19 janeiro 2012

Alimentação: a lixo-comida

E porquê não falar de comida? Eh? Porquê?
Ok, falemos de comida.

Mas este deveria ser um blog de geopolítica e economia. Então mudo: geopolítica, economia e culinária. E no futuro: vida e obras das formigas vermelhas.

Tá bom, se calhar nada de formigas vermelhas. Mas espreitar no prato não é mal: afinal é por aí que passa a nossa comida e sabemos que com os alimentos introduzimos no nosso organismo várias substâncias. Algumas fazem bem, outras nem por isso.

Sem falar de assuntos empenhados como o Codex Alimentarius, vamos observar alguns produtos e meditar.
Prontos? Ok, meditemos.

O caso clássico: a pseudo-comida do McDonald´s.
Todos sabemos que as refeições servidas na mais conhecida cadeia de fast-food são uma porcaria. Mesmo assim, entrem num centro comercial e observem: qual a fila mais comprida? Aquela do McDonald´s.


Agora observem os preços. Em Portugal, por exemplo, o Menu Happy Meal (vocacionado para as crianças) custa 3,25 Euros. Inclui: um cheesburger (sal), batatas fritas pequenas (gorduras, sal) e um refrigerante (açúcar). Eis que com apenas 3,25 Euros teremos subministrado à criatura uma bomba calórica, pouco nutriente, insuficiente e prejudicial do ponto de vista da alimentação.


Isso sem contar que uma vez acabado o Happy Meal a criatura terá ainda fome, ou pensemos que um organismo em plena fase de crescimento poderá ficar satisfeito com um pouco de sal, de açúcar e gorduras? A verdura, por exemplo? Não será que querem considerar como "verdura" aquela fatiazinha de pepino cadavérico, não é? E a fruta?

Com metade do preço é possível entrar num café qualquer e comer um "prego", isso é, uma fatia de carne de vaca quente no pão. Ou uma bifana (com carne de porco). Uma sopa custa pouco mais de 1 Euro. Uma salada fresca, mesmo bem recheada, dificilmente chega aos 3 Euros.

A criança prefere o cheesburger? Então os pais deveriam explicar que nem sempre o que sabe bem faz bem. A criança não fica convencida e faz birras? Então fica sem comida ao longo de três dias, fechada num quarto sem luz, ao frio, sem roupa e com as músicas de Roberto Leal a tocar, depois vamos ver se come a sopa. Excessivo? Ok, retirem as músicas de Roberto Leal.

Mas além destes que são princípios básicos, que todos deveriam conhecer, há mais.

A comida feita de hamburger, batatas fritas e refrigerantes cria uma dependência parecida com aquela da nicotina e das drogas. Parece inacreditável, não é?

Mas a pesquisa é séria, até merecer a publicação na conceituada revista Nature Neuroscience. Os autores, Paul Johnson e Paul Kenny, do Scripp Institute (Flórida), revelam os mecanismos que originam os vínculos de dependência e até crises de abstinência.

Como acontece na dependência do fumo, também naquela da lixo-comida há o enfraquecimento dos mecanismos da recompensa que, em condições normais, funcionam ao viver uma experiência agradável.
As cobaias utilizadas foram postas perante pratos de bacon, salsichas, doces e chocolate. As cobaias são animais pequenos mas não estúpidos, pelo que começaram a comer e festejar. Só que, com o passar do tempo, sempre com a mesma dieta, o mecanismo de recompensa começou a funcionar cada vez menos: a comida tinha-se tornado um vício.

Problema: as cobaias não tinham vontade nenhuma de mudar de dieta e ficavam enervadas em presença de alimentos diferentes (e as cobaias enervadas são aterradoras).

Então os pesquisadores associaram a comida de hipermercado a uma dor numa das patas. Cada vez que uma luz ficava ligada, as cobaias sabiam que poderiam ter comido, mas isso teria implicado a dor na pata.
As cobaias normais diziam "Não, obrigado, hoje não tenho fome, aliás, acho que vou dar uma volta que o tempo é bom". As cobaias gordas, já viciadas, comiam na mesma (e provavelmente acusavam a companhia eléctrica de conspiração).

Mas falar mal do McDonald´s é como atirar contra a Cruz Vermelha: demasiado simples.
Por isso, nos próximos episódios: açúcar, farinha, leite, água, fluoreto de sódio, kebab (a propósito: comem kebab fora da Europa?)


Ipse dixit.

Fonte: ADNKronos via Il Sentiero della Natura

15 comentários:

  1. Anónimo19.1.12

    Sinceramente meu amigo, eu ja acompanho seu blog a mais de 2 anos e sei suas opniões sobre sobre "renda" no seu blog.

    Mas lhe confesso, prefiro muito mais os "blogs alternativos" á "portais de
    conhecimento". E lhe pergunto, pq não colocar anuncios ou um botão donate aqui?

    Acho que os que realmente gostam de exercitar a massa cinzenta, não sentiriam traidos por isso.

    Desculpe a intromissão.

    E a respeito do post, estou a escrever um texto (ja muito tempo parado, rsrs) sobre vicios (sobre uma sociedade drogada). Assim que terminar lhe enviarei. Obrigado!

    ResponderEliminar
  2. Não consigo entender a mente de uma criatura que come junk food, argh!

    Brincadeiras à parte, um ótimo post.. Uma vez quando eu era criança meu pai me levou num Mac Donalds. Foi uma vez pra nunca mais. Putz, foi a pior coisa que (tentei) comer na vida.

    Acho muito melhor (e mais saudável) comer um hot dog (que diferente dos americanos, o dos brasileiros contém muito mais ingredientes huahua) ou um x-tudo.. ahe, deu fome :D

    Abraços Max!

    ResponderEliminar
  3. Max

    Meu Deus! Eu não quería ser teu filho, hehehehehe.

    Quanto a comida, não temos muitas escolhas, Mac Donald's ou? Alimentos lotados de agrotóxicos.

    Aqui no Brasil já faz um tempo a mídia todos os dias coloca um nutricionista na tv a falar que temos que comer verduras e legumes, mas nunca dizem que temos que comer verduras e legumes SEM AGROTÓXICOS, vejo as mães aqui se preocupando em alimentar os filhos com verduras e legumes cheios de agrotóxicos, fico a pensar... Mac Donald's ou verduras e legumes (cheios de agrotóxicos), qual dos dois vai trazer doenças e inclusive o maldito cancêr mais rápido???

    Aqui produtos totalmente orgânicos é só para ricos, pois o preço é muito caro.

    Sem contar que até os orgânicos são de sementes genéticamente transformadas.

    Estamos num beco sem saída, só existe a possibilidade de ter uma vida como a Maria, mas também infelizmente poucos conseguem, e muitos não querem.

    Abraços

    ResponderEliminar
  4. maria19.1.12

    Olá Todos: confesso que em T.Â. todos se alimentam muito bem. E o BURGOS sabe bem disso porque é a segunda visita que nos faz, e da última vez, almoçou o normal aqui e comeu: feijão,arroz,lasanha de beringela, salda de alface e tomate, e suco fresco de uvas (coisas na sua maioria, de uma pequena terra tratada com carinho, ou seja, sem venenos, regado a puro azeite extra virgem português. `Óleo de soja, nem morta !!)De sobremesa, compota de figos.
    Mas, como nem tudo são flores, euzinha me criei viciando-me em coca-cola. Acho que meus pais confiavam em demasia no meu discernimento infantil (questionável!)e me deixavam a vontade para engolir o que eu bem entendesse. Resultado,é que cheguei a marca de dez garrafinhas de coca-cola diárias. Eu passei a não ingerir água. Quando me dei conta que estava viciada numa droga muito pior que tabaco, maconha ou até ópio, já tinha 20anos e iniciei um processo de desintoxicação, por minha conta. Muito difícil, porque percebi de imediato que suprimir a droga por completo implicava em tremores nas mãos fortes, constantes e involuntários, e uma sede desesperada que não tinha líquido que desse conta. Fui diminuindo até acabar com o vicio por completo. E isso levou anos, passando pela fase do guaraná, e da água gaseificada. Se há sequelas? Acredito que sim, pois tenho problemas nas cartilagens e dores musculares e nos tendões, que são minhas únicas doenças, por assim dizer,e para as quais não tenho outra causa para atribuir, senão o consumo exagerado de uma droga perigosa: coca-cola. Abraços

    ResponderEliminar
  5. Eu sei mesmo!

    Maravilhosa a comida de T.Â, não falei nada, não quería que morressem de inveja de mim, hehehehehe.

    Só comi o que tem de melhor, fiquei até com vontade de pedir a Maria que me adotasse, mas como adoro meus donos, não tive coragem, hehehehe.

    Abraços

    ResponderEliminar
  6. maria19.1.12

    Em tempo: O blog do Tibiriça postou sobre MARGARINA, um belo texto.Compareçam a "farmácia" dele, nesta mesma rua virtual, e verão. Abraços

    ResponderEliminar
  7. Marcelo19.1.12

    Não deixem de conferir -

    NÃO ACORDE O CÂNCER QUE DORME EM VOCÊ:

    http://www.youtube.com/watch?v=9AfuDVvhe4I&feature=share

    Alimentação é tudo.

    ResponderEliminar
  8. Bruno António19.1.12

    Para quem se interessa por questões de alimentação recomendo a leitura do “evangelho essência da paz” e recomendo a quem tem possibilidade de começar a cultivar os seus próprios alimentos ate mesmo numa pequena estufa de jardim, é uma comunhão com a natureza difícil de explicar por palavras, especialmente quando começar a guardar sementes a seguir as fazes da lua e a desenvolver sistemas de regadio …vale mesmo a pena e em 100 vezes melhor que ver televisão… mas podem ouvir rádio ao mesmo tempo : )
    P.S. Marcelo : Obrigado pela dica, vou conferir.

    ResponderEliminar
  9. Por partes... maria: eu e tu, tu e eu... passados iguais... curioso não é? Como raio é que dois animais humanos, um nascido no H.Sul mas emigrado para o H.Norte e outro nascida no H.Sul e que por lá ficou (deduzo eu maria) têm o mesmo tipo de comportamento? Televisão e Publicidade... Também fui como tu... emborcava coco-cola aos litros, tal cérebro formatado e estúpido que era, no entanto confesso que não passei por nada do que descreves... Estava era a começar a ter crises séries de problemas de ossos e músculos das costas e então visto que já tinha lido e visto coisas sobre a droga coca-cola, decidi parar. E parei, um dia bebia... no dia seguinte e seguintes acabei... E curiosamente também por volta da mesma idade (vinte e poucos! eheh). O certo é que as dores e problemas crónicos nunca mais tive, e não alterei mais nada tirando a coca-cola. Hoje quando penso nisto só me apetece ganir! E lá está o problema está sempre nos progenitores, pois por omissão ou falta de cérebros não-formatados fazem com que os descendentes mantenham os ciclos da estupidez babada...

    Quanto à questão do cancro... lembro aos que estão a ler isto que o cancro é a última forma de defesa que o nosso organismo possui...

    maria vai uma coca? ihih

    Ah... devo referir que já fui estúpido como um calhau com dois olhos e babado como um boi electrocutado... mas vamos sempre a TEMPO de evoluir... agora já só sou LOUCO.

    ResponderEliminar
  10. maria19.1.12

    Rsrsrsrs,hihihi, mas claro Voz, por pensarmos as experiências vividas, por mudarmos daqui e dali, é que somos essas pessoas...uhhh,ahh,bueno, assim como somos.
    Olha, Voz, eu escolhi viver alguns ciclos aqui no hemisfério sul, mas já vivi no "norte, no leste e no oeste". E também não sei se morro aqui, embora creio que sempre serei uma gaúcha, em qualquer lugar que esteja.Isso eu não decidi...bueno, sempre me dei o direito de fazer escolhas, e de perambular.
    Abraços

    ResponderEliminar
  11. Anónimo19.1.12

    É uma missão impossível encontrar um alimento digno de se comer num supermercado! Metade das prateleiras é da Nestle (comida para bebé, para gato, café, chocolates, etc)! Socorro!
    E comer chocolates, açucar, lacticínios, farinha em excesso dá sono! Falo por experiência própria. É bem mais difícil de estudar quando sob o efeito destas substâncias: menos capacidade de concentração e mais sonolência. Em medicina chinesa, são classificados como alimentos que impedem a drenagem dos humores e promovem a inércia (física e mental). E são agressivos para o Baço, a nossa central de ligação à Terra, segundo a mesma filosofia.
    A minha mãe diz que comeu um chocolate pela primeira vez por volta dos 18 anos (mais ou menos a mesma altura em que pela primeira vez teve luz eléctrica, frigorífico, etc)! É impressionante como em tão poucas décadas nos passámos a alimentar de maneira tão diferente...

    Há cerca de 2 anos que não como cereais (antes não imaginava como seria um pequeno almoço sem cornflakes e leite) nem iogurtes e reduzi restantes lacticíneos. Resultado: menos flatulência (não é muito elegante mas é dos exemplos mais concretos). Temos pena, menina dos iogurtes da TV.
    Estou agora a tentar deixar de consumir chocolate...o que é difícil, porque isto vicia mesmo (!) mas vou substituindo por um pastel de nata, etc.

    Já repararam como o Mc-Donalds tem agora um visual mais "clean", a verde e preto! Que saudável! É uma chatice que estas comidas sejam mais apelativas para as crianças. Devia ser proibido oferecer brinquedos com comida! E a comida das cantinas? A maioria das vezes trata-se de um hidrato de carbono quase inorgânico (esparguete, massa, ou puré em pó)+ uma dose excessiva de proteínas + sopa pré-fabricada. Yamyam!

    ResponderEliminar
  12. Olá Anónimo! (o do primeiro comentário, entendo).

    "Pq não colocar anuncios ou um botão donate aqui?

    Acho que os que realmente gostam de exercitar a massa cinzenta, não sentiriam traidos por isso".

    Pois. Costumo consultar um blog italiano que tem o tal botão; nada de mal, claro. Mas quem pagar tem acesso a mais dados ou a post em antemão. A ideia é: eu faço um trabalho e tenho que ser pago.

    Não concordo. Um blog não é uma empresa de serviços, é uma forma de partilhar conhecimentos, ideias e muito mais. Não é um site empresarial, não é e-commerce. Por isso a ideia de "ter de ser pago" não está correcta.

    Eu mesmo sou um grande consumidor de internet e bem conheço a enorme quantidade de recursos disponíveis de forma totalmente gratuita. Costumo utiliza-los e, digo a verdade, gosto do facto de serem gratuitos: acho que esta é uma grande riqueza de internet.

    Mas a sua é uma sugestão diferente: não "obrigar a pagar" mas deixar que seja possível contribuir. E nisso não encontro nada de mal.

    Sei por experiência de terceiros (nomeadamente: de Informazione Scorretta) os "lucros" (por assim dizer...) são particularmente baixos (como costuma dizer Felice, o autor do já citado blog: com o dinheiro obtido pode viver uma cobaia, desde que em boa saúde) e a pergunta é: mas vale a pena por tão pouco?

    Mas é verdade também que se alguém quer mesmo enviar uns trocos, porquê impedi-lo? Nem fica bem :)

    Acho que vou trabalhar nisso.

    "Desculpe a intromissão".

    Ora essa...

    "E a respeito do post, estou a escrever um texto (ja muito tempo parado, rsrs) sobre vicios (sobre uma sociedade drogada). Assim que terminar lhe enviarei."

    E assim que receber, vou publicar.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  13. Marcelo20.1.12

    Max, se quer minha opinião sobre os donates, eu acho que é uma das formas de remuneração mais honestas por um trabalho ou benefício que seja oferecido. Pois como você disse, não é obrigatório. Além disso, a quantia também é da escolha do doador. É uma forma de recompensar os esforços. E o melhor, tudo continua a ser livre, gratuito, como sempre foi, a escolha depende de cada um para ajudar ou não.
    Outra ideia seria usar a quantia arrecada para fazer um bem comum, ou repassar para alguma entidade carente. Mas isso também requer mais confiança e etc..

    ResponderEliminar
  14. Olá caros amigos,

    não me digam que não conhecem o documentário Super Size Me?! - na Wikipédia.
    Vejam até ao fim...

    Quanto a vícios e gostos formatados, posso dizer que tive os meus:
    - Bebia álcool, fumava de vez em quando (incluindo droga) e era o chamado de Omnívoro.

    Pois bem, para meu bem e para bem do planeta, hoje deixei esse elemento alienador vendido como uma coisa normal, que é o álcool. Nunca mais fumei e adoptei uma dieta ovo-lacto-vegetariana (consumo ovos e leite). Sinto-me muito bem, mas não pretendo ficar por aqui. Quero seguir para uma dieta vegetariana.

    Lanço a questão: o Ser Humano é efectivamente um ser omnívoro? Será normal o nosso estômago poder demorar até 7 anos a digerir um pedaço de carne que fique preso nas suas paredes? Será normal o ser humano não ter dentição própria para comer carne, não ter garras para caçar e ter um polegar oposto aos restantes dedos?

    Não me venham com tretas: matar animais é outro negócio rentável e como negócio rentável, tem os seus lobbies.

    ...e ponto final.


    Abraço,
    --
    R. Saraiva

    ResponderEliminar
  15. Ricardo20.1.12

    Também sou ovo-lacto-vegetariano. Porém o ser humano tem dentição não especializada. Então ele é adaptável à diversas dietas. Depende do que estiver disponível!

    Sendo lobby ou não, a pirâmide alimentar oficial mostra que a grande maioria dos nutrientes necessários por nós numa dieta normal são fibras, vegetais e legumes... carne? Tá bem depois! Beeeeeeem depois...

    E não conseguimos sintetizar algumas coisas que só assimilamos comendo proteína animal.... mas precisamos de quase nada disso... não lembro o que são!

    Comer carne uma vez por mês tá bom!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...