21 outubro 2011

Todos os Maus do mundo

Agora que também Khadafi decidiu passar para o mundo dos mais, quais são os autênticos Maus com os quais podemos ainda contar?

Eis uma breve lista, para não esquecer que o Mal tem de ser combatido e derrotado, sempre e em qualquer lugar, mesmo que não seja Mal, não interessa: é o princípio que conta.



Os Maus mais Maus

Mahmud Ahmadinejād

Claro está: em primeiro lugar o Presidente da República Islâmica do Irão.
As culpas dele não têm fim: quer ter energia nuclear e, quem sabe, talvez construir uma bomba atómica, tal como já fez na mesma região Israel. Com a diferença de que Israel é Bom, enquanto o Irão é Mau.
Mas porquê Israel e Bom e o Irão é mau? Porque sim.

A seguir: o Irão tem um sistema bancário que não está baseado sobre os juros, o que é loucura, não pode funcionar e deve ser abatido antes que comece a espalhar-se. Além disso, o banco Central de Teheran é um dos poucos que ainda não caiu nas mãos dos Rothschild, uma situação que deve ser corrigida e depressa também.

O Irão tem petróleo e gás, só que Ahmadinejad não quer vende-los em Dólares: só por isso deveria ser crucificado ou, pelo menos, morto após um razoável período de sofrimento.

Suprema heresia, Ahmadinejad várias vezes indicou os Estados Unidos como principal fonte dos problemas do Mundo.

Como se tudo isso não bastasse, Ahmadinejad é muçulmano, coisa já por si bastante grave, sendo todos os Muçulmanos maus e terroristas.



Bashār al-Asad

Este homem tem os dias contados. E porquê? Porque é Mau.

Chefe de Estado da Síria, não deu problemas ao longo de muitos anos.
Mas um dia, alguém lembrou-se: "al-Asad é Mau!".
E de facto é muito, muito mau.

Principal culpa dele é aquela de massacrar o próprio povo, que deseja apenas uma coisa: liberdade. Ou melhor: democracia. Não é bem a mesma coisa.
A melhor explicação é que, após ter trabalhado anos em paz, al-Asad acordou um dia assim, já todo mau, e começou a matar pessoas.

Os Sírios não têm medo e continuam a travessar a fronteira com o Iraque para manifestar em Damasco, contra o tirano. Na verdade nem são Sírios e estão armados também, mas não importa, a sede de democracia não conhece fronteiras.

Para mostrar a abismal maldade do regime, os media ocidentais até criam vídeos falsos, o que é correcto pois todo o Mundo tem que perceber qual o sofrimento dos Sírios inocentes.

Hillary Clinton, a paladina da Paz, já ofereceu o fim das hostilidades, sendo suficiente por isso assinar um tratado de paz com Israel (que é Bom); mas al-Asad é casmurro além de Mau, e recusou.
Por isso irá morrer em breve: o justo fim de todos os Maus.


ʿAlī ʿAbd Allāh Ṣāleh

Outra pessoa com uma esperança de vida bastante reduzida.
Presidente do Yemen, segundo os media ocidentais tem como passatempo o assassinato de civis indefesos, o que demonstra bem o grau de Maldade.

Cúmplice a distância, as coisas no Yemen não são muito claras: Washington acusa o Yemen de ter bases de Al-Qaeda, pelo que Saleh daria apoio a estes ex-Maus; mas, ao mesmo tempo, Saleh é atingido por um disparo de lança-foguetes, arma que, admitimos, é difícil pertencer a cidadãos indefesos.

Sendo o Yemen um produtor de petróleo (na prática, o único recurso do País), é provável que seja alvo duma próxima intervenção humanitária ocidental. No qual caso, Saleh teria os dias contados.

Dito entre nós: tem uma cara bem pouco simpática. 


Qābūs bin Saʿīd Āl Saʿīd e Hamad bin Isa Al Khalifa

Estes ainda não são Maus, sendo fieis aliados dos Estados Unidos.

E que sejam fiéis não há dúvida: têm petróleo que é explorado por companhias ocidentais. O que é a melhor prova de amor.

Só que os tempos mudam e um fiel aliado hoje pode tornar-se um bom Mau amanhã: Tunísia e Egipto ensinam.

Por enquanto Al-Said (Oman) e Al-Khalifa (Bahrain) passam o tempo matando cidadãos em desacordo com as políticas dos regimes, no futuro podem ficar atropelados pelo vento de mudanças que sopra na região deles.

Muito depende do papel dos media. Estes, não tendo recebido ordens em contrário, têm ignorado bastante os acontecimentos destes dois longínquos Países, deixando que as pessoas morram na máxima descontracção, massacradas pelos próprios exércitos.

Mas, como já lembrado, as coisas podem mudar.

Nas imagens: As-Khalifa em cima, Al-Said em baixo.



Vladimir Putin

Putin, Rei da Rússia, é um pouco Mau e um pouco Bom. Depende dos dias.
Herdeiro da inglória União Soviética, trabalha para alcançar o antigo esplendor. Mas, não sendo Comunista, tenta encontrar uma nova via, que ainda não está bem definida.

Claro está: a nova via pode tornar-se uma "má" via, e Putin com ela.
Por exemplo: a Rússia tem gás, muito gás que, cedo, irá tornar-se o principal substituto do petróleo. Putin estará disposto a demonstrar o próprio amor à América? Isso é: criará problemas nas exportações ou deixará as companhias ocidentais ditarem as regras do jogo?

E este é apenas um dos exemplos possíveis, pois a Rússia arrisca tornar-se um sério quebra-cabeça por Washington. Mas não já, só com o tempo.

Muito dependerá da habilidade do simpático Vladimir que, é bom lembrar, pode contar com os restos do KGB e do Exercito Vermelho. O que não é pouco.


Hu Jintao

Por enquanto não é mesmo "Mau". É mais "Irritante". Bastante irritante.

Mas o destino dele está escrito nas estrelas da bandeira dos Estados Unidos: será Mau. Aliás, é provável que na altura certa Hu Jintao se torne o Mau mais Mau de todos os Maus da História dos Maus.

Naquele dia começará uma Grande Festa, a maior alguma vez mais vista, e, finalmente, o Mundo conhecerá a Verdadeira Paz. Possível apenas com a extinção do Homem.


Kim Jong-il, Fidel Castro, Hugo Chavez

Este três são Maus de longa data e já bastante esgotados. Aliás, a função deles é mais folclórica do que real.

Kim Jong-iI é o mais divertido, e quando os Estados Unidos não têm outros inimigos no horizonte vão provoca-lo para entreter os povos da Terra.

De saúde precária, Kim será substituído pelo filho, outro Kim: em qualquer caso, a proximidade territorial da China marca o futuro deste regime, que provavelmente será absorvido por Pequim.
Fidel Castro mais do que um "mau" é uma relíquia vivente.

Amigo de Che Guevara, que tantos corações ainda faz palpitar, promoveu o Comunismo na Ilha de Cuba que, como todos os regimes comunistas, torno-se uma "coisa de família".

De facto, Fidel deixou o poder para Raúl, o irmão.

É provável que com a morte de Fidel (que já agora terá mais ou menos uns 120 anos) a Ilha conheça uma lenta abertura aos Sagrados Valores Democráticos do Ocidente.

Hugo Chavez representa o melhor Mau da região sul-americana e, contrariamente aos dois Países anteriores, a Venezuela pode no futuro tornar-se alvo duma qualquer operação humanitária, basicamente porque tem petróleo.

Para encontrar problemas, pode sempre contar com a vizinha Colômbia, feudo de Washington.

Mas por enquanto as atenções mundiais estão concentradas em outros cantos do Mundo, pelo que Chavez é deixado relativamente tranquilo, com os proclamas dele.

Mais do que um Mau ao 100%, Chavez é um "mau" em fase de espera. Mas pode sempre tornar-se útil.
Na última imagem, Chavez fica à esquerda.


Haverá outros Maus?
Há, sem dúvida. Mas são Maus pouco sérios que, por enquanto, não representam ameaças.

Se o nosso desejo for encontrar a provável causa duma futura intervenção humanitária ou até da próxima guerra, aquelas acima são as pessoas que fornecem as melhores garantias de qualidade.


Ipse dixit.

15 comentários:

  1. "Verdadeira paz no nundo". É triste, e é verdade o que o faz ser trágico, a terra terá paz quando formos extintos...

    ResponderEliminar
  2. hehehe
    Este post ficou divertido Max.

    Porém, como disse Pedro, a situação é trágica para sociedade mundial.

    ResponderEliminar
  3. É os posts dele das ultimas ¿sextas-feiras? têm esta característica de leveza e piadinha para entrar no humor de fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Max: eu queria muito saber quem são os "bons"?
    Não me diz que são Obama, Hilary Clinton, Cheney etc porque não vale!
    E te digo porque não vale. Simplesmente porque na falta destes, vem outro igualzinho.
    Eu quero saber quem são "os bons de verdade" hoje; nome e sobrenome.
    Também não vale me dizer: "os" Rothchild, "os" que tal etc.
    Assim como se nomeia com nome e sobrenome "os maus", e na falta deles, o mundo sorri satisfeito pela eliminação de um demônio, eu quero os nomes dos santos, daqueles que se forem eliminados, o mundo vai ficar "muito pior", e tão cedo não vai dar para substituir. É sério!! Abraços.

    ResponderEliminar
  5. Esqueceu a Junta de Myanmar e a Bielorússia, tovarish!

    Impressionante o número de posts publicados, o Max vale por três!!!

    ResponderEliminar
  6. Anónimo22.10.11

    Max,

    Li algo que achei muito interessante num blog. O blog se chama Horizonte XXI e o título do artigo era "O Fim Do Capitalismo". Não havia nenhuma dissertação sobre o que o título sugere, portanto, nem sei se deveria considerá-lo como um artigo, mas no final, depois de um vídeo vem uma "afirmação" que dá o que pensar: ""Já não está em causa o fim do capitalismo, o que está a formar-se é a batalha entre a emergência de um novo sistema fascista ou um novo sistema humanista"". Penso que é o que vimos discutindo aqui ao longo destas últimas semanas. Alguns a enterrar o capitalismo, outros a rechaçar o comunismo. Daí pensei da importância sim, de uma participação maior de todos aqueles que se julgam aptos a dar sua contribuição nos protestos, sejam eles orquestrados, ou não. O que não podemos permitir é que as praças sejam dominadas pelos totalitaristas. De nada adiantará ficarmos num mundo pseudo-intelectual analisando a psiquê do movimento, como se aquilo não nos pertencesse, como se o movimento estivesse aquém de nossas possibilidades. Como meu avô costumava dizer: "Do limão façamos uma limonada".

    Walner.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo22.10.11

    Estou indignado,
    o mundo está de cabeça para baixo mesmo:

    http://www.paulopes.com.br/2011/06/lei-do-ensino-religioso-no-rio-une.html?showComment=1319285384350#c2485133891993592204

    ResponderEliminar
  8. Anónimo22.10.11

    Max,

    Estou bestificado. Navegando por aí, fui dar de encontro com algo por mim conhecido de forma superficial (inteiramente superficial), pois acreditava na versão de que o objeto em questão, tinha sido forjado para incriminar os judeus. Falo do famoso "Protocolos dos Sábios de Sião". Aquilo não pode ter sido obra de 2 membros da polícia secreta russa, como difundido. E as previsões? Na verdade tudo indica um plano bem desenhado e seguido à risca. Aqueles meus gens esquerdistas estão revoltados, mais uma vez se sentiram traídos (melhor seria dizer, manipulados). Se não for pedir muito, seria possível uma consulta aos alfarrábios do Léo e ver qual a credibilidade do documento? Isto se for possível se chegar à alguma conclusão.

    Espero não estar abusando da tua paciência e do teu tempo. Eu e meus gens, cada dia mais desbotados, agradecemos.

    Obs.: Apenas para constar: estou lendo o documento a partir do endereço fimdostempos.net, que tem uma série de notas que rastreiam acontecimentos atuais, como também, remetem à textos dos mais diversos filósofos, pensadores, intelectuais, inclusive muitos deles judeus.

    Walner.

    ResponderEliminar
  9. Olá maria...

    eu conheço esta senhora e família (filha e filho)... não são políticos CLARO!

    ResponderEliminar
  10. Anónimo23.10.11

    Só uma correção: israel é com I minúsculo!

    ResponderEliminar
  11. Anónimo23.10.11

    Max e amigos:

    O que tenho tentado entender, é que a maioria destes senhores, senão todos (não afirmo porque não conheço a trajetória de todos), são ditadores que atuam contra a liberdade de mercado, contra a privatisação dos bens públicos. Segundo muito do que tenho lido, está será a formatação do novo mundo totalitário: uma ditadura comunista global. Não sei se exatamente assim, mas todos afirmam que o regime comunista, na sua forma mais horrenda, é o objetivo final dos senhores globalistas. Então, onde se encaixam as mortes e perseguições à estes líderes? Não seria mais fácil cooptá-los, quem sabe, para este regime comunista mundial? A revolução russa, não foi arquitetada desta maneira? Porque não uma nova tentativa? Ou será que se trata, mais uma vez, de uma forma de manchar o histórico do socialismo? Quando um George Soros diz enxergar boas coisas no comunismo, o que devemos entender nas entrelinhas?

    Outra coisa que não bate bem no meu cérebro de pouca massa cinzenta, é o seguinte: muito se fala na destruição orquetrada dos EUA, visando o evento de uma corporatocracia , que já há de fato, ou para a construção do globalismo no molde comunista, que talvez venha a ser o próximo passo, certo? Dizem que um dos pilares deste plano seria as emissões de carbono, ou coisa que o valha, na nossa atmosfera, certo? Todos sabemos que os últimos presidentes americanos nunca assinaram qualquer tratado de redução das tais emissões, com medo de prejudicar as indústrias, e pior, mexer com o American Way of Life, certo? Dizem que sua assinatura implicaria em perdas irreparáveis à todo o mercado americano. Mas, se a intenção cada dia mais explícita (pelo menos na minha visão), for realmente a derrocada do Estado estadunidense, porque os senhores globalistas, nunca fizeram suas marionetes assinarem os tratados? Não teria sido mais fácil e menos demorado? Com certeza a intenção seria dissimulada. Com o jamegão do Bill Clinton, lá atrás, teríamos muitos de nós, batido até palmas. Aí alguém poderia sugerir: "mas assim não haveria guerras, cadê o lucro? Sem guerras, quem sai lucrando?" Putz! Mas os caras não querem acabar com o lucro, implantando uma economia planificada, quem sabe até com planos quinquenais? Ou seria tudo apenas uma questão de centralizar o tal lucro? Desculpem, mas meu cérebro anda dando voltas.

    Walner.

    ResponderEliminar
  12. o que se pretende é substituir ditadores por CEO's a falarem todos a mesma linguagem financeira... converter estes tóinos que ainda resistem dá muito trabalho e eles não estão com pachorra para os aturar.

    ResponderEliminar
  13. Pois é Voz, seria interessante saber o que alguns "bons de verdade" estão a fazer para ver como anda o estoque de iniciativas disponíveis, além daquelas que gente como a gente inventa.

    ResponderEliminar
  14. Anónimo23.10.11

    Obrigado voz, mas se o plano for o comunismo como muito se anda falando, onde estes caras se encaixam, os CEOs? Seria uma espécie de comunismo totalitário de fachada, apenas para emparedar nós, seus escravos, enquanto que a elite manteria seu status, os direitos individuais e se apoderaria da máquina estatal, incluindo aí, claro, toda riqueza produzida pela comuna? Todos ouvimos falar que na própria URSS havia sinais de enriquecimento de alguns de seus dirigentes, exatamente como hoje acusam Fidel de ter se apossado de grande parte das divisas cubanas, que encontram-se guardadas em contas nos paraísos fiscais. Estariam os senhores globalistas desencadeando a queda do regime capitalista (como muitos afirmam estar por um fio, inclusive, aqui entre nós), para implantar uma espécie de comunismo apenas para as camadas mais baixas da pirâmide social? Lógico, não um comunismo qualquer, mas um que venha acompanhado de uma supressão total das liberdades individuais das mesmas camadas e apenas destas. Se eu fosse religioso, me poria a perguntar: "Deus onde estás que não nos ouve?" Se bem que poucos têm rogado por socorro, no que se refere ao problema em questão. Poucos se dão conta do emaranhado que nos envolve. Sem esquecer, que não podemos orar pelo deus errado. Javeh não está, nem nunca estará conosco. Ele dá assistência ao lado inimigo, às forças que agem nas sombras. Se bem que estas em algum momento de vislumbre podemos, senão enxergá-las, ao menos pressenti-las. Por vezes até identificá-las. O ópio que nos é servido diariamente, é que nubla nossos sentidos.

    Obrigado e um abraço.
    Walner.

    ResponderEliminar
  15. Anónimo24.10.11

    In Sol 24.10.2011
    " Os Estados Unidos retiraram da Síria o seu representante diplomático, acusando o regime de Bashar Assad de tornar insegura essa presença, com as ameaças que fez nos últimos tempos.

    Robert Ford foi alvo de vários incidentes de intimidação por parte de vários agentes pro-governo, e exasperou as autoridades sírias ao defender energicamente os protestos que, apesar de pacíficos, já terão causado mais de três mil visitas.

    Depois de os EUA terem recebido «ameaças credíveis contra a sua segurança pessoal na Síria», o diplomata regressou a Washington neste fim-de-semana.

    Mark Toner, porta-voz do Departamento de Estado, disse que os Estados Unidos esperam «que o regime da Síria pare com esta campanha de incitamento contra o embaixador Ford».

    «Neste momento não podemos dizer quando é que ele regressará à Síria», acrescentou.

    Por enquanto, a embaixada em Damasco continuará aberta, uma vez que as ameaças tiveram como alvo o próprio Robert Ford."

    Por outras palavras o sírio tem os dias contados, o plano já está em marcha...

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...