16 setembro 2012

Portugal de parabéns

Breve parênteses dedicada à Portugal.

Costumo dar na cabeça dos Portugueses pela falta de iniciativa e de participação na vida pública do País. Mas quando acontecem coisas positivas, estas devem ser realçadas.
E ontem algo aconteceu.

Centenas de milhar de pessoas, provavelmente 700 mil (num País de 10 milhões de almas), manifestaram em todo o País, organizadas unicamente trâmite as redes sociais, sem partidos ou sindicatos. Nada de Occupy Wall Street, nada de Soros camuflados.

Percorreram ordenadamente as ruas, atravessaram civilmente as praças, falaram aos microfones apresentado as próprias razões, deram uma grande lição de civismo a um governo e um Fundo Monetário Internacional que continuam a faltar ao respeito a este povo.

Levanto-me e aplaudo esta atitude, Portugal marcou presença. Uma lição não apenas para quem governa mas também para quem nem um dedo mexe, limita-se a largar os braços e mesmo assim tem a coragem de criticar quem tentar fazer alguma coisa.

Há quem diga que estas manifestações não sirvam. Depende.
Se atrás da manifestação de ontem tivesse havido um partido ou uma cor política qualquer, sem dúvida tudo teria perdido muito do próprio significado. Mas o facto de ter sido algo nascido espontaneamente, entre cidadãos que não se escondem atrás duma bandeira (a não ser aquela portuguesa), muda as coisas. E muito.

Porque não houve interesses camuflados, houve "simplesmente" a voz de centenas de milhar de cidadãos. Acreditar na Democracia e não reconhecer a importância daquilo que se passou ontem é uma flagrante contradição.

Ontem foi enviada uma mensagem forte ao governo: os Portugueses não apenas não concordam com a politica seguida mas também têm a capacidade de demonstrar isso de forma pacífica, nos moldes duma "Democracia" tantas vezes invocada pela classe politica.

Ignorar o que se passou ontem seria escolher a estrada do autoritarismo e da anti-democracia, desta vez já nem mascarados de "interesse superior da Nação". 

Contra a obtusidade dum governo cada vez mais isolado, escravo da visão ultra-liberalista supra-nacional (e lembrem que aqui o Capitalismo não tem nada a ver), contra quem não tem capacidade de entender e prefere a passividade e o vil conformismo, o País ontem ganhou.

Portugal está de parabéns.


Ipse dixit.

7 comentários:

  1. Anónimo16.9.12

    Parece que os movimentos civicos estão a ganhar força por todo o lado.

    http://www.tvi24.iol.pt/internacional/madrid-espanha-facebook-ocupa-el-congresso-congresso-crise/1367418-4073.html

    Para mim, como sempre disse, a solução terá de passar por aqui.

    abraço
    Krowler

    ResponderEliminar
  2. maria16.9.12

    Olá Max: obrigada por responder a minha solicitação e...afinal uma boa notícia vinda de Portugal. Antes tarde do que nunca. Abraços

    ResponderEliminar
  3. Rita M.16.9.12

    Por aqui fico feliz acima de tudo por ver os portugueses a pararem de sofrer em silêncio ao fim de tanto tempo e de forma tão expressiva.
    As minhas expectativas quanto ao número de participantes foram largamente ultrapassadas e assim vale a pena estar errada.

    "Ignorar o que se passou ontem seria escolher a estrada do autoritarismo e da anti-democracia, desta vez já nem mascarados de "interesse superior da Nação"."

    Já o estão a fazer...
    E agora começa o verdadeiro desafio.

    Abraço
    Rita M.

    ResponderEliminar
  4. maria16.9.12

    Continuação...ôpa, a maria esqueceu de algo por demais importante: este é um momento significativo em Portugal. Muita atenção aos desdobramentos...como os poderes constituídos se organizam e reorganizam para enfrentar o acordar da população, como as classes oligárquicas, aquelas chagadinhas a deus, pátria, família e propriedade,se articulam. Porque o mais detestável para esses grupos são reações legítimas e pacíficas da população, aquelas que transparecem tomada de consciência da situação, e a tendência da população é satisfazer-se com a mostra de maturidade e arrefecer, sem se dar conta que a contraofensiva pode ser truculenta, e é preciso organizar-se agora, mais do que nunca. São apenas observações de quem conhece esta história pois vive no terceiro mundo. Abraços

    ResponderEliminar
  5. Anónimo16.9.12

    O movimento ' Ocupa el congresso' marcada para o próximo 25 de setembro em Madrid, pode ser algo definitivo, se for bem sucedida.

    Peço a todos que divulguem este evento. Com a nossa divulgação vamos dar-lhe mais força.

    Já coloquei o link da noticia no meu post acima.

    obrigado
    Krowler

    ResponderEliminar
  6. Anónimo17.9.12

    Olá Max,

    Concordo em absoluto, ao contrário do que a Comunicação social " mainstream" vende, os portugueses não estão dispostos a mais sacrifícios e resignados, estão vivos e mais que nunca a dar sinais a quem governa que a corda não pode esticar mais, porque esta medida da TSU anunciada pelo homem dos 31 carros não é austeridade, é pura maldade!

    Um abraço

    Zarco

    ResponderEliminar
  7. Anónimo20.9.12

    Aprecio enormemente este tipo de manifestações mas ao mesmo tempo que sendo o governo tão "obtuso", como o Max referiu, e com o FMI a apoiar estas medidas nao sei se servirá de algo.

    Como se diz "Espero que sim, penso que não".

    Fora de negativismo, que isto sirva de exemplo para mais e em maior número para a Europa e o Mundo nos seguirem o exemplo. Para não serem 700 mil num pais mas milhoes em varios continentes!

    John

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...