26 dezembro 2012

As prendas de Ban

O Leitor acha uma vergonha o facto de ter que pagar uma classe política nacional incompetente, gananciosa, fechada no próprio castelo de privilégios e paga com o nosso trabalho?

Então o Leitor ficará satisfeito sabendo que o trabalho dele paga também outra casta de parasitas, mais abrangente, mais globalizada.

Ok, sempre casta é, mas o nível é diferente.

Em ocasião do Santo Natal, a ONU, que não é conhecida pela simplicidade da sua gestão, decidiu aumentar o próprio orçamento de 5%. Metade deste montante será para as missões de "paz" em todo o mundo (das quais há sempre tanta necessidade...), a outra metade será para manter de forma mais dignas o conjunto de dignitários.

O Secretário, Ban Ki Moon, acaba de fazer-se dois presentes agradáveis: um novo escritório redecorado (custo: 2 milhões de Dólares. Como no caso da sede do Banco Europeu, o anterior era uma vergonha, cheio de bolor) e um novo carro blindado que substitui o velho Mercedes 500 Series (já com 5 anos de idade, uma vergonha). Carro que foi apresentado envolvido numa enorme fita vermelha, como relata o Washington Post.

O mesmo diário conta a maravilha de Ban perante "o escritório lindamente renovado" e "o novo lindo veículo blindado novinho em folha" (um Hyunday Equus Limousine de 200.000 Dólares, apresentado durante um champagne party):
Este parece um grande presente festivo para mim.

E pois, querido Ban, pois...
Entretanto vão em frente os trabalhos de remodelação da sede da ONU, no East River de New York: começados em Maio de 2008, deveriam acabar em 2013. Tinham um custo previsto de 2.000 milhões de Dólares, mas já o orçamento foi ultrapassado em 400 milhões. Paciência, são coisas que acontecem.

Mas quem paga tudo isso? É difícil responder.

O Leitor pode pensar que afinal tudo não passe duma prende de Pai Natal, mas a verdade pode ser um pouco diferente. Será que a ONU é outra casta que vive com o dinheiro de quem trabalha? Será que cada País é obrigado a pagar uma parte das despesas, consoante a sua própria riqueza? Será afinal como tinha dito Marx? "De cada um segundo as suas capacidades, a cada um segundo as suas necessidades"?

Do Capitalismo para o Comunismo, e sem passar pela revolução...


Ipse dixit.

Fontes: Washington Post, Wind.com

5 comentários:

  1. Olá Max:pelo menos entre as pessoas ao alcance da minha vista, elas não tem a mais mínima noção de até onde pode chegar os privilégios dos privilegiados. As pessoas em geral parece que tomam a si próprias como parâmetro. Então, o máximo de privilégio que cada um pode imaginar, corresponderia a média do "regime de privilegiamento" dos poderosos. Triste engano...foge ao nosso alcance de gente comum o que significa realmente ser dos mais privilegiados neste mundo. A única coisa que mal e porcamente conseguimos perceber são os efeitos que recaem sobre nós. Abraços

    ResponderEliminar
  2. Anónimo26.12.12

    Nada muito a ver com o pobre e coitado Ban Ki, mas lembrei-me de um colega de faculdade a contar sobre um primo que fizera parte dos "pinicos azuis" em Angola e que fazia parte de operações de search & destroy. Numa missão de paz...
    O primo dele enlouqueceu.

    ResponderEliminar
  3. É triste saber q trabalhamos para sustentar a vida de pessoaas que deveriam fazer o bem e nem sempre o fazem...sera que essas pessoas q vivem atraves do suor de muitos outros não tem um peso na consciencia?

    ResponderEliminar
  4. E assim vão, natal, ano velho, ano novo...
    "O recente banquete oferecido para 7 mil funcionários e convidados na sede do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Washington durou das 20h até à 1h da madrugada e custou 380 mil euros aos cofres da instituição que cobra dos países pobres cada vez mais cortes nos benefícios às populações carentes e trabalhadores de baixos salários. O menu, de quatro páginas, anunciava entradas de caviar, salmão e ostras, cozinha de cinco países, bebidas à vontade. (...)

    Sinto muito, sou grato.

    ResponderEliminar
  5. A ONU vivendo do dinheiro alheio????.. Nossa! Pensei que só eu ajuizasse mal destes senhores tão bem intencionados... E será que só eu me incomodo com algumas das placas que a UNESCO coloca em alguns locais? Tais como o "tombamento" da Mata Nativa como patrimonio mundial para que só japoneses e norte-americanos sejam benvindos pelos indios e povos locais que ficam de olho nos dólares... mesmo que os gringos jurem estarem fazendo "apenas turismo"... aquele onde mudas de plantas e animais silvestres acabam retirados e viajam para fora do país!...

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...