14 fevereiro 2012

Avaaz: as ligações (muito) perigosas

Assim, outra esperança que desvanece.

Não de agora, verdade: as dúvidas tinham começado antes, quando o site apelava para a "liberdade" da Líbia.

Procura e procura, afinal descobrimos quem é o dono de Avaaz.

Diz a página de apresentação da organização:
Avaaz, que significa "voz" em várias línguas européias, do oriente médio e asiáticas, foi lançada em 2007 com uma simples missão democrática: mobilizar pessoas de todos os países para construir uma ponte entre o mundo em que vivemos e o mundo que a maioria das pessoas querem.


A Avaaz mobiliza milhões de pessoas de todo tipo para agirem em causas internacionais urgentes, desde pobreza global até os conflitos no Oriente Médio e mudanças climáticas. O nosso modelo de mobilização online permite que milhares de ações indivíduas, apesar de pequenas, possam ser combinadas em uma poderosa força coletiva.

Operando em 15 línguas por uma equipe profissional em quatro continentes e voluntários de todo o planeta, a comunidade Avaaz se mobiliza assinando petições, financiando campanhas de anúncios, enviando emails e telefonando para governos, organizando protestos e eventos nas ruas, tudo isso para garantir que os valores e visões da sociedade civil global informem as decisões governamentais que afetam todos nós. 

Dizem eles.
Até aqui tudo bem, parece uma coisa simpática. Mas a parte mais interessante é aquela não dita.

Avaaz, que tem sede em New York, só em 2009 arrecadou 4,7 milhões de Dólares (4.767.187 para ser preciso). Nada mal, dinheiro que poderia ser investido em muitas boas acções. Mas além de pagar 120.000 Dólares ao presidente e 245.000 Dólares aos Chief Technical Officers (consultores), que faz Avaaz?

Na página italiana da organização está explicado que a acção de Avaaz teria sido bloqueada pelo Estado com a conhecida Legge Bavaglio (a Lei Mordaça). Mas isso é falso e por uma razão muito simples: foi a opinião pública a recusar a Legge Bavaglio que, consequentemente, nunca foi capaz de bloquear alguém.

Mas os problemas de Avaaz são outros.
Segundo o diário italiano Il Giornale, o dono de Avaaz seria o famigerado George Soros. Uma propriedade exercida de forma indirecta, óbvio. Na realidade, Soros é dono de Move.on, o movimento de Eli Pariser, um dos fundadores de Avaaz.

Em 2008, o ministro canadiano John Baird definiu Avaaz uma "obscura organização estrangeira" ligada ao bilionário filantropo George Soros. Outro canadiano conservador, Ezra Levant, tentou apresentar uma ligação directa entre Soros e Avaaz, mas o artigo foi mais tarde definido como infundado e foi oferecido um pedido de desculpas a Soros. Tudo isso aparece na versão inglesa de Wikipedia, pois naquelas de outros Países nem um pio.

Mas vamos em frente: quais os fundadores de Avaaz?
Entre eles é bom lembrar:

Thomas Stuart Price "Tom" Perriello, congressista democrático dos Estados Unidos, político que apoia a Guerra ao Terror, a ocupação do Afeganistão e que votou contra a ideia de Barack Obama para retirar as tropas do Paquistão. Também votou contra o Unemployment Compensation Extension Act of 2009, para a extensão dos benefícios aos desempregados. E ainda bem que o fulano é um Democrata...

David Madden, empreendedor australiano, já no Banco Mundial, já fundador de GetUp!, outra organização no-profit bastante criticada em pátria por causa do spam, dos ideais políticos (em nada "independentes"), pela maneira "alegre" como conta os inscritos (basta registar-se no site deles para ser considerado um membro efectivo), e por ter fornecedores que em nada ajudam o ambiente (pelo contrário: um deles, Harvey Norman, empenha-se na destruição das florestas australianas).

Paul Hidler, fundador de OpenDemocracy.net, um website de debate no qual já participaram Kofi Annan, George Soros, e que conta como financiadores a Ford Foundation e a Rockefeller Brothers Fund,

Eli Parisier e Ben Brandzel
, ambos de Move.On.

Ricken Patel
, fundador de Res Publica e Faithful America, já ao serviço da Rockefeller Foundation, da Bill Gates Foundation e do International Crisis Group (George Soros, Kofi Annan, Zbigniew Brzezinski, Jacques Delors, Shimon Peres) agora director executivo de Move.On.


Esta é Avaaz, uma das muitas organizações no-profit. Mas não seria mal se antes de apontar o dedo contra os males dos outros, explicasse o porquê de certas amizades e financiamentos "perigosos".
Ou talvez não, talvez fique tudo claro já assim.


Ipse dixit. 

Fontes: Avaaz, Orçamento 2009 Avaaz (ficheiro Pdf, em Inglês), Il Giornale, Wikipedia (versão inglesa)

19 comentários:

  1. Faz tempo que esse avaaz me deixa encucado. Procurando "avaaz" no meu email, acho os seguintes mencoes (teclado bugado):

    * Pare Robert Murdoch
    "Rupert Murdoch explorou o seu vasto império midiático para forçar a guerra no Iraque, eleger George W Bush, espalhar ressentimento contra muçulmanos e imigrantes, alimentar o ceticismo climático e enfraquecer a democracia ao atacar impiedosamente políticos que não obedecem suas ordens."

    * Contra a guerra as drogas
    "Especialistas concordam que a política mais sensata é acabar com a guerra às drogas e legalizá-las, mas a maioria dos políticos tem medo de tocar no assunto. Em dias, uma comissão global ira quebrar o tabu e pedir publicamente novas abordagens, inclusive a descriminalização e legalização de drogas."

    * Contra a Lei Azeredo (A SOPA do Brasil)
    "Recebemos uma notícia sensacional! A Câmara dos Deputados deveria ter colocado em votação o projeto de lei que criminaliza atividades cotidianas na internet: o PL Azeredo. Porém, a pressão de mais de 170.000 membros da Avaaz ajudou a adiar a votação."

    * Contra a Western Union
    "Vamos demandar que o Western Union diminua suas taxas para 5% para os países pobres e em desenvolvimento, quando a petição chegar a 250.000 nomes, nós as entregaremos para o seu conselho de diretores que é sensível à imagem da empresa."

    Sem contar nas tradicionais "Pare o Egito, "Parem a perseguicao ao Wikileaks" "Ficha Limpa no Brasil" e "Presidente Lula: não desista, salve a Sakineh!", alem do inusitado porem real "Salve as Abelhas".

    Dentre as peticoes propostas, vejo as mais diversas. Seria uma camuflagem das suas reais intencoes? Me parecem que algumas peticoes sao muito interessantes. Outras tendenciosas.

    E agora eu fico me perguntando: quais sao as reais intencoes de caras como George Soros?

    ResponderEliminar
  2. maria14.2.12

    olá Toni:Vê o último comunicado que recebi da AVAAZ.
    "Exatamente agora, o regime está matando homens, mulheres e crianças, e destruindo cidades. A China e a Rússia acabaram de impedir uma ação internacional na ONU e deram a Assad uma licença para usar sua máquina de assassinatos para esmagar a Primavera Síria de uma vez por todas. Entretanto, Danny e o movimento pela democracia estão mais determinados do que nunca e estão pedindo urgentemente pela continuação da solidariedade e apoio internacionais.
    Vamos ser claros - com embaixadas fechadas, agências médicas e jornalistas se retirando do país, a Avaaz se tornou a única rede capaz de tanto infiltrar equipamentos médicos e jornalistas, como extrair informações e imagens para fora da Síria. A ONU falhou, mas nós podemos ajudar heróis pacíficos da democracia como Danny a afrouxarem o controle do ditador em seu país."
    Comecei a receber petições e solicitação de contribuições financeiras por parte da AVAAZ faz tempo, e confesso que as primeiras que recebi fiquei meio balançada ( é incrível que mesmo depois dos 60 tem coisa que consegue me iludir!). Mas, tal como o Max, quando chegou na Libia, disse comigo mesma;Êpa, deste assunto eu entendo bem, aqui ninguém me passa para trás! Escrevi um enorme de um arrazoado combatendo a petição e mandei. É claro que nunca recebi resposta. Ainda assim não cancelei a vinda de mails, até para ver por onde caminhava a coisa. E vi, além do teu post, um monte de absurdos, passando por Belo Monte, para citar uma do Brasil e esta internacional, que postei agora, que é simplesmente sem palavras!!Depois de ler a pesquisa do Max, então, não resta a menor dúvida sobre a que serve mais essa cretinice globalizada. Se aparece alguma coisa digna de ser considerada deve ser resultado da briga interna dos filantropos chefes e seus interesses, ou simplesmente, como mencionas, cortina de fumaça. Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem,

      pelos vistos andamos aqui a aprender alguma coisa. :)
      Maria, quando na altura recebi no e-mail a petição da AVAZZ relativamente à Líbia, achei que eles poderiam estar enganados e afinal ser apenas um grupo que tenta enfatizar aquilo que os media passam, mas de forma despropositada. Essa petição nem assinei, como é claro.

      No entanto, têm existido muitas outras iniciativas, tal coo PIPA E SOPA que eu assinei .

      Lendo agora este artigo levanto a questão: Qual a grande finalidade?


      Abraço,
      --
      R. Saraiva

      Eliminar
  3. É Maria, devem ser estas cortinas de fumaça mesmo. Até cheguei a pensar se pessoas como estas não seriam heróis, mas logo me lembrei que heróis só existem na ficção.

    ResponderEliminar
  4. Porém são cortinas de fumaça mto bem elaboradas. Recebi um último email agora que diz lutar pelo sucesso do Ficha Limpa, lei aparentemente essencial no Brasil.

    ResponderEliminar
  5. Max, parabéns por esse belíssimo post, me abriu os olhos.

    Desconfiei desse comunicado que a Maria falou de que China e Rússia deram licença para o Assad assassinar. Achei estranho eles protegerem os EUA e demais estrangeiros que financiam descaradamente os "rebeldes". Agora fechou de vez, só de saber que George Soros, Bill Gates e outros ""caridosos"" estão envolvidos já é mais que suficiente pra não assinar mais nada.

    Obrigado, irmão. Amor e luz.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo14.2.12

    Max,

    Em algum comentário de post antigo no blog do 0db, disse que o boicote as corporações é andar por uma pista coberta de cascas de bananas. Taí a prova. Estas pragas se ramificam tanto e usam de tantas malandragens, que é quase impossível saber quem é quem na vera.

    Também fui mais um dos que assinaram contra SOPA e PIPA. E como bem disse Maria também fiquei tentado, no meu caso, em tirar do leite das crianças para contribuir. Depois pensei: "Ainda nem contribuí com ii, que muito aprecio e onde muito aprendo, como vou por meus poucos cobres nas mãos destes que sequer conheço?"

    Walner.

    ResponderEliminar
  7. Olá pessoal!

    Eu também tinha assinado algumas propostas de Avaaz, acho que até cheguei a inscrever-me.
    Paciência, acontece.

    Walner: "Em algum comentário de post antigo no blog do 0db, disse que o boicote as corporações é andar por uma pista coberta de cascas de bananas. Taí a prova".

    Sim, mas é preciso distinguir. A ideia de boicotar as corporações não é má. Só que as corporações não são estúpidas e criam estas organizações no-profit que baralham as ideias. Este é um dos objectivos delas: criar confusão para que a confiança neste tipo de iniciativas desapareça.

    Infelizmente, tendo financiadores que não poupam, têm recursos para uma maior visibilidade.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  8. Anónimo15.2.12

    Max,

    De forma alguma quis afirmar que o boicote não tem sua eficácia. Ele é o caminho alternativo ao canivete do Burgos. Me referia ao estado de alerta permanente que temos que ter ao trilhar este caminho, que como você bem disse, elas, as corporações, baralham as idéias e criam confusão para gerar desconfiança. Já narrei aqui em outra ocasião, meu périplo para conseguir conectar um computador que comprei, já lá se vão quase 2 meses. Seguindo teu conselho e nele realmente acreditando, fiz questão de um com Linux embutido. Bem, estou no aguardo da volta das férias de um amigo que pode me ajudar, poque à todos que peço ajuda, técnicos e curiosos, me aconselham instalar Microsoft. 0db tentou me ajudar, mas a distância, com meus parcos conhecimentos de informática, a coisa não andou. É disso que falo. Estamos sitiados. O engraçado é que quando se fala em Linux, as caras se transformam em caras de asco, de espanto, de incredulidade. Me senti o verdadeiro homem elefante. Agora só me resta minha teimosia de levar isto adiante. Vou boicotar sim o Bill Gates.

    Abraços.
    Walner.

    ResponderEliminar
  9. Em todos os meus computadores que já tive sempre usei cópias "alternativas" do sistema do Bill a princípio até ficava com sentimento de culpa, mas depois que vi o filme que conta a história deles, Bill Gates e do Steve Jobs,(Os piratas do vale do silício) nunca mais tive este problema. Num mundo capitalista e esta é a lógica do sistema o negócio é ganhar dinheiro e a minha única e não tão solitária forma de de protesto é usar do conhecimento que me esta disponível.

    "A maioria das inovações e invenções baseia-se em idéias que são parte do bem comum da humanidade. Por isso é inaceitável limitar o acesso à informação e ao conhecimento para proteger interesses particulares".

    *Philippe Quéau é diretor da Divisão de Informação e Informática da UNESCO.

    ResponderEliminar
  10. maria15.2.12

    Olá Saraiva: enfim, estamos aprendendo juntos, sim. Acho que essa é a ideia mesmo. Sobre a AVAAZ, a finalidade parece ser embaralhar, retirar crédito de iniciativas civis dignas e alcançar respaldo popular massivo em interesses estratégicos.
    Abraços

    ResponderEliminar
  11. maria15.2.12

    Olá todos: sobre o Linux, que fui aprender aqui com o pessoal do botequim do Max, que seria uma interessante estratégia de resistência e segurança, aconteceu uma coisa engraçada. O guri que vai fazer a instalação, a meu pedido, me fez a seguinte proposta: Olha, eu trago para a senhora, assim que der, outro computador emprestado com o sistema Linux, e a senhora experimenta. Depois me diz se quer trocar, porque sabe como é, não!? Não é um sistema muito amigável. Olhei para o rapaz e li o pensamento dele: Duvido que esta velha saiba lidar com isso! Em todo caso, não desisto fácil de uma oportunidadezinha de fazer algo interessante, apesar de me reconhecer um asno neste assunto de computadores. Mas vou esperar o guri trazer o Linux instalado, e vamos ver que ocorre. Abraços

    ResponderEliminar
  12. Olá Maria!

    Olha, eu utilizo um computador com o disco rígido divido entre Windows e Linux. Este último é um sistema muito estável (muito mais do que Windows), há um oceano de programas disponíveis totalmente gratuitos. Único problema: faltam alguns drivers para determinadas impressoras, e este é o único motivo pelo qual ainda não abandonei Windows.

    Fico surpreendido com a afirmação do técnico. Explico.

    Contrariamente ao sistema Windows, no Linux há muitas "distribuições", como são definidas. Cada distribuição apresenta interface e recursos diferentes. Há interfaces apenas textuais (inutilizáveis por parte dum utilizador comum), há outras com o mesmo nível de simplicidade Windows (desktop, ícones e tudo o resto). Ubuntu é uma destas últimas.

    Dificuldades? Há determinadas operações (muito poucas, diga-se) que diferem um pouco do Windows: mas nada que possa criar autênticos problemas. E que são compensada por outras vantagens: por exemplo, esqueçam o antivirus, esqueçam o firewall, nada disso serve com Linux. Isso tanto para não lembrar mais uma vez a enorme quantia de programas "de borla" (é só baixar, instalar e utilizar), que fazem praticamente tudo e mais alguma coisa.

    Claro, se depois vamos instalar a versão textual original finlandesa, então sim, alguns problemas vão surgir...

    Caso contrário, não existe nada (mas nada mesmo) que um rápida pesquisa no Google não possa esclarecer: fórum de utilizadores entusiastas (de todo o mundo) e guias (oficiais e não) são coisas que não faltam.

    Abraçooooo!!!

    ResponderEliminar
  13. Boicote...eu boicoto, no meu pequeno. Há tempo eliminei McDonald´s, Coca Cola e Pepsi, controla a origem dos vegetais e da fruta que compro, nada de gasolina dos três grandes distribuidores em Portugal, nada de garrafas de água vindas do estrangeiro, as visitas nos centros comerciais ficam cada vez mais raras, mais outras coisas.

    No computador não encontram nada de "original", mas nada mesmo: ou um recurso é gratuito ou chega...com outras modalidades.
    No geral fico afastado das marcas multinacionais. Vantagens? Poupança e ajuda para as empresas mais pequenas. Que muitas vezes são inovadoras mas não têm capacidade para alcançar o mercado.

    Gostaria de dizer que não sou um maníaco do "contra": não circulo com o emblema anárquico tatuado na fronte, não sou fanático. Simplesmente, fiz algumas escolhas com as quais me sinto melhor.

    Poderia fazer mais? Sim, sem dúvida, e tenciono melhorar neste aspecto. Mas não tenho pressa, sei que não posso mudar o mundo sozinho, por isso não faz sentido atropelar a minha vida dum dia para outro com estilos que não são meus.

    Quando encontrar algo de errado digo "Ok, acabou-se" e a partir daí deixo de fazer uma coisa ou de comprar algo.

    Não é muito, mas às vezes penso: e se todos fizessem o mesmo? Acho que o mundo seria um lugar ligeiramente melhor; os problemas não estariam resolvidos, mas algumas grandes marcas deveriam rever as próprias posições.

    Talvez Avaaz e companhia não são indispensáveis.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  14. Olá maria... pensei que tinhas feito como eu e instalado tu o sistema operativo!!!

    Eu fui sacar os ISO ao sitio do Debian gravei em Dvd e instalei de raiz... escolhi a opção de encriptação das partições blá blá blá, blá blá blá e aqui estou eu... Só em Pacotes (programas) tenho à escolha mais de 28000 e basta ir ao gestor de pacotes synaptic e pimba... é sempre a andar... se for preciso ele pede o dvd e eu dou-lhe!
    Melhor que isto? Não conheço!
    Quanto a drivers... aí está uma das formas da máfia tentar manter a quota de mercado... pois ao não disponibilizarem as informações técnicas para a comunidade os crânios do software livre não conseguem criar os drivers para Linux... mas a solução é fácil! Comprar hardware compatível LINUX! e pronto não há mais desculpas!

    A FADA JÁ TEM NET...

    ResponderEliminar
  15. Olá Max e Voz: muito obrigada pelas informações. Já que eu sou um asno em computação, pelo menos tenho amigos que não são! Então já repassei essas informações para o guri que vai fazer a instalação, porque provavelmente ele também já tem a cabecinha formatada para windows somente, e com isso posso até estar ajudando o garoto a re formatar-se de uma maneira outra. Abraço

    ResponderEliminar
  16. Anónimo13.3.13

    É simples resolver isso: O que vocês acharem justo assinar, assinem. O que não for não assinem! Para que deixar de usar uma ferramenta disponível dessas? Essas pessoas que disponibilizam esses serviços não têm moral, para eles o que importa é o dinheiro que entra. Fazem jogo duplo.
    Façamos jogo duplo também: não contribuirmos e divulgarmos a origem dos seus idealizadores. Que eles sejam os trouxas!
    Por outro lado é bom saber também quem o utiliza preterindo a outros programas de petição, pra dar força ao Avaaz levando-o a supremacia e enterrando os outros.

    ResponderEliminar
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  18. Bom...como todos aqui, tmb assino a AVAAZ e tmb indaguei sobre o que poderia estar por trás de tanta ideologia, uma vez que já adquiri informações suficientes para conquistar a compreensão de como as coisas verdadeiramente acontecem. Não podemos + simplesmente aceitarmos o que eles nos jogam na cara por todos os dias.
    A grande pergunta é: o quê podemos fazer e se isto irá ajudar. São as pequenas Mudanças que interferem no Todo.
    ATITUDES DIFERENTES PROMOVEM RESULTADOS IMEDIATOS SURPREENDENTES.
    Compactuo com o Max na forma como descreve as Mudanças que vem promovendo e são estas Mudanças espontâneas que irão Mudar o rumo das coisas.
    A maior Mudança que promovi foi quando parei de comer carne. Nossa...é Fantástico, vc sente-se + leve, e não é no estômago não, é na Alma. Comecei a abordar o assunto com Amigos e estou divulgando o documentário “A carne é fraca” nas Redes Sociais. Algumas Pessoas já pararam e sentem-se movidas a fazerem o msm, de espontaneamente alertarem aos outros o descalábrio que estamos cometendo. Meu irmão tinha uma galinha de estimação que onde ele ia ela andava atrás. Tenho uma Amiga que tem no sítio um porco, o Max e uma vaca, a Lady, são de estimação, ou seja, ela os trata de maneira diferente. O Max e a Lady fazem a msm festa e emanam os mesmos sentimentos que o seu cachorro ou gato. Eles são incríveis, dóceis,inteligentes, conversam e emitem Amor. E o que faz toda a Diferença é a forma como são tratados.
    No quesito vestuário, as de marca faz tempo que aboli e estou na fase de adequação quanto aos produtos de limpeza. Estou descobrindo, por exemplo, que vinagre e bicarbonato de sódio promovem o msm princípio, naturalmente, que as grandes indústrias precisam pesquisar em Animais através da vivificação. Absurdo, não é mesmo? O vinagre e o bicarbonato quebram a molécula da sujeira, promovendo a limpeza do tecido ou objeto, simples assim. Experimente, vc vai gostar. Espalhe para sua Família e Amigos e em pouco tempo esta Atitude irá fazer Diferença.
    Resumindo, quero dizer que a proposta ideológica que a AVAAZ utiliza, mas não pratica, pode e deve ser exercida por cada Ser que tem como Objetivo a Evolução. Li todos os comentários desta postagem e identifiquei que todos são, parabéns ao Editor e a todos os seus Leitores, modéstia à parte senti-me em casa.Obrigada.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...