15 maio 2012

O funeral do €uro? Calma, ainda falta um bocado...

Diz Paul Krugman no blog dele:
Alguns entre nós falou disso e é assim que pensamos acerca de como vai acabar este jogo:

1. Saída da Grécia do Euro, provavelmente no próximo mês.

2. Retiradas maciças de dinheiro dos bancos espanhóis e italianos, porque os depositantes tentarão movimentar o próprio dinheiro em direcção da Alemanha.

3a. Talvez, apenas como possibilidade, o controles de facto, para proibir que os bancos possam transferir os depósitos fora do País e limites para os levantamentos em dinheiro.

3b. Alternativamente, ou talvez em conjunto, pedido de enormes crédito ao BCE para evitar que os bancos entrem em colapso.

A Alemanha pode escolher:
  1. Aceitar a persistência das enormes dívidas públicas da Itália e Espanha, bem como uma revisão drástica da estratégia, essencialmente para dar a Espanha, em particular, uma esperança de manter as taxas de juros baixas para garantir a contenção da sua dívida e uma meta de inflação maior na área do Euro para garantir que os preços possam realinhar-se.
  2. Fim do Euro.
E estamos a falar de meses, não de anos, para ver o fim deste jogo.
Faz sentido. Faz.
É este o futuro imediato? Pode ser, mas não acho.

Que fique claro: o destino de Euro já está marcado, no máximo pode ser adiada a data final. Só que assim é demasiado simples. Krugman esquece (ou melhor: finge esquecer) que o Euro é muito mais de que um projecto monetário ou económico, é também e sobretudo um projecto político. É a outra face do projecto chamado Dólar.

É verdade que na fase final duma expansão monetária não há maneira de evitar o colapso e o choque posterior; podemos adiar, como afirmado e tal como aconteceu nos últimos anos, mas não evitar.
Mas com a queda do Euro entra em crise também a União Europeia e isso não vai acontecer de forma tão básica: hã forças que tentarão tudo e mais alguma coisa para evitar que isso possa acontecer, inclusive a opção militar.

Não é simples, pois na Europa não somos acostumados às medidas autoritárias que costumam ser tranquilamente aplicadas pelos Estados Unidos (dentro e fora dos próprios confins): mas se a Eurogendfor foi criada, alguma utilidade terá que ter cedo ou tarde.

(Inclusive: encontrei um artigo segundo o qual a "superpolícia" europeia já estaria na Grécia, mas nada de confirmações, por isso fica apenas a dúvida.) 

Não estamos a lidar só com um grupo de economistas loucos que moram em Bruxelas: é mais do que isso, pois a economia é o instrumento, não o fim. 

O que Krugman faz é continuar a atitude de "terrorismo" geopolítico na esperança de poder acelerar a queda do Euro, pois sabe que nesta altura até um "empurrãozinho" pode ter sérias consequências. Há anos que observamos estes "empurrãozinhos" anglo-saxónicos, que cedo ou tarde serão bem conseguidos.
Na altura, o Dólar terá um pouco de oxigénio, necessário em vista do conflito com o bloco russo e, sobretudo, asiático. 

O Euro, por seu lado, nasceu com o DNA estragado (ignorou-se a Área monetária óptima, por exemplo, na convicção de poder sucessivamente optimizar todos os Países da Zona NEuro) e o destino está marcado.

Tony Thirlwall, um dos mais conceituados economistas keynesianos, no livro The Folly of the Euro ("A folia do Euro", 1998, pág. 5. É favor reparar na data...):
Podemos todos nos unir por trás da bandeira do desejo de paz e da cooperação na Europa [...] mas mesmo que a união política fosse uma meta desejável, o euro seria uma estrada cheia de perigos e com igual probabilidade poderia levar à desintegração da integração económica e política. O "pensamento positivo" dos políticos muitas vezes têm o péssimo hábito de afastar o senso comum.
Mas as Mentes Pensantes de Bruxelas não vão abandonar os jogos tão facilmente e Krugman precisará de outros empurrãozinhos.
Não muitos, mas ainda alguns... 


Ipse dixit. 

Fontes: Paul Krugman, Wikipedia, Goofynomics (contém link para a versão inglesa em Pdf do livro de T. Thirlwall)
Imagem: Patrick Blower

9 comentários:

  1. Engraçado como todos os diários tem tratado da "crise europeia" e nada mais se trata dos EUA. Será que já se recuperaram? hauhauhauhauhauha

    ResponderEliminar
  2. voz a 0 db15.5.12

    Assim é melhor... Apanha a MANADA desprevenida... Lá para a 1ª metade de 2013 a merda vai bater na ventoinha e depois... É agarrar na prancha de surfe e esperar pela onda gigante! Que comparada à de 2008, esta, é ligeira ondulação!

    Estes 2 biliões de dólares foram uma racha pequena que mostra a treta da contabilidade oficial! Quando a contabilidade paralela (na off-shore da CoL) rebentar não há para onde fugir... ihihih

    ResponderEliminar
  3. Anónimo16.5.12

    Aqui está um pequeno video que o Voz ( se ainda não viu) vai apreciar. Nigel Farage no seu melhor.

    Divirtam-se:

    http://www.youtube.com/watch?v=h6IDAcFnw_o

    Krowler

    ResponderEliminar
  4. Anónimo16.5.12

    E que tal este?

    http://www.youtube.com/watch?v=c0QuYI6bK3g

    Krowler

    ResponderEliminar
  5. Ricardo16.5.12

    É... o que está acontecendo? Dollar subindo muito... Euro sobe e desce, mas tendendo à subir... Real brasileiro caindo.... em 2 semanas o EURO era 2,45 reais.. agora é 2,67... o que acontece???

    Vai continuar? Vai despencar? Preciso transferir meu dinheiro do brasil pra cá! :)

    [ ]s

    ResponderEliminar
  6. voz a 0 db16.5.12

    Olá Krowler... Já vi esse e muito outros desse bacano... Adoro é ver as expressões dos mafiosos quando os chamam pelos nomes devidos!

    @Ricardo: O EURO sobe e desce, mas tendendo a subir? Ó Ricardo diz-me lá para que Dimensão é que foste!?!

    ResponderEliminar
  7. Anónimo16.5.12

    Max, gostaria de ver você explorar, se possível, a obra Republica, de Platão.


    Platão escreveu a Republica e é nessa armadilha que hoje vivemos.

    É suposto o socialismo ser um movimento dos povos contra o poder capitalista, mas como explica um documentário já um bocado antigo chamado "the capitalist conspiracy" quando vamos tentar perceber quem são os capitalistas, descobrimos que são socialistas ricos, e que enriqueceram sempre com a mentira ideológica com que atraiçoam o povo.

    De facto controlam totalmente a retórica nos seus meios de indoctrinação, pela repetição conseguiram convencer a maioria da população que estão em oposição uns aos outros, mas na realidade a retórica é a própria guerra contra a população.

    Obrigado.

    ResponderEliminar
  8. Olá Anónimo!

    "gostaria de ver você explorar, se possível, a obra Republica, de Platão."

    Tudo é possível, é só pedir.
    Neste mesmo canal, nos próximos dias.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  9. Ricardo16.5.12

    O Euro em relação ao dollar começou o ano baixo e ficou estável num valor bom... agora que tá caindo... bem recentemente...

    Porém, em relação ao Real... cresce mais do que o dolar até... qual o sentido disso? Aí comprar Euro não dá!!!

    AHHH!!!

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...