25 maio 2012

Sim, mas afinal o que merecemos?

Pessoal,
obrigado pela participação, mas queria realçar uma coisa: eu não me queixo do número das visitas, não é isso que está em causa.

Já disse muitas vezes que se a ideia fosse ter dezenas e dezenas de comentários, então teria aberto bem outro tipo de blog, isso é mais do que óbvio.

Os Leitores são poucos? Para mim não são: centenas de pessoas que diariamente consultam o blog ou recebem os artigos via e-mail ou feed não é pouco na minha óptica (e sempre considerando os temas tratados).

Reportei o número dos comentários como simples comparação: quando o assunto for uma teoria da conspiração, os comentários "disparam" (sempre relativamente à média do blog), quando o assunto for a realidade, os comentários baixam ou até desaparecem.

Estes são factos e são tristes.

Muito chororô? Sim, estou a queixar-me. Porque com todos os problemas que temos, problemas bem reais e tangíveis, muitos entre nós gastam o próprio tempo atrás de contos de fada.

Percebo, é uma forma de evadir da realidade, é mais fácil acreditar no bicho-papão do que tentar perceber que o mal não está fora mas no interior, mesmo aqui ao lado ou até em nós e na nossa forma de viver.

E significa também que internet está a fazer o próprio "dever", espalhando ideias sem pés nem cabeça para afastar cada vez mais as pessoas da compreensão dos verdadeiros problemas.

Num mundo dominado por um sistema político-económico corrupto, ineficiente e injusto, a maioria das pessoas nem quer saber, outros que supostamente têm um mínimo de curiosidade escolhem seguir contos infantis.

Isso é deprimente. Mas ainda mais deprimente é a reacção destas pessoas quando é feita notar a natureza das ideias em que acreditam (isso é, contos). Incapazes de demonstrar as próprias afirmações, limitam-se a repetir o que outros escreveram.

Reparem: muitas vezes estamos perante pessoas com capacidade de raciocínio, por vezes nada mal mesmo. Um potencial desperdiçado que este blog não consegue "recolher".
Mau.

Depois há outra questão. Ainda??? Sim, ainda.

Mudar

Neste início de terceiro ano de Informação Incorrecta, pergunto: qual a utilidade deste blog? E não respondam "mas aprendi coisas que antes não sabia", porque o mesmo efeito pode ser obtido com Google e um pouco de paciência.

Sejam honestos: alguém mudou a sua própria atitude após ter lido o blog?

Sobretudo: tomou alguma iniciativa?

Porque o enriquecimento pessoal é importante, tudo bem; só que depois temos que fazer algo do ponto de vista prático, não é?

O que eu acho (o que eu vejo) é nada. Passamos o tempo aqui, percebemos algumas coisas, mas depois? O que isso adianta se faltar uma consequência prática?

Um blog não muda a vida, raramente ensina algo, mas pode funcionar muito bem como estímulo.

É por isso que o meu maior pesadelo no ponto de vista da gestão do blog não é o número das visitas mas uma forma esquemática e cada vez mais acessível para consultar quanto publicado. Que, repito mais uma vez, não são "lições" mas pontos de partida.

Tudo o que foi escrito e comentado ao longo destes dois anos deveria servir como um estímulo para fazer algo na vida.

Vou fazer um exemplo acerca dos perigos que corremos.

Hoje, como todos os dias, espreitei um bom número de páginas internet à procura de notícias interessantes e úteis.
Resultado: zero.

São coisas que já foram ditas, de várias formas, mas sempre as mesmas. É penoso observar bons blogues ou sites obrigados a mover-se sempre em círculo, repetindo até a náusea coisas que todos os Leitores sabem de cor.

Eu não quero acabar assim, não quero que Informação Incorrecta se torne um blog onde as pessoas vão apenas para reforçar ideias e noções que já têm. E, acreditem ou não, a única maneira para evitar isso é que os Leitores tomem uma atitude activa.

O blog não fecha, já disse isso muitas vezes. Mas ninguém pode impedir-me de perguntar qual a utilidade deste trabalho que, na minha óptica, deveria ir muito além do enriquecimento pessoal.

Comentou um Anónimo há uns dias:
Cada dia mais vejo os esforços de Max em tentar atingir os leitores para que façam alguma coisa e tomem alguma atitude.
É isso, Anónimo, é mesmo isso,

Tivemos dois anos para perceber como funciona esta raio de sociedade hipócrita e corrupta, ainda estamos longe de ter este resultado no total; mas seja como ponto de partida para ulteriores pesquisas, seja como forma de reflexão, mesmo assim algumas coisas já ficaram suficientemente claras e dão para fazer algo.

Sem fazer nada, tudo fica entre nós.

Então qual a diferença entre Informação Incorrecta e um blog que fala da chegada de Nibiru? Não há diferença: ambos falam de coisas que ficam entre um restrito círculo de adeptos, sem nenhum ligação ou influência no mundo real.

É curioso, pois mesmo partindo de pressupostos totalmente diferentes (o nível dos Leitores, por exemplo), o resultado fica na mesma. O que é preocupante.

Gostaria de saber o que pensam os Leitores.
E bom fim de semana para todos, claro.


Ipse dixit.

45 comentários:

  1. Anónimo25.5.12

    É muito importante defender a liberdade de expressão.
    O texto que segue mostra-nos que não podemos desistir de procurar fazer alguma coisa:
    «...Lamentavelmente, a política económica suicidária da UE, que resultou nas tragédias que ja todos conhecem, acresce a queda do Governo Holandês (ironicamente, acérrimo defensor da austeridade) e o agravamento da recessão em Espanha. Por conseguinte, a zona euro vê oseu espaço de manobra cada vez mais reduzido e os ataques dos especuladores são cada vez mais mortíferos. Vale a pena lembrar umavez mais que o Goldman and Sachs, o Citygroup, o Wells Fargo, etc. apostaram biliões de dólares na implosão da moeda única.
    Na sequência dos avultadíssimos lucros obtidos durante a crise financeira de 2008 e das suspeitas de manipulação de mercado que recaíam sobre estas entidades, o Senado norte americano levantou um inquérito que resultou na condenação dos seus gestores. Ficou também demonstrado que o Goldman and Sachs aconselhou os seus clientes a efectuarem investimentos no mercado de derivados num determinado sentido.
    Todavia, esta entidade realizou apostas em sentido contrário no mesmo mercado. Deste modo, obtiveram lucros de 17 biliões de dólares (comprejuízo para os seus clientes).
    Estes predadores criminosos, disfarçados de banqueiros e investidores respeitáveis, são jogadores de póquer que jogam com as cartas marcadas e, por esta via, auferem lucros avultadíssimos, tornando-se, assim, nos homens mais ricos e influentes do planeta. Entretanto, todos os dias são lançadas milhões de pessoas no desemprego e na pobreza em todo o planeta em resultado desta actividade predatória. Tudo isto, revoltantemente, acontece com a cumplicidade de governantes e das autoridades reguladoras. Desde a crise financeira de 1929 que o
    Goldman and Sachs tem estado ligado a todos os escândalos financeiros que envolvem especulação e manipulação de mercado, com os quais tem sempre obtido lucros monstruosos.
    Acresce que este banco tem armazenado milhares de toneladas de zinco, alumínio, petróleo, cereais, etc., com o objectivo de provocar a subida dos preços e assim obter lucros astronómicos. Desta maneira, condiciona o crescimento da economia mundial, bem como condena milhões de pessoas a fome.
    No que toca a canibalização económica de um país a fórmula é simples:
    o Goldman, com a cumplicidade das agências de rating, declara que um governo está insolvente, como consequência as yields sobem e obriga-o, assim, a pedir mais empréstimos com juros agiotas. Em simultâneo impõe duras medidas de austeridade que empobrecem esse pais. De seguida, em nome do aumento da competitividade e da modernização, obriga-os a abrir os seus sectores económicos estratégicos (energia, águas, saúde, banca, seguros, etc.) às corporações internacionais.
    Como as empresas nacionais estão bastante fragilizadas e depauperadas pelas medidas de austeridade e da consequente recessão não conseguem competir e acabam por ser presa fácil das grandes corporações internacionais.
    A estratégia predadora do Goldman and Sachs tem sido muito eficiente.
    Esta passa por infiltrar os seus quadros nas grandes instituições políticas e financeiras internacionais, de forma a condicionar e manipular a evolução política e económica em seu favor e em prejuízo das populações. Desta maneira, dos cargos de CEO do Banco Mundial, do FMI, da FED, etc. fazem parte quadros oriundos do Goldman and Sachs. E na UE estão: Mário Draghi (BCE), Mário Monti e Lucas Papademos (primeiros-ministros de Itália e da Grécia, respectivamente), entre outros. Alguns eurodeputados ficaram estupefactos quando descobriram que alguns consultores da Comissão Europeia, bem como da própria Angela Merkel, tem fortes ligações ao Goldman and Sachs. Este poderoso império do mal, que se exprime através de sociedades anónimas, está a destruir não só a economia e o modelo social, como também as impotentes democracias europeias”...»

    ResponderEliminar
  2. Anónimo25.5.12

    Para chacoalhar o pessoal ou tentar uma acordar os anestesiados vez por todas, deixo estes 2 vídeos, prestem bem atenção nas mensagens:

    http://www.youtube.com/watch?v=RI278UZ11WA

    http://www.youtube.com/watch?v=iqnMrynpq9U


    Obrigado por este belo trabalho que fazes aqui Max, obrigado por ter criado o ii, obrigado por ter me acordado para o que realmente importa, sou um dos que procuram tentar ensinar ao máximo para os outros os assuntos meio obscuros que você trata aqui em seu blog.

    um grande abraço

    - Gustavo

    ResponderEliminar
  3. Marcelo25.5.12

    Nossa, muito bons os vídeos Gustavo.
    Senti até um calafrio no final do segundo.

    É isso aí, acordem para o mundo real.

    ResponderEliminar
  4. Max

    Meu último post é a minha resposta ao seu post.

    http://burgos4patas.blogspot.com.br/2012/05/o-olhar-de-uma-estudante-brasileira.html

    Lendo seu blog ví que precisamos de muito pouco para vivermos em uma sociedade mais humanitária, claro que a maioria das pessoas ainda preferem viver no sistema capitalista, mas esse meu post mostra que a solidariedade é a coisa mais importante numa sociedade.

    A própria Maria me mostrou em T.Â. a solidariedade que lá é praticada, posso estar enganado, mas me pareceu a pratica em T. de uma forma de Socialismo.

    Cuba mostra isso, com todo o embargo, que uma sociedade humana ainda é capaz.
    Não estou aqui dizendo que temos que viver como Cuba, mas sem dúvida nenhuma Cuba é um exemplo para o mundo.

    Por mais que muitos rejeitem o Socialismo, ainda assim é um dos melhores sistemas de sociedade.

    O que queremos???

    Todos viverem bem com pouco, ou poucos viverem com muito???

    Não precisamos de muito para vivermos bem, e termos uma boa qualidade de vida.
    O que nos falta é SOLIDARIEDADE, HUMANISMO, COMPREENSÃO, e principalmente nos despojarmos do EGOÍSMO.

    E desde que frequento Informação Incorrecta fui constatando isso com todos que aqui se reunem.
    Acredito eu que esse seja o intuito de seu blog, uma sociedade mais justa e menos egoísta.

    Continue Max, seu trabalho é importante para todos nós.

    Um grande abraço meu amigo

    ResponderEliminar
  5. Anónimo25.5.12

    Max, acho que esta a passar pela fase do "acho que ando a falar para a parede"... Mas não! Numa sociedade onde é imposta a "verdade" por todos os lados, é de louvar um cantinho como o seu onde para além de dar a conhecer uma realidade à qual muitos, pouco ou nada sabem (economia/politica).
    Com esse DOM só teu, consegues colocar a pessoa em conflito com tudo que a

    vida "formatou". Isto também estimula a discussão de opniões entre amigos/familiares/conhecidos.
    Não podemos colonizar a opnião dos outros, mas podemos despertar o

    interesse na pesquisa das verdades não contadas, novas realidades, melhor, PENSAR. Podemos dar as sementes, os frutos cada um os colherá.
    O mundo não vai mudar por gritarmos a verdade, só mudará quando todos

    cairmos na lama e sentirmos o sabor da miséria.Só assim a sociedade mudará para melhor.
    Uma pergunta:
    Já que a economia do "mundo real" vai para onde todos sabemos, que aconteceria se na economia do "mundo da fantasia" todo o dinheiro que foi injectado nos bancos, fosse injectado nas familias?

    Um à parte... Podia colocar o Blogroll com ordem por data...

    ResponderEliminar
  6. Anónimo25.5.12

    Max e Leitores,

    Bom, talvez me tenha juntado a algumas manifestações e outras iniciativas... E vou boicotando... Assim como muitos de nós. Mas estamos dispersos, não há um grupo coeso e motivado. O que aliás se vê nessas mesmas manifestações, etc. Há vários grupos, mas estão "desligados". E muitas vezes não há concordância dentro dos próprios grupos.

    A máquina do sistema tem anos e anos de experiência e laços fortes entre os seus intervenientes, enquanto a força oponente que começou a surgir ainda não teve oportunidade de criar músculo.

    Penso que era muito importante criar coesão entre os grupos, e focando-se nas pessoas que agora se vão interessando por uma mudança no sistema. Claro que é importante contagiar toda a gente com este espírito, mas talvez nesta altura não seja boa ideia dispersar energia, que pode ser usada para movimentos de coesão, tentando incentivar pessoas que não estão minimamente interessadas ou motivadas.

    Depois há também visões diferentes. Há indivíduos para quem a mudança passa essencialmente por processos de desenvolvimento pessoal (que se estendem para a massa) e outros com uma visão mais prática e externa, para quem o que conta são acções as concretas. Mas as diferentes visões vivem em simbiose e inspiram-se reciprocamente. E penso ser necessário uma conjugação do desenvolvimento pessoal de cada um com atitudes práticas e contangiantes:

    http://www.youtube.com/watch?v=BYq0vMluCKk&feature=results_main&playnext=1&list=PL6D69B658A9573CBE

    Que medidas concretas poderiamos tomar? Manifestações, boicotes, petições, invadir o parlamento, ser a mudança que queremos para o mundo, invadir os campos de touradas, deixar de pagar impostos, deixar de trabalhar e consumir? Isto são medidas talvez requeiram grupos grandes e coesão. Há alguma medida concreta e eficaz que possamos tomar sem necessitar de coesão e de multidões?

    Dois P.S.:
    - Ouvi falar há pouco tempo da Rede Convergir, que ainda não sei bem o que é, mas o objectivo passa por mapear diferentes grupos e iniciativas no país, para que se troquem ideias e haja uma ligação.

    - Já ouviram falar da Iniciativa Legislativa de Cidadãos? Iniciativa Legislativa de Cidadões (ILC) é um instrumento da democracia direta que torna possível à população apresentar projetos de lei, para serem votados pelos Eleitores. (copiado da Wiki). Por agora são necessárias 35000 assinaturas, em formato de papel, acompanhadas do numero de B.I. e do número de eleitor... Para já está a acontecer uma ILC para diminuir o n.º de assinaturas necessárias para 7500 (o mesmo numero de assinaturas necessárias para formar um partido ou candidatura à presidência da republica).
    Podem saber mais e assinar aqui: http://ilc-democraciaparticipativa.org/?page_id=27

    ResponderEliminar
  7. maria25.5.12

    Olá Max: comentei isto ontem, deves ter lido. Observo a mesma coisa que apontas no post, e tenho "meditado" sobre o assunto porque também gostaria que II fosse ponto de partida para ações úteis, a nível pessoal e/ou grupal. Bom,normalmente parece não acontecer. Porque?
    Chego a conclusão que, em sendo um exercício crítico e coerente, II não é uma ação em si, logo tem potencial escasso para desencadear ações.Mas, o seu potencial crítico coerente, acho que poderia ser melhor aproveitado,se discutisses mais os comentários com os leitores, pois é essa a vocação de II (sabes pesquisar e decodificar, além de distinguir entre "besteira" e "não-besteira", o que é essencial, me parece).Pensa que tem muita gente ótima entre os leitores, mas que dependeria muito de ti, para separar o joio do trigo, e não consegue faze-lo apenas com a leitura dos posts.Mas, nos comentários, oferecem matéria de sobra para serem contestados. És a pessoa ideal para isso porque juntas senso de humor com argumentação objetiva e clara, podendo manter uma discussão com os leitores que, ao mesmo tempo que nos vai trazendo para o foco do post, esclarece para nós leitores, pontos obscuros, contradições que deixamos claras quando comentamos, implícitas e explícitos desvios do assunto em discussão.Se conseguisses por em prática esse que considero um verdadeiro ato pedagógico conveniente, pensa que "limparias" a percepção, bastante confusa, as vezes, claramente dissonante, outras vezes, em muitas ocasiões em que nos manifestamos. É uma empresa chata, aborrecida? Claro que é, mas estarias contribuindo mais ainda do que já contribuis para o entendimento mais objetivo dos temas que abordas. Perderias comentaristas? Talvez (aqueles que não conseguem reconhecer um engano), mas ganharias uma espécie de prática em rede da argumentação, muito além do copia e cola, que é a prática argumentativa da linguagem virtual, um verdadeiro desserviço ao pensamento crítico.Abraços

    ResponderEliminar
  8. Anónimo25.5.12

    Fala max. Talvez a historia de beppe grillo e seu movimento possam nos auxiliar a aplicar algo semelhante nos nossos paises (br e pt), ja que ainda existe uma lacuna. qual foi o diferencial que este sujeito utilizou para transformam um blog (blogueiro + leitores) em um movimento social? o que ele fez para transformar teoria em pratica? grato

    ResponderEliminar
  9. Anónimo25.5.12

    Fala max. Talvez a historia de beppe grillo e seu movimento possam nos auxiliar a aplicar algo semelhante nos nossos paises (br e pt), ja que ainda existe uma lacuna. qual foi o diferencial que este sujeito utilizou para transformam um blog (blogueiro + leitores) em um movimento social? o que ele fez para transformar teoria em pratica? grato

    ResponderEliminar
  10. Anónimo25.5.12

    Suas informações mudaram muito minha forma de pensar e ver as coisas.

    E com certeza de que essas informações e valores irei passar para meus filhos em sua educação, quando eu tiver.

    Isso já um grande retorno não acha?
    Pense nisso. A educação e a formação de futuros cidadãos serão moldados com as informações que aprendemos agora e que passaremos a eles futuramente.

    ResponderEliminar
  11. Bendita Internet! Max, sou o cuidador de minha mulher que já está em estado avançado de Alzheimer. Jamais comentei como "anonimo". Ninguém merece.
    Dito isto, estou aqui "apenas" para agradecer. Simplesmente agradecer a sua existencia, por isto sempre termino meus comentários com o "sou grato", questão de empatia. Sempre encontro algum tempo para vir aqui e usufruir de sua (rara) pessoa, seu caracter luminoso, inteligencia afiada e amorosa.
    Já tive sentimentos semelhantes aos seus, depois descobri que só eu posso mudar minhas crenças e escolhas, mais ninguém. Cada um tem que assumir 100% de responsabilidade sobre suas escolhas. A grande revolução já começou, queiramos ou não. Vejo-a pacífica, pois é humana. Não creio em soluções belicosas publicadas nos manuais inumanos escravgistas com que nos doutrinaram até aqui. Não posso mudar o mundo se eu não começar em mim e por mim mesmo esta "dangerosíssima" viagem.

    A mudança começa dentro de mim mesmo e só eu posso fazê-la, é intransferível, já que de onde quer que eu admire o universo serei sempre o centro dele. Abandonei as expecetativas de mudar o mundo lá fora antes de modificar o meu mundo aqui dentro. Abandonei a falsa expectativa em esperar gratidão sobre minhas boas ações. Procuro fazer o bem sem olhar a quem e ser grato por isso. Dado o primeiro passo não parei mais. Se eu melhroro o mundo melhora. Se todos se revolucionam, todos melhoram, o mundo melhora... Resta a esperança que cada um cumpra seu dever humanitário já que o sistema só pensa em si e jamais na humanidade. Outras visões deste mundo que compartilho estão, algumas, nem todas, no meu modesto bloger. Desejo que encontre energia positiva para não desistir dessa doação nesta caminhada, que ao final, levará a todos para exatamente o mesmo lugar. Mais uma vez sou grato.

    ResponderEliminar
  12. Percebo a frustração, mas qualquer ação, principalmente em Portugal é muito lenta. Eu tenho um monte de ideias, mas não as consigo por em prática, pois sei que não as posso aplicar sozinho. E convencer alguém a agir em ruptura, é muito, muito complicado. De qualquer das formas, agradeço-lhe o tempo que dispõe a escrever artigos tão interessantes. O post sobre o novo movimento em Itália foi extremamente inspirador. Eu próprio queria fazer parte de um movimento de cidadãos que se candidatasse a uma autarquia, portanto se alguém deste blog for de Coimbra e tiver a mesma ideia, tem aqui um sócio.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo25.5.12

    "As verdades são frutos que apenas devem ser colhidos quando bem maduros." - Voltaire

    ResponderEliminar
  14. Anónimo25.5.12

    O problema de mudar é que para fazer alguma coisa só podemos agir segundo as regras do costume. O que quase impossibilita mudar.

    E aqueles que fazem alguma coisa, e conseguem mudar são criticados pelos demais: querem o perfeito exemplo? Reaproveitamento de sobras alimentares.

    "UUUUUUIIIIII... Agora andam a chamar sobras aos restos só para tornar a coisa menos indigna!", dizem.
    Mas há uma diferença entre sobras e restos: o que fica no prato de espinhas, pele, ossos, nervos e cascas, são restos. O que fica na panela ou na travessa, que ninguém comeu, são sobras.

    Quem vai a um restaurante, pede uma dose e chega à conclusão que só vai conseguir comer meia, tem duas alternativas: ou leva para casa a sobra, que é perfeitamente legal, não está a levar mais do que pagou, e muita gente faz isso, OU deixa na travessa. O restaurante, ao ver o que sobrou na travessa, tem também duas alternativas: ou deita para o lixo, OU dá a quem precisa, que o que ali está dá um refeição completa igual àquela que se comeu.

    Indigno? O que é mais indigno? É receber comida limpa, ou é andar à procura dela no meio do lixo?

    Pessoal, comida não é um bem como os outros. Comida é comida! Deviam ensinar isto às pessoas desde pequenas.

    ResponderEliminar
  15. Já é deveras velhinho, para esperar receber algo em troca de suas ações.

    ResponderEliminar
  16. Anónimo25.5.12

    Re-food. Eis uma coisa em os leitores deste blog podiam começar a mudar: que tal apresentarem um projecto às autarquias das vossas cidades, ou fazerem-no vocês mesmos?

    Consultem a newsletter de ASAE de Janeiro de 2011, a lei relativa a iso está lá.

    ResponderEliminar
  17. Caro Max,
    Sigo o blog regularmente há uns três meses e dei por mim a pensar na questão do número de comentários aqui há uns dias, mas é o que as pessoas sentem e o que as incita a comentar. São opções pessoais.
    Este blog dá a oportunidade de cada um pensar por si, ir às fontes, aprender mais, perceber e ligar-se ao que realmente se está a passar à sua volta… seguir a manada apenas se ela for na direcção certa. Só porque a maioria faz algo não significa que esteja certa.
    O problema é que a mudança demora e em algumas pessoas nunca acontece de todo.
    Frustrante? SIM!
    Revoltante? SIM!
    Dá vontade de desistir? SIM!
    O problema é que mesmo que não se faça mesmo nadinha em relação ao que sabemos ser a realidade… já sabemos… não há como voltar atrás.
    Não somos um grupo isolado de pessoas interessadas em determinado assunto, qual nicho de mercado.
    A economia, por sí só, interessa a todos de alguma forma. Todos temos amigos e familiares e conversamos, pelo que por cada pessoa que por aqui passa e aprende um pouco mais, é mais uma pessoa que quando lhe falarem da crise de acordo com a “teoria em vigor” vai começar a pensar no que está a ouvir… começa a falar com quem a rodeia e sabe o que está a dizer e, lentamente, mas mesmo muito lentamente, algumas pessoas começam a pensar.
    Outras pessoas só vão começar a pensar se o mundo delas literalmente ruir à frente delas e tiverem de mudar à força.
    As mudanças são muito lentas, demasiado, mas são. Para que sejam rápidas têm de ser violentas e garantidamente ser resultado do sofrimento das pessoas.
    Este blog já é algo muito bom. Sim, já sei, mas é preciso muito, mas muito mais.
    O problema é que na realidade a maioria das pessoas não querem mudar. Um pouco como a cena do bife no Matrix. Mesmo que seja ilusão, a malta quer o bife. Por isso, continua a votar em corruptos e afins ou então simplesmente nem vai votar. A distância é grande. Por isso, este marasmo todo com alguns grupos dispersos.
    Neste momento, mudar implica mudança de valores morais e sociais, não apenas de hábitos (e até isso é difícil) e isso é um processo complicado. O ser humano é mesmo muito egoísta.
    Os movimentos como o da Itália só nascem quando já existe um número razoável de pessoas informadas e outro tanto de pessoas com vontade de mudar.
    E com tanta manipulação, futebol, novela e prioridades afins…
    Quando vejo o que se passa na Itália fico esperançada que as coisas comecem lentamente a avançar, mas sei que será sempre lento, porque para ser rápido… será violento.
    Gosto dos temas dos posts de um modo geral.
    O que o blog mudou no meu caso?
    Estou mais informada e quando falo sei dizer às pessoas onde ir ver mais sobre o que lhes estou a dizer ;)
    Movimentação mais activa? Sinceramente acho que manifestações e greves não adiantam porque até já isso perdemos… o jogo está totalmente viciado. É preciso mais... também sou adepta da democracia directa. Não considero os partidos políticos actuais uma opção.
    Para mim, a solução passa por recuperarmos o lugar que é de todos e para o benefício de todos e não de e para um grupo de gente corrupta e começar a limpar o sistema como estão a fazer na Itália. Espero que sejam bem sucedidos. Serão garantidamente um exemplo que vai encorajar as pessoas a mudar.
    Deixo um pedido de esclarecimento. Recordo, não percebo muito disto.
    Muito se tem falado da quantidade dinheiro que os gregos têm investido em dívida pública alemã. Na minha ignorância, a fuga parece-me infrutífera. Vive-se uma economia ao estilo apostas de cavalos, sendo que há um cavalo que está dopado para ganhar, quem apostou na queda do euro, e outro dopado para perder, o euro.
    Não vejo grande futuro para a Eurolândia a continuar assim e pergunto-me muitas vezes como podem as pessoas realmente proteger as suas poupanças.
    A Alemanha está assim tão imune? Por esta ordem de ideias, a Noruega, por exemplo, não seria muito mais segura? Moeda própria, petróleo…
    Ideias e dúvidas.
    Um abraço,
    Rita

    ResponderEliminar
  18. maria25.5.12

    Olá Max:vários de nós consideram que mudanças rápidas podem ser violentas e causar grandes danos as pessoas comuns. Eu fico em dúvida se a morte lenta é melhor que a "morte súbita",se esta última não leva a uma transformação auspiciosa para a maioria da população. Se as coisas continuarem o curso anunciado, a Grécia talvez nos ensine a respeito. A Argentina já ensinou. Equador, Bolívia e Venezuela, também...mas enfim...Não consigo deixar de pensar no que vivemos no Brasil - o terror da morte lenta na ditadura - quando o presidente de então, João Goulart, abandonou o palácio para não causar "derramamento de sangue". Se o que se seguiu não foi derramamento de sangue, não sei o que foi.Abraços

    ResponderEliminar
  19. voz a 0 db25.5.12

    Pelo que leio, há sempre quem gosta de perpetuar o Ciclo da Pobreza... A mudança só será possível se estivermos dispostos a abdicar de muito do que temos, ou do que esperamos vir a ter... Pois é disto que realmente se trata...

    Quantos às SOBRAS, RESTOS ou o nome que lhe queiram dar... a questão é saber porque raio existe quem precisa de as comer, e o que se deve fazer para que tal não seja necessário... e eu, confesso a minha limitação não vejo como é que fornecer sobras resolve o problema!

    Por falar nisto... Não se esqueçam de contribuir para o Banco Alimentar contra a Fome!... Vem aí mais um peditório.

    Tal como em tantos outros casos ocupamos o nosso tempo e desperdiçamos as nossas energias nos sintomas e nunca vamos atrás de tentar compreender e resolver as causas! Mas como ainda hoje ouvi um idoso a afirmar
    "É impossível uma única pessoa mudar o SISTEMA actual, mas o SISTEMA actual consegue mudar uma única pessoa"

    MAX... (só para ver se leste até aqui!) Qual foi o motivo que no início de levou a escrever aqui? E já agora não podes adicionar aquela cena de lado que dá para ir cuscar as mensagens por tempo! Obg e Abr!)

    ResponderEliminar
  20. Marcelo25.5.12

    Não existe sistema perfeito e nunca existirá.

    Não adianta ficar criticando o sistema e querendo mudá-lo radicalmente enquanto não formos pessoas melhores e estivermos dispostos a ajudar os outros nem que seja com comida ou o que quer que seja.

    Não acredito em sistema perfeito nem em pessoas perfeitas. Acredito que tudo pode melhorar. E não adianta mudar o sistema se as pessoas que regem o sistema continuarem corruptos. Ou só porque um sistema vai mudar é que todas as pessoas também vão mudar? Acho que não é bem assim. Acredito muito na educação e no conhecimento, na verdade, mesmo que seja dolorosa ou contra o que pensávamos, acredito que o que muda um país são os futuros pensadores e intelectuais do mesmo.

    ResponderEliminar
  21. voz a 0 db25.5.12

    A Educação actual fornecida pelo Sistema está desenhada para fornecer carradas de escravos para alimentar o próprio sistema...

    Podemos olhar para Portugal e vemos que o Sistema não quer carradas de licenciados, mestres, doutores... Pois o Sistema não foi construído para existirem muitas pessoas com este nível de educação (e até podemos discutir a qualidade da educação, mas para o que quero não interessa). Mas a existirem estas carradas... AZAR... pois vão acabar a trabalhar ao nível dos outros para qual o Sistema está formatado que é a existência de carradas de pessoal de mão-de-obra barata (a fugir para o baratíssimo) e de poucos estudos, apenas o básico!
    E é isto que se vê...
    Portanto ou se altera o Sistema ou continuamos a andar à roda!

    Vou colocar dados do Brasil... de Portugal não encontrei assim fácil! E também quero ir ver o filme "Owned & Operated (HD)"...

    "Brasil, com dados do IBGE de 1996:

    Elite -- Profissionais pós-graduados, empresários e altos administradores. -- 4,9%.

    Classe média alta -- Pequenos proprietários, técnicos com especialização e gerentes de grande empresa. -- 7,4%.

    Classe média média -- Pequenos fazendeiros, auxiliares de escritório -- e profissionais com pouca especialização. -- 13,3%.

    Classe média baixa -- Motoristas, pedreiros, pintores, auxiliares de serviços gerais, mecânicos, etc. -- 26,9%

    Pobres -- Vigias, serventes de pedreiros, ambulantes e outros trabalhadores sem qualificação. -- 23,4%.

    Muito pobres -- Trabalhadores rurais, bóias-frias, pescadores, peões de fazendas, catadores urbanos,etc. -- 24%.
    "

    Aí o pessoal do Brasil, desde esta data para hoje qual a diferença?

    ResponderEliminar
  22. Max,

    Tenho pouco para te dizer,
    Apenas te digo que há excepções em tudo, até nos contos de fada como podes ver no meu exemplo.
    Tenho-te dito várias vezes que admiro a forma como expões as coisas. Gosto imenso da tua perspicácia, do teu humor e da tua visão "de cima da montanha". És extremamente inteligente e tenho a humildade de confessar que aprendi muito contigo, como com o Voz, o dr. Octopus, a Maria, o Walner, o Krowler, o Burgos, o Tibiriçá, ... enfim, só para nomear alguns. Mas salvo raras excepções, foi aqui que os encontrei!
    O que eu aprendi, passa para a minha filha, que se interessou e já tem o seu grupinho no tumbler! Enfim... nunca penses que as coisas ficam por aqui! É um erro de perspectiva, teu e nosso!

    Nunca duvides de um pequeno grupo de pessoas determinadas e empenhadas em mudar o mundo, pois foi sempre assim que ele mudou.

    Dantes, as mudanças começavam num ponto e levavam muito tempo a chegar a outro ponto e hoje apesar das condicionantes de alienação e desinformação, de um ponto chega a outro num instante.
    Não se podem é mudar as coisas num momento, mas o momento da mudança há-de chegar... para lá estamos a caminhar! Em mim mudou já muita coisa e ajudaste-me muito a amadurecer, embora eu suspeite que sou bastante mais velha! Ora não te faz sentir bem? Saber que pelo menos mudaste para melhor uma pessoa?


    Por causa do teu blogue e do post do pombo Afonso, arranjei uma amizade linda com uma "miúda" de Lisboa, que me veio trazer o Maurício, um pombo que tinha partido a asa, a pernita, tinha feridas no peito e ficou sem leme... sem cauda... deve ter sido atacado. A Inês tratou dele durante 3 semanas , levou-o ao veterinário várias vezes, que o entalou na asa e perna. Deu-lhe antibióticos 8 dias, trouxe-o de alfa pendular e está de momento no aviário com a Sissi, a minha rola que salvei também, cega de um olho e a recompor-se também do ataque de cães. Daqui a 15 dias serão libertados quando a Inês chegar do estrangeiro.
    Nós tornámo-nos todos amigos da Inês! Uma pessoa maravilhosa! Graças ao ii, pois pesquisou no google por pombo com asa partida e saiu-lhe esse post!

    Só te quero dizer isto:
    Este é um dos melhores blogues e dos mais originais que conheço!

    Bem hajas, porque me ajudaste a conhecer pessoas MARAVILHOSAS!!!

    ResponderEliminar
  23. olha só , já estou de saco cheio de ver um monte de gente falando que o Max deve continuar com o blog e tal . também acredito que deva fazê-lo , mas também entendo o lado do Max . pra mim , o Max escreve coisas maravilhosas , instrutivas e verdadeiras , mas será que só isso e só o trabalho dele vai mudar alguma coisa ? será que só com as palavras dele ele vai conseguir fazer algum bem remunerado cidadão se mover pra ajudar alguém lá na África ? será que as mensagens que captamos aqui vão chegar fundo nas nossas mentes e surtir a mudança ? será que os governos vão abrir mão de seu caviar e de seus bons ternos e suas boas casas e seus bons charutos pra trazer um pouco mais de conforto pra toda uma população ? e se não o fizer , nós temos o poder de mudar ?e se for pra melhor a mudança ? e se for pior ? ninguém quer se arriscar . sabe qual será o pensamento geral , até mesmo de alguns leitores deste blog ? será que se fizermos algo o McDonald's vai fechar ? será que vou ter que tirar minha tv de plasma de 50 polegadas da minha sala ? será que vou ter meu carro na garagem ? será que ainda vai passar a novela das 8 ? acredito que temos o que merecemos , e ainda é pouco . será que a manifestação de poucos vais surtir efeito nos demais ? já sabemos muito bem o que acontece , quem são os vilões e que não existem mocinhos . acho que a mensagem já foi dada e cabe a nós agora fazer alguma coisa . acho que aqui não é o lugar pra matar o tédio e nem pra ter papo com os amigos . falamos da Goldman & Sachs , Obama , Natanyehu e blá blá blá ... muita especulação e pouca ação . mas ai vem outras questões . o que podemos fazer ? aonde ir ? será que seremos ouvidos ? será que manteremos a pureza ou vamos nos corromper quando chegarmos lá ? a dúvida é será que temos a capacidade de arriscar ?

    ResponderEliminar
  24. Max

    Estou totalmente de acordo com a Maria quando ela disse:

    "Mas, o seu potencial crítico coerente, acho que poderia ser melhor aproveitado,se discutisses mais os comentários com os leitores, pois é essa a vocação de II (sabes pesquisar e decodificar, além de distinguir entre "besteira" e "não-besteira", o que é essencial, me parece).Pensa que tem muita gente ótima entre os leitores, mas que dependeria muito de ti, para separar o joio do trigo, e não consegue faze-lo apenas com a leitura dos posts.Mas, nos comentários, oferecem matéria de sobra para serem contestados."

    Se você respondesse aos comentários sería de grande ajuda, eu mesmo muitas vezes gostaria de saber sua opinião sobre os meus comentários, quantas besteiras já devo ter dito aqui, muitas vezes me sinto meio perdido em minhas opiniões, a troca de diálogo ajudaria bastante, até mesmo para sabermos o que tu pensas em relação a cada uma das opiniões e idéias que aqui são transmitidas.
    Eu gosto também de ser criticado pois isso ajuda no crescimento e faz com que eu olhe para o assunto numa outra perspectiva. Muito aprendemos aqui e muito mais aprenderemos com o diálogo, a troca é a forma mais rica de ensinamento e crescimento.
    Sei que não deves ter muito tempo para responder aos comentários, mas será que não sería melhor diminuir um pouco o número de posts para poder ter tempo de debater nos comentários?
    Acho que enriquecería muito mais a nós leitores do teu blog.

    Um grande abraço meu amigo

    ResponderEliminar
  25. Anónimo26.5.12

    Max é o Deus do ii, vocês, leitores e meros mortais nunca entenderão isto.

    Max irá dominar a blogosfera e criar uma rebelião nunca vista antes na internet.

    É bom que continuem a adorá-lo e cultua-lo, seguidores fanáticos.

    E nenhum vídeo impactante será capaz de chegar aos pés do trabalho do Max, Ó GRANDE MAX DIGA-NOS O QUE FAZER!!! Ó TODO PODEROSO MAX!!! VENHA ATÉ NOSSO MUNDO MORTAL DOS COMENTÁRIOS E FAÇA ALGUM CONTATO, QUEREMOS INVOCÁ-LO PARA RECEBER SUAS PALAVRAS E MENSAGENS!


    hahahahahha

    ResponderEliminar
  26. Anónimo26.5.12

    Evolution Revolution Love:

    http://www.youtube.com/watch?v=lWIeVTs94rI

    ResponderEliminar
  27. Anónimo26.5.12

    Qualquer solução passa por identificar e mostrar correctamente o problema.

    Temos um sistema cuja natureza muitos ( mas ainda muito poucos) conhecem. O rico e todo poderoso domina os outros. 1% domina 99%.
    A fábula Ratolândia ( Mouseland) é o espelho disso. Já era assim no tempo dos romanos.

    Pergunta: O que é necessário para que os 99% despertem e tomem mão na situação?

    Não basta 20 ou 30% da população querer, pois ainda sobram muitos do outro lado da barricada.

    A Democracia é a ditadura da ignorância'.

    Eu próprio estou constantemente a pensar o que posso fazer para mudar algo. Começar por 'sair' do sistema é um bom ponto de partida. E como é que a maior parte das pessoas que querem isso o pode fazer, com filhos para criar e as casas para pagar ao banco?

    Sair deste sistema corrupto além de um exrcicio económico é um exercicio intlectual ao alcançe de muito poucos.

    Iniciativas que mostrem às pessoas a natureza corrupta do sistema existem: o caso dos 'Ocupas'. Passado algum tempo quase já ninguem fala disso. O Euro2012 está a chegar e a selecção já treina.

    Outras iniciativas vão surgindo por esse mundo fora. È um fenomeno recente que com o tempo pode dar alguns frutos.

    Tudo passa por mostrar às pessoas que a culpa da crise não tem nada a ver com andarmos a viver acima das nossas possibilidades, ou com o Socrates ou com o raio que os parta. Esta é a tarefa de leão. Um povo mal informado será sempre facil de dominar. E no campo da informação e da propaganda a guerra é feroz.

    É dificil convencer alguem que a culpa disto tudo é do lobby financeiro internacional que controla os paises e as suas economias. A mioria das pessoas vai sempre apontar o dedo aos politicos que os governaram para votarem a seguir noutros que irão fazer precisamente as mesmas coisas. Esta é qualidade dos cidadãos que nós temos.

    Mesmo aqueles que perderam o emprego têm pouca receptividade a teorias inovadoras sobre a sua situação. Para eles a culpa será sempre dos politicos. Os desempregados PS dirão que para a próxima vão votar PSD e os desempregados PSD dirão que a seguir votam PS. Assim fica dificil.

    Resta em minha opinião, ir pregando aos peixes e esperar que as coisas tomem um rumo que conduza a uma mudança efectiva da situação.

    Pode ser que os gregos dêm o pontapé de saída. Será?

    abraço
    krowler

    ResponderEliminar
  28. BURGOS... Cão Lindo...

    Já dei sugestão semelhante ao MAX... aquando do primeiro GRITO!

    "Deixo-te uma sugestão: Publica menos mensagens. Às vezes eu próprio nem sei que fazer... se xixi se continuar a ler o que publicas pois são grandes e ler tudo provoca lágrimas! Reduz o ritmo, deixa a malta ler com calma, e comentar com calma!"

    E quando escrevi comentar com calma, inclui o próprio autor do blogue, pois para mim pouco me interessa saber que o MAX sabe fazer traduções à mão, ou via google, e colocá-las aqui!!!

    Afinal de contas os blogues (deste tipo) não são, ou não deveriam ser, "impressoras de papel-contínuo" de notícias... Para isto já há muita treta na WWW a debitar TB de informação...

    Eu lá na minha tasca gosto do trocar de pensamentos, por isso tenho por hábito responder à grande maioria dos comentários... Mas para isto é preciso calma e tempo... E se estiver sempre a debitar mensagens não consigo!

    Fui.. au au!
    Abr

    ResponderEliminar
  29. maria26.5.12

    Olá Anónimo que aponta o Max como o deus de II. Claro que é por brincadeira porque longe de mim considerar que fosses estúpido a esse ponto. Considera que as pessoas nem sempre concordam com a posição de II, o que é extremamente salutar. Mas falta argumentação pessoal nossa na maioria dos comentários. Aplaudimos, negamos, complementamos, sugerimos, e aludimos a videos e outras fontes de informação, quando queremos reforçar uma ideia ou contrariá-la. Bem...quando meus 3 megas permitem, vejo os videos e, muitas vezes fico impressionada com a situação que o vídeo traz, repleto de inúmeras contradições com o que o cara que sugeriu o vídeo quer demonstrar, ou com o que o post de II explicitou. Nada disso é discutido, e alguns de nós entramos claramente numa confusão de pontos de vista, que óbviamente é um espelho das aglomerações de protesto, sem rumo definido. O que eu pleiteio é "usar" a facilidade de comunicação que o Max tem para melhorar a qualidade da discussão que aqui se dá, embora reconheça que é neste botequim do Max que alguma discussão já teve chance de se desenvolver. Abraços

    ResponderEliminar
  30. maria26.5.12

    Olá Voz: esses dados de distribuição percentual de classes sociais e caracterização das mesmas no Brasil, me parece uma coisa muito complicada, e as estatísticas não traduzem a realidade, sem contar que dentro de cada micro região (e são centenas)existe uma hierarquia de mando, poder e recursos que define elite e subalternos.
    A grosso modo, quem manda, tem poder e dinheiro no país, ou seja, a elite? A classe política, os grandes empresários (incluídos aí bicheiros, narcotraficantes, negociantes da prostituição, do comércio de órgãos humanos etc, entre os ilegais e,os donos de grandes construtoras, siderúrgicas, meios de comunicação e entretenimento, mineradoras, seguradoras e outras empresas de porte), os altos escalões religiosos, militares,da justiça, da polícia,os grandes latifundiários, os banqueiros, o alto escalão diplomático e altos funcionários do governo ou do setor privado, e grandes comerciantes. Importa saber que em geral, um mesmo indivíduo é senador da República, bicheiro, latifundiário, comerciante, banqueiro, industrial e outras coisas mais.Ou é juiz,ou desembargador, e acumula estes outros ofícios citados.Importa saber também que essa gente, em torno de uns 5% da população, tem seu dinheiro em paraísos fiscais, não é assalariado, ou se é, o mantém por fachada, e se paga imposto de renda, também é só de fachada, com raríssimas exceções, que ocasionalmente é elite no poder e depois cai fora.
    Os outros todos são sujeitos com mais ou menos propriedades,mais ou menos recursos, mais ou menos instrução acadêmica,mais ou menos salário, abrangendo uma vasta camada da população, onde alguns se creem ricos, outros classe média ou remediados, e devem perfazer uns 50% atualmente. O que sobra? Os pobres e miseráveis. Os primeiros, os últimos governos tentam desesperadamente incluir em assalariados e proprietários tipo minha casa, minha vida, e com mínima formação acadêmica. Os segundos são escravos de latifúndio, de mineradoras e outros negócios clandestinos, desempregados crônicos, encostados do INSS ad eternum, porque destruídos físicamente por trabalho sem segurança, moradores de rua, drogados de rua,pivetes,catadores de lixo,desocupados em geral, muitos com sérias deficiências físicas e mentais que simplesmente perambulam, até serem encontrados pela morte. Um pouco complicado para europeu entender, eu sei, e completamente fora das "estatísticas". Abraços

    ResponderEliminar
  31. maria26.5.12

    Olá Voz:esqueci...a população carcerária está incluída entre pobres e miseráveis. Salvo raras exceções, e por pouco tempo, não existe gente com recursos na cadeia. Quanto a elite...seria piada, não?
    Abraços

    ResponderEliminar
  32. voz a 0 db26.5.12

    Olá maria... A nossa pequena troca de ideias mostra o que na realidade se passa...

    É como se eu estivesse a fazer o papel dos intelectuais que falam da REALIDADE através de uns números estatísticos que não a retractam, e tua maria, falas da REALIDADE através da experiência e da vivência... Ainda bem que fui buscar aqueles números e os coloquei aqui... Só assim conseguimos ver além dos números!

    Obrigado
    Abraços

    ResponderEliminar
  33. Anónimo27.5.12

    O que importa é o que interessa.

    ResponderEliminar
  34. Anónimo27.5.12

    Max,

    Apesar de nem sempre concordar com o que aqui leio (tenho um percentual significativo de credulidade sobre o que reputas como os absurdos que se encontram na rede), tal qual tua análise sobre as efetivas transformações que tais leituras possam ter proporcionado aos que aqui costumam frequentar, gostaria de registrar que se não bastassem minhas infrutíferas tentativas de boicote a Microsoft (dando razão à sugestão tua), onde tive que acolher uma sugestão do Tibiriça, mesmo a contra gosto, ainda assim posso contabilizar outras tantas mudanças de atitude que se devem não só a ti, como a tantos outros que tive a felicidade de por teu intermédio conhecer.

    Sei que nada do que em mim foi operado tem a capacidade de isoladamente afetar a realidade que anda pelas ruas, mas assim como tais mudanças foram processadas em mim, e depois de ler comentários como os que a Fada produziu, só me resta a convicção de que nenhuma palavra por aqui escrita foi em vão. Como não se deixar influenciar por gente como a própria Fada, que creio cá comigo, que o seu "Guerra Silenciosa" não só é um prolongamento do ii, como também, me parece, ter buscado a inspiração necessária neste espaço. E assim como a Fada, também tenho grande admiração por gente como Burgos, Maria, 0db, Tibiriça, Krowler, Aldo Luiz, Bruno Antônio, Anônimo (mesmo os devotos dos anunakis, ou principalmente estes) e um cara que anda meio sumido, o Saraiva. Se mais não me faço presente em forma de comentários, ora se deve as minhas leituras e outros afazeres, ora se deve à falta de conhecimento sobre o assunto, ou ainda se deve ao embasbacamento que me causam comentários como os de Maria. O que escrever depois? Tá tudo dito. Nada a acrescentar.

    Portanto Max, nada tem sido em vão. Antes o que era só Nibiru, de dois anos pra cá (tempo de ii), tem sofrido algum tipo de transformação e talvez, quem sabe em algum momento, o despertar pleno da consciência? Quem sabe eu mesmo ainda possa ser curado? Só peço que não desista de gente como eu. Se assim não for, talvez seja devido algum raio proveniente do centro ga galáxia, ou quem sabe tenha partido pro Polo Norte para o acesso ao oco do mundo, ou ainda quem sabe, tenha me perdido ao entrar num stargate?

    Abraços.
    Walner.

    ResponderEliminar
  35. Anónimo27.5.12

    ...Em relação ao McDonald's referido acima por um dos leitores:

    Uma forma de boicote era organizar um piquenique à porta do McDonald's, aberto a toda a gente. Por exemplo, no Mc de Belém encontram-se todos os dias dezenas de adolescentes, que vão em visita de estudo aos museus e tal... E depois... onde almoçar? No Mc!...
    Convidando estas pessoas para se juntarem ao piquenique em vez de irem ao Mc, informá-las e conviver com elas, com jogos tradicionais, etc., iria ser um reforço positivo para abandonarem o Mc. Seria com certeza mais divertido que um clássico almoço fast food.

    ResponderEliminar
  36. Obrigado pessoal!
    Obrigado para todos.

    Assim, a ideia é participar mais nos comentários e publicar menos post.
    Bom, os post vão diminuir já a partir de hoje, pelas razões que expliquei há pouco tempo.

    Quanto ao facto de participar mais nos comentários, será feito embora concorde até um certo ponto. Estas as razões:

    1. o nome do blog é "Informação Incorrecta", não "Discussão Incorrecta". A minha ideia era mesmo esta: dar informação (tentar, pelo menos), algo com que cada Leitor pudesse reflectir e fazer-se uma própria ideia da realidade.
    Encaro a "discussão" como também (mas não só) uma forma de "defender" os meus pontos de vista: mas, como repeti muuuuuitas vezes, no blog não há verdades, há dúvidas. As dúvidas que tem o Leitor são também as minhas.

    Pode ser que esteja errado e, em qualquer caso, os empenhos extra-blog darão modo talvez de mudar a minha ideia, pois é muito mais rápido trocar de ideias com os comentários que procurar, traduzir, publicar, etc. Afinal estes novos empenhos calham bem.

    2. esqueci-me da segunda razão, mas com certeza era uma coisa inteligentíssima :)))

    Algumas respostas rápidas:


    @ Pedro Henrique
    "Já é deveras velhinho, para esperar receber algo em troca de suas acções".

    Não concordo. Experimente dar um murro na cara do primeiro indivíduo que encontrar na rua, vais ver se não houver reacção...

    @ Voz:
    "Qual foi o motivo que no início de levou a escrever aqui? E já agora não podes adicionar aquela cena de lado que dá para ir cuscar as mensagens por tempo!"

    Tentar fazer algo, mesmo que seja pouco. Tentar perceber algo acerca de como vivemos, porque ter um blog obriga-me a procurar e esforçar-me. Ter um ponto de partida para futuros desenvolvimentos práticos: não perguntem quais, não sei ainda, mas alguma coisa é preciso fazer e quero fazer.
    "Mensagem por tempo"???

    @ Anónimo:
    "Ó GRANDE MAX DIGA-NOS O QUE FAZER!!! Ó TODO PODEROSO MAX!!!"

    Anónimo, espero que esta seja ironia, sempre bem vinda. Espero para si, não para mim.

    (continua)

    ResponderEliminar
  37. (continua)

    @ Voz, outra vez:
    "para mim pouco me interessa saber que o MAX sabe fazer traduções à mão, ou via google, e colocá-las aqui!!!"

    A ideia não era, em princípio, tomar nota do número de artigos publicado, mas o conteúdo deles.

    "Afinal de contas os blogues (deste tipo) não são, ou não deveriam ser, "impressoras de papel-contínuo" de notícias... Para isto já há muita treta na WWW a debitar TB de informação"

    Repito o que já disse: o nome deste blog é "Informação Incorrecta". Tenho que mudar para "Um Pouco De Informação Incorrecta Mas Não Muita Para Não Ser Um Blog De Treta"? Há também muitos blogues onde é evidente uma masturbação dialéctica e cerebral, há sempre riscos neste tipo de coisas.

    "Às vezes eu próprio nem sei que fazer... se xixi se continuar a ler o que publicas pois são grandes e ler tudo provoca lágrimas!"

    Sugestão: um balde e um lenço.

    @ Rita:
    Cada vez que Rita publicar um comentário eu fico à pensar: "Minha Nossa, e agora que vou responder?".

    Ops...alguém~em grita "Olha a mesaaaa!". Bom apetite!

    ResponderEliminar
  38. Anónimo27.5.12

    Max disse: 'Querem teorias da conspiração?
    Cá estão elas, façam o favor, podem servir-se à vontade, é tudo de graça.'

    Caro Max, vou fazer apenas uma pequena sugestão que vai ao encontro da redução de posts no blogue.

    Porquê publicar um post no ii sobre o projecto Blue Beam, ou sobre o Elenin ou mesmo sobre o Nibiru?

    Quem tiver interesse nesses assuntos não falta por aí 'informação' e da boa.
    Uma pequena pesquisa e já está.

    abraço
    Krowler

    ResponderEliminar
  39. (continua)

    ...continuam as respostas em ordem aleatório.

    @ Anónimo:
    "Em relação ao McDonald's referido acima por um dos leitores"

    É deprimente: há sempre filas nas lojas McDonald's e não são sempre jovens, mas inteiras famílias.
    Não entendo: em Portugal, pela mesma quantia de dinheiro, é muito simples comer mais e melhor.

    Eu nunca mais vou pôr o pé num McDonald's, já deixei de fazê-lo há muito e não é apenas uma questão de princípio, é mesmo dinheiro mal gasto. Mas que continue a haver filas está fora de dúvida...

    @ Walner:
    "Sei que nada do que em mim foi operado tem a capacidade de isoladamente afetar a realidade que anda pelas ruas"

    Sim, penso o mesmo. Este é um grande problema. Uma vez que assumimos que as nossas escolhas isoladamente não conseguem influenciar a realidade, aparece logo o problema de "organizar-se". E neste ponto é tragédia.

    Mesmo ontem à noite, acerca disso, ouvi falar de revitalizar a "Internacional". Caíram-me os braços. Perante o falhanço da nossa sociedade a resposta é outro falhanço. Mas é normal, pois há formações políticas que fazem da "praça" e das manifestações o próprio campo de batalha. Não é por acaso.

    Ao colar à eventuais iniciativas uma rotulagem política fora do tempo e da realidade, a mesma iniciativa fica deslegitimada e voltamos ao ponto de partida.

    @ Anónimo:
    "Max, acho que esta a passar pela fase do "acho que ando a falar para a parede"

    O que me entristece é ver pessoas que entram no blog pela primeira vez, não o conhecem, e mesmo assim começam a disparatar.

    Esta não é uma enciclopédia, não é um manual; mas é verdade é que, após dois anos, há material suficiente para tomar uma atitude um pouco mais pensada.
    Este é um lugar público, deve estar aberto perante todas críticas e as opiniões contrárias. E nem deseja mudar as ideias de quem por aqui anda. Mas uma coisa é dizer "não concordo por estas razões: 1...2...3", outra coisa é dizer "não concordo" depois fazer copy/paste sem saber do que se está a falar.

    As ideias principais que este blog quer transmitir são duas:
    1. pensem com o vosso cérebro
    2. procurem

    Nada mais, o resto é só consequência. Tudo pode ser posto, tudo sem excepções, mas não estes dois pontos.

    Na altura em que tu entras e fazes só um copy-paste para demonstrar que eu tenho torto, demonstraste não ter percebido nada. Mas nada mesmo. Esta é uma atitude muito difundida, não no blog mas no geral: as pessoas ficam satisfeitas com o que ouvem, não querem tentar ir mais além.

    É claro que este blog não pode mudar uma realidade assim, é só um blog: mas, fogo, nem o esforço de perceber que raio de blog é aquele onde vamos pôr um comentário???

    (continua)

    ResponderEliminar
  40. (continua)

    Então sim, neste caso falo para a parede.

    É claro que isso não acontece com os Leitores que costumam seguir o blog. Mas há muitas pessoas "novas" que continuam a ter uma atitude assim e estas pessoas são o espelho duma grande parte da sociedade.
    É deprimente...

    Ainda por cima num blog que diz "aqui não há verdades", pois não há, no I.I. há dúvidas.

    @ Krowler

    "vou fazer apenas uma pequena sugestão que vai ao encontro da redução de posts no blogue.

    Porquê publicar um post no ii sobre o projecto Blue Beam, ou sobre o Elenin ou mesmo sobre o Nibiru?"

    Vai ser feito. Como terei menos tempo, pensei aproveitar este período para assuntos um pouco mais "leves" também.

    (continua)? Sim, mas não agora, é Domingo e vou aproveitar :)))

    Abraço para todos e obrigadoooooo!

    ResponderEliminar
  41. Caro Max,
    Fui reler o meu próprio post ;)
    Ok, ok, mais disciplina nas quantidades de texto e assuntos.
    É um problema meu, tendo a entusiasmar-me ;)
    Bom domingo!
    Abraço
    Rita

    ResponderEliminar
  42. voz a 0 db27.5.12

    Até o número bate certo...

    69% dos Portugas não sabe o que são as Eurobonds...

    Também não admira... Só utilizam a NET para embasbacar o cérebro!

    Ai Zés...

    E alguns se calhar ainda ficaram a pensar porque raio que perguntaram sobre as Eurobundas!

    ResponderEliminar
  43. @ Rita:

    "Fui reler o meu próprio post ;)
    Ok, ok, mais disciplina nas quantidades de texto e assuntos.
    É um problema meu, tendo a entusiasmar-me ;)"

    LOLOLOLOLOL...Nada disso, Rita, nada disso. Gosto mesmo muito das mensagens de Rita. Fico sem palavras porque são mensagens...como dizer? Entusiastas! O que é muito bom.

    Infelizmente quem escrever e quem ler informação alternativa acaba com o ter uma atitude negativa. É normal, mesmo não sendo uma pessoa pessimista, ficar um pouco "em baixo" perante a quantidade de injustiças e coisas más que andam por aí. Há a consciência de que o trabalho a fazer é muito e nem sabemos donde começar.

    Depois leio uma mensagem de Rita e penso que sim, afinal há ideias, há esperança, é possível, mesmo que difícil.

    Nada de disciplina, Rita: continue a deixar a mente voar. E obrigado.

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  44. Max,
    Desânimo e realismo não são pessimismo.
    As coisas são como são.
    Pela minha parte o difícil é mesmo aceitar isso: há coisa que não mudam assim, algujmas não mudam de todo.
    Há simplesmente gente que insiste em comer o danado do bife em tantas coisas/áreas do seu dia-a-dia que quando chega ao círculo que sentem como mais afastado da sua realidade diária... voltam a comer o bife.
    O problema é que as coisas não estão assim tão distantes.
    Ver a realidade, gritá-la e as pessoas ignorarem pela minha parte é acima de tudo frustrante!
    Mas é sempre possível mudar as coisas, mesmo que lentamente.
    Sim, também penso muito em como mudar as coisas, mas uma coisa que já percebi é que mudar a forma como as pessoas pensam e ensiná-las a pensar por elas é complicado... estão formatadinhas.
    Por isso, tentei seguir o ensino. Se é para ensinar a pensar com independência e a decidir com base em factos, o melhor sítio é a escola... por isso todos os regimes totalitaristas controlam o ensino e as crianças.
    Mesmo agora, se as pessoas olharem com o devido carinho e atenção para o que se passa é tão óbvio.
    Eles faziam-no para perpetuar o regime, se outros o fizerem agora para garantir que as crianças não ficam tão formatadinhas e pensam por elas... cada vez mais difícil com o consumismo... é uma mudança lenta, mas é alguma coisa. Ideias ;)
    Quanto ao meu entusiasmo... não sou nenhuma mártir, mas já me habituei de cedo a ver a realidade tal como ela é e a ter de ficar a falar sozinha muita vezes, mesmo estando a dizer a verdade.
    Esmoreces nos embates maiores, mas não desistes. Depois há aqueles dias em que parece que é tudo em vão... mas não é ;)
    Um abraço
    Rita

    ResponderEliminar
  45. Anónimo28.5.12

    Quando iremos movimentar mais o fórum do ii? Está meio esquecido não é pessoal?

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...