04 novembro 2011

Drones, civis e o Império do Bem

Um adolescente paquistanês, que recentemente tinha participado numa manifestação contra os ataques dos drones americanos, foi morto num ataque aéreo da CIA na zona tribal do Waziristão do Norte.

O rapaz de 16 anos, Muhammad Tariq, tinha-se juntado as centenas de tribos que manifestavam contra os ataques de drones na capital paquistanesa, na passada Sexta-feira. Os manifestantes exigiam a suspensão imediata dos ataques, afirmando este serem a causa da morte de numerosos civis.

Tariq foi morto com o  primo dele,Waheed, de 12 anos, num ataque conduzido por drones no dia 1 de Novembro perto da base americana de Miral, uma cidade-chave para para os grupos tribais do Waziristão do Norte, disse Karim Khan, empenhado na campanha contra os ataques de mísseis.


Khan, que pertence à tribo de Miral, tinha perdido o filho num ataque de um drone no ano passado.
Apresentou uma queixa contra o ex-chefe da CIA e contra vários altos funcionários dos EUA num quartel da polícia em Islamabad, para denunciar aquele que definiu como o assassinato de pessoas inocentes das tribos por parte dos drones.

Pelo menos quatro pessoas foram mortas no dia 1 de Novembro, ao longo dum ataque contra uma casa e um veículo, de acordo com a imprensa local. E foi o quarto ataque no Waziristão em cinco dias.

No último Domingo, aviões dos EUA lançaram seis mísseis contra uma casa no Waziristão do Norte, matando pelo menos seis pessoas.

Pelo menos 11 pessoas, incluindo um comandante dos Talibãns, foram mortas em dois ataques no sul e no Waziristão do Norte na Quinta-feira.

Mas estas são notícias que não ocupam os diários ocidentais. No máximo merecem duas linhas, até demais. Afinal porque gastar tinta para descrever os assassinatos de Washington no Paquistão? A mesma tinta pode ser empregue para descrever a crueldade dos regimes da Síria ou do Irão, para gozo dos leitores.

Além disso há uma diferença fundamental: no primeiro caso a morte é o preço da Liberdade e da Democracia, no segundo caso estamos perante vítimas inocentes de tiranos sanguinário.
Não há comparação possível: dum lado o Império do Bem, doutro lado os Senhores do Mal.

Os Estados Unidos tem aumentado o número de ataques com drones nos últimos meses, apesar da oposição do governo paquistanês.

O Primeiro-Ministro Yousuf Raza Gilani, disse neste Sábado que não tinha sido dada nenhuma permissão para os EUA lançarem ataques contra alvos no território paquistanês.

Gilani, que se encontrava na Austrália para a reunião dos Chefes de governo do Commonwealth, disse que os ataques aéreos têm pesados efeitos colaterais, pois prejudicam o relacionamento entre Paquistão e Estados Unidos assim como as acções do governo entre a população na luta contra os terroristas e os extremistas.

A Força Aérea de Washington realiza ataques com mísseis de forma regular, tendo como objectivo as áreas tribais que a CIA tem descrito como um refúgio seguro para Talibãns e homens de Al Qaeda.
É a mesma Al-Qaeda que Washington ajudou a derrubar o líder líbio Khadafi.

Curioso, não é?


Ipse dixit.

Fonte: Rezaul H Laskar em MSN India   

Sem comentários:

Enviar um comentário

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...