10 novembro 2011

Presos!

Nos Estados Unidos, um ano passado na prisão custa ao New Jersey mais do que um ano de estudo na prestigiada universidade de Princerton: 44 mil Dólares contra 37 mil.

Na Califórnia ainda pior: gastam-se 48 mil Dólares para cada recluso e pouco mais de 7 mil Dólares por cada estudante.

E a coisa mais divertida é que nos Estados Unidos prisões e universidades são instituições privadas. Isso para todos aqueles segundo os quais privatizar significa poupar.

Paradoxalmente, seria mais poupado obrigar cada recluso a tirar uma licenciatura. Pelo menos aqueles menos perigosos. No caso da Califórnia, a poupança anual seria de 7 biliões de Dólares. ..


Esquisito: os presos dos Estados Unidos representam 25% de todos os presos do planeta, mais de 2 milhões de reclusos. Isso significa que os EUA deveriam ser o País com a menor taxa de criminalidade. O que não é verdade.

Ao analisar a classificação dos Estados segundo número de homicídios por cada 100.000 habitantes desde o ano 2000 até 2009, descobrimos que os Estados Unidos ocupam o lugar nº 43; pior do Turcomenistão, do Yemen, da Turquia, da Índia, do Irão, da Albânia, da Síria, do Vietname, de Marrocos, da Grécia, de Portugal, da Italia, da China...

A seguir, o número total dos homicídios nas cidades mais violentas do mundo em 2009:

01. Rio de Janeiro (Rio de Janeiro, Brasil) 3.703
02. São Paulo (São Paulo, Brasil) 3.535
03. Salvador (Bahia, Brasil) 2.481
04. Ciudad Juárez (Chihuahua, México) 2.386
05. Cape Town (Western Cape, África do Sul) 2.222
06. Recife (Pernambuco, Brasil) 2.216
07. Mexico City (México) 2.086
08. Durban (Natal, África do Sul) 1.981
09. Curitiba (Paraná, Brasil) 1.880
10. Belo Horizonte (Minas Gerais, Brasil) 1.822
11. Cali (Valle del Cauca, Colômbia) 1.726
12. Johannesbrug (Guateng, África do Sul) 1.697
13. Brasília (Brasil) 1.501
14. Bogotá (Distrito Capital, Colômbia) 1.327
15. Vitória (Espírito Santo, Brasil) 1.324
16. Porto Alegre (Rio Grande do Sul, Brasil) 1.319
17. Fortaleza (Ceará, Brasil) 1.233
18. Medellín (Antioquia, Colômbia) 1.161
19. Belém (Pará, Brasil) 1.150
20. Kingstone (Jamaica) 1.014
21. Maceió (Alagoas, Brasil) 1.012
22. Karachi (Sindh, Paquistão) 841
23. Manaus (Amazona, Brasil) 797
24. New York City (Estados Unidos) 778

Nota: Cape Town, Durban, Johannesburg, Karachi, Kingstone e Mexico City: valores do ano 2007

Assim, apesar do maior número de presos do planeta, os Estados Unidos conseguem inserir uma cidade entra as áreas metropolitanas mais violentas do mundo. Sinal que algo não bate bem no sistema de correcção de Washington.

Mas outro dado também temos de realçar: 13 das 24 cidades com mais homicídios são brasileiras. E o Brasil ocupa a terceira posição no mundo por rácio habitantes/homicídio do ano 2010:

01. Honduras: 78
02. El Salvador: 66
03. Brasil: 52
[...]
34. Estados Unidos: 4.8

O que preocupa é que no caso do Brasil o rácio tem vindo a aumentar:

2000: 26
2001: 25
2002: 31
2003: 35
2004: 36
2005: 42
2006: 45
2007: 45
2008: 49
2009: 52
2010: 52

Isso enquanto o valor dos Estados Unidos permanece inalterado ao longo da década, e baixa em outros dois Países: Portugal (desde 1.74 em 2007 para 1.22 em 2010) e Italia (1.31 em 2000; 0.98 em 2010).

E o Brasil tem o terceiro maior número de reclusos no Mundo: 494.598 presos, logo atrás dos Estados Unidos (1º) e da China (2º).

Moral: ter o maior número de reclusos do planeta (e gastar um balúrdio por causa disso) não significa ter um País mais seguro.

Moral nº 2: menos samba e mais camomila no Brasil.


Ipse dixit.

Fontes: Crisis, Wikipedia versão inglesa, R7 Notícias

25 comentários:

  1. E põe CAMOMILA nisso!!!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo10.11.11

    Ainda na área da violência, o estudo aponta que os homicídios cresceram mais de 38% em São Luís, de 2007 a 2009, segundo números colhidos do Datasus. A taxa em 2007 era de 31,64 assassinatos (por 100 mil habitantes). Em 2008, foi a 36,08, e em 2009 saltou para 43,73 (por 100 mil).

    Em números absolutos, foram 322 homicídios em 2007; 356 em 2008; e 436 em 2009. Os números de 2009 colocam a capital maranhense no posto de 7ª do país com mais homicídios. A capital com a menor taxa de assassinatos é Palmas (TO), com 14,84. Maceió (AL) detém a maior taxa: 85,87.

    Das 436 pessoas residentes em São Luís assassinadas em 2009, 178 eram jovens do sexo masculino entre 15 e 24 anos.

    http://www.jornalpequeno.com.br/2011/7/8/violencia-e-maior-problema-de-sao-luis-revela-estudo-162067.htm

    ResponderEliminar
  3. Me parece que todas as cidades brasileiras dessa lista vão ser sede da próxima Copa do mundo... Acho melhor ver os jogos em casa!!! =)

    ResponderEliminar
  4. Anónimo10.11.11

    Max,

    Estou com aqueles que pensam que a violência faz parte de uma estratégia de estabelecer o pânico entre a população. Daí se consegue restringir liberdades. O fato é que no Brasil as estatísticas apontam para 96% dos casos de homicídio sem solução. Porque será? Será que casos de homicídios que envolvam as camadas mais abastadas de nossa sociedade entram nestes 96%? É ou não é uma aberração? A diretriz por parte das autoridades é deixar rolar. Nestes números estão inseridas também aquela estratégia do auto de resistência à prisão seguido de morte. Contra quem? O pobre. Como também a guerra entre facções assistidas por nossas autoridades que nada fazem, apenas aguardam a chegada dos corpos no Instituto Médico Legal. Assim chegam defuntos de todos os tipos: bandidos, trabalhadores, desavisados. Quem são eles? Pobres. Se a coisa afetasse os Jardins Paulistas, a Vieira Souto, a Delfim Moreira os números seriam outros. Max, te aguardamos de braços abertos e à todos os genoveses na próxima copa.

    Walner.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo10.11.11

    Isso mostra o porque de tanta indignação no tópico anterior sobre o Brasil. Vergonha, vergonha, vergonha.

    Está piorando cada vez mais, e ainda duvidam do envolvimento do governo com os grupos de narcotraficantes.
    Ainda duvidam...

    ResponderEliminar
  6. É verdade Anônimo, principalmente os Governos de São Paulo e Rio de Janeiro.

    Ou tu achas que isso é problema somente da Presidência da República?

    E que tal o Congresso e o Senado Nacional?

    ResponderEliminar
  7. E que tal o ECA?

    Ou vocês acham que o Estatuto da criança e do adolescente está excelente?

    O maior índice de crimanalidade é por parte de usuários de drogas, que bem sabemos a maioria dos consumidores estão na classe média e alta, isso inclui também bebidas alcoolicas, a maior porta de entrada para drogas ilícitas é o alcool e junto o aumento da criminalidade.
    Não estou aqui para fazer apologia ao cigarro, mas não conheço ninguém que tenha roubado, matado ou sequestrado por causa de um cigarro comum, mas a campanha toda é contra o cigarro, no Brasil agora quem é fumante é discriminado
    como se fosse um cheirador de cocaína, um fumante de maconha.
    E vejo que não existe fiscalização nenhuma em nosso país quanto a venda de bebidas para menores, o que vemos são um número cada vez maior de jovens que se iniciam na bebida e acabam depois nas ruas fumando crack, cheirando cocaína.
    Isso para mim é a maior entrada para a criminalidade.

    ResponderEliminar
  8. Encontrei este texo na internet, não sei o autor, mas me parece que é uma análise bem coerente:

    Causas da Violência no Brasil


    Nos últimos anos, a sociedade brasileira entrou no grupo das sociedades mais violentas do mundo. Hoje, o país tem altíssimos índices de violência urbana (violências praticadas nas ruas, como assaltos, seqüestros, extermínios, etc.); violência doméstica (praticadas no próprio lar); violência familiar e violência contra a mulher, que, em geral, é praticada pelo marido, namorado, ex-companheiro, etc...

    A questão que precisamos descobrir é porque esses índices aumentaram tanto nos últimos anos. Onde estaria a raiz do problema?...


    Infelizmente, o governo tem usado ferramentas erradas e conceitos errados na hora de entender o que é causa e o que é conseqüência. A violência que mata e que destrói está muito mais para sintoma social do que doença social. Aliás, são várias as doenças sociais que produzem violência como um tipo de sintoma. Portanto, não adianta super-armar a segurança pública, lhes entregando armas de guerra para repressão policial se a “doença” causadora não for identificada e combatida.

    Já é tempo de a sociedade brasileira se conscientizar de que, violência não é ação. Violência é, na verdade, reação. O ser humano não comete violência sem motivo. É verdade que algumas vezes as violências recaem sob pessoas erradas, (pessoas inocentes que não cometeram as ações que estimularam a violência). No entanto, as ações erradas existiram e alguém as cometeu, caso contrário não haveria violência.

    Continua...

    ResponderEliminar
  9. Em todo o Mundo as principais causas da violência são: o desrespeito -- a prepotência -- crises de raiva causadas por fracassos e frustrações -- crises mentais (loucura conseqüente de anomalias patológicas que, em geral, são casos raros).

    Exceto nos casos de loucura, a violência pode ser interpretada como uma tentativa de corrigir o que o diálogo não foi capaz de resolver. A violência funciona como um último recurso que tenta restabelecer o que é justo segundo a ótica do agressor. Em geral, a violência não tem um caráter meramente destrutivo. Na realidade, tem uma motivação corretiva que tenta consertar o que o diálogo não foi capaz de solucionar. Portanto, sempre que houver violência é porque, alguma coisa, já estava anteriormente errada. É essa “coisa errada” a real causa que precisa ser corrigida para diminuirmos, de fato, os diversos tipos de violências.

    No Brasil, a principal “ação errada”, que antecede a violência é o desrespeito. O desrespeito é conseqüente das injustiças e afrontamentos, sejam sociais, sejam econômicos, sejam de relacionamentos conjugais, etc. A irreverência e o excesso de liberdades (libertinagens, estimuladas principalmente pela TV), também produzem desrespeito. E, o desrespeito, produz desejos de vingança que se transformam em violências.

    Nas grandes metrópoles, onde as injustiças e os afrontamentos são muito comuns, os desejos de vingança se materializam sob a forma de roubos e assaltos ou sob a forma de agressões e homicídios. Já a irreverência e a libertinagem estimulam o comportamento indevido (comportamento vulgar), o que também caracteriza desrespeito e produz fortes violências.

    Continua...

    ResponderEliminar
  10. Observe que quando um cidadão agride o outro, ou mata o outro, normalmente o faz em função de alguma situação que considerou desrespeitosa, mesmo que a questão inicial tenha sido banal como um simples pisão no pé ou uma dívida de centavos. Em geral, a raiva que enlouquece a ponto de gerar a violência é conseqüência do nível de desrespeito envolvido na respectiva questão. Portanto, até mesmo um palavrão pode se transformar em desrespeito e produzir violência. Logo, a exploração, o calote, a prepotência, a traição, a infidelidade, a mentira etc., são atitudes de desrespeito e se não forem muito bem explicadas, e justificadas (com pedidos de desculpas e de arrependimento), certa­mente que ao seu tempo resultarão em violências. É de desrespeito em desrespeito que as pessoas acumulam tensões nervosas que, mais tarde, explodem sob a forma de violência.

    Sabendo-se que o desrespeito é o principal causador de violência, podemos então combater a violência diminuindo os diferentes tipos de desrespeito: seja o desrespeito econômico, o desrespeito social, o desrespeito conjugal, o desrespeito familiar e o desrespeito entre as pessoas (a “má educação”). Em termos pessoais, a melhor maneira de prevenir a violência é agir com o máximo de respeito diante de toda e qualquer situação. Em termos governamentais, as autoridades precisam estimular relacionamentos mais justos, menos vulgares e mais reverentes na nossa sociedade. O governo precisa diminuir as explorações econômicas (as grandes diferenças de renda) e podar o excesso de “liberdades” principalmente na TV e no sistema educativo do país. A vulgaridade, praticada nos últimos anos vem destruindo valores morais e tornando as pessoas irresponsáveis, imprudentes, desrespeitadoras e inconseqüentes. Por isso, precisamos, também, restabelecer a punição infanto-juvenil tanto em casa quanto na escola. Boa educação se faz com corretos deveres e não com direitos insensatos. Precisamos educar nossos adolescentes com mais realismo e seriedade para mantê-los longe de problemas, fracassos, marginalidade e violência. Se diminuirmos os ilusórios direitos (causadores de rebeldias, prepotências e desrespeitos) e reforçarmos os deveres, o país não precisará colocar armas de guerra nas mãos da polícia para matar nossos jovens cidadãos (como tem acontecido tão freqüentemente).

    ResponderEliminar
  11. É Tibiriça, o problema maior no Brasil é: "Todo mundo quer ter Direitos, mas ninguém quer ter Deveres".



    Abraços

    ResponderEliminar
  12. Anónimo10.11.11

    É Tibiriça, concordo com muito do que diz, mas como criar o respeito o companheirismo numa sociedade que é calcada na disputa, na concorrência? Hoje crianças de 5, 6 anos disputam por vagas em escolas públicas de melhor nível, através de mini-vestibulares, e assim a coisa prossegue por toda nossa existência. Estamos sempre disputando espaço. Muitos de nós enxerga seu semelhante como inimigo. Tudo redunda na estrutura capitalista, que é decrépta e desagregadora. Aqui no Brasil levamos às últimas consequências o "do yourself", o "self-made man", gostamos do lixo americano (quanto mais violento melhor), inclusive servimos este lixo pras nossas crianças. Ao entrarmos num "shopping center", temos a impressão de estar em Miami. Os nossos médias fizeram um bom trabalho para a metrópole, colonizando mentes. Pra mim o reflexo tá todo aí escancarado.

    Um abraço.
    Walner.

    ResponderEliminar
  13. Olá Max e todos: os dados que apontas me levam a considerar que a colonização imperial no Brasil tem sido cada vez mais eficaz, competindo com vantagem sobre a melhoria das condições de vida e emprego de uma parcela gigante da população,(90 milhões) que inclusive movimenta a economia interna, e faz o Brasil funcionar em termos de desenvolvimento socio-econômico.
    Em paralelo, contribui para operar uma guerra de aniquilação física e mental da população brasileira:
    - tráfico ilegal de drogas consideradas ilícitas e armamento, cujos dividendos mantem viva a economia norte-americana. Nesse negócio bilionário, tanto rola a morte de milhares, como a intermediação de milícias, polícias, parlamentares, grandes empresários de repasse e transporte e banqueiros daqui, que em última análise, prestam contas aos senhores deste comércio: serviço de segurança, diplomático, militar e banqueiro dos EUA.
    - efeitos da guerra midiática e de entretenimento, repassados na íntegra, diretamente da metrópole para os colonizados, que naturalizam a brutalidade, a destruição e todas as formas de violência, instigam a xenofobia, o preconceito de raça, de classe, de condição de sexualidade, a agressão no âmbito familiar, e de quebra, hostilizam qualquer iniciativa governamental na "colonia" que priorize a melhoria das condições de vida da população, a soberania da nação, e a solidariedade internacional com outras "colonias".
    - a disseminação exacerbada de toda sorte de cultos e seitas religiosas,muitas importadas do norte, que mascaram a realidade, instigam o medo, a culpa,o ódio e o mais abjeto obscurantismo nas relações de gênero, familiares e sociais.
    - a violência no campo, espaço da grande desigualdade social brasileira, que opõe os grupos agrícolas (com ou sem terra) aos maiores latifundiários do mundo (brasileiros e estrangeiros) em território nacional, vivendo da monocultura predadora, das tecnologias de extinção e contaminação da terra e espécies, e todavia escravisando os homens da terra.
    Agora me digam se esse caldo, misto de casa grande, senzala e agressão imperial não vai dar como resultado os dados que apresentas?
    Abraço a todos

    ResponderEliminar
  14. Olá Max e todos: os dados que apontas me levam a considerar que a colonização imperial no Brasil tem sido cada vez mais eficaz, competindo com vantagem sobre a melhoria das condições de vida e emprego de uma parcela gigante da população,(90 milhões) que inclusive movimenta a economia interna, e faz o Brasil funcionar em termos de desenvolvimento socio-econômico.
    Em paralelo, contribui para operar uma guerra de aniquilação física e mental da população brasileira:
    - tráfico ilegal de drogas consideradas ilícitas e armamento, cujos dividendos mantem viva a economia norte-americana. Nesse negócio bilionário, tanto rola a morte de milhares, como a intermediação de milícias, polícias, parlamentares, grandes empresários de repasse e transporte e banqueiros daqui, que em última análise, prestam contas aos senhores deste comércio: serviço de segurança, diplomático, militar e banqueiro dos EUA.
    - efeitos da guerra midiática e de entretenimento, repassados na íntegra, diretamente da metrópole para os colonizados, que naturalizam a brutalidade, a destruição e todas as formas de violência, instigam a xenofobia, o preconceito de raça, de classe, de condição de sexualidade, a agressão no âmbito familiar, e de quebra, hostilizam qualquer iniciativa governamental na "colonia" que priorize a melhoria das condições de vida da população, a soberania da nação, e a solidariedade internacional com outras "colonias".
    - a disseminação exacerbada de toda sorte de cultos e seitas religiosas,muitas importadas do norte, que mascaram a realidade, instigam o medo, a culpa,o ódio e o mais abjeto obscurantismo nas relações de gênero, familiares e sociais.
    - a violência no campo, espaço da grande desigualdade social brasileira, que opõe os grupos agrícolas (com ou sem terra) aos maiores latifundiários do mundo (brasileiros e estrangeiros) em território nacional, vivendo da monocultura predadora, das tecnologias de extinção e contaminação da terra e espécies, e todavia escravisando os homens da terra.
    Agora me digam se esse caldo, misto de casa grande, senzala e agressão imperial não vai dar como resultado os dados que apresentas?
    Abraço a todos

    ResponderEliminar
  15. Bis, bis, MARIAAAAAAAAAAA

    ResponderEliminar
  16. Anónimo11.11.11

    É isso aí Maria! O velho francês pacifista deixou seu legado. Le croissant sur la table.

    Um abraço.
    Walner.

    ResponderEliminar
  17. Ricardo11.11.11

    O Brasil e suas tosqueiras...

    O número de políticos por cidadão no Brasil, se não me engano é o maior do mundo. E agora vão dividir mais um estado, para aumentar ainda mais.

    Estudei em 3 universidades públicas... uma baixaria só, dependendo do partido político (o maior cabide de empregos é o partido atualmente no poder: PT), tem mais funcionário do que aluno.

    É assim, a nossa despesa pública é a pior do mundo... uns 90% dela deve ser só para desvio e corrupção. Temos gastos e impostos exorbitantes e absolutamente NADA volta como serviços para o cidadão.

    Absolutamente TUDO que usamos é privado. As universidades públicas estão com os dias contados. As escolas públicas são abandonadas. A saúde pública é motivo de piada para com o câncer do nosso ex-presidente...

    É um espetáculo!

    E como a política é quem comanda o Estado, e o Estado é o reflexo do povo... ta aí: BRASILEIRO É UM BANDO DE SAFADO! Por isso que temos essas desgraças...

    ResponderEliminar
  18. Ricardo11.11.11

    E mudando de assunto... depois que postei que reparei os numerozinhos embaixo do meu post...

    Hoje é 11.11.11... não tem nenhum fim do mundo programado para hoje não? Número tão cabalístico... alguém deve ter inventado algo hollywoodano envolvendo Nibiru, a Bíblia ou Satanaz! :)

    ResponderEliminar
  19. O que falta no Brasil não é Camomila, é distribuição de renda, que bem ou mal só começou recentemente.

    ResponderEliminar
  20. Esqueceram-se de colocar wallstreet no ranking.....

    ResponderEliminar
  21. Anónimo11.11.11

    Ô Ricardo!

    Ainda estou aprendendo a gostar dos frequentadores do blog, com alguns já criei um pouco mais de intimidade e você faz parte dos que tô aprendendo a gostar, mas, meu amigo, não generaliza. Deixei um comentário pra ti no artigo: "Brasil". Se o ler, gostaría que o encarasse como uma demonstração de respeito e consideração que um amigo deve ter por outro.

    Um abraço.
    Walner.

    ResponderEliminar
  22. Ainda estou aprendendo a gostar dos frequentadores do blog?

    Achei que tu já gostava de mim, fiquei chocado com essa revelação!!!



    Abraços deste cão magoado

    ResponderEliminar
  23. Anónimo11.11.11

    Ô meu,

    Vira-latas não entram no esquema, porque todos nos simpatizamos com eles. Admito que o blog é muito bem frequentado. Um blog onde temos a companhia de Maria, Fada(?), Danielle(?), 0 db(Totó), Pedro H, Tibiriça, Ricardo, Tê Tilio, Observer, Carlos Janeiro, Augusto, Marcelo, anônimo, Max... deixou de ser um blog, para se tornar uma espécie de lar. Um lar transatlântico.

    Um abraço.
    Walner.

    ResponderEliminar
  24. Tá perdoado, apaguei as mágoas.

    Abraços

    ResponderEliminar
  25. Por falar nisso, onde anda a Fada?

    Apareça Fada, estamos sentindo tua falta!


    Abraços

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...