17 abril 2012

Al Quê?

Notícia Ansa, dia 15 de Abril:
Pelo menos dez mortes, incluindo três líderes locais da Al Qaeda, o resultado de um ataque aéreo hoje no sudeste de Sanaa e de outros actos de violência atribuída à rede terrorista. É este o relatório do Ministério da Defesa. No ataque, que os serviços de segurança atribuem a um drone dos EUA, foi atingido  um carro no qual viajavam três líderes da Al Qaeda.
As outras três vítimas são crianças mortas por uma bomba enquanto caminhavam até a escola e quatro militares auxiliares mortos em outros ataques.
Esta é uma notícia interessante. Com ela é possível perceber que no Iemen os líderes de Al Qaeda são como os mandarins no verão: crescem em cachos, cinco ou seis de cada vez, tão exuberante e espontânea é a produção.

Muitos deles apodrecem mesmo antes de ser recolhidos. Outros, mais afortunados, são transportados em enormes poleiros subterrâneos, constantemente iluminados, onde crescem com velocidade surpreendente. Em duas semanas, o pequeno terrorista já conhece o Alcorão de cor.

E se perguntarmos "Desculpe, que horas são?", ele responderá sem hesitação "Akbaru Allah!", Alá é Grande. Após cinco semanas já é capaz de preparar uma mistura com um pouco de TNT e geleia de cereja. Os mais talentosos são capazes de misturar TNT com o Cozido à Iemenita e depois fazem explodir a avó como teste. Obviamente a família aplaude, satisfeita da precocidade da criatura, porque os Árabes são todos terroristas, nem um escapa.


Uma vez crescidos, tornam-se terroristas adultos e começam a organizar ataques em todo o mundo. O trabalho não falta e nem as armas. Também haveria as armas atómicas e os outros brinquedos de destruição maciça (antes fornecidos pelo Iraque, agora o sponsor é o Irão), mas neste ponto os terroristas de Al Qaeda são irremovíveis: matar criaturas inocentes sim, sem problema, mas nunca com armas de destruição maciça, é uma questão de honra e não só. Não tinha sido o mesmo Maomé a dizer "Mata o infiel com a espada mas nunca com o átomo, caso contrário podes esquecer as 72 virgens"?

Os verdadeiros problemas de Al Qaeda são outros: há chefes, só chefes, chefes em todo o lado.
Todos querem ser chefe, a competição torna-se feroz, há centenas de candidatos por semana. Muitos têm saudade de quando "havia ele", mas sabemos que foi sepultado no mar, segundo a mais rigorosa tradição islâmica, e os bons velhos tempos já foram.

A proliferação de chefes explica porque os Estados Unidos nunca matam simples militantes: cada vez é um chefe, cada tiro um melro. Doutro lado não é difícil: os líderes são tantos que são obrigados a ir no mesmo carro três de cada vez (são chefes mas são sempre de Al Qaeda, por isso não são muito inteligentes).

Os terroristas, pelo contrário, têm sempre grandes problemas de pontaria: quando matam, matam inocentes, só por mero acaso conseguem atingir uns militares. O único reconhecido caso de grande pontaria terrorista foi há mais de dez anos, quando um grupo de terroristas que nem sabiam voar conseguiu abater dois arranha-céus em New York com aviões comerciais. 

Sorte dos principiantes? Pode ser. Mas será bom lembrar que na altura ainda havia "ele".
Outros tempos.


Ipse dixit.

Fontes: Ansa, Luogo Comune

2 comentários:

  1. maria17.4.12

    Na mosca!! Se algum dia o ocidente virar terra de gente emancipada e independente (o que duvido), e contarem às crianças no que a maioria dos adultos acreditavam, elas é que não vão acreditar! Abraços

    ResponderEliminar
  2. Ha que isso! Vcs são incredulos demais.
    Porque pelo que eu fiquei sabendo que o papai Noel disse,que o coelho da pascoa disse,que o responssavel em quardar as armas de destruição em massa do Iraque disse,que o cara que quase foi atropelado pelo avião que atingiu o pentagono,falou que o ET de varginha andou espalhando,que o Bush comentou que é tudo verdade.Incredulos!!!!#"&%=/&540

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...