09 janeiro 2012

A batalha perdida

Eu continuo com os problemas do costume que, na verdade, continuam a crescer: comentários aos quais nem tenho tempo para responder, e-mails cheias de dicas interessantes, a necessidade de procurar novo material para a publicação. E, no tempo que sobrar, desligar o computador e viver.

Por isso, uma das coisas que farei ao longo deste 2012 será encontrar uma solução. Por exemplo: já pensei em publicar artigos criptografados, de forma que os Leitores sejam obrigados a gastar tempo na tentativa de decifra-los, e fechar o endereço de correio electrónico sem dizer nada a ninguém.

Ok, ok estou a brincar. Aliás, façam o favor de continuar a enviar links de público interesse e de comentar, pois este é o sumo de Informação Incorrecta. E tenham paciência com os atrasos do blogueiro.

Mas não é deste blog que desejo falar.
Ontem, já passava da meia-noite, Informazione Scorretta (a "mãe" de Informação Incorrecta) anunciou o fecho.
Também Bimbo Alieno, a excelência no âmbito da critica económica, anuncia ser obrigado a "repensar" profundamente o blog.
Il Cigno Nero já fechou há alguns tempos.
E Mondart deu um novo rumo ao trabalho.

Não são os únicos exemplos. São sinais, péssimos sinais.


O amigo Felice, de Informazione Scorretta, assim sintetiza a própria escolha:
  1. A obrigação de marcar o ponto (o fim da felicidade)
  2. Tudo já foi dito (o fim do tempo)
  3. Os últimos problemas (o fim da confiança).

1. A "obrigação de marcar o ponto" (o fim da felicidade).

Produzir post de qualidade todos os dias não é simples. Às vezes é conseguido, às vezes não. Mas na altura em que um blogueiro começa a escrever com uma certa regularidade, assume uma responsabilidade perante os Leitores. Este é um facto: não faz sentido escrever quatro artigos num dia e depois desaparecer sem avisar ao longo de duas semanas.

Mas é verdade que, independentemente dos resultados, o empenho nunca pode faltar. Seja com chuva ou forte vento, há uma "dependência" do autor do blog, dependência que obriga a escrever algo mesmo sem vontade de fazê-lo. Quando o empenho ultrapassa a "felicidade" de escrever, o blog torna-se um trabalho, não remunerado.

Também é verdade que isso depende muito da forma como o mesmo autor encara o blog, quais as finalidades. Mas Felice começou a actividade online muito antes de mim, por isso posso perceber um certo cansaço.

2. Tudo foi já dito (o fim do tempo).

Este é um argumento mais forte do que o anterior.

Também nas páginas de Informação Incorrecta são analisados muitos problemas da nossa sociedade. Pode chegar uma altura na qual todos os principais problemas foram tratados? Sim, acho que sim. É verdade que o mundo é um lugar bem variado, mas também é verdade que este não é um blog que possa alimentar-se de fofocas (estas nunca faltam).

Entendo perfeitamente as razões de Felice neste aspecto (mais do que no ponto anterior): eu mesmo às vezes tenho que parar e perguntar "Ó Max, mas não é que já falaste disso? Que fazes, repetes sem parar?". Acontece: as dinâmicas desta particular altura económica são bem conhecidas, não há muito para inventar.

Mas não acaso Felice escreveu "o fim do tempo", pois este é um ponto importante:
A economia está no fim, o ambiente está no nível mais baixo, o NWO chegou em Roma com a sua ditadura de rosto humano, já não há tempo para gritar que a casa está a arder, porque queima há muito e não há nenhuma forma de apagar o fogo.

Estamos a entrar na época do "cada um por si", a última fase de desintegração geopolítica mundial.

Não há mais tempo para conversar sobre isso e aquilo, é tarde demais para convidar as pessoas a acordar e agir, ou pelo menos a tomar decisões. Porque é tarde demais para aqueles que decidem agir amanhã. Era necessário mover-se alguns anos atrás, ou no máximo poucos meses atrás.

Salientei este aspecto, de forma delicada, como no meu estilo, fornecendo as informações para tomar decisões e encontrar soluções, ao invés de oferecer soluções, e fiz isso até ser funcional. Agora é tarde demais.
Eis um assunto fundamental. A "missão" do blog chegou ao fim, no entender do autor.

Podemos concordar ou não, mas atenção: o que não podemos fazer é esquecer que quem escreve (Felice) vive num País (Italia) que sofreu mudanças importantes nos últimos tempos, não última a imposição dum governo dirigido pelo enviado da classe banqueira. E quando até o governo dum País fica descaradamente nas mãos dum determinado poder (e não esquecemos que governo significa também o controle da máquina do Estado), apoiado pelos media e também (não com as palavras mas com os factos) pela oposição, então temos de admitir: as possibilidades deste País se salvar são reduzidas ao mínimo.

É altura da presença na internet tomar uma nova dimensão (que é quanto Felice tenciona fazer).

3. Os últimos problemas (o fim da confiança).

Cuidar dum blog deste tipo é algo que tem de ser feito com paixão, não com a ideia de ficar rico. Mas quando entre os leitores aparecer alguém que ameaça queixas judiciárias e o envio do nosso endereço às agências de imprensa dos partidos políticos? É algo que aconteceu no blog de Felice.

Ninguém fica na prisão por algo como isso hoje em dia, e um blog como Informazione Scorretta pode sempre demonstrar a consistência das próprias afirmações, não é este o ponto. O ponto é: não apenas não ganhar mas até perder dinheiro com isso em inúteis procedimentos legais?

Mas o que dói é outro aspecto ainda: uma técnica que julgávamos pertencer aos antigos tempos do fascismo, não aos modernos tempos duma democracia ocidental.

O que demonstra, mais uma vez, o fundamento da afirmação anterior: agora é tarde demais.

Além disso é verdade que já na correspondência privada Felice tinha manifestado a intenção de fechar o blog, por isso podemos dizer que os últimos eventos nada mais fizeram a não ser corroborar uma decisão já tomada.

E é interessante que também no caso de Bimbo Alieno, que escreve:
As coisas mudaram, e o hábito de considerar os blogs como pontos de queixa de contra-informação tem provavelmente gerado alguma confusão em algumas pessoas [...]. A energia que fluía a partir da necessidade de contar uma crise que era mantida escondida já não existe. Mas não é este blog que mudou, são os tempos que mudaram.
Como não concordar? Já não há uma crise escondida: há uma crise, uma grande crise que está à vista. E um blog que nasceu com a intenção de alertar já acabou a tal "missão". O que seria preciso agora é ir além disso, mas esta nova atitude requer nova roupa também, novas formas de encarar a realidade.

Os blogues perderam? Sim, acho que sim. Alertaram, apresentaram factos, provas, mas nada aconteceu. Haverá mais pessoas hoje conscientes do que se passa? Sim.
Isso mudou alguma coisa? Não.

Informação Incorrecta não apenas não fecha como continua à procura de explicações e possíveis soluções, sempre contando com a fundamental ajuda dos Leitores. Mas que esta batalha tenha sido perdida é um facto que não pode ser escondido.

Não é vontade de ser derrotistas, de gritar "tudo está perdido!", é apenas vontade de chamar as coisas com o nome delas.
Caso contrário, arriscamos não entender o que se passa.

Ipse dixit.


Fontes: Informazione Scorretta, Bimbo Alieno

30 comentários:

  1. Anónimo9.1.12

    Lamento e compartilho esta agonia e impotência. Se Quer a minha opinião, acho que o Informação Incorrecta não necessariamente precisa ter inúmeros artigos por dia, pois poucos blogs são assim. Basta 1 ou 2 artigos no máximo por dia, já está bom. Contanto que, mantenha a qualidade e o retorno dos leitores, que mantenha a participação. Acho que assim, o Max pode arranjar mais tempo para responder e-mails, comentários e o mais importante, viver.

    abraços.

    ResponderEliminar
  2. Bruno António9.1.12

    Não sei se o posso tratar assim, mas cá vai: Amigo Max! A minha vida é um campo de batalha, estimula-me uma boa peleja, não luto apenas para vencer luto porque lutar é uma forma de viver, compreendo esse cansaço, poderia dizer que estou em completo desacordo…mas na verdade compreendo esse estado de espírito, são os “ passos atrás” apenas para ganhar balanço.
    Note que nada esta perdido, o mundo conhecido desabou varias vezes ao longo da história da humanidade, construíram-se e arrasaram-se impérios…também nessa altura tudo para eles pareceu perdido e ainda que tivessem perdido! Deram-nos valiosas lições com as suas derrotas e estão vivos no nosso espírito e nas nossas vitórias construídas com o que sobrou das suas derrotas e connosco são vitoriosos.
    Amigo Max, é tempo de continuar a luta noutra dimensão, sugiro (salvo melhor opinião), abrir parcialmente o blog é iniciativa dos leitores e gerir essas iniciativas, ate mesmo encomendar artigos na modesta especialidade de cada um, sou voluntario desde já. Amigo Max, um “camarada de armas” disse-me em tempos que desceria na sua consideração se desistisse de um projecto em curso, aquilo doeu, mas ele estava certo! Amigo Max: (isto vai doer) descerás na minha consideração se baixares os braços, porque, ninguém pode ficar para traz! 2012 vai ser um ano “sangrento” no meu modesto alcance tenho alguns projectos para atormentar esses “ cabrões” e vence-los no seu campo, não sou domesticável, os meus genes tem mais de 3000 anos, pertenceram aqueles que em tempos foram conhecidos por não se governarem nem se deixarem governar, no espaço de um século cartografaram 1/5 do planeta. Um dia vou morrer! Não é novidade, mas morrerei de espada na mão! Porque a verdadeira honra não esta na vitória, esta em combater com bravura!
    Amigo Max, pega na tua espada, se tens força para escrever então ainda tens força para lutar, vai-te a eles!!!

    ResponderEliminar
  3. As palavras de Bruno Antonio foram as mais fortes que já lí aqui, e é com essas palavras que emocionam que espero Max que tu nunca desista.

    Um abraço a todos

    ResponderEliminar
  4. Anónimo9.1.12

    Caríssimo Max,

    Infelizmente não pertenço ao grupo de homens, tal qual exposto pelo nobre Bruno Antônio. Não tenho blog algum, exatamente pelos motivos que você descreve. O dia a dia a procura do mesmo. Lamento. Com certeza precisavas de outras palavras, mas tento a sinceridade tocado pela tua.

    E mesmo não tendo blog e as responsabilidades que ele e seus leitores te obrigam, ainda assim, como mero participante comentarista, ainda assim, considero compreensíveis todas as tuas aflições, como também dos demais blogueiros aos quais te referiste. Pra mim é fato. As arbitrariedades aconteceram. Nos indispomos contra elas, praguejamo-las e... Nada. Jogo de cartas marcadas, numa mesa com única cadeira vazia a espera do incauto da vez que nela se sentará.

    Fui tomado de umas semanas pra cá desta sensação de impotência. Lógico, sabia que assim já o era, que a realidade impostora é intransponível, que as multidões procuram uma solução que as mantenha no mesmo rumo, mas, mesmo assim, arrancava lá do fundo das entranhas forças pra me manifestar contra o imponderável. Agora ando numa fase introspectiva. Continuo a admirar o teu trabalho, assim como de outros frequentadores deste espaço. Burgos, Voz 0db, Maria, Fada do Bosque, Tibiriça, Gilson... Irmãos que conquistei. Todos trabalham com sinceridade pelo que acreditam. Sou grato a teu blog, principalmente, pelo contato com estas pessoas que julgo especialíssimas. Na contra mão de toda este convívio fraternal e de admiração, vem uma forte sensação de que nada dará jeito em toda esta situação.

    Como bem disse alguém, de quem não me recordo, todas as histórias já foram contadas, todas as músicas já foram tocadas e, porque não, todos já foram vacinados (poderiam acrescentar Burgos e 0db). Como mudar este estado de coisas? Quem, em sã consciência, acha que novos romances, novas partituras, num mundo sem vacinas possa efetivamente ser alcançado? Vamos fazer a revolução francesa? A bochevique? Mudar para continuar na mesma? Entendo perfeitamente aqueles que esperam uma transformação, não revolução, talvez evolução, imaginada dentro do nosso DNA. Hunab Ku expelindo seus raios e nos transformando em nosso mais profundo, porque esperar de fato que a manada guie a roda da história, impossível. De fato, é mais fácil Hunab Ku nos transmutar, a conseguirmos chegar com nossas próprias braçadas em porto qualquer.

    Lamento. Um forte abraço meu amigo.
    Walner.

    ResponderEliminar
  5. Querido Max.

    Não sei porquê mas penso exactamente da mesma forma... e o meu blogue tem um mês. Não é por ter de repetir os posts ou temas, é o desalento de estarmos a ver que a grande maioria, embora esteja a "acordar" para uma realidade muito dura, não quer lutar pelo futuro dos seus filhos. Como é que eu vi isso? de uma maneira muito simples, o dr. Octopus do blogue Octopus, que trata dos mesmos assuntos que o ii, fez-me ver que este tipo de informação não tem muitos simpatizantes. As pessoas estão formatadas de uma forma que as impede de lutar e saber destas coisas e das duas uma, ou os faz ver o mal que nos rodeia e ficam paralizados à espera que alguém decida por eles, ou nem sequer querem ver para não sentirem remorsos pelo futuro dos seus filhos, que estão a ser colocados nas mãos dos carrascos. "O teu filho pagará pelo teu silêncio e inércia." não é verdade?
    Portanto fogem... é a saída mais fácil. Sendo o nosso tipo de informação apenas "residual", pois o que é supérfluo vence na blogosfera, pouco adiantará. As coisas estão feitas e pessoas como eu e tu Max, que fazem a pergunta filosófica, todos os dias das suas vidas e que não é feita nem respondida nas escolas: Que forças fazem mover o Mundo? a pouca gente interessa. Agora vai começar a doer na pele aos alienados, não obstante, conforme a miséria vai alastrando, mais as pessoas que ainda têm posições priveligiadas tendem a fugir da desgraça dos outros, em vez de a eles se juntarem para resolver os problemas da sociedade. Um exemplo disso são os meus irmãos... sempre me disseram que eu tinha uma ponta de loucura, mania das perseguições e das conspirações... então quando eu disse que não acreditava, na altura do 11/9, que ninguém seria capaz de entrar no espaço aéreo do pentágono, que tal era impossível a não ser que fossem americanos, é que se riram!!! Não me escutavam e gritavam sempre mais alto do que eu para que as suas opiniões prevalecessem. Hoje eu digo: - está aí a nova ditadura, e agora? que fazer? - a resposta? népia... ou viram costas ou dizem, : . quero é viver a minha vida enquanto posso e não me preocupar com os outros, apenas com a minha famíliazinha!!! Esquecem-se que os filhos pequenos não terão grande futuro e que não é por serem priveligiados agora, que vão sê-lo daqui a uns tempos!! Vivemos no tempo do egoísmo Max!
    Ligar a TV ou jogar online faz esquecer tudo o resto e anestesia até ao dia seguinte.
    Sabe quantas visitas perdi desde que fiz posts sobre TV?! Tinha uma média de 450 dia, foram para menos de metade. Ou é uma coincidência do arco da velha, ou as pessoas não estão preparadas para enfrentar certas coisas. Continuo a pensar que não vale muito a pena perder tempo Max.
    Escreva para os seus leitores habituais, como eu, mas sinceramente, Max fazes muitos posts e por vezes muito longos. Isso estava-se a ver iria esgotá-lo! Pior, com a vida de casa e trabalho ficava danada por não o conseguir acompanhar. É um blogue super interessante e infelizmente perco mais de metade dos posts por falta de tempo.
    Não desistas, desacelera. O Voz foi-me também chamar a atenção ao meu blogue... ao ritmo acelerado das postagens, que no fundo, poucos estão interessados em ler e os que estão, já sabem, porque como diz, os assuntos repetem-se.
    No entanto há sempre mais um facto novo, algo para partilhar... isso é uma verdade porque o Mundo não pára. Quando sentir vontade e ímpeto para se sentar em frente da máquina, faça-o e partilhe com os seus leitores, de contrário, deixa estar... a vontade é tudo, sendo contrariado, não tem interesse, muito menos para ti.
    Desde já aviso que é um dos melhores blogues que conheço e quantidade pode não significar qualidade. Tens de ver desta perspectiva!! :)
    Um ABRAÇO!!! e continua! A VIDA também continua! :)
    Pode ser que assim, mais lento, dês tempo para que muitos te leiam na totalidade!!

    Um beijinho também Querido MAX. :)

    ResponderEliminar
  6. Fiquei comovida com o teu post MAX... e também com o comentário do Walner, mas uma batalha perdida não significa que está perdida a GUERRA!!
    Vê o meu amigo xatoo!!! é um sábio e não desiste!
    Lê o comentário que o Bruno António acabou de deixar lá no Guerra, faz todo o sentido! Eles começam a sentir medo das massas e ainda um filme que o Voz me deixou nos comentários sobre a informação na net:
    http://www.youtube.com/watch?v=y4P2O8UjQeU&feature=youtu.be
    As pessoas estão a deixar de acrediatar nos Media e a recorrer cada vez mais à internet!
    As guerras fazem-se de batalhas, só no fim é que se sabe quem ganhou ou perdeu. Esta guerra embora tenha 50 anos, somos muitos contra alguns!

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  7. Marcelo9.1.12

    Max, aconselho você a seguir nosso lema aqui no Brasil:
    "SOU BRASILEIRO, E NÃO DESISTO NUNCA"
    Você pode não ser Brasileiro, muito menos portugues, porém isso da mais motivo ainda para adotar este lema. Está vivendo em portugal e o maior número de leitores do ii é brasileiro. Você foi adotado por 3 povos distintos.

    "Mas quando entre os leitores aparecer alguém que ameaça queixas judiciárias e o envio do nosso endereço às agências de imprensa dos partidos políticos? É algo que aconteceu no blog de Felice."

    Se isto aconteceu mesmo é sinal que estamos incomodando!!! A pressão está atingindo a quem antes apenas ocultava ou ignorava! Não é hora de desistência, é hora de refletir, de inovar, de evoluir. Os assuntos de economia se esgotaram? Então abranja mais assuntos!! Estude para isso! É ótimo aprender! Tenho certeza que ha muitos temas a serem explorados ainda, sugestões não faltam, você sabe que está devendo alguns artigos, sugestões aparecem todos os dias! Até mesmo la no forum ainda possuem sugestões.

    Agora não é hora de se juntar aos fracos, é hora de dar o exemplo e um motivo para as pessoas continuarem lutando, suportando ou até MUDANDO, procurando perguntas, respostas. Eu sei que muitos aqui mudaram muito sua visão sobre as coisas depois de começar a ler este blog. Isto é reeducação do pensamento, e irá refletir no meio social destas pessoas. Pode não ser uma revolução imediata, mas pode ter certeza meu amigo, que isto irá refletir na educação dos filhos destas pessoas, nas futuras gerações. O caminho que temos agora a escolher é reeducar ao máximo as pessoas a nossa volta, para que, num futuro, talvez daqui a 30 anos, podermos ver e colher os resultados. Não é algo instantâneo, isso requer muito tempo, paciência e trabalho! É preciso formar uma nova geração de pensadores para uma possível mudança no futuro.

    Abraços!!

    ResponderEliminar
  8. Anónimo9.1.12

    Sugiro como o leitor la de cima falou:

    1 ou 2 artigos por dia. Muitos não conseguem acompanhar o ritmo deste blog, seria uma boa idéia reduzir a quantidade de artigos por dia. Assim, teria mais tempo para pensar em outros assuntos e responder aos comentários!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo9.1.12

    Fada,

    Meu conceito é o seguinte: embora saiba que ando a pregar no deserto, embora saiba que nada mudará (disso não tenho a menor dúvida), embora o desânimo vez por outra, uma vírgula, muitas vezes me alcance, ainda assim, penso em como diminuir o estrago. Conquistar nem que seja um único coração, uma única mente. Os índices de audiência dos muitos canais de TV, não permitem que nos enganemos: a guerra já tem um vencedor. BBB 12 tá aí.

    Levando em consideração e dando razão as argumentações de outros posts feitas por Max, comprei um novo computador (que se fazia necessário, viu 0db) com sistema Linux embutido. Ninguém, absolutamente ninguém, tem o dispositivo (modem) que permite interliga-lo ao meu roteador. Aqui nesta terra a malandragem usa da gíria "tá tudo dominado" para se referir ao que não tem mais saída. E é isso aí. Aliás, se alguém souber de algo que possa me ajudar neste sentido, fico desde já imensamente agradecido. Fui à um centro de informática nas minhas proximidades e quando argumentava com os 'especialistas', os caras faziam com que me sentisse um ser anacrônico, saído do velho seriado Túnel do Tempo. Eu era uma aberração. Um desinformado. Eu, não eles. Me desculpem: porra, me deu uma raiva fodida. Não tenho outra expressão. Tenho um sobrinho que trabalha no maior centro de informática desta cidade e justo com informática. Já rodou tudo por lá e nada. Tá tudo dominado MESMO. Eu sou a aberração. Não eles. Sacaram onde quero chegar? Como mudar este estado de coisas? Nós estamos lutando contra a normose. A normose é a pacificação das almas. Nela não há motivos para a rebelião, para o questionamento. No jargão do futebol: não se muda time que está "vencendo". Isso dito pelo torcedor (as massas), para a alegria do dirigente (globalistas).

    Beijos Fada.
    Walner.

    ResponderEliminar
  10. Volto de viajem e encontro isto?
    Não estou acreditando Max, eu, como leitor de longa data, não vou apoiar sua desistência nunca! Vamos continuar perguntando, procurando e respondendo perguntas!

    "Quanto mais aprendo, mais vejo que não sei absolutamente nada e que há muito o que questionar"

    O aprendizado nunca acaba, assim como os assuntos e temas, é muito ingenuidade de sua parte falar que os assuntos estão se esgotando ou se repetindo! Por acaso está sempre procurando nas mesmas fontes? Está sempre lendo nos mesmos locais? Está sempre repetindo? Então é hora de mudar um pouco seu foco e sua direção.

    grande abraço!

    ResponderEliminar
  11. Walner, meu querido,

    Não se parte para a guerra sabendo que está perdida... fazer o quê?
    Imagine o Mundo inteiro a pensar da mesma forma. A resistência, a luta e a Revolução, nasceram das minorias... despois foram ganhando corpo e adeptos. Se todos pensassem assim não teria havido a Revolução Francesa. O Mundo é uma esfera, a História humana é cíclica.
    Veja se o Voz desiste sabendo do que sabe, como o Walner... paroui apenas para respirar. É uma forma de partilha, Educação e de libertar a consciência.
    O Marcelo tem razão. Pense a longo prazo. Pense nos sobrinhos ou filhos se os tem.

    Um grande beijo para si Walner, amigo querido.

    ResponderEliminar
  12. Meus amigos espero que não desistam, mas não estou habituado a entregar os pontos, nem que seja só para contrariar...
    A todos um grande abraço.

    ResponderEliminar
  13. maria9.1.12

    Max: é hora de muita clareza e objetividade. Como os leitores podem contribuir para a permanência de pelo menos um post por dia?
    1.ESCREVENDO COMENTÁRIOS CONSISTENTES, DENTRO DO ESTILO DE CADA UM, que tu vais utilizar como e quando desejares, concordando, discordando, complementando, ilustrando, ou simplesmente postando (também vale ignorar, sem justificativas).
    2.Enviar a localização de vídeos legendados em português, filmes, documentários,entrevistas,livros, descrevê-los e comenta´-los, para adiantar trabalho, sem com isso entupir o mail do Max. Tu fazes o que desejares com tais indicações.
    3. Fazer presença assídua nos comentários, inclusive o pessoal entre nós, desta rua virtual, que têm seus próprios blogs.
    4. Max tem muitos leitores que não comentam. Se outros leitores comentarem, podemos tornar um post alvo de discussões proveitosas de um forum de qualidade, porque os posts do Max vem sendo, e isto não é nenhum elogio, de extrema qualidade.
    Razões para isso:
    1. Não são numerosos os blogs de qualidade. II é, e por isso deve permanecer.
    2. Os blogs alternativos são o contraponto das corporações midiáticas. Logo...sem comentários.
    3. II já propiciou iniciativas importantes, no espaço da blogosfera, da atividade pública de resistência ao statos quo e em âmbito individual. Logo, é importante continuar.
    4. A rede de comentaristas que se está a formar aqui não acontece em outros espaços virtuais. Ela é anunciadora de novos fluxos criativos que por certo acontecerão, somente com o desenvolvimento de II.
    5.Para além do blog, mas somente através dele, o Max consegue manter uma rede de pessoas em contato,mais que isso, um grupo de afinidade, que falam a mesma língua, em lados diversos do Atlântico, que começam a se conhecer e trocar entre si mais que idéias e comentários. Neste mundo que desaba, me parece que isto é de importância sem tamanho
    3.Seria absolutamente injusto para com o Max, e por que não dizer para os componentes desse grupo, sermos privados dos possíveis desdobramentos positivamente criativos de uma iniciativa que se mostra extremamente promissora.
    Quero dizer que concordo com os comentaristas acima, e que me disponho a acatar sugestões outras que impliquem na continuidade cada vez melhor de II, trabalhando por elas. Abraços a todos, em especial ao Max, o mais forte dos meus abraços.

    ResponderEliminar
  14. Anónimo9.1.12

    Depois de 13 comentarios não posso deixar de manifestar a minha opinião.
    Desde que descobri este blog há muitos meses, a primeira coisa que faço quando ligo o PC é vir cá. Pelo desculpa ao Max pela pressão.

    As razões apontadas pelo Max são legitimimas, e uma consequência normal de quem se dedica a fundo a um projecto desta natureza. A coisa começa a tomar conta de nós.

    O ponto que me merece mais atenção tem a ver com 'o ser tarde de mais'. Provavelmente.

    Costumo dizer aqueles que tem a paciencia de me aturar em pessoa, que a 'crise' vai seguir o seu curso normal. Estou confiante disso e a vontade popular não irá mudar nada, porque não existe tal coisa ( vontade popular). É um conceito vago.

    Em contraponto, vão parecendo cada vez mais pessoas a olhar para a realidade de através de um novo perisma. Isso é muito positivo. A minha experiência pessoal com mais de 4 anos a pregar aos peixes diz-me isso mesmo. Apesar da miserável taxa de sucesso ser inferior a 5%, já é alguma coisa. Tenho fé na função exponencial.

    abraço
    Krowler

    ResponderEliminar
  15. Boa noite a todos
    É difícil dizer ao nosso amigo editor deste blog para que "não se esgote, continue sempre firme", mas apoio as idéias propostas aqui de que é mais recomendável diminuir o ritmo para assim trazer a longevidade.
    Este blog tem uma característica muito peculiar: os comentários expostos aqui são tão fundamentais para a leitura quanto o próprio texto. O II pode ter poucos leitores mas tenho certeza que estes são de muita qualidade.
    Vida longa ao blog.

    ResponderEliminar
  16. Ops! Está em pouco de confusão, vamos esclarecer...

    Em primeiro lugar: obrigado para participar, após quase dois anos de blog, a verdade é que cada vez que vejo o número dos comentários aumentar fico simpaticamente surpreendido.

    A seguir: publiquei este post não para dizer "meus amigos, estou farto disso, tudo desmorona, quase quase fecho". Não vou fechar o blog e nem penso nisso. Contrariamente a Informazione Scorretta, que tinha focalizado a temática do blog na área da economia e da política, quis tornar I.I. um pouco diferente e incluir assuntos de vária natureza. Isso permite mais diversificação.

    É verdade que alguns assuntos podem não agradar a todos os Leitores, mas, entre as outras coisas, é uma forma de quebrar a monotonia, vossa e minha também. E, além disso, permite que a vida do blog seja mais comprida, não sendo obrigado a repetir sempre as mesmas coisas.

    Quanto ao facto de "ser tarde demais". Mah, pontos de vista. Sinceramente, acho que nesta altura o que os Europeus podem fazer é por-se à janela e ver o que irá acontecer. No máximo podem tentar melhorar as coisas no próprio microcosmo (a família, as amizades, o bairro), não ao nível nacional.

    É particularmente triste dizer isso, mas o que Felice (o autor de Informazione Scorretta) afirma é verdade: nada foi feito antes, agora que o sistema está espalhado como uma metástase, não há muito que possa ser feito.
    Aliás, haveria algo, mas aqui o discurso torna-se muito mais "pesado" e perigoso, por isso evitemos.

    E não será mal esquecer que até as iniciativas entre os cidadãos são o que são: esta noite deveria ter participado na reunião dos "indignados" aqui perto, no Barreiro. Enviei um mail para o site deles, para obter mais informações, e ainda estou à espera da resposta...

    Consolação pessoal: a maioria dos Leitores deste blog são do Brasil, por isso espero que o que se passa no Velho Continente possa servir de exemplo para evitar problemas no futuro em outros lugares.

    Quanto ao facto de escrever menos. Acho que vou seguir o conselho. Não vai ser fácil, por duas razões:
    - sempre gostei de escrever e prefiro pesquisar na internet ou nos livros em vez de ficar sentado para ver a televisão.
    - eu trabalho no computador, assim o blog fica à distância dum click :)

    Mas vou reduzir o número dos artigos, ou vou organizar-me de forma diferente por várias razões, entre as quais estão um novo projecto de trabalho pessoal e a vontade de dedicar mais tempo aos Leitores sob forma de respostas.

    Vou tentar, prometo. Mas não sei se vou conseguir :)

    Em qualquer caso: muito obrigado, uma vez mais. Ler certas coisas faz passar o cansaço, que é normal após um dia de trabalho. Pode parecer uma frase bonita, dita para fazer felizes quem ler, mas acredite: é assim mesmo.

    Grande abraço!!!

    ResponderEliminar
  17. Poh Max!!!!!!!

    Primeiro tu nos mata de susto e depois nos ressuscita, hehehehehe.

    Que bom meu amigo que foi só um susto, basta ver os vários comentários para saber que não podemos mais viver sem o Informação Incorrecta e em especial sem você.
    Aqui estamos acostumamos a nos encontrar para desabafar, trocar idéias e principalmente ler seus posts.
    Tu Max, é um dos poucos que tem um talento nato para escrever, consegue fazer a gente até gostar de aprender economia (hehehehe).
    Muitos já mudaram seus conceitos por causa do teu blog, eu mesmo estou sempre a repensar meu modo de ver as coisas e com certeza tu tens um papel significativo nisso tudo.

    Ufaaaa!! Ainda bem que foi só um susto!

    Continua meu irmão!

    Estaremos aqui, faça sol ou faça chuva, e como diz a Maria:

    "Nos encontraremos amanhã no Botequim do Max"

    Até amanhã meu grande amigo

    ResponderEliminar
  18. Olá Max,
    fico contente com o desenvolver dos acontecimentos nesta caixa de comentários e principalmente com o fim.

    Sou seguidora deste blogue não há muito tempo, mas sou e olhe que eu não sou propriamente desinformada.

    Percebo os seus argumentos, de facto não é fácil ser autor de um blogue.
    As soluções estão acima apresentadas e até por você mesmo. Mesmo que o ritmo diminua, a meu ver não tem importância nenhuma, mais vale isto do que o fim, o blogue manter-se-á. Simplesmente "não marque o ponto". Os seus seguidores esperam e haverá mais mesmo assim, porque existe um "mundo passado" aqui por descobrir para quem ainda não despertou.

    Tenho a certeza que este blogue faz diferença.
    Posso falar por mim (e tb, com certeza por mais alguns), que apesar de não comentar, passo sempre por cá para "cuscar".

    Os blogues não perderam e "ainda" não aconteceu nada de relevante porque está em banho maria ainda, existem consciências despertas escondidas e "tudo estará perdido", só quando estes desistirem.

    Força!!!
    O menos ás vezes é mais...

    Muito obrigada pela partilha!

    ResponderEliminar
  19. Ah! Já agora, BOM ANO para vocês todos!
    Temos que por mesmo a criatividade em "alta".

    ResponderEliminar
  20. Max,UFA!!, ainda bem que escreveste, pensei não ter interpretado corretamente teu texto. Bom, recuperado do susto que tive ao ler os comentários, digo que concordo com a Fada em "tirar o pé" e diminuir a rotação pra não cansar o motor, e podes economizar neurônios pra gastar em DIVERSIFICAÇÃO, será ótimo.
    Para o amigo Walner digo que a BATALHA continua...ou você também desistiu do MELIVRA?! Experimente consultar os Foruns de informática tipo Guia do Hardwere, Explorando e Aprendendo e outros, pois a garotada manja muito e dão dicas incríveis, as vezes nos surpreendem pois sabem mai que "simples" vendedores que só querem mesmo é vender o novo. Lembra do post do Max sobre obsolescência programada e do filme indicado?~Tenho quase certeza que vais encontrar a solução do teu problema, pois eu, a algum tempo atras tive minha placa mãe queimada e a solução sairia cara ou um PC novo, mas uma consulta amigável de quem não queria me vender nada, me sugeriu um placa mãe muito melhor que a minha e compatível com o meu processador. Aproveitei tudo, só troquei a placa e eu mesmo fiz o serviço, saiu bem em conta.
    Pra Maria, que gosto sempre de ler, gostei (de novo) das sugestões.
    Pra todos um bom 2012!!?
    Um abraço para o Max e a Guida e um biscoito pro Leo(por conta do Max)

    ResponderEliminar
  21. Anónimo10.1.12

    Max e amigos,

    Quero que saibam que pelo tempo de convivio aqui, deu pra perceber que nosso anfitrião não é de entregar os pontos. Pelo próprio respeito e consideração com que nos trata, não nos deixaria ao abandono. Apesar de tudo isso, digo que compreendo perfeitamente um certo desalento quando gotaríamos que as coisas andassem de forma mais vigorosa. O próprio avançar dos eventos não possibilita recuos, nem tampouco vagarosidade. Embora creia que a guerra é inglória, o objetivo que tenho em mente é acender o alerta em alguém, e mesmo isso, dar o toque num único indivíduo é extremamente difícil. Quantos de nós indicaram ii à algum amigo? E dos que demos o toque, quantos chegaram até estas páginas, ou as da Fada, as do Burgos, do 0db, do Tibiriça, do Gilson...? Minha meta é modesta, um único ser e ainda assim, parece um dos trabalhos de Hércules. Ninguém aqui pensa em desistir. Dentre vários motivos, o principal como bem lembrado pela Fada: tua própria descendência. No meu caso três. Não há como desistir. Mas até pelos três, é que gostaría de ver outra velocidade na conscientização dos homens. Meu desespero, é que pelo andar da carruagem o futuro desta geração é a ruína da humanidade, ou a escravização total. Bate um desalento danado. Sei que da forma que nos esforçamos, embora digna, não será suficiente pra que eles não tenham seus futuros completamente comprometidos. Penso que seja uma dor legítima, que se amplifica em períodos como este de fim de ano, onde fazemos votos e desejamos o melhor pra nossos irmãos de viagem, aqueles que caminham conosco em meio à este turbilhão.

    Abraços.
    Walner.

    ResponderEliminar
  22. Caro Max,
    A batalha não está perdida! Nossos esforços são como a água que bate na pedra continuamente. Quem quiser acordar que acorde. Quem quiser continuar na platéia, bancando o espetáculo, que fique. é o live arbítrio. Você está azendo a sua parte e isso é muito importante. Não se preocupe com a produtividade do blog. Duas ou três postagens por semana já dão o que pensar e o que falar, dão tempo para refletir e digerir. Vamos em frente...

    Fernando Franco (Farol do Buscador)

    ResponderEliminar
  23. vitor silva10.1.12

    Max

    Continua a lutar!!

    Aconselho-te a parares ao fim de semana e feriados, a não ser por motivos de força maior!

    Cumprimentos


    Vitor Silva

    ResponderEliminar
  24. Caros amigos,

    tenho estado sempre atento ao que se passa neste blog, gosto dos artigos aqui expostos, não só na qualidade da sua forma, mas também do seu conteúdo.
    Max, é muito importante o teu trabalho, sem sombra de dúvida, mas lembra-te: tens uma família, tens pessoas a quem dedicar e de quem receber Amor e esses são sempre mais importantes do que tudo o resto.

    Em termos práticos, o que quero dizer é: com a qualidade dos artigos, 1 ou 2 por dia são mais do que suficientes, até porque, pessoalmente, não tenho tido muito tempo para ler...tendo de dedicar noites (como a de ontem) a actualizar as minhas leituras.

    Amigo Max, quem trabalha com o gosto que tu trabalhas, não precisa de mostrar quantidade, pois a tua qualidade está lá, o conteúdo crítico está lá...e é isso que importa.

    Como podes ver pelo nosso blog (meu e do Xenofonte), nós publicamos muito raramente, pois o tempo não abunda, mas os assuntos a tratar são tantos tantos tantos...todos os dias tenho ideias, mas todos os dias há sempre algo. Porque à 2ª-feira tento organizar a semana e me reúno com a minha Filipa para falarmos do nosso futuro; porque à 3ª tenho formação na área do voluntariado; porque à 4ª tenho a Assembleia, porque à 5ª tento ter um pouco de lazer com a Filipa e os nossos amigos; porque ao Sábado tenho acções na área do voluntariado. Com o tempo restante leio o ii, trato da casa - contas/limpeza/roupa/refeições/..., organizo ideias para a Assembleia, tento ler sobre movimentos de Transição e Permacultura, tento ler (agora tenho em mãos o "Admirável Mundo Novo" - Aldous Huxley), tenho as minhas reuniões do grupo espírita que frequento, tenho a minha família (infelizmente não tenho tido tanto tempo para os amigos), e claro, trabalho de 2ª a 6ª.

    Portanto Max, se efectivamente fizeres um redução para 1 ou 2 artigos diários é mais do que compreensível! E ainda assim, acho que trabalhas muito. :)

    Os leitores estão cá, nós não abandonamos o botequim (como diz a querida maria) sem mais nem menos.


    Se não fossem pessoas como tu, que se preocupam em abrir-nos os olhos, possivelmente, hoje eu era apenas mais um...


    Grande abraço e lembra-te que o Léo e a Guida também precisam de ti,
    --
    R. Saraiva

    ResponderEliminar
  25. Já que se comentou implicitamente sobre as batalhas, sobre as guerras a serem vencidas, sobre desisitir ou ir em frente, e considerando os comentários postados coloco aqui uma citação do livro "Quincas Borba" de Machado de Assis que diz o seguinte:

    "– Não há morte. O encontro de duas expansões, ou a expansão de duas formas, pode determinar a supressão de uma delas; mas, rigorosamente, não há morte, há vida, porque a supressão de uma é a condição da sobrevivência de outra, e a destruição não atinge o princípio universal e comum. Daí o caráter conservador e benéfico da guerra. Supõe tu um campo de batatas e duas tribos famintas. As batatas apenas chegam para alimentar uma das tribos, que assim adquire forças para transpor a montanha e ir à outra vertente, onde há batatas em abundância; mas, se as duas tribos dividirem em paz as batatas do campo, não chegam a nutrir-se suficientemente e morrem de inanição. A paz, nesse caso, é a destruição; a guerra é a conservação. Uma das tribos extermina a outra e recolhe os despojos. Daí a alegria da vitória, os hinos, aclamações, recompensas públicas e todos os demais efeitos das ações bélicas. Se a guerra não fosse isso, tais demonstrações não chegariam a dar-se, pelo motivo real de que o homem só comemora e ama o que lhe é aprazível ou vantajoso, e pelo motivo racional de que nenhuma pessoa canoniza uma ação que virtualmente a destrói. Ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas."

    Desisitir de publicar, de copiar de outros blogs de repetir-se de perder o fio condutor das idéias e dos ideais seria desatroso, pois a
    a guerra existe e ela acontece subliminarmente pelos nossos corações e mentes...só precisamos saber de que lado queremos ficar.

    Abraços

    ResponderEliminar
  26. Anónimo10.1.12

    "Haverá mais pessoas hoje conscientes do que se passa? Sim.
    Isso mudou alguma coisa? Não."

    Não sei se concordo totalmente. Compartilhando várias opiniões já expostas acima, acho que o facto de haver pessoas mais conscientes leva à mudança. O problema é que é preciso tempo para que as haja em número suficiente. Parece que estamos em banho maria, como disse aNatureza; ainda há relativamente poucas pessoas conscientes e isso reflecte-se nas iniciativas que se tomam (poucos participantes, etc.).
    Depois, as pessoas como eu, que só há pouco tempo começaram a ver o outro lado da moeda, ainda não se sentem confiantes o suficiente para promover certas iniciativas, e estão (ainda) numa fase mais passiva. (diga-se de passagem que já li aqui post bem encorajadores para o pessoal que tem a mania de "mas quem sou eu para...?").
    Por outro lado, também vou aventurar-me no linux, graças ao ii, e parece que não sou exemplo único ;-)

    Concordo que 1 ou 2 post por dia são perfeitamente suficientes, até porque lê-los todos torna-se quase humanamente impossível =) (Bom, mas se o Max for viciado em escrever...)

    Abraços!
    Rita

    ResponderEliminar
  27. Depois de ler todos os comentários de uma coisa estou certa: O Ser Humano não escapa à lei da Selecção Natural, a lei do mais forte, do mais apto. Darwin estava cheio de razão. Nós somos parte integrante da Natureza e muitas vezes esquecemo-nos desse facto primordial. Da mesma forma é necessária a tensão dos opostos segundo Lamarck, para que se dê a Evoluçao. A tensão entre opostos está a começar a revelar-se no Ocidente.
    Ainda e para confirmar que a mudança não se faz num dia, como afirmou depois de muitas observações Charles Lyell!... e ainda recorro ás sábias palavras de Marx:
    "A concorrência isola os indivíduos uns dos outros, não apenas os burgueses, mas também e mais ainda os proletários, se bem que os concentre. É por este motivo que decorre sempre um longo período antes que os indivíduos se possam unir, abstraindo do facto de que - se se pretender que a sua união não seja puramente local - esta exige préviamente a construção dos meios necessários pela grande indústria, tais como as grandes cidades industriais e as comunicações rápidas e baratas, razões porque só depois de longas datas, se torna possível vencer qualquer força organizada com indivíduos isolados e vivendo em condições, que recriam quotidianamente esse isolamento. Exigir o contrário equivaleria a exigir que a concorrência não devesse existir em determinada época histórica ou que os indivíduos inventassem condições sobre as quais não têm qualquer controlo enquanto indivíduos isolados."

    Queridos amigos, todos estes que nomeei tinham grande dose de razão!

    ResponderEliminar
  28. Ricardo RAmos10.1.12

    Max. Grande Tuga, continue firme e hirto como uma barra de ferro.
    Gosto muito da sua maneira esclarecida de escrever os mais diversos temas. Não o conheço pessoalmente, mas tenho a certeza que é daquelas pessoas que devem ser boas a fazer várias coisas e podiam estar em diferentes profissões que ia ter um excelente desempenho em todas.
    Olhe, se é para namorar, ou passear pelo Tejo, vale a pena estar afastado do blog por uns tempos.
    Aproveite vem a vida.
    Eu também escrevia muito, mas depois de me casar e ser pai, tudo ficou para tràs. Mas esses tempos de escrita e reflexão fazem parte da minha pessoa.
    Uma coisa que fica é: Uma vez que conhecemos o Eu interior, fica muito mais fácil conhecer outras pessoas, e saber o que esperar delas. É como um dom que fica para quem passou muitos anos a dedicar-se à escrita. Um abraço e olhe, temos que nos aguentar em 2012, cerrar os punhos e dentes e seguir em frente.

    ResponderEliminar
  29. rafael10.1.12

    Max, perfeita sua colocação quando diz que nós devemos aprender com o que está acontecendo ai do outro lado do atlântico, para que não se repita aqui no Brasil. Não acredito em Deus, mas sem dúvidas este país aqui e toda a América Latina são abençoados, têm um potencial imenso, e se existe um lugar onde possam acontecer as grandes mudanças, só pode ser pras bandas de cá.

    Acho também que esse é um momento ímpar na historia da humanidade, e estar vivo nesta época junto com pessoas tão especiais (refiro-me também aos frequentadores deste blog) já é um motivo de alento, saber que sozinho eu não estou. Por tudo isso obrigado, aprendo muito com todos vocês

    ResponderEliminar
  30. Daniela10.1.12

    DESCANSAR- "E Ele disse-lhes, vinde-vós, aqui à parte,a um lugar deserto e repousai um pouco;...(Marcos,6:31) Jesus tbém reconstituía as forças no retiro. a fim de tornar ao serviço e prosseguir trabalhando ... Nesse sentido convém recordar as palavras textuais do Evangelho :- Jesus não afirmou repousai quanto quiserdes, mas sim, REPOUSAI EM POUCO... Querido e Exausto Max, d e s a c e l e r e.Dê tempo para voce,seremos pacientes.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...