10 janeiro 2013

Nimesulina tóxica

A Nimesulida é utilizada em muitos casos: dor de cabeça, inflamações. Mas é tóxico. E não pouco.

Proibido desde sempre no Reino Unido e na Alemanha, retirado de Canada, Estados Unidos e Japão, em 2002 foi negada a venda também em Espanha, Finlândia e Irlanda.

Mais recentemente, Bélgica, Dinamarca, Holanda e Suécia decidiram banir o medicamento. E, por última, chega uma recomendação da Comissão Europeia: evitar qualquer possibilidade de utilização crónica da nimesulida.

O princípio activo da nimesulida comporta efeitos devastadores que atingem o fígado, efeitos que podem ser letais.

Afirma o Irish Medical Board:
O dano hepático é um raro mas grave efeito secundário da nimesulida. Temos dados da Unidade Nacional de Transplantes de fígado do St. Vincent Univerity Hospital, falam de seis pacientes que precisaram de transplante após um tratamento com a nimesulida. Desde que o produto deu entrada em Irlanda, em 1995, tivemos um total de 53 casos, seis dos quais da Unidade Nacional de Transplantes e três casos mortais de insuficiência hepática.
Além disso, a Nimesulida apresenta toxicidade renal, também neonatal.
Em Portugal (onde já foi registado um caso de hepatite fulminante no Hospital Santa Maria), a Nimesulida é vendida nas variantes comerciais: Nimed, Aulin, Donulide, Jabasulide e Sulimed.

No Brasil, pelo que percebi, a nimesulina é vendida com o mesmo nome do princípio activo (Nimesulida) apesar de ser produzida por vários laboratórios do País.

Outras denominações comerciais utilizadas nos vários Países são: Algimesil, Antalgo, Areuma, Dimesul, Domes, Efridol, Eudolene, Fansulide, Flolid, Isodol, Ledolid, Ledoren, Nerelid, Nide, Nimenol, Nims, Noxalide, Resulin, Solving, Sulidamor, Fansidol, Sulide, Idealid, Delfos, Domes, Noalgos, Algolider, Aulin, Fansidol, Mesulid, Nimesil, Remov, Migraless, Edemax, Mesulid Fast, Nimedex.

A ideia de ter um fígado novo pode ser aliciante, mas é bom lembrar que no mercado são disponíveis apenas fígados de segunda mão. Melhor ficar com o nosso.

(nota final: esta notícia já tinha sido dada pelo blog, mas perante mais recentes confirmações achei bem realça-la, dado ser a nimesulina um medicamento bastante utilizado, pelo menos em Portugal) 


Ipse dixit.

Fontes: Informare x Resistere, Wikipedia (versão portuguesa), Consulta Remédios, Corriere della Sera

8 comentários:

  1. Anónimo10.1.13

    Xiça!!!!
    E eu que de vez em quando tomo o Nimed ou o Aulin. Quando chegar a casa , lixo.

    Eu nem sou de tomar muitos medicamentos e calharam-me logo estes dois contra as inflamações, por força da prática desportiva.

    Quanto a um figado em segunda mão prefiro o meu. Apesar dos abusos anteriores, ainda tenho confiança nele. Isto se o Nimed ou o Aulin não fizeram alguns estragos.

    obrigado Max.
    Krowler

    ResponderEliminar
  2. maria10.1.13

    Olá Krowler: sem crise, rsrsrsrsrs, pois aqui a nimesulina está na vasta lista de medicamentos a preços populares ou grátis que o ministério da saúde dispõe para a população cuidar-se. E afinal, a maior parte das drogas, conhecidas como medicamentos, atacam fígado e rins, pois é justo esses coitados que, no corpo, tem funções de limpeza. Mas se o próprio corpo não der conta de se desintoxicar, nem alimentos desintoxicantes fizerem o serviço, pode ocorrer morte, mas bem devagarinho...a gente nem percebe. Abraços

    ResponderEliminar
  3. olá, Max e companhia :),

    gostaria de realçar um primo anti-inflamatório do Nimed, igualmente muito bem conhecido dos portugueses, chamado vulgarmente de Brufen ou Ibuprofeno que as pessoas gostam de tomar quando têm uma simples dor de cabeça. gostava que realçasses que este amigo detém acções adversas semelhantes às do Nimed, para não esquecer os riscos para o estômago que ambos gostam muito de atacar. Estes medicamentos parecem tão "básicos", mas o seu uso indiscriminado é perigoso, muito perigoso. Atenção a quem nos lê e partilhem esta informação. Bem-hajam

    ResponderEliminar
  4. maria10.1.13

    Olá Cláudia, e todos: Iboprofeno, outro grátis da listinha brasileira.Eu sou a primeira pessoa a considerar sempre o que é natural, em primeiro lugar,para a manutenção da saúde, ou de uma certa saúde...possível.
    Mas, me parece que há alguma consideração a fazer:o uso abusivo, generalizado e sistemático de drogas medicamentosas que a indústria farmacêutica induz ao consumo já registra duas consequências graves:o fortalecimento dos microrganismos patogênicos, e a vulnerabilidade dos organismos que atuarão como meio de cultura e propagação, ou seja, nós.Então, hoje, uma criança pode morrer de giardiose (infestação de parasita intestinal) , um sujeito adulto que fica dias numa unidade de terapia intensiva pode morrer de "infecção hospitalar", um idoso pode morrer em função de uma gripe forte, caso não seja medicado por químicas antibióticas, pois estamos já incapazes de reagir com coisas naturais, somos nós já mais ou menos artificiais. Eu não diria: consulta o médico (há os que sabem bem menos que as pessoas pensam que eles saibam), mas simplesmente raciocina em torno da situação que estiver diante de ti.Abraços

    ResponderEliminar
  5. Fogo, eu tomo bastante ibrufeno por causa dos problemas dentários...estou tramado... :(

    ResponderEliminar
  6. Max,

    tens toda razão quanto aos problemas colocados pela nimesulida, mas o ibuprofeno é uma alternativa viável, com poucos efeitos secundário.

    Quanto à nimesulida, já tinha referido esse facto em 2010:
    http://octopedia.blogspot.pt/2010/02/nimesulida-nimed-perigo-de-hepatite-por.html

    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Anónimo4.9.14

    cuidado com o ibuprofeno, pois a mae do meu amigo teve falencia renal por causa do uso de ibuprofeno

    ResponderEliminar
  8. Anónimo9.7.16

    Qual o remédio antiinflamatório usado de maneira crônica que não faz mal ao fígado?? Mas se já foi comprovado em outros países,é bom se ligar.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...