22 dezembro 2011

Pearl Harbor: os Americanos sabiam

Não era uma simples suspeita mas algo mais: só que faltavam as provas.

Agora um documento de 20 páginas que os serviços de intelligence da Marinha dos Estados Unidos libertaram é publicado no livro December 1941: 31 Days that Changed America and saved the World do historiador Craig Shirley.

Setenta anos após o ataque japonês contra a base da frota americana em Pearl Habor, Hawaii,  o documento revela de forma clara que os serviços de espionagem dos EUA tinham sido amplamente informados acerca dos preparativos dos Japoneses. Pearl Harbor não foi uma surpresa, bem pelo contrário.


No documento, os analistas da Marinha de Washington escreveram especificamente que "o Japão está activamente a servir-se de cada canal utilizável para recolher informações militares, marítimas e comerciais com foco na Costa Oeste, no Canal do Panamá e nas ilhas Hawai". Acrescenta também que a marinha japonesa estava a recolher "informações técnicas detalhadas" sobre as instalações militares dos EUA.

O historiador, pessoa que não pode ser suspeita de simpatias "conspiracionistas" sendo um membro da historiografia conservadora norte-americana, conclui que eram muitas as peças do quebra-cabeça conhecidas pela Administração de Roosevelt administração, proporcionando assim mais uma prova em apoio da tese pela qual os líderes políticos e militares dos Estados Unidos estavam cientes dos preparativos de guerra.

O que fica demonstrado é que os Americanos sabiam dos esforços japoneses para preparar a entrada em guerra, sabiam da recolha das informações e conheciam os possíveis alvos, entre os quais a base da Marinha Militar no Pacífico.

Simplesmente, optaram por apoiar o ataque "surpresa" dos Japoneses, única maneira para motivar um País que maioritariamente encontrava-se inclinado para a neutralidade.

O novo documento junta-se aos outros já conhecidos, entre os quais o famoso memorando McCollum. O Tenente Comandante Arthur H. McCollum, chefe militar da área do Extremo Oriente, em 07 de Outubro de 1940 recomendava oito acções que "destinadas a incitar um ataque japonês contra as forças terrestres, navais e áreas americanas nas Hawaii, como também dos postos avançados holandeses na região do Pacífico" (Robert Stinnett, Day of Deceit: The Truth About FDR and Pearl Harbor, 2001).

É uma técnica  repetida várias vezes na história militar dos Estados Unidos: criar provocações e estrategias sofisticadas para envolver a opinião pública, geralmente pouco propensa a entrar em guerras.

Mas perante dois arranha-céu abatidos em New York, quem pode resistir?
A História, sempre ela...


Ipse dixit.

Fontes: Clarissa, Wikipedia (Inglês)

9 comentários:

  1. Havendo meios de prova que sustentem a teoria de que os EUA agiram com negligencia perante a ameaça japonesa que matou tantos americanos é de esperar que algum familiar vivo coloque uma acção em Tribunal contra o governo americano…poderá fazer pouca mossa no governo americano mas seria um exemplo a seguir…e era um primeiro passo para poder a seguir intentar uma acção judicial para escrever correctamente os livros de Historia.

    ResponderEliminar
  2. Olá Bruno: boa ideia!Abraços
    Sem contar que daqui a 50 anos já haveria jurisprudência para o famoso caso das Torres Gêmeas.

    ResponderEliminar
  3. MAX... já que estás numa de história!
    Podias elucidar a malta sobre estes bacanos...

    maria... as Torres Gêmeas e o outro Edifício 7, caíram todos devido aos aviões e fogos (as torres), e apenas a fogos (o 7) ihihih... Nada no futuro irá modificar esta "verdade"... Tal como nada alterou a REALIDADE sobre a Guerra do Iraque e os motivos que a originaram "As Armas NBQ"... o bacano, o Bush e compinchas, continua por aí a passear e a dar palestras e nada se passa! A MANADA CONTINUA A RUMINAR POIS É PARA ISSO QUE ESTÁ A SER CONTROLADA/FORMATADA...

    ResponderEliminar
  4. Eu sei Voz, mas tu não me deixa nem um mísero espacinho na realidade para o lugar do desejo!? Tua percepção da realidade é monolítica, corta como o fio de uma navalha. A minha é feita da mesma rocha, mas com clivagens, cantinhos escondidos onde abrigo ainda ilusões. Ilusão/desejo que as pessoas façam associações do tipo: se com Pearl Harbor, anos depois, revela inequivocamente uma mentira, então outras ocorrências do mesmo tipo podem também se revelarem mentirosas. Se os governantes e militares permitiram matar seus cidadãos em Pearl Harbor ( e tantos mais!! e mais!!) então porque não poderiam ter causado mais esta comoção popular para obter uma aceitação mais fácil dos seus planos de expansão militar?
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. maria... o problema é que essas pessoas, das quais esperas ilusoriamente que façam essa básica associação "Pearl Harbor/Torres Gémeas", não estão nem aí para o que se passou há apenas 10 anos quanto mais há 70!!!
    Hoje em dia 48 horas já é um PASSADO LONGÍNQUO...

    Mas olha que se é feita da mesma rocha... então a minha também tem ilusões...

    ResponderEliminar
  7. Anónimo23.12.11

    Há cerca de dois anos li qualquer coisa a respeito dos americanos terem tido informação prévia sobre o ataque a Pearl Harbour. A fonte parecia-me credivel apesar de agora não me lebrar qual foi. Esse ataque foi o argumento que os americanos precisaram para entra na guerra

    Abraço
    Krowler

    ResponderEliminar
  8. Anónimo23.12.11

    Eu ainda estou esperando os artigos sobre a origem das famílias rothschild e rockefeller...
    Max, você já não conseguiu informações suficientes para escrever sobre isso?

    ResponderEliminar
  9. Anónimo7.3.12

    Claro que ele sabiam desse ataque só estavam esperando essa oportunidade pra entrar na guerra, e convencer o povo americano a entrar na guerra, depois desse ataque o número de alistamento militar disparou nos EUA os amercicanos perderam muito pouco nesse ataque, seus portas aviões não estavam lá.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...