28 outubro 2011

O velho Inferno da Líbia - Parte III (e última)

Dois post acerca da Líbia que suscitaram dois tipos de reacções opostas: dum lado quem vê em Khadafi quem conseguiu construir um País válido, doutro lado quem pergunta "Sim, mas então tudo aquilo que foi dito nos média ocidentais era mentira?".

Em primeiro lugar: este blog não está  aqui para propor a beatificação de Khadafi. Longe disso.
Como escrevi há alguns dias:
Fez coisas horríveis, é verdade.
Não piores de quanto já fizeram um Obama ou um Cameron qualquer, mas sempre horríveis.
Parece ser uma afirmação bastante clara, que acham?
A atenção de Informação Incorrecta nem é focada na figura de Khadafi, mas sim da Líbia e dos Líbios.


Porque é inútil negar que nos últimos meses a informação ocidental não gastou uma única palavra que não fosse negativa para descrever as condições do povo líbio.
E quem não entendeu esta mensagem, deveria ler os artigos publicados pelo seu diário favorito a partir do passado Fevereiro.

Ao longo de todo o presente 2011 fomos bombardeados por notícias segundo as quais a situação estava desesperada, com o regime que massacrava os civis (e sem ninguém que uma única vez fosse capaz de mostrar uma prova), valas comuns (como o ridículo caso do cemitério perto na praia) e outras barbaridades ainda.

A realidade era diferente, assim como viver na Líbia antes da "libertação" não era um inferno.

Afirma Augusto:
Difícil de acreditar nisso que você afirma.
Augusto, eu além de controlar as fontes e procurar confirmações não posso fazer. Ir até a Líbia para perguntar como estavam as coisas sairia bastante caro. Além de que deveria ser um trabalho dos jornalistas, que com meticulosidade evitam esta tarefa.

Mas sobretudo este último ponto não faz tocar uma campainha? Porquê inventar (literalmente) provas quando teria sido muito mais simples pegar num grupo de cidadãos infelizes e gravar os testemunhos?

Podemos argumentar acerca dum ou outro ponto apresentado nas minhas "listas", mas todas as fontes que vi confirmavam o que escrevi.

Temos também o testemunho de Maria, Leitora que tinha visitado a Líbia.
Temos também o fórum do Sudão que confirma, em linha gerais, a veridicidade das afirmações.

Se alguém conseguir demonstrar o contrário será bem vindo neste espaço e merecerá uma publicação em destaque (atenção: o assunto não é demonstrar que Khadafi era mau, mas que o povo líbio vivia em condições terríveis, típicas dum regime opressor).
Neste blog não há censura ou preconceitos: demonstrem o contrário de quanto afirmado e terão todo o espaço.

Se depois alguém conseguir arranjar o número de telefone dalguns cidadãos líbios, faça o favor de contactar-me, não me importo de ser eu a ligar para uma entrevista telefónica (desde que não fale apenas árabe, por razões facilmente compreensíveis...).
Mas se a Líbia fosse tão boa assim, por que haveria rebeldes? E mais, por que o povo não se insurgiria contra um golpe? Não se pode negar que houve apoio popular aos rebeldes. Pelo menos algum apoio houve, pode até ser bem menos do que a mídia mostrava. Mas que houve, houve. Alguma insatisfação popular deveria haver ou não?
Augusto, uma pergunta: mas quantos eram estes rebeldes? Eu nunca li números oficiais, acho que nem existem.

Mas importa o número? Falamos de pessoas que militam em Al-Qaeda, não colegiais. Falamos de pessoas armadas pela Nato. Falamos de pessoas que combatem enquanto os aviões aliados bombardeiam até hospitais civis (e disso temos fotografias e vídeos). Falamos de pessoas que utilizavam lança-foguetes, não paus de madeira.

O que pode fazer a população contra forças destas? Pode fazer o que fez: resistir. Porque não podemos esquecer que a invasão tinha começado em Março e Khadafi foi morto apenas em Outubro: são 7 meses de guerra num País de 6 milhões de habitantes, sem obstáculos naturais a não ser o deserto.
E a resistência continua, com ou sem Khadafi.

Já esquecemos, por exemplo, do apoio das tribos do deserto? Também eles são líbios, não são turistas.
Já viu onde estava escondido Khadafi? Não num bunker, contra tudo e todos, até contra o próprio povo, mas numa cidade, Sirte, com mais de 135 mil habitantes.

Tudo isso não significa que a Líbia fosse um paraíso. Em parte porque um País perfeito ainda não foi inventado, em parte porque Khadafi não era santo, de certeza. Mas nem era aquela besta sanguinária que foi recentemente descrita.

Ricardo:
Não quero questionar os motivos da NATO... são óbvios... quero é justamente diminuir o peso na consciência... a Líbia não podia ser tão boa... o cara tem que ter alguns muitos desvios comportamentais... qualquer coisa... é fardo pesado demais para carregar saber isso...
Exacto: a Líbia não era um paraíso, como afirmado.
Nunca gostei do Lula (ex-presidente) do Brasil. Mas ele era muito amigo do Kadhafi... do Hugo Chavez... do Fidel Castro... não posso achar que são boas pessoas... não consigo... não sei se a lavagem cerebral ocidental foi muito forte... mas não dá!
Será que a lavagem cerebral foi tão forte?

Ricardo, lembra de Saddam Hussein? Lembra das armas de destruição maciça? Os misseis capazes de atingir a Europa e, quem sabe?, até os Estados Unidos? Lembra das armas químicas? Lembra das armas bacteriológicas? Lembra do testemunho da enfermeira oprimida que na verdade nem era enfermeira mas sim filha do embaixador em Washington?

Pergunto: quem espalhou estas notícias? Não foi um blog, de certeza.

Ricardo, lembra das cidades dos terroristas de Al-Qaeda, cravadas na rochas das montanhas do Afeganistão e por isso difíceis de detectar? Lembra dos laboratórios subterrâneos onde Al-Qaeda produzia armas químicas, bacteriológicas e talvez atómicas também?

Quem espalhou estas notícias também?

Respostas: em ambos os casos funcionários ocidentais, devidamente amplificados pelos media, nos mesmos Países que agora até participaram na Operação Humanitária na Líbia.

Será que isso pode significar alguma coisa?
É igual quando quero procurar o lado bom do Nazismo e só encontro racistas loucos do orgulho branco defendendo... não dá para acreditar...

Bem diz Burgos:
Acho que tu não tem que procurar o lado bom, tens que procurar a verdade dos fatos.
Esta é a ideia.
O nosso primeiro objectivo não deve ser emitir uma sentença (bom/mau) mas tentar perceber qual a verdade, sempre que isso seja possível. Porque uma coisa temos de ter aprendido: os media, infelizmente, não contam a verdade, mas apenas algumas verdades (e quando não haver verdades, então não hesitam em cria-las).

E quando estiver ocultada uma parte da realidade, fica mais simples tornar os factos mais "simpáticos" para nós e as nossas intenções.

Na Líbia não estava tudo mal. Assim como nos Estados Unidos não está tudo bem. E vice-versa.
Problema: nos Estados Unidos as coisas continuam como antes. Na Líbia não.
Mas, explicam os media, é muito melhor agora.

Porquê? Qual o nosso direito de intervir? Porque é lícito bombardear aldeias e cidades da Líbia (bombardeamentos humanitários, óbvio) enquanto um ataque contra os Estados Unidos é "terrorismo"?

O regime líbio era um inferno?
Isso justifica a utilização de armas com base no fósforo contra os civis ou as forças adversárias?
Justifica a nossa atitude perante os nossos soldados que violam as resoluções da ONU e já nem gostamos de falar nisso porque não fica bem na fotografia?

Eu acho que não. E não gosto ter que aceitar as mentiras do regime (o nosso regime) só para acalmar a minha consciência. Se for por isso, então melhor fazer a minha parte aqui e agora, única maneira para não ter remorsos. Caso contrário, seremos sempre cúmplices.
"Seremos" todos, incluído eu.

Nem vamos falar de Khadafi.

Gostaria apenas de deixar uma sugestão.
Faça o Leitor as contas de todas as pessoas que morreram por causa das decisões dum Presidente Bush (um dos dois, tanto faz) ou até dum Obama (mas porque esquecer um Blair, um Cameron ou um Sarkozy?) e comparem o resultado com os mortos provocados pelo ex.líder líbio.
Façam as contas e depois escolham o "mau".

E com esta nota de pura alegria, fechamos o "caso Líbia".
Fechamos como post, claro, pois pode continuar nos comentários, como sempre (e "Obrigado!" para todos os Leitores que já participaram).


Ipse dixit.

11 comentários:

  1. É bem isso Max!

    Matemática pura! É só fazer as contas e ver quem é o mal, ciência exata não falha nunca.

    Temos o direito de interfirir em outra cultura?

    Alguém aqui gostaría que sua casa fosse invadida e dissessem que o modo como vivem dentro de suas casas é errado? Um país é a mesma coisa.

    Não gostam de Lula, nem de Fidel, nem de Hugo Chavez e porque?
    Porque eles não se curvam aos EUA?
    Porque eles se preocupam em dar dignidade ao povo? É por isso que não gostam deles? Ou é porque a mídia desgraçada vive mentindo sobre esses governantes?

    Não estou aqui defendendo governantes e nem defendo nenhum partido político, mas como Max disse é só fazer as contas para constatar quem fez menos o MAL.

    Obrigado Max, o texto ficou muito esclarecedor.

    ResponderEliminar
  2. Ricardo28.10.11

    Não tenho o que questionar... não há como comparar Cameron, Sarkozy, Blair, Omaba, Bush (sem contar os que não puxam gatilho... matam der formas mais sutis como Ben Bernanke, George Soros, Warren Buffet...)... escória da humanidade...

    Mas é... como eu disse... eu sei que os motivos disso tudo não tem nenhuma relação com a forma que a Líbia (ou o Iraque) era governado.

    Para relações internacionais, como o país funciona por dentro não interessa, é apenas uma caixa preta. Não temos problemas em negociar com países opressores, desde que eles honrem seus compromissos comerciais.

    O problema é que já aconteceu. Destruíram o Iraque... destruíram a Líbia... vão destruir muito mais coisa...

    ... e como você mesmo disse: com nosso dinheiro e com nosso silêncio...

    É fardo demais para carregar... preciso de um pouco de hipocrisia... preciso pensar coisas como "ah... mas os árabes são mãos... eles são muçulmanos... e muçulmanos são maus... esfiha engorda..." ... assim pensa a pessoa comum... então ela não tem peso na consciência... os jovens alemães carregam a culpa de algo que só viram nos livros de história e films de hollywood.

    Viva a hipocrisia... dá para entender (mas não perdoar) porque as pessoas aceitam facilmente essa propaganda ocidental... é fácil viver assim... muito mais fácil do que viver com toda essa consciência...

    O principal objetivo de vida é comprar o IPhone 4S (antes que lancem o 5) e comprar um joguinho de espancar Kadhafi... e mostrar para todos os seus colegas como é divertido...

    Ai ai ai...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo28.10.11

    No Brasil morrem mais de 50.000 pessoas por ano!!!!

    - Narcotráfico
    - Trânsito
    - Violência


    Vergonhaaaa

    ResponderEliminar
  4. Ricardo28.10.11

    Não gosto do Lula pois não governou bem... tenho preconceito com a esquerda brasileira... por causa de pessoas como José Dirceu (nem vou continuar a listagem).

    Enfim... assisti há anos ESSA REVOLUÇÃO NUNCA SERÁ TELEVISIONADA... assisti entrevistas de Hugo Chavez... assisti entrevistas de Kadhafi... por aí vai... todos parecem tão inteligentes... dedicado ao povo deles... o Lula? O Lula porém... puxa... só tem besteira... ele era uma topeira com boas intenções... talvez isso...

    Eu já trabalhei na ONU. Num projeto de inclusão digital. Juntamos alguns milhões de reais num fundo chamado FUST. Para integração de bibliotecas, etc...

    Era interessante... porém o Lula foi eleito... a primeira coisa que ele fez foi desmembrar todos os organismos que eram cria do Fernando Henrique. Acabou o meu projeto... os milhões do FUST desapareceram...

    Como ninguém é santo, meu grupo foi para uma Fundação privada e recebeu alguns milhares de dólares de fundo perdido dos EUA... e a máscara da corrupção caiu... eu me revoltei e para não estar no meio dessa laia fui procurar emprego numa empresa "normal"... claro... multinacional sionista que, junto da Beyer é cúmplice do Holocausto (caso esse tenha existido).

    Mas foi bom, foi pouco tempo para eu perceber que não consigo viver dessa forma normal e foi graças à essas frustrações que mudei 101% de vida e pude passar à viver às margens do sistema!

    Por mais que eu sempre tenha criticado o Lula em questões políticas... sempre adorei e elogiei quando ele visitava esses terríveis ditadores sanguinários... sorria... abraçava... ou não comparecia ao Fórum Economico Mundial para poder participar do Fórum Social Mundial...

    Mas já vimos que peitar assim os interesses imperialistas é perigoso... olha o que aconteceu com a Líbia e o Iraque... sorte que a Dilma é uma idiota que não faz nada... recebe o Obama de braços abertos e depois que ele vai embora ela segue para Europa para dar conselhos sobre a crise economica... ridículo...

    ResponderEliminar
  5. Anónimo28.10.11

    Os maus da Coreia do Norte à semelhança da Libia nunca tiveram um soldado a combater fora da sua fronteira, por isso são maus. Outros povos maus, seguem o exemplo da Coreia do Norte. Os EUA/USA, por outro lado, tem mais de 1000 bases militares espalhadas pelo mundo, e normalmente estão a combater num teatro de guerra qualquer ( que eles próprios criaram), isto que demonstra claramente que são os bons. Quem não consegue entender isto?

    ResponderEliminar
  6. Ricardo

    Agora posso entender porque tu não gosta do Lula e toda a esquerda brasileira, alguém que trabalhava para a ONU nunca vai poder entender isso.
    Todos que se opuseram e continuam se opondo ao atual governo do Brasil é porque foram prejudicados em suas boas vidas, claro que o fato do governo Lula e Dilma ter melhorado a condição de vida do norte e nordeste do Brasil isso não ajuda muito, porque o individualismo ainda impera aqui no Brasil e no resto do mundo.

    Lí a biografia de Lee Iacocca, e lembro que ele diz: "meu pai sempre nos ensinava, se estavámos em boas condições financeiras devíamos ser a favor do governo, mas quando tinhamos problemas financeiros virávamos oposição ao governo".

    E pelo jeito foi o que aconteceu contigo Ricardo.

    Quanto ao fato de você dizer que Dilma é uma idiota, acho que você não deve subestimar as pessoas.
    Existe uma palavra chamada DIPLOMACIA, que mostra porque muitos se calam em certas coisas, mas isso não significa que concordem.
    E quem te garante que a visita de Obama ao Brasil não foi uma forma de ameaça? Tipo, "fique quieta senão o Brasil será o próximo".
    Será que a Dilma é idiota ou está nos protegendo?
    São muitas perguntas sem respostas, mas tenho visto ordens bem claras no Brasil em matéria de começar a se defender militarmente, e te pergunto: porque será que resolveram fazer exercícios de defesa dentro da Petrobras, em Fronteiras, em Plataformas de Petróleo e na costa do litoral do Brasil?

    ResponderEliminar
  7. Ricardo28.10.11

    É caro Burgos (é estranho conversar com um cão...), tenho que admitir que talvez você tenha razão... que talvez meu termo idiota é mero preconceito. Gosto muito de onde a Dilma veio... dos "terroristas de esquerda" da época da ditadura militar... mas José Dirceu também veio... se me lembro bem ele fugiu do país e foi um dos revolucionários negociados com o sequestro do embaixador americano... ou seja... José Dirceu e Dilma eram o que podemos chamar de heróis! Porém... e Cesare Battisti? Era herói? E o que é hoje?

    A frase de Lee Iacocca é ótima. É o máximo da hipocrisia... é bem real... eu cresci numa família descendente de europeus, sempre bem de vida, engenheiros... estudei nas melhores escolas (privadas), fiz faculdades públicas... sempre lendo O GLOBO e assistindo A GLOBO.

    Sempre tive esse meu lado "revolucionário" envenenado pelas VEJAS e ISTO ÉS... aprendi a odiar os esquerdistas... apesar de sempre os meus melhores amigos serem de esquerda...

    Sempre fui de esquerda... mas buscava os maiores podres da esquerda...

    Aprendi a falar que sou apolítico... que sou ideologicamente de esquerda, porém, descordando principalmente da falta de individualismo do socialismo e do comunismo.

    Independente de posição política (apesar de odiar idéias xenofóbicas, militaristas e de extrema direita)... acho que o objetivo de qualquer ponto de vista tem que ser o mesmo: abolir a tirania (com a conotação pejorativa e não o sentido original da palavra). Ponto final.

    Enfim... eu não elegi nem à Dilma nem o Lula... e de fato nem tentei não elegê-los.

    Desde que eu tenho 18 anos de idade eu pratico a desobediência civil. Eu não voto, não vou à urna. E quando fui chamado à justificar com a Juiza discuti com ela dizendo que quando ela me garantir que existirá ao menos um candidato decente, o qual valha à pena sair de casa num domingo para ir votar, eu farei isso.

    Ela me ameaçou dormir na cadeia, falei que não fiz nenhum desacato e que eu tinha testemunhas, apenas estou falando a verdade e que ao invés dela se preocupar comigo tinha é que procurar fiscalizar as quadrilhas e os cartéis políticos para garantir mais soberania para o povo que supostamente ela deveria fazer justiça.

    Ela desistiu... só que tive que pagar uma multa para poder tirar o passaporte. Mas saindo minha nova cidadania, estou pensando em abidicar da antiga! :)

    ResponderEliminar
  8. É caro Ricardo (é estranho conversar com um humano...)
    Todos temos culpa, e todos somos vítimas, é muito difícil isso tudo, mas vamos chegar lá, talvez até nem chegamos, mas no final podemos dizer que tentamos.
    O bom disso tudo é que vamos trocando idéias e vivências e sempre é bom escutar os dois lados, para podermos discernir melhor.
    Uma coisa é certa nisso tudo, estamos aqui (neste blog) não para críticar, mas sim para discutirmos opiniões, e isso por sí só já é uma coisa muito boa.

    Um grande abraço meu amigo

    ResponderEliminar
  9. 25/10/11UN SOLDADO LIBIO DESDE LIBIA
    Desde hace 2 dias estamos en una zona tranquila y hemos recibido provisiones que llevamos a los hermanos,

    Hemos quedado sin nexos directos y estamos viendo como traer un medico desde mexico es un profesional de argentina con experiencia de operaciones en combate tendra mucho trabajo aqui pero no sabemos como trasladarlo desde alla a africa sin que pase por eeuu

    Lamento decirte que la masacre no ha finalizado y peor aun esta lejos de finalizar

    Ahora son ejecuciones sumarias, esto es guerra de guerrillas los tuareg son buena gente pero la tecnologia de otan supera

    Nos movemos bien ya que al estar los hombres de agencias americanas nos confunden y no nos molestan

    Podria hablarte de muchas ciudades arrasadas por otan pero solo te transmitiria tristeza

    Sirte fue arrasada y se habla de mas de 150000 cadaveres llovio fosforo blanco dos dias antes de la caida del lider y muy pocos teniamos sulf de cobre para apagarlo

    No hay ayuda para los heridos leales son dejados a morir tanto los combatientes como los civiles

    Medicos sin fronteras por orden de otan no atiende a leales es horrible verlos morir lentamente

    Si tienes alguna fundacion - asociacion o algun contacto que pueda traer a este medico desde mexico avisame por favor

    Este dr es amigo de S lo conocio personalmente y en el hay confianza es un medico que trabaja con indigenas y personas pobres en mexico Ya lo contacte pero no tiene fondos para trasladarse aqui y nosotros no podemos movernos libremente creo que este dr es alguien estilo "Che" guevara dicen que es alguien que come poco para comprarle medicina a sus pacientes

    Si llegas a tener algun contacto por favor con toda la reserva del caso te paso su informacion de contacto a ver si puedes traerlo

    Esto ya no es una guerra es una masacre

    Luego te enviare info de otras ciudades el tiempo aqui es un mal aliado

    Recuerda la libia que conociste cnt y otan destruyeron todo y cuando digo todo es todo

    Publicado por Leonor

    Olá Max e todos: estou fazendo uma coisa bem tola, bem estúpida, ou seja, repetindo um comentário para lembrar a todos:
    1. Se informando a gente pode saber, por exemplo, que embora demos um ponto final nos comentários (e ótimos comentários), o massacre na Libia continua porque a débil resistência dos líbios continua por razões óbvias, por demais expostas pelo Max.
    2. Médicos sem Fronteiras não atende aos combatentes resistentes, nem a população civil queimada pelo fósforo branco e outras medidas "humanitárias". E a Cruz Vermelha Internacional está sendo boicotada.
    3.E agora a tolice principal: Vocês conhecem alguem médico ou similar disposto a ser voluntário em território libio? Se alguem puder atender ao apelo deste soldado, entrem em contato com a Resistência Líbia, Leonor en Libia (um dos links do Burgos) ou a Cruz Vermelha Internacional. Abraços

    ResponderEliminar
  10. Maria

    Acabei de colocar um post sobre isso,
    espero que a ajuda chegue em breve.

    Abraços

    ResponderEliminar
  11. Anónimo29.10.11

    http://www.printsemfim.com/

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...