria a bibliografia dessas coligações que você levantou aí! :)

    ResponderEliminar
  4. Ricardo16.9.11

    Retiro... agora que li o que vinha embaixo do meu post.... a bibliografia! :)

    ResponderEliminar
  5. Este texto é tão manipulado com a fotografia que o ilustra. E revela no último capítulo, a intenção que o norteia, que é a destruição e descredibilização da Igreja Católica através da mentira, que é a causa da Maçonaria.
    Vocês rejeitam assim tanto a Nova Ordem Mundial? Não me parece, pois dão-se muito bem com a globalização política e social, excepto a religiosa - que chegou já há mais de 1700 anos!

    ResponderEliminar
  6. digo, "...como a fotografia..."

    ResponderEliminar
  7. Olá Paulo L.!

    "Texto manipulado"? Que significa isso? Não foi manipulado, foi traduzido por mim, enqaunto a última parte responde a perguntas e observações dos Leitores.

    E nem a fotografia é manipulada: é o Papa atingido por uma rajada de vento, não há nada para manipular.

    Neste blog pode encontrar muitos textos traduzidos dos quais não partilho o conteúdo. Aliás, parece-me um ponto em favor do blog que, desta forma, não apresenta apenas um único ponto de vista.

    Mas, pelo visto, tenho que mudar de rumo: apenas textos que não contrariem a visão dos fieis. Melhor assim?

    Outra curiosidade: das 5 páginas acerca da Nova Ordem Mundial, você encontra algo de torto só quando o assunto for a Igreja Católica?

    Abraço!

    ResponderEliminar
  8. voz a 0 db15.5.12

    Eu não digo... A religião atrofia os cérebros!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo15.5.12

    Um ramo dos Iluminados da Baviera que, nessa época era conhecido pelo nome de “Liga dos
    Justos” (League of the Just) e que saiu de um dos grupos secretos revolucionários francês com muito
    sucesso, a “Companhia das Quatro Estações”, recebeu dois novos membros, o judeu Moses Modechai
    Marx Levi (aliás Karl Marx) e seu amigo Friedrich Engels, filho de um industrial. Os dois escreveram mais
    tarde, para a Liga dos Justos, o “Manifesto do Partido Comunista”. Uma parte do manifesto era de sua
    lavra, a maior parte refletia, entretanto, a ideologia da “Liga dos Justos” e a de outras sociedades
    secretas francesas que se opunham à França com idéias revolucionárias.
    Gary Allen escreveu a esse respeito:

    De fato, o “Manifesto do Partido Comunista” estava já em circulação desde muitos anos, bem
    antes do nome de Karl Marx ser conhecido a ponto de poder ser utilizado para esse manual
    revolucionário. Tudo o que Marx realmente fez foi modernizar e codificar os projetos dos
    princípios revolucionários que tinham sido colocados por escrito 70 anos antes por Adam
    Weishaupt, o fundador dos Iluminados da Baviera. (Die Insider, p.32)

    Nada mais se oporia, agora ao “combate contra o capitalismo”. Marx conseguiu modificar com
    seu espírito brilhante a imagem da “Liga dos Justos” tão bem que ela mudou de nome e se tornou em
    1847, a “Liga dos Comunistas”.
    Aqui aparece claramente como os Iluminados da Baviera criaram na Inglaterra e na América os
    sistemas “capitalistas” tão bem como os “anti-capitalistas”, as vezes mesmo comunistas, o que lhes
    permitiu utilizar o conflito que disso resultou de forma maquiavélica; eles conseguiram manter a
    humanidade numa discórdia constante e numa perfeita confusão.

    No fim do século XIX, o único obstáculo real que impedia os
    Illuminati de controlar o mundo era a Rússia czarista. Em 1881, Theodor Herzl fundou o “Movimento
    Sionista” em Odessa, na Rússia, com a finalidade de criar uma pátria para os judeus na Palestina.
    Em 1916, Jacob Schiff, presidente da Khun Loeb & Co. Bank foi escolhido por ocasião de uma
    reunião do “B' nai B' rith” em Nova Iorque para presidente do “Movimento Sionista (revolucionário) na
    Rússia”. Em 13 de janeiro de 1917, o judeu Leon Trotski (aliás Bronstein) chegou aos Estados Unidos e
    recebeu um passaporte americano. Foi visto ocasionalmente penetrar na residência muito luxuosa de
    Jacob Schiff.
    Schiff e Trotski trocaram idéias sobre as perturbações sionistas na Rússia e também sobre as
    lições que haviam tirado do malogro da queda do czar. Jacob Schiff financiou o treinamento dos
    “rebeldes trotskistas” composto principalmente de judeus dos bairros do Leste de Nova Iorque. Sua
    preparação teve lugar na propriedade da Standard Oil Company de Rockefeller em New Jersey. Assim
    que eles estavam bem treinados para fomentar guerrilhas, os rebeldes trotskistas deixaram os Estados
    Unidos munidos de uma soma de US$ 20 milhões em ouro que Jacob Schiff lhes havia remetido.
    O navio “S. S. Kristianiafjord” levou-os para a Rússia para prepararem o acontecimento da
    “revolução bolchevista”. Trotski e Lênin estavam em conluio, por intermédio de Bruce Lockheart, com o “Comitê dos 300”.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo15.5.12

    A maior parte dos historiadores está de acordo quanto ao fato de que a causa da guerra não
    passou de uma simples diferença entre a Áustria e a Sérvia.

    O assassinato do arquiduque Franz
    Ferdinand, que deveria suceder ao trono da Áustria, e de sua esposa Sophia, executado pelos sérvios da
    sociedade secråta oculta “Mão Negra” em Sarajevo, desencadeou a Primeira Guerra Mundial. Os
    poderes invisíveis usaram esse atentado para realizar a guerra mundial que Albert Pike havia anunciado
    há mais de 40 anos.
    Conhecemos, no conjunto, o desenrolar das batalhas, não vou examinar pois o que se passou no
    lado da Rússia. Se bem que a Rússia possuía o maior exército do mundo, ela possuía um equipamento
    de miséria para fazer face a um grande conflito. Antes de estourar a guerra de 1914, a coroa britânica
    tinha assegurado à Rússia seu auxílio total e de seu sustento militar em caso de guerra. No início da guerra, essa assistência se encontrava reduzida a 10% dos auxílios dados antes da guerra.
    É evidente que os detentores dos monopólios do dinheiro, em perfeito acordo com o plano descrito por Pike,
    queriam mergulhar a Rússia numa situação muito perigosa. Ao mesmo tempo, enquanto milhões de
    russos já haviam tombado nas batalhas, os agentes de Rothschild tinham realizado um bom trabalho,
    acentuando a situação já desatrosa dos russos. A filosofia dos Illuminatti se alimenta da miséria e da insegurança, e seus esforços foram recompensados; a cena estava aberta para uma revolução que
    deveria acontecer após a derrota sofrida pelos alemães.

    A revolução estourou em fevereiro de 1917, o czar foi destronado, e o príncipe Georgi Luwow se
    encarregou dos negócios de Estado num governo provisório que não teve êxito, portanto, não impedindo
    que o país afundasse na decadência. Gostaria, presentemente, de retomar o capítulo: “A revolução
    bolchevista e seus segredos” no momento em que Trotski e seus rebeldes deixaram Nova Iorque no S.
    S. Kristianiafjord com US$ 20 milhões em ouro.

    O vapor fretado por Jacob Schiff foi retido em 3 de abril de 1917 pelas autoridades canadenses
    em Halifax, na Nova Escócia. Podia-se acreditar que o plano dos Illuminati estava condenado ao
    fracasso. Mas Jacob Schiff usou de sua influência e a de seus amigos entre os Illuminati no governo
    americano e na Inglaterra tão bem que a viagem pode retomar seu rumo pouco depois.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo15.5.12

    Chegando à Europa, Trotski foi diretamente para a Suiça, para lá encontrar Lênin, Stálin,
    Kagonowitsch e Litwinow, a fim de regulamentar os detalhes de sua estratégia. É interessante notar aqui que os representantes eminentes e os agentes de todas as nações participantes da guerra podiam encontram-se abertamente num país neutro, a Suiça. A Suiça existe, na sua forma atual, desde 1815, ano do congresso de Viena, quando lhe haviam assegurado uma neutralidade permanente. Um acaso?
    Ou então um lugar tão seguro e tão pequeno no centro da Europa que se presta perfeitamente para os
    planos daqueles que vivem da guerra?

    Os conspiradores viram-se então obrigados a resolver o seguinte problema: como dirigir-se da
    Suiça para a Rússia com os rebeldes e seus armamentos? A solução foi dada pelo agente dos
    Rothschild, dirigente da polícia secreta alemã: Max Warburg. Ele amontoou-os todos num vagão de
    estrada de ferro lacrado e encarregou-se de sua travessia até a fronteira russa. Quando o trem parou pela primeira vez na Alemanha, dois oficiais alemães subiram para escoltá-los. Eles haviam recebido ordem do general Erich Ludendorf. Max Warburg era irmão de Paul Warburg, primeiro presidente do Federal Reserve Bank.
    Em julho de 1917, o complô sustentado pelos banqueiros internacionais sofreu um início de revés de fortuna. Lênin teve de fugir com alguns outros para a Finlândia. Em compensação, em novembro de 1917, seus esforços foram definitivamente coroados de sucesso. Se tomarmos em consideração o sustento financeiro que juntou-se à formação recebida em Nova Iorque, não há do que espantar-se. Por 48
    ocasião da sangrenta guerra civil que sucedeu à revolução bolchevista, Lênin era o chefe incontestável das atividades políticas, e Trotski foi encarregado da parte militar da organização, que era, de fato, o
    “Exército Vermelho”. Esse nome do “Exército Vermelho” (tradução literal: escudo vermelho) não é um
    nome dado sem razão ou encontrado por acaso. O “Exército Vermelho” bolchevista sob a direção de
    Trotski era o instrumento mortal dos banqueiros internacionais, eles mesmos sob o domínio dos
    Rothschild.

    Que esse exército usasse o emblema ou o escudo vermelho não poderia ser mais que adequado.
    Entretanto, e isso tornou-se um fato histórico, a maioria dos rebeldes sob o comando de Lênin era judia. O Times escreveu também em 24 de março de 1919: “uma das características mais interessantes do movimento bolchevista é a alta porcentagem de elementos não-russos na equipe dirigente. Sobre mais
    ou menos trinta comissários ou dirigentes que formam o aparelho central bolchevista 75% pelo menos
    são judeus”.

    Segundo os escritos do general A. Nechvolodov, os serviços secretos franceses verificaram que
    Jacob Schiff havia dado diretamente outros US$ 12 milhões aos revolucionários russos. Esse general cita como outros financiadores da revolução bolchevista: Felix Warburg, Otto Khan, Mortimer Schiff, Jerome H. Hannauer, Max Breitung nos Estados Unidos e Max Warburg, Olaf Aschburg e Jivtovsky na Europa.

    O embaixador do império russo nos Estados Unidos, Bakhmetiev, explica que, após a vitória
    bolchevista, 600 milhões de rublos em ouro foram transferidos da Rússia para o Khun Loeb Bank em
    Nova Iorque entre 1918 e 1922. O livro Der plombierte Zug (O trem blindado), de Michael Pearson, prova que - segundo os dados do Ministério das Relações Exteriores - até 5 de fevereiro de 1918, os alemães puseram 40.580.997 marcos alemães à disposição para a propaganda na Rússia e para “fins
    particulares”. No mesmo documento, é dito que o tesouro alemão havia liberado cerca de 15 milhões de
    marcos para a Rússia no dia seguinte ao da tomada do poder por Lênin.

    O massacre sangrento sofrido por milhões de russos e a escravidão de milhões de outros seres humanos não interessou nem um pouco aos banqueiros internacionais, que só tinham uma finalidade em mente:
    o domínio do mundo.

    ResponderEliminar
  12. Anónimo15.5.12

    A declaração Balfour

    A instauração do regime de marionetes sob Lloyd George em Londres provocou uma reviravolta
    na política oficial contra o sionismo. Isso repercutiu fortemente quando o novo ministro das relações exteriores, Arthur Balfour, escreveu a seguinte carta, em 2 de novembro de 1917, a Lionel Rothschild:

    Caro barão Rothschild,
    Tenho o prazer de transmitir-vos em nome do governo de Sua Majestade sua nota de
    simpatia pelas aspirações judias sionistas apresentadas ao assentimento do gabinete
    que as aprovou. O governo de Sua Majestade considera favoravelmente o estabelecimento na Palestina
    de uma pátria nacional para o povo judeu e empregará todos os seus esforços para facilitar a realização desse objetivo, ficando entendido que nada será feito que possa prejudicar os direitos civis e religiosos das comunidades não-judias na Palestina, assim como com os direitos e o estatuto político dos quais os judeus poderiam usufruir em em qualquer outro país.
    Ser-vos-ei reconhecido por fazer chegar esta declaração ao conhecimento da organização sionista. Com minhas sinceras saudações,
    Arthur James Balfour

    É interessante saber que no momento em que a carta foi escrita, a Palestina era ainda um território turco. Eis aí uma nação que promete um país que é propriedade de uma segunda nação a uma terceira nação.

    Alguns anos mais tarde, os turcos foram vencidos e a Inglaterra obteve o controle sobre o Egito e
    a Palestina, a França sobre o Líbano e a Síria. Rothschild tomou parte ativa nessa transação: ele serviu-se de sua influência nos Estados Unidos para implicar este último, ao lado dos Aliados, na Primeira Guerra Mundial, e isso numa época na qual os Aliados não se encontravam numa posição de força em relação à Alemanha e à Turquia.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo15.5.12

    ...Era evidente que os acordos de Versalhes se desenrolaram também segundo os planos dos
    Rothschild. Do lado americano se encontravam Woodrow Wilson, o marionete dos Rothschild, com seus
    conselheiros e os agentes de Rothschild: o coronel House e Bernard Baruch. Do lado inglês, mais exatamente do lado da “Coroa”, tinha Lloyd George, membro do “Comitê dos 300” com seu
    conselheiro Sir Philip Sassoon, descendente direto de Amschel Rothschild e membro do Conselho de
    Estado secreto inglês, Privy Council. A delegação francesa era representada pelo Primeiro ministro
    Clemenceau e George Mandel. Mandel, nascido Jerobeam Rothschild, que foi freqüentemente
    designado como o “Disraeli” francês, completava bem o quadro. Foi para o coronel House, no apogeu
    de seu poder nesse momento, que os olhares se voltaram durante a conferência da paz em Versalhes.
    Clemenceau encontrou-se, um dia, junto a House quando justamente o presidente Wilson também ali
    estava. Wilson teve que retirar-se desse lugar para não atrapalhá-los e permitir-lhes manter a
    conversação com tranqüilidade. O tratado de Versalhes é descrito assim por Philip Snowden:

    O tratado deveria satisfazer aos corruptos, aos imperialistas e aos militares. Ele dá um golpe
    mortal a todos os que haviam esperado que o fim da guerra trouxesse a paz. Não é um
    contrato de paz, mas, ao contrário, a declaração de outra guerra.52
    Ele traiu a democracia e todos os que morreram na guerra.
    O tratado revela os verdadeiros fins dos Aliados. (Empire of “The City”, p. 42)

    A esse respeito Lloyd George afirma:

    Temos um documento escrito que nos garante uma guerra em vinte anos. Se eles impuseram condições a um povo (Alemanha) que não tem possibilidade de corresponder (a essas condições), eles o obrigam a romper o tratado ou a fazer guerra. E nós esclarecemos, desde então, os que tramaram os acordos de Versalhes e as finalidades que eles desejavam. Alguns ignorantes podem, talvez, continuar a negar a autenticidade dos “Potocolos dos Sábios de Sião”, mas, mesmo com a melhor boa vontade, não se pode dizer que foi por acaso que os agentes de Rothschild se encontravam presentes por ocasião do tratado de Versalhes...

    ResponderEliminar
  14. Anónimo15.5.12

    O que nos rendeu a Segunda Guerra Mundial?

    Do ponto de vista humano, foi um desatre sem circunstâncias atenuantes. Do ponto de vista dos
    Illuminati, foi um sucesso sem contestação. Essa guerra, com seus 30 milhões de mortos estimados -
    Soljenitsyn fala de 100 milhões - representa, evidentemente uma parte do programa de saneamento
    mundial dos Illuminati, cuja meta suprema é a criação da Novus Ordo Seclorum, da “Nova Ordem
    Mundial” de Weishaupt.

    Para os Illuminati Lênin era na Rússia a pessoa perfeita. O comunismo fez o papel do florete no
    desenrolar político e psicológico dos acontecimentos, isto é, os conspiradores utilizaram o comunismo como a “besta negra” para constranger as nações ocidentais a fazer concessões e a assumir obrigações que eram contrárias a seus próprios interesses.

    No início dos anos 20, Lênin anunciou ao mundo os projetos futuros dos Illuminati:

    Ocuparemos primeiro a Europa oriental, depois todos os países da Ásia.

    Sua finalidade foi conquistada graças à Segunda Guerra Mundial. Alguns anos mais tarde, foi a
    vez da maior parte da Ásia. A debandada do Vietnã foi um dos elementos dessa operação. A
    Segunda Guerra Mundial rendeu ainda mais para os Illuminati. As grandes fendas da antiga ordem
    mundial vieram à tona, e os fundamentos financeiros e sociais da moral tradicional ficaram abalados.

    A América, cuja segurança jamais foi contestada, nem antes nem durante a guerra, encontrou-se presa na engrenagem da política mundial, constrangida a renunciar a sua própria política. Essa guerra custou aos Estados Unidos US$ 400 bilhões e elevou a dívida de Estado a US$ 220 bilhões.

    Isso tornou os Estados Unidos prisioneiro das garras dos banqueiros internacionais. A guerra
    aplainou o caminho para a expansão do comunismo, que se expandiu como uma doença na Inglaterra e nos Estados Unidos. Ela preparou também o caminho para a criação da ONU em 1945, cuja sede principal estava num terreno doado por Rockefeller em Nova Iorque. Entre os membros fundadores
    da ONU, pelo menos 47 faziam parte do CFR.
    A ONU é a maior loja franco-maçônica internacional do mundo, como o indica claramente
    seu emblema.

    É um símbolo franco-maçônico, assim como o grande selo sobre as cédulas de um dólar
    americano.

    É muita coisa para colocar aqui,
    mais uma vez, indico o link, para quem ainda não leu:

    http://nacional-socialismo.com/As%20Sociedades%20Secretas.pdf

    ResponderEliminar
  15. Anónimo15.5.12

    Qual o envolvimento da maçonaria nisso tudo?

    Leia "uma pequena parte" abaixo:

    O Conselho dos 33: Nele estão representados os franco-maçons dos graus mais elevados do
    mundo da política, da economia e da Igreja. Eles são a ELITE e estão ACIMA do “Comitê dos 300”.(Segundo Todd e Coralf).

    O Comitê dos 300: Criado em 1729 pela BEIMC (Briitsh East India Merchant Company) para
    ocupar-se dos negócios bancários e comerciais internacionais e sustentar o tráfico de ópio; o
    “Comitê dos 300” é dirigido pela coroa britânica. Ele representa o sistema bancário mundial em
    sua globalidade e conta, ainda, com os representantes mais importantes das nações ocidentais.

    Todos os bancos estão ligados aos Rothschild pelo “Comitê dos 300”.

    Dr. John Coleman publicou em seu livro Conspiratiors Hierarchy: The Committee of 300 (A hieraquia dos conspiradores: o comitê dos 300.) os nomes de 290 organizações, 125 bancos assim como os 341 membros atuais ou antigos do comitê dos 300; abaixo revelo alguns nomes:

    Balfour, Arthur;
    Brandt, Willy;
    Bulwer-Lytton, Edward (autor de The Coming Race);
    Bundy, McGeorge;
    Bush, George;
    • Carrington, Lord;
    • Chamberlain, Huston Stewart;
    • Constanti, casa dos Orange;
    • Delano, família (Frederic Delano foi membro do comitê diretor do Federal Reserve);
    • Drake, Sir Francis;
    • Du Pont, família;
    • Forbes, John M.;118
    • Frédéric IX, rei da Dinamarca;
    • George, Lloyd;
    • Grey, Sir Edward;
    • Haig, Sir Douglas;
    • Harriman, Averill;
    • Hohenzollern, casa dos;
    • House, coronel Mandel;
    • Inchcape, Lord;
    • Kissinger, Henry;
    • Lever, Sir Harold;
    • Lippmann, Walter;
    • Lockheart, Bruce;
    • Loudon, Sir John;
    • Mazzini, Giuseppe;
    • Mellon, Andrew;
    • Milner, Lord Alfred;
    • Mitterand, François;
    • Morgan, J. P.;
    • Norman, Montague;
    • Oppenheimer, Sir Harry;
    • Palme, Olof;
    • Princesa Beatrix;
    • Príncipe Rainier;
    • Rainha Elisabeth II;
    • Rainha Juliana;
    • Retinger, Joseph (Ratzinger?);
    • Rhodes, Cecil;
    • páginas 334/335/336
    Rockefeller, David;
    • Rothmere, Lord;
    Rothschild, barão Edmond de;
    • Shultz, George Spellman, cardeal;
    Thyssen-Bornemisza, barão Hans Heinrich;
    • Vanderbilt, família;
    von Finck, barão August;
    • von Habsburg, Otto;
    von Thurn und Taxis, Max;
    • Warburg, S. G.;
    • Warren, conde;
    • Young, Owen.

    As outras lojas dos Iluminados da Baviera são citadas no link passado acima.

    ResponderEliminar
  16. Mais tarde debruçar-me-ei sobre este assunto. Não vou vomentar dados históricos e penso que seria perca de tempo. Vou deter-me simplesmente no que sobressai do texto e que é aprovietado por essa social parasita que compreendeu a mensagem e de uma forma vil a faz passar, como a teroia do comunismo utópico da revolução francesa. Ao falar em globalização a primneira coisa que nos ocorre é a paz. Todos sabemos porquê. Ao pensar na paz esquecemos as vozes que se mascaram de um desejo tão proundo das populações como este. Depois, ligar este projecto bonito na palavra, venenoso na acção, às ambições dos povos - ecologia, repartição da produção, igualdade de deveres e oportunidades, etc - é chamar sobre os mesmo a atenção e conseguir aglomerar o poder das populações - o único poder motivador e transformador da sociedade. Se estiver ao lado do capital este garante a continuidade da fortuna de meia-dúzia e a escravatura dos demais. A cenourra à frente do burro!

    ResponderEliminar
  17. D I V I N A C O N V O C A Ç Ã O
    (MC.12.10) AINDA NAO LESTES ESTA ESCRITURA:(SL.108.7) DISSE DEUS NA SUA SANTIDADE: (ÊX.4.22) ISRAEL É MEU FILHO, MEU PRIMOGÊNITO; (IS.49.3) POR QUEM HEI DE SER GLORIFICADO: (IS.30.12) PELO QUE ASSIM DIZ O SANTO DE ISRAEL:
    Todo Cristão desperto deve ingressar no ciclo da Nova Ordem Mundial, que chega com a criação do Reino de Deus na terra:
    (MT.25.34) VINDE, BENDITOS DE MEU PAI! ENTRAI NA POSSE DO REINO QUE VOS ESTÁ PREPARADO DESDE A FUNDAÇÃO DO MUNDO: (JB.6.27) TRABALHAI, NÃO PELA COMIDA QUE PERECE, MAS PELA QUE SUBSISTE PARA A VIDA ETERNA, A QUAL O FILHO DO HOMEM VOS DARÁ; PORQUE DEUS, O PAI, O CONFIRMOU COM O SEU AMOR: (IS.42.21) FOI DO AGRADO DO SENHOR, POR AMOR DA SUA PRÓPRIA JUSTIÇA, ENGRANDECER A LEI E FAZE-LA GLORIOSA; (LC.12.32) PORQUE O VOSSO PAI SE AGRADOU EM DAR-VOS O SEU REINO; (1CO.15.45) POIS ASSIM ESTÁ ESCRITO: (JB.14.17) O ESPIRITO DA VERDADE, QUE O MUNDO NÃO PODE RECEBER, PORQUE NAO NO VÊ, NEM O CONHECE; VÓS O CONHECEIS, PORQUE ELE HABITA CONVOSVO E ESTARÁ EM VÓS; (PV.1.4) PARA DAR AOS SIMPLES PRUDÊNCIA, E AOS JOVENS CONHECIMENTO E BOM SISO; (1PE.4.17) PORQUE A OCASIÃO DE COMEÇAR O JUIZO PELA CASA DE DEUS É CHEGADA:
    (RM.13.11) E DIGO ISTO A Vós OUTROS QUE CONHECEIS O TEMPO, QUE JÁ É HORA DE VOS DESPERTARDES DO SONO; (2PE.3.4) PORQUE, DESDE QUE OS PAIS DORMIRAM, TODAS AS COUSAS PERMANECIAM COMO DESDE O PRINCIPIO DA CRIAÇÃO: (HB.5.11) A ESSE RESPEITO TEMOS MUITAS COUSAS QUE DIZER E DIFICIL DE EXPLICAR; PORQUANTO VÓS TENDES TORNADO TARDIOS EM OUVIR: (LC.16.9) E EU VOS RECOMENDO: Estudai e praticai os fundamentos cristãos, que temos divulgado através da internet, em particular no blog de Arnaldo Ribeiro ou Israel e no Site: arnaldoouisrael: (TB.5.21) FAZEI BOA JORNADA, E DEUS SEJA CONVOSCO NO VOSSO CAMINHO, E O SEU ANJO VÁ EM VOSSA COMPANHIA:

    ResponderEliminar
  18. D I V I N A C O N V O C A Ç Ã O
    (MC.12.10) AINDA NAO LESTES ESTA ESCRITURA:(SL.108.7) DISSE DEUS NA SUA SANTIDADE: (ÊX.4.22) ISRAEL É MEU FILHO, MEU PRIMOGÊNITO; (IS.49.3) POR QUEM HEI DE SER GLORIFICADO: (IS.30.12) PELO QUE ASSIM DIZ O SANTO DE ISRAEL:
    Todo Cristão desperto deve ingressar no ciclo da Nova Ordem Mundial, que chega com a criação do Reino de Deus na terra:
    (MT.25.34) VINDE, BENDITOS DE MEU PAI! ENTRAI NA POSSE DO REINO QUE VOS ESTÁ PREPARADO DESDE A FUNDAÇÃO DO MUNDO: (JB.6.27) TRABALHAI, NÃO PELA COMIDA QUE PERECE, MAS PELA QUE SUBSISTE PARA A VIDA ETERNA, A QUAL O FILHO DO HOMEM VOS DARÁ; PORQUE DEUS, O PAI, O CONFIRMOU COM O SEU AMOR: (IS.42.21) FOI DO AGRADO DO SENHOR, POR AMOR DA SUA PRÓPRIA JUSTIÇA, ENGRANDECER A LEI E FAZE-LA GLORIOSA; (LC.12.32) PORQUE O VOSSO PAI SE AGRADOU EM DAR-VOS O SEU REINO; (1CO.15.45) POIS ASSIM ESTÁ ESCRITO: (JB.14.17) O ESPIRITO DA VERDADE, QUE O MUNDO NÃO PODE RECEBER, PORQUE NAO NO VÊ, NEM O CONHECE; VÓS O CONHECEIS, PORQUE ELE HABITA CONVOSVO E ESTARÁ EM VÓS; (PV.1.4) PARA DAR AOS SIMPLES PRUDÊNCIA, E AOS JOVENS CONHECIMENTO E BOM SISO; (1PE.4.17) PORQUE A OCASIÃO DE COMEÇAR O JUIZO PELA CASA DE DEUS É CHEGADA:
    (RM.13.11) E DIGO ISTO A Vós OUTROS QUE CONHECEIS O TEMPO, QUE JÁ É HORA DE VOS DESPERTARDES DO SONO; (2PE.3.4) PORQUE, DESDE QUE OS PAIS DORMIRAM, TODAS AS COUSAS PERMANECIAM COMO DESDE O PRINCIPIO DA CRIAÇÃO: (HB.5.11) A ESSE RESPEITO TEMOS MUITAS COUSAS QUE DIZER E DIFICIL DE EXPLICAR; PORQUANTO VÓS TENDES TORNADO TARDIOS EM OUVIR: (LC.16.9) E EU VOS RECOMENDO: Estudai e praticai os fundamentos cristãos, que temos divulgado através da internet, em particular no blog de Arnaldo Ribeiro ou Israel e no Site: arnaldoouisrael: (TB.5.21) FAZEI BOA JORNADA, E DEUS SEJA CONVOSCO NO VOSSO CAMINHO, E O SEU ANJO VÁ EM VOSSA COMPANHIA:

    ResponderEliminar
  19. A M I G O (A) :


    NUNCA ESTARÁS A SÓS...

    Ante a névoa das lágrimas, quando a incompreensão de outrem te agite os sentimentos, lembra-te de alguém que sempre te oferece entendimento e conforto.
    Ante a deserção de pessoas queridas, quando mais necessitavas de presença e segurança, pensa nesse benfeitor oculto que jamais te abandona.
    Ante as ameaças do desânimo, nos obstáculos para a concretização de tuas esperanças mais belas, considera o amparo desse amigo certo que, em tempo algum, te recusa bom-ânimo.
    Ante a queda iminente na irritação, capaz de induzir-te à delinqüência, refugia-te no clima desse doador de serenidade que te guarda o coração nas bênçãos da paz.
    Ante as sugestões do desequilíbrio emotivo, suscetíveis de te impulsionarem a esquecer encargos que assumiste, reflete no mentor abnegado que jamais te nega defesa, para que usufruas a tranqüilidade de consciência.
    Ante prejuízos, muitas vezes causados por amigos aos quais empenhaste generosidade e confiança, medita nesse protetor magnânimo que nunca te desampara e que promove, em teu favor, sempre que necessário, os recursos precisos á recuperação de que careças.
    Ante acusações daqueles que se te fazem adversários gratuitos, amargurando-te os dias, eleva-te em pensamento ao instrutor infatigável que sempre te convida à tolerância e ao perdão.
    Ante as crises da existência que te sugiram revolta e desespero, recorda o mestre da paciência que te resguarda constantemente na certeza de que não há problema sem solução para quem trabalha e serve para o bem sem perder a esperança.
    Ante os desgostos e contratempos que te sejam impostos pelos entes amados, não te emaranhes no cipoal das afeições possessivas, refletindo no companheiro que te ama desinteressadamente muito antes que te decidisses a conhecê-lo.
    E quando perguntares quem será esse alguém que nunca te desampara e que te garante a vida, em nome de Deus, deixa que os teus ouvidos se recolham aos recessos da própria alma e escutarás o coração a dizer-te na intimidade da consciência que esse alguém é Jesus.
    Emmanuel
    (Do Livro “Algo Mais”, Francisco Cândido Xavier)



    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/mensagens-de-animo/nunca-estaras-a-sos/#ixzz3je8kVbk9


    ResponderEliminar
  20. O SABER LER A SI:
    (ES.12.1)
    (AP.13.18) – AQUI ESTÁ A SABEDORIA: AQUELE QUE TEM ENTENDIMENTO CALCULE O NUMERO DA BESTA, POIS É NÚMERO DE HOMEM: ORA ESSE NÚMERO É SEISCENTOS E SESSENTA E SEIS: (AR.119.9)

    (ISRAEL é o nome do Homem que sabe LER A SI no Espírito Bíblico: Aqui o saber acaba com as cogitações infundadas que existiam acerca do número 666 do Apocalipse, pois o que está escondido nas 131 letras e 10 sinais que compõem o texto acima, é isto):

    ARNALDO RIBEIRO É ISRAEL: É O HOMEM QUE NASCEU NO CÉU, QUE AMA E SABE TESTAR AS ALMAS NO SEU NOME: E ELE ENTENDE QUE CRISTO TESTA DEUSES E DIABOS NESSE MESMO ESPÍRITO. (IL.131.7)



    O SÉTIMO DIA
    (DN.4.2) Pareceu-me bem fazer conhecidos os sinais e maravilhas que Deus, o Altíssimo, tem feito para comigo,; (EF.2.7) para mostrar nos séculos vindouros a suprema riqueza da sua graça em bondade para conosco em Cristo Jesus; (1CO.15.45) pois assim está escrito:

    (GN.2.3) – E ABENÇOOU DEUS O DIA SÉTIMO, E O SANTIFICOU; PORQUE NELE DESCANSOU DE TODA A OBRA QUE, COMO CRIADOR, FIZERA: (AR.85.6)

    E o que o Senhor quer dizer com as 85 letras e 6 sinais acima é isto:

    SOU O ESPÍRITO QUE DESCEU DO CÉU, CRIANDO A SUA FÉ; E FAÇO SANTO O QUE É BATIZADO COM NOME DE ARNALDO RIBEIRO: (IL.85.6)

    (Lc.12.50 – Tenho, porém, um batismo com o qual hei de ser batizado; e quanto me angustio até que o mesmo se realize; (IS.21.16) porque assim me disse o Senhor: (1RS.18.31) Israel será o teu nome, (LS..9.6) porque ainda que algum seja consumado entre os filhos dos homens, se estiver ausente dele a tua sabedoria, será reputado como nada.(LC.4.21) Hoje se cumpriu a escritura que acabais de ouvir: (LC.6.5) O Filho do Homem é Senhor do sábado:
    E agora José? Ou melhor, Chico?...

    ResponderEliminar
  21. H O S A N A !
    (MT.3.17) E eis uma voz dos céus, que dizia: (ÊX.4.22) Israel é meu Filho, meu primogênito, (IS.49.3) por quem hei de ser glorificado, (DT.4.20) como hoje se vê; (LV.17.12) pelo que tenho dito aos Filhos de Israel:

    (JB.12.13) HOSANA! BENDITO O QUE VEM EM NOME DO SENHOR E QUE É REI DE ISRAEL: (AR.50.3)
    O que Eu quero ensinar com as 50 letras e 3 sinais da parábola acima é isto:
    E TENHO ENSINADO O QUE VEM DESSE HOMEM: E QUE É ARNALDO RIBEIRO!
    (MT.7.23) Então, lhes direi explicitamente:(AP.19.6) Aleluia! Pois reina o Senhor, nosso Deus, o Todo-Poderoso: (MT.25.34) Vinde, benditos de meu Pai: Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo:(EF.5.14) Desperta, ó tu que dormes! Levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. (MC.12.27) Ora, Ele não é Deus de mortos, e sim de vivos; laborais em grande erro. (AT.22.16) E agora, porque demoras? (1SML.9.26) Levanta-te, eu irei contigo para te acompanhar: (JB.9.4) É necessário que façamos as obras Daquele que me enviou, enquanto é dia, a noite vem e ninguém pode trabalhar; (2PE.1.20) sabendo primeiramente isto: (LC.8.7) Nada há oculto que não haja que manifestar-se, nem escondido que não venha a ser conhecido e revelado: (DT.29.29) As cousas encobertas pertencem ao Senhor Nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, à nós e à nossos Filhos para sempre: (JB.8.12) Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará nas trevas;. Pelo contrário, terá a luz da vida: (RM.13.12) Deixemos, pois, as obras das trevas, e revistemo-nos das armas da luz (EF.5.16) remindo o tempo; porque os dias são maus. (RM.8.19) A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos Filhos de Deus...

    ResponderEliminar
  22. H O S A N A !
    (MT.3.17) E eis uma voz dos céus, que dizia: (ÊX.4.22) Israel é meu Filho, meu primogênito, (IS.49.3) por quem hei de ser glorificado, (DT.4.20) como hoje se vê; (LV.17.12) pelo que tenho dito aos Filhos de Israel:

    (JB.12.13) HOSANA! BENDITO O QUE VEM EM NOME DO SENHOR E QUE É REI DE ISRAEL: (AR.50.3)
    O que Eu quero ensinar com as 50 letras e 3 sinais da parábola acima é isto:
    E TENHO ENSINADO O QUE VEM DESSE HOMEM: E QUE É ARNALDO RIBEIRO!
    (MT.7.23) Então, lhes direi explicitamente:(AP.19.6) Aleluia! Pois reina o Senhor, nosso Deus, o Todo-Poderoso: (MT.25.34) Vinde, benditos de meu Pai: Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo:(EF.5.14) Desperta, ó tu que dormes! Levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. (MC.12.27) Ora, Ele não é Deus de mortos, e sim de vivos; laborais em grande erro. (AT.22.16) E agora, porque demoras? (1SML.9.26) Levanta-te, eu irei contigo para te acompanhar: (JB.9.4) É necessário que façamos as obras Daquele que me enviou, enquanto é dia, a noite vem e ninguém pode trabalhar; (2PE.1.20) sabendo primeiramente isto: (LC.8.7) Nada há oculto que não haja que manifestar-se, nem escondido que não venha a ser conhecido e revelado: (DT.29.29) As cousas encobertas pertencem ao Senhor Nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, à nós e à nossos Filhos para sempre: (JB.8.12) Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará nas trevas;. Pelo contrário, terá a luz da vida: (RM.13.12) Deixemos, pois, as obras das trevas, e revistemo-nos das armas da luz (EF.5.16) remindo o tempo; porque os dias são maus. (RM.8.19) A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos Filhos de Deus...

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...