20 dezembro 2011

EUA em 50 pontos

Mais uma lista?
Exacto, mais uma lista. Internet gosta destas coisas.

Desta vez o tema é: Estados Unidos, 50 dados do ano 2011.
Então vamos ler:
  1. 48 por cento de todos os Americanos são considerados de "baixo rendimento" ou abaixo do limiar da pobreza.
  2. Aproximadamente 57 por cento de todas as crianças dos Estados Unidos vivem em famílias consideradas "de baixo rendimento" ou empobrecidas.
  3. Se o número de americanos "activamente à procura de trabalho" fosse o mesmo que em 2007, a taxa de desemprego "oficial" emitida pelo Governo seria superior a 11 por cento .
  4. O período médio de desemprego dum trabalhador nos Estados Unidos é agora de mais de 40 semanas .
  5. Um estudo recente descobriu que 77 por cento das pequenas empresas dos EUA não tem em projecto a contratação de novos trabalhadores.
  6. Há agora menos empregos pagos nos Estados Unidos do que havia em 2000 , mesmo que a população tenha aumentado de 30 milhões de pessoas desde então.
  7. Desde Dezembro de 2007, o rendimento médio das famílias dos EUA caiu 6,8% se for calculada a inflação.
  8. De acordo com o Bureau of Labor Statistics, 16,6 milhões de Americanos trabalhavam por conta própria em Dezembro de 2006. Hoje esse número encolheu para 14,5 milhões .
  9. Uma pesquisa da Gallup no início deste ano constatou que cerca de um em cada cinco Americanos com um emprego considera-se como um futuro desempregado.
  10. Segundo o autor Paul Osterman, cerca de 20 por cento de todos os adultos nos EUA trabalham me troca de salários de pobreza.
  11. Em 1980, menos de 30% de todos os empregos nos Estados Unidos eram de baixo rendimento. Hoje mais de 40% de todos os empregos nos Estados Unidos são de baixo rendimento.
  12. Em 1969, 95 por cento de todos os homens entre 25 e 54 anos tinham um emprego. Em Julho deste ano, apenas 81, 2 por cento dos homens desta faixa etária tinha emprego.
  13. Uma pesquisa recente descobriu que um em cada três Americanos será incapaz de pagar a hipoteca ou o aluguer no mês seguinte, se de repente perdesse o emprego.
  14. A Federal Reserve anunciou recentemente que a riqueza líquida total das famílias dos EUA caiu 4,1 por cento no terceiro trimestre de 2011.
  15. De acordo com um recente estudo conduzido pela BlackRock Investment Institute, o rácio entre endividamento das famílias e rendimentos nos Estados Unidos é agora 154 por cento .
  16. Se a economia desacelerou, o mesmo se passou com os casamentos. De acordo com uma análise feita pelo Pew Research Center, apenas 51 por cento de todos os Americanos com 18 anos ou mais estão casados. Em 1960 a percentagem era de 72 por cento.
  17. O U. S. Postal Service perdeu mais de 5.000 milhões de Dolares no ano passado.
  18. Em Stockton, Califórnia, os preços das casas caiu 64 por cento desde o valor no pico do mercado imobiliário.
  19. O Nevada tem a maior taxa de perda de casa por causa de empréstimos não pagos há 59 meses consecutivos.
  20. O preço médio duma casa em Detroit é cerca de 6.000 dólares .
  21. De acordo com o U. S. Census Bureau, 18 por cento de todas as casas no Estado da Florida está vazio. Este valor é 63 por cento maior do que era há dez anos.
  22. Em 2011 a construção de novas casas nos Estados Unidos está prestes a estabelecer o novo mínimo de todos os tempos .
  23. 19 por cento de todos os homens americanos entre 25 e 34 anos, agora vive com os seus pais.
  24. As facturas da electricidade nos Estados Unidos cresceram mais depressa do que a taxa de inflação por cinco anos consecutivos .
  25. De acordo com o Bureau of Economic Analysis, em 1980 os custos dos cuidados de saúde somavam 9,5% de todo o consumo individual. Hoje atingem cerca de 16,3% .
  26. Um estudo descobriu que cerca de 41 por cento de todos os Americanos em idade activa têm problemas para pagar as contas de saúde ou está a pagar a dívida de tratamentos.
  27. Um americano em cada sete tem pelo menos dez cartões de crédito .
  28. Os Estados Unidos gastam cerca de 4 Dólares em bens e serviços que vêm da China por cada Dólar que a China gasta em bens e serviços dos Estados Unidos.
  29. Espera-se que o passivo comercial dos EUA em 2011 atinja 558,2 bilhões de Dólares .
  30. A crise dos reformados nos Estados Unidos continua a piorar. De acordo com o Employee Benefit Research Institute, 46 por cento de todos os trabalhadores norte-americanos tem poupado menos de 10.000 Dólares para a reforma e 29 por cento tem menos de 1.000 Dólares.
  31. Hoje um idoso americano em cada seis vive abaixo do limiar de pobreza federal.
  32. De acordo com um estudo recém-publicado, o salário dos CEOs das maiores empresas dos EUA aumentou 36,5% nos últimos doze meses.
  33. Hoje, os bancos grandes demais para falir são mais fortes do que nunca. Os activos totais dos seis maiores bancos dos EUA aumentaram 39 por cento entre 30 de Setembro de 2006 e 30 de Setembro de 2011.
  34. Os seis herdeiros do fundador da Wal-Mart têm um património líquido que é mais ou menos 30 por cento dos norte-americanos com rendimentos mais baixos .
  35. De acordo com uma análise dos dados do Census Bureau feita pelo Pew Research Center, a riqueza líquida média das famílias chefiadas por pessoas com mais de 65 anos é de 47 vezes a riqueza média das famílias chefiadas por aqueles que têm menos de 35 anos.
  36. 37 por cento de todas as famílias dos EUA são chefiadas por pessoas com menos de 35 anos que têm um património líquido igual ou abaixo de zero.
  37. A percentagem de Americanos que vivem em extrema pobreza (6,7%) é a maior já registada.
  38. As crianças sem um lar nos EUA são agora 33 por cento mais do que eram em 2007.
  39. Desde 2007 o número de crianças que vivem na pobreza no estado da Califórnia aumentou 30 por cento .
  40. A pobreza infantil está literalmente a explodir em toda a América. De acordo com o National Center fo Children in Poverty, 36,4% de todas as crianças de Filadélfia vive na pobreza, 40,1% de todas as crianças de Atlanta vive na pobreza, 52,6% de todas as crianças em Cleveland vive na pobreza e 53,6% de todas as crianças em Detroit vive na pobreza.
  41. Hoje, um cidadão americano em cada sete e uma criança em cada quatro desfruta dos vales-refeições.
  42. Em 1980, a redistribuição dos rendimento pelo governo totalizava apenas 11,7% de todas as receitas. Hoje representam mais de 18 por cento .
  43. 48,5% de todos os Americanos vive em famílias que recebem alguma forma de subsídio. Em 1983 este número era inferior em 30 por cento.
  44. Neste momento, os gastos do governo federal atingiu cerca de 24 por cento do PIB. Em 2001 era apenas 18 por cento.
  45. Para o ano fiscal de 2011, o governo dos EUA tem um deficit orçamentário equivalente a cerca de 1,3 trilhão de Dólares . É o terceiro ano consecutivo em que o deficit do balanço ultrapassa um trilião de Dólares.
  46. Se Bill Gates entregasse cada centavo da sua fortuna ao governo dos EUA, poderia cobrir a passividade orçamental apenas para 15 dias .
  47. Incrivelmente, o governo dos EUA acumula actualmente uma dívida total de 15 trilhões de Dólares . Quando Barack Obama foi eleito, a dívida nacional era de apenas 10,6 triliões de Dólares.
  48. Se o governo federal neste momento começasse a pagar a dívida nacional a uma taxa de um Dólar por segundo, levaria mais de 440 mil anos para pagar.
  49. A dívida nacional dos EUA aumentou, em média, mais de 4 bilhões de Dólares por dia desde o início da administração Obama.
  50. Durante a administração Obama, o governo dos EUA acumulou mais dívidas do que conseguido desde George Washington ter assumido o cargo até a presidência de Bill Clinton

Fonte: The Economic Collapse

    6 comentários:

    1. esta cena dos vistos deixa-me louco! e com pouca vontade de ler... tens que propor à firma outro método de informação!!!

      ResponderEliminar
    2. Anónimo20.12.11

      Goodbye EUA...

      ResponderEliminar
    3. Marcelo20.12.11

      "Hoje em dia, nos Estados Unidos, um pai de família pode ser expulso de casa, proibido de ver os filhos e obrigado a pagar quase todo o seu salário em pensão de alimentos, sem que haja uma só prova de que ele fez ou pensou em fazer qualquer coisa de errado. Basta que sua mulher diga à polícia – sem uma testemunha sequer – que ele ameaçou surrá-la ou abusar das crianças.

      Cinquenta por cento das crianças americanas vivem sem um dos pais – quase sempre o pai. Uma das consequências diretas é o aumento exponencial dos casos de pedofilia doméstica, onde as estatísticas mostram que o culpado é quase que invariavelmente o namorado da mãe.


      Tudo isso começou com os ares mais inofensivos que se pode imaginar, como campanha de proteção à mulher contra a "opressão machista". Quem, em sã consciência, seria contra uma coisa dessas? Pouco a pouco, à medida que adquire força de lei, a providência humanitária vai ampliando seu raio de alcance até transformar-se num pesadelo, num instrumento de opressão mil vezes pior do que os males que lhe serviram de pretexto, porque agora é oficial e se sustenta no poder da polícia, dos tribunais, do sistema educacional e da propaganda maciça que demoniza os acusados ao ponto de ninguém ter mais a coragem de dizer uma palavra em favor deles.

      E os resultados sociais catastróficos? São explicados como efeitos de outras causas, que por sua vez dão motivo a novas medidas humanitárias, entregando cada vez mais a grupos ativistas cínicos o monopólio da autoridade moral e estendendo ilimitadamente o poder de intervenção da burocracia estatal na vida privada.

      O problema é, por exemplo, a pedofilia? Acusa-se a educação católica (embora o número de pedófilos entre os padres seja menor do que em qualquer outro grupo de educadores) e, com um pouco de jeito, persuade-se até o Papa a se prosternar ante a mídia vociferante.

      Os meninos criados sem um pai são inseguros, tímidos, fracos? Ótimo. Com alguma lábia, são levados a crer que são transexuais latentes, inadaptados, coitadinhos, no meio social machista. São turbulentos, anti-sociais? Melhor ainda. Eis a prova de que a sociedade capitalista é intrinsecamente violenta, geradora de brutalidades. E assim por diante."

      Leia o resto aqui:
      http://www.dcomercio.com.br/index.php/opiniao/sub-menu-opiniao/78838-opressao-sedutora

      ResponderEliminar
    4. Olá Marcelo: me parece que o problema dos problemas, nos EUA, e não só, tem sido tomar a delação como valor cidadão.Numa sociedade doente, como a norte americana, isto é levado ao pé da letra pelas pessoas comuns e complementado pelas agências de segurança nacional. Assim por exemplo, se uma coleguinha de escola ver uma menina ao lado de um estranho numa via pública, pode denunciar o evento. Imediatamente, a escola garante que a garota seja de lá retirada pela polícia, encaminhada a "polícia de saúde", onde será obrigada a fazer exame de corpo delito, para colher o DNA do suposto agressor sexual, e compará-lo com a base de dados de DNA do governo, no sentido de identificar tarados sexuais. Ora, esse absurdo por qualquer ângulo que se veja, só pode fabricar desatinados sociais e desregulação total numa sociedade.(Esse evento foi tema de um filme holydiano,-Confiar- e eu fiquei sem saber se a moral da história era para as pessoas acordarem, ou se era para normalizar a situação) Abraços

      ResponderEliminar
    5. E com todos estes 50 pontos (agora de leitura mais aprazível eheh) é natural que se compreenda a profundidade desta frase que não resisto a colar aqui no II... aí vai

      "Kim Jong Il may be dead, but his illustrious great spirit lives on in police state USA"

      É o remate perfeito para os Falidos...

      ResponderEliminar
    6. Autor desconhecido28.12.11

      Faltou comparar por raças: com certeza absoluta negros e hispânicos estão em situação ainda pior que brancos e asiáticos e com uma novidade, não é culpa do homem branco, pelo menos não do homem branco sem kosher.

      ResponderEliminar

    Printfriendly

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...