08 novembro 2011

A lata e o poço

A extracção de petróleo e gás pode provocar terremotos?
Parece uma pergunta feita por um aluno da escola primária.

Todavia pensamos nisso: se num supermercado, perante uma pilha de latas, retiramos uma destas na base, as outras acima caem. Curioso fenómeno, não é?

Os factos: terremoto no Oklahoma, Estados Unidos, ao longo da semana passado, magnitude 5.6. Apenas o último duma série de acontecimentos do mesmo género numa zona considerada geologicamente tranquila.

O Los Angeles Times decidiu pôr em cima da mesa a questão infantil: retirar coisas "em baixo" pode provocar problemas "em cima"? Ou, dito de forma um pouco mais elegante: o fracking pode causar terremotos?


O fracking, ou fracturamento hidráulico, é a exploração da pressão dum líquido, geralmente água, para criar e propagar uma fractura numa camada de rocha. Antes há uma perfuração, seguida da injecção do líquido sob pressão que facilita a extracção do petróleo ou do gás.

Uma vez acabada a extracção, a fractura é enchida com areia ou cascalho para substituir a falta da pressão originária.

Será que encher com cascalho não é suficiente? Será que partir as rochas no subsolo tem consequências no "sobrasolo"?

O Oklahoma Geological Survey analisou o assunto, inclusive as manifestações sísmicas em Garvin, e concluiu:
A forte correlação no tempo e no espaço, tal como a razoável coincidência com o modelo físico, sugerem que exista a possibilidade que tais terremotos sejam causados pelo hydraulic fracturing.
Ohhhh...

Prontamente os especialistas respondem. Não, impossível, o fracking não faz mal, é inócuo, partir as rochas debaixo dos nossos pés não tem efeito nenhum. Não é a mesma coisa que a pilha de latas, este não é um supermercados, alguém consegue ver os carrinhos?

De facto não há carrinhos, e contra argumentos assim não há muito que possa ser feito.
A não ser...

A não ser que seja uma companhia petrolífera que admita. E isso aconteceu.

A Cuadrilla Resources, uma companhia especializada em fracking, explica:
A actividade de fracturing no poço Cuadrilla's Preese Hall-1 desenvolveu um certo número de eventos sísmicos menores. Os eventos sísmicos foram causados por uma anormal geologia no poço combinada com a pressão exercida pelas injecções de água previstas nas operações.

Assim: retirar uma lata na base duma pilha de lata causa o desmoronar das latas acima.
Agora temos a confirmação.


Ipse dixit.

Fontes: Petrolio, Wikipedia (versão italiana), KutNews, Los Angeles Times, Business Insider

4 comentários:

  1. Anónimo8.11.11

    Parece ser algo solucionável... Se repreenchermos este lugar agora vago com outra coisa... Mas o que?

    ResponderEliminar
  2. eheh ó MAX desculpa lá a correcção mas tem de ser...

    "...é a exploração da pressão dum líquido, geralmente água..."

    Poucas vezes é a água!

    "The main fluid categories are:
    • Gelled fluids, including linear or cross-linked gels.

    • Foamed gels.

    • Plain water and potassium chloride (KCl) water.

    • Acids.

    • Combination treatments (any combination of 2 or more of the aforementioned fluids)."

    "Hydraulic fracturing performance is not exceptional with plain water, but, in some cases, the production rates achieved are adequate."

    O que na prática significa que em muitos poucos poços é utilizada apenas água.

    fonte:EPA 816-R-04-003

    Quanto ao material para tapar fendas? Sei lá... uma qualquer mistura de betão com carvão com folhas secas e milho ogm é capaz de resultar.

    ResponderEliminar
  3. Olá Voz!

    Emenda oportuna: dei por boas as afirmações de Wikipedia...erro grave, admito...

    Olá Anónimo!

    Material não falta, mas concordo com a Voz: milho ogm e betão é capaz de criar novas formas de vida que poderiam colonizar os espaços vazios.

    Em alternativa: borracha ou grandes molas, para suavizar os tremores de terra.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  4. ihihih Wikipedia ihihih

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...