13 março 2012

MOP, a mãe de todas as bombas

Uma boa notícia para todos os Leitores que têm medo de ser possíveis alvos no caso dum ataque militar iraniano: os Estados Unidos apresentam a "Mãe de todas as bombas" não nucleares, o MOP, Massive Ordnance Penetrator.

Agora podem ficar descansados: Teherão tem que cuidar-se e repensar nos seus planos para conquistar o mundo e arredores. Agora temos o MOP. E o MOP não brinca, em particular quando se encontra em serviço.

Mas afinal o que é este MOP?
É simples: o MOP é um bunker bluster, uma bomba projectada para penetrar nas instalações subterrâneas dos inimigos e fazer um massacre.

Este tipo de arma não é uma novidade e o exército dos Estados Unidos já tinha bombas como estas. Só que não eram suficientemente "massacradoras". Era preciso algo mais, algo de mais mortífero.

Em 2002, o Northrop Group e a Lockheed Martin já estavam a trabalhar numa bomba de 13.000 quilos, conhecida como "Big Blue", mas o projecto tinha sido abandonado por causa do custo e das dificuldades técnicas. Mas a guerra do Iraque, em 2003, revelou que os bunker bluster americanos não eram suficientes: sim, causavam mortos, mas não tinham muita graça.

Foi assim que as empresas retomaram o interesse no projecto Big Blue, e finalmente, em 2007, o Northrop Group anunciou os primeiros testes. Claro, eram precisos mais fundos, mas para boa sorte na Casa Branca estava um Nobel da Paz: em 2009 o Pentágono recebeu ordem para acelerar o projecto e em Fevereiro de 2012 outros 81.6 milhões de Dólares foram destinados aos futuros desenvolvimentos.

Agora, finalmente, o General Herbert Carlisle pode anunciar:  
Massive Ordnance Penetrator [MOP] é uma grande arma
E são satisfações, sem dúvida, sobretudo se o general em questão acrescentar que este MOP poderia ser usado num ataque contra Irão.

Mas é uma grande arma? Sim, de facto é. É a maior bomba não nuclear e pode perfurar mais de 60 metros de cimento armado antes de detonar. Em termos de capacidade destrutiva, é a arma mais assustadora desenvolvida pelo Pentágono na última década.

Comprida 6.2 metros, a bomba MOP tem um diâmetro de 0.8 metros, um peso de quase 14.000 quilos, transporta 2.4 toneladas de explosivo e, como já referido, pode penetrar 60 metros de cimento. Custo unitário: 14 milhões de Dólares. O que não é muito considerada a alegre situação económica dos Estados Unidos.

Contra-indicações? Só uma: o MOP mata tudo, militares e civis, pois infelizmente não é capaz de fazer distinções. Pouco mal, já sabem: ao encontrar um MOP melhor mudar de passeio. E evitem os bunkers.

É melhor que Teherão (mas também a Coreia do Norte) mude os seus planos de conquista: MOP está aqui para defender os inermes cidadãos do Ocidente livre.


Ipse dixit.

Fontes: Globalresearch, Reuters

9 comentários:

  1. Anónimo13.3.12

    se o irã quiser pode destruir israel sem msm usar uma unica bomba, basta enriquecer uranio a 20% de pureza e enterrar esses isotopos nos arredores dos lagos de israel o sistema hidrico fikaria impropia para consumo.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo13.3.12

    plano de conquista? desde quando a coréia do norte tem algum plano de conquista, um país que não consegue nem alimentar a própria população, mesma situação no irã. Alienado que escreveu este post,você deveria temer mais aos EUA e sua política imperialista do que a países como coréia do norte e irã, que sofrem pressões externas constantes da agressividade imperialista daquele país, os coitados não conseguem nem respirar com tantas sanções econômicas e ameaças de ataque militar que recebem por que não se submetem às regras ditadas pelo império Americano.

    ResponderEliminar
  3. eles estão sendo muito bonzinhos , eu acho . pra eles , seria melhor resgatar o projeto da Tzar Bomba da velha URSS e acabar com Irã , Coréia e metade do mundo . não é exatamente isso o que eles querem ?

    ResponderEliminar
  4. Olá Anónimo 1!
    Minha nossa, envenenar a água? Cuidado, o Mossado pode sempre achar isso uma boa ideia...

    Olá Anónimo 2!
    Alienado eu? Nem por isso: porquê então os EUA querem acabar com o Irão? Para proteger-nos, parece-me óbvio.

    Olá Felipe!
    Sim, de facto o objectivo é este: eliminar as formas de resistência. Irão, China e Rússia (pois a Coreia não conta: existe até existir a China).
    Seria o digno sucesso do Século Americano. Só que não vai resultar...

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  5. Anónimo14.3.12

    eu sou o anônimo 2! cara, se você acha mesmo que o objetivo dos EUA é proteger o ocidente dos 'caras maus do oriente' então você não é digno de escrever sobre geopolítica. E desde quando é comemorável o desenvolvimento de mais uma arma de destruição em massa, principalmente por um país como os EUA, hostil a tudo o que contraria os seus desígnios econômicos e políticos, qualquer um que saia da linha, pode ser irã ou portugal, está sujeito a sofrer as consequências que o irã está sofrendo, e quando eu digo sair da linha eu me refiro a não seguir a doutrina capitalista dos EUA, que está se mostrando a mais nociva possível à humanidade, tanto no aspecto social como ambiental e em vários outros campos. Um modo de vida desse que os EUA Querem implantar com a globalização não deve ser defendido por quem tenha o mínimo de bom senso, é preciso encontrar alternativas viáveis, não sair por aí glorificando a política militarista de qualquer país que seja, pessoas que seguem essa sua linha de raciocínio não são as mais indicadas para participar da trilhagem de um bom caminho para a civilização!

    ResponderEliminar
  6. Olá Anónimo 2!

    Eu acho que o MOP é uma grande arma: sabemos que os Iranianos têm o vício de esconder-se debaixo da terra para a projectação e construção de ogivas atómicas (na minha óptica eles já têm mais do que uma, pois sabemos que o urânio chega da Coreia do Norte, onde não falta).

    Agora, vamos ver: sabemos que o Islão é algo de incompatível com o Ocidente, sabemos que Israel está em perigo (o presidente iraniano já afirmou publicamente que o o objectivo dele é a "extinção do Estado israelita), sabemos que Al-Qaeda tem campos de treinos no Irão.

    Deveriam os Estados Unidos (e os com eles) ficarem parados perante estas ameaças? Deveriam os EUA abdicar do histórico papel de protecção que conseguiu assegurar o desenvolvimento conseguido ao longo das últimas décadas?

    Convido o Anónimo a reflectir: quais Países podem hoje proteger o crescimento continuo da nossa sociedade?

    Não os Países da Europa, que enfrentam outros problemas; não os Países da América do Sul, ainda em fase de desenvolvimento. Não sobram muitos.

    A arma MOP enquadra-se nesta óptica defensiva: a destruição dos arsenais militares escondidos, aqueles que ocultam as armas de destruição maciça.

    E, talvez, a morte de centenas de civis inocentes, pois sabemos que muitas vezes os abrigos subterrâneos são utilizados como extremo refugio. Mas é um preço que teremos de pagar, por duas razões:
    1. é a única forma de defender o Ocidente
    2. afinal são árabes, nossos inimigos históricos, que nem acreditam na Bíblia.

    Podem parecer afirmações duras, mas é a realidade: o Ocidente precisa de ser defendido.

    Uma dica antes da sua resposta previsivelmente indignada: tente ler um pouco mais do blog, não apenas um artigo, pois muitas vezes as coisas não são o que parecem ser: andam por aqui pessoas que dizem A para dizer B...

    Abraço!

    ResponderEliminar
  7. Anónimo14.3.12

    ainda o anônimo 2! você até tem uma certa razão, mas eu não acho que essa mentalidade do século XII de cruzados partindo para a terra santa seja compatível com a conjuntura do século XXI, com todo o conhecimento que a humanidade possui já deveríamos ter a noção do que é certo e errado e encontrar opções sensatas para resolver problemas, mas como a maioria absoluta das pessoas ainda é guiada por seus instintos primitivos e não pela razão/lógica que apenas os seres humanos possuem, ainda temos problemas que parecem extraordinários mas que poderiam ser resolvidos facilmente com a capacidade racional que temos, a necessidade que os países tem hoje de empreender guerras como solução para problemas é uma ofensa à natureza humana, tal atitude só é aceitável em animais irracionais. mas como eu em nada vou poder interferir nesse fase da evolução da nossa história, só posso observar e saber que se a humanidade sobreviver à fase atual de barbárie que vivemos, em um futuro distante a nossa geração vai ser vista sob o mesmo ponto de vista que nós hoje vemos os homens do paleolítico (pessoas que vivem em uma sociedade rudimentar e resolvem os problemas fazendo uso de violência por não terem uma capacidade racional desenvolvida e nem entenderem o que significa a essência do ser humano!

    ResponderEliminar
  8. Anónimo 2!

    Obviamente, como deve ter percebido, fingi apoiar a ideia dos Estados Unidos (a super-bomba) para na verdade denunciar uma verdade alucinante: a primeira potência mundial, governada por um Nobel da Paz, anda a construir uma nova arma mortífera que, provavelmente, será utilizada numa próxima e eventual guerra contra o Irão.

    País que, lembro, ainda não tem uma arma atómica: e mesmo que tivesse uma, não é claro porque Israel pode ter centenas de ogivas e o Irão não.

    Mas este é outro discurso.

    "se a humanidade sobreviver à fase atual de barbárie que vivemos, em um futuro distante a nossa geração vai ser vista sob o mesmo ponto de vista que nós hoje vemos os homens do paleolítico (pessoas que vivem em uma sociedade rudimentar e resolvem os problemas fazendo uso de violência por não terem uma capacidade racional desenvolvida e nem entenderem o que significa a essência do ser humano!"

    Assino por baixo. Milhares de anos de evolução para chegar a uma bomba que perfura 60 metros de rocha? Este é o que conseguimos apresentar perante as futuras gerações?

    Abraço!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo14.3.12

    novamente anônimo 2! tá explicado então. eu até tinha percebido um certo ar de ironia naquele post e nos seus argumentos mas depois achei que estava falando sério. se eu tiver te ofendido me desculpe, mas eu fiquei indignado ao pensar que tinhas uma mentalidade daquela, eu me enganei por que é a primeira vez que entrei neste blog, não sabia dessa maneira de abordar os assuntos(ironia e sarcasmo) e dei de cara logo com aquele post, quando você me explicou agora caí na gargalhada lembrando do mau humor que fiquei depois que li aquele post. agora achei bem legal este blog, vou passar a acompanhá-lo, se me permite!.

    Abraços!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...