18 outubro 2013

Nova Ordem Mundial: as dúvidas

Algumas reflexões acerca da Nova Ordem Mundial?

E vamos, apesar de ser exercício "perigoso": cada vez que alguém pôr em causa o NWO, logo chovem insultos (que, lembro, são apagados).

Publiquei esta Cronologia porque sei que muitos Leitores acreditam na ideia da Nova Ordem Mundial, embora com variantes e nuances diferentes, e achei simpático pôr à disposição algo prático, que pode ser consultado tendo como base as datas.
No entanto, como já afirmei várias vezes, não acredito nisso. Explico.

O facto de existir um grupo de pessoas que deseje "governar" o mundo não é nenhuma novidade: sempre houve, é só ler a História.

Qual a forma melhor para governar o mundo? Simples: um único governo, dirigido por uma única elite. Também neste caso, exemplos históricos não faltam: sempre houve e sempre haverá. Anormal seria não ter ninguém com estas ideias: seria o sinal duma evolução da nossa espécie.

Coisas já ditas, que não vale a pena repetir (para os mais curiosos: Illuminati: uma crítica ou Nova Ordem Mundial?).
Hoje, pelo contrário, gostaria de realçar alguns pontos presentes na Cronologia.
Vamos ver alguns destes casos.

O caso H.G.Wells

Os factos são factos: mas a maneira como são apresentados pode mudar, e muito.
Por exemplo, ao escrever:
É publicado o trabalho de Herbert George Wells The Shape of Things to Come ("A Forma das Coisas que Virão"). Wells prevê a Segunda Guerra Mundial, que vai deflagrar por volta de 1940, e que terá origem a partir de uma disputa germano-polaca.
parece não existirem muitas dúvidas. Herbert George Wells "previu" a Segunda Guerra Mundial, até acertou na faísca inicial (a disputa Alemanha-Polônia), portanto é uma certeza: os Illuminati "criaram" a Segunda Guerra Mundial. Doutro lado, não era ele um ex-Fabianista?

Esta é a forma como os factos são contados: mas a realidade é um pouco diferente. De facto, em 1933, H.G.Wells publica The Shape of Things to Come, mas vamos ver qual a trama original?

A história começa no final de 1933/início 1934, com o fracasso do então presidente dos EUA, Franklin D. Roosvelt na implementação do New Deal. Paralelamente, na Europa, Adolf Hitler falha também na recuperação económica da Alemanha: a crise mundial continua ao longo de outros 30 anos.
Nada mal como previsões.

No entanto, deflagra a Segunda Guerra Mundial. H.G.Wells prevê o começo em Janeiro de 1940 (na verdade começou em 1939) por causa da cidade de Gdańsk, e não é um mero acaso: na verdade, a "Questão de Gdańsk" foi algo que nasceu com o final da Primeira Guerra Mundial e ocupou a diplomacia internacional até o segundo grande conflito. Era sabido que teria provocado problemas, como efectivamente aconteceu.

Mas vamos à Segunda Guerra.
Segundo H.G.Wells, a Polónia resiste ao ataque alemão e a situação de guerra continua ao longo de 10 anos. Outros Países ficam arrastados na luta, mas a França e a União Soviética são apenas marginalmente envolvidas, aGrã-Bretanha permanece neutral e os Estados Unidos lutam inconclusivamente contra o Japão.

Wells fala também da condição dos hebreus, explicando que os Alemães são incapazes de massacres sistemáticos: portanto os hebreus são sim perseguidos, mas de forma desorganizada.

A Checoslováquia não é invadida pelos Alemães e o seu presidente, Edvard Benes, sobrevive para iniciar a suspensão das hostilidades que acontece no final da década de 1950.

A guerra termina sem vencedor, mas numa total exaustão, com o colapso e a desintegração de todos os Estados de luta e também dos Países neutrais, igualmente afectados pela crise económica profunda. O mundo inteiro é envolvido no caos: quase todos os Governos caem e uma praga devastadora entre 1956 e 1957 mata uma grande parte da humanidade, quase destruindo a civilização.

Entretanto: o Islamismo desaparece, o Budismo é abolido, e a Igreja de Roma é afastada pela Italia fascista e encontra refúgio na Irlanda, o último bastião da Cristandade.

Lido assim, o livro de Wells faz outro efeito, não é?
Resumindo: a única coisa na qual H.G.Wells acertou foi o deflagrar da Segunda Guerra Mundial por causa da disputa (bem nota há décadas) entre Alemanha e Polónia. Na prática, Wells chega às mesmas conclusões alcançadas em 1919 por muitos militares e políticos europeus, segundo os quais o Tratado de Versailles era na verdade uma "trégua" entre duas guerras: a Primeira Guerra Mundial apenas concluída e a Segunda, futura.

Acerca do resto, errou tudo e de forma grosseira. Esquisito, considerado que estamos a falar dum "Illuminado" ou, em qualquer caso, de alguém que bem conhecia o assunto NWO.

O caso Giuseppe Mazzini

Conheço bem a vida e as obras de Giuseppe Mazzini, por duas razões: porque ainda hoje é estudado nas escolas enquanto parte da história da unificação italiana e porque nasceu na minha mesma cidade, quase no mesmo bairro.

Na óptica do NWO, Mazzini representa para todos nós uma espécie de seguro: se todos os Illuminati forem como ele, podemos dormir descansados.

E começou desde logo: inscreveu-se na faculdade de Medicina e desmaiou na primeira autópsia.
Foi jornalista mas a censura fechou o diário onde Mazzini trabalhava. Entrado na Maçonaria, três anos depois foi preso e ficou na prisão.

A seguir foi para a França (1831) em exílio e dois anos depois foi condenado a morte em absentia, pelo que regressar para Italia estava fora de questão (não havia juízes maçónicos?). Em 1834 foi para a Suíça, logo ficou preso e teve que abandonar o País.

Em 1844 organizou com os Irmãos Bandiera a invasão via mar da Italia do Sul. Quase nem puseram os pés em terra-firme e os irmãos foram logo fuzilados.

Mazzini conseguiu voltar para Italia em 1848, para liderar com Aurelio Saffi (outro maçónico) a revolucionária Repubblica Romana que, obviamente, fracassou em breve. Voltou para a França mas teve que fugir, pois foi condenado à morte pela tentativa de assassinato contra Luís Napoleão. Viajou assim para o Reino Unido, onde viveu de forma miserável.

Em 1854 organizou a revolta da Valtellina, na Italia do Norte, que foi um fracasso.

Em 1857 organizou com Carlo Pisacane (maçónico) uma segunda invasão da Italia do Sul. Todos os 108 "invasores" foram fuzilados e Pisacane suicidou-se.

E nem falamos da revolta na Savóia (1833), em Genova (1834), Palermo, Abruzzo, Lombardia e Toscana.

Resumindo: nunca conseguiu um sucesso, nem que mínimo.
Esquisito: Mazzini era maçónico, trocava cartas com Albert Pike, fazia parte daquela poderosa elite que quer controlar o mundo...

Quatro pontos

Mas vamos pôr as pessoas de lado e pensamos nas ideias.

No princípio da Cronologia podemos encontrar os pontos mais importantes dos Illuminati que, é bom lembrar, têm como objectivo a NWO e estão ligados à Maçonaria.
Os pontos são os seguinte:
  • Abolição de todos os governos legítimos;
  • Abolição da propriedade privada;
  • Abolição da herança;
  • Abolição do patriotismo;
  • Abolição da família;
  • Abolição da religião;
  • Criação de um Governo Mundial.
Com um pouco de boa vontade é possível encontrar os mesmos conceitos  em qualquer bom livro acerca do Comunismo. Nada que possa surpreender: segundo os apoiantes da teoria da NWO, também a Revolução de Outubro, na Rússia, foi obra dos Illuminati.
Portanto:

Ponto 1: a doutrina da NWO é filo-comunista.

Isso significa que muitos presidentes dos Estados Unidos na verdade apoiavam uma doutrina filo-comunista. O que pode parecer um pouco estranho, mas tudo bem, aceitamos a ideia.

Ponto 2: a maioria dos presidentes americanos era filo-comunista.

Mas se assim for, então a religião é contrária aos ditames dos Illuminati (que prevêem a abolição dela); e isso significa que a Igreja é uma vítima da globalização. Aliás: a Igreja cristã é uma das primeira vítimas.

Portanto, a Igreja não pode fazer parte desta NWO, até deve necessariamente ser anti-globalista.

Mas o Vaticano não é o mesmo Estado Pontifício que construiu um observatório espacial na Antárctica para estudar Nibiru e outros objectos que os Illuminati querem esconder? E porque raio construir um observatório se já entre nós vivem os Reptilianos? Não seria mais simples perguntar a eles?

Bah, em qualquer caso, o que importa é realçar que a Igreja não entra nos planos dos Illuminati, pelo que é evidente o papel necessariamente anti-globalista do Papa, que a partir de hoje deverá ser visto como nosso aliado.

Ponto 3: o Vaticano é nosso amigo enquanto antiglobalista..

E o sionismo? Marx e muitos outros Illuminati eram e são hebraicos: mas na base da tese sionista existe a religião hebraica. O sionismo apoia uma Nova Ordem que pretende eliminar as religiões? Isso é um pouco difícil de acreditar, mas dada a fortíssima presença hebraica no círculo dos Illuminati, temos que aceitar este novo ponto:

Ponto 4: os sionistas querem extinguir o hebraísmo.

Agora, juntamos estes quatro pontos e perguntamos: faz sentido? Que mundo é este descrito pela teoria da NWO?
A resposta cabe ao Leitor.

Então?

Então: tudo falso? Toda conspiração e nada mais?
Acho que não. Como afirmado: sempre houve e sempre haverá quem pretenda dominar o mundo ou, pelo menos, uma boa fatia dele. Só que as coisas não são tão simples: não há o Bem dum lado e o Mal do outro.

É óbvio que os poderosos tratam dos seus poderosos interesses, mas cada um quer ser mais poderoso do que os outros e tenta trama-los. O hedonismo, o carreirismo, a competição humana, a fome de poder: tudo isso não cabe num desenho demasiado simples como a teoria dos Illuminati.

As grandes corporações estão prontas a devorar-se umas contra as outras, os Estados também.

E a Maçonaria? Qual Maçonaria? Há "a" Maçonaria ou "as" Maçonarias? Costumamos falar "da" Maçonaria como dum conjunto homogéneo, quase monolítico. Mas será mesmo assim? Não vou responder, deixo que seja o Leitor a informar-se se assim quiser.

No entanto, realço o papel de uma organização que é sabido ser maçónica: Comunhão e Libertação de Padre Carrón. De que lado está? Trabalha para o fim da Igreja? Porque Comunhão e Libertação é católica e cristã.

É natural procurar um inimigo, é muito humano, e possivelmente deve ser enorme, mau (pois nós somos bons, sempre) e poderoso (o diabo, a NWO... ), mas a realidade é que vivemos num sistema um pouco mais complexo, até que por vezes nem estes poderosos conseguem controla-lo.

Esta, pelo menos, a minha ideia.
Espero pelas vossas.

E bom fim de semana para todos :)


Ipse dixit.

22 comentários:

  1. uma lufada de bom senso
    Será que não desilude alguns dos comentadores que tenho visto por aqui?

    ResponderEliminar
  2. Anónimo18.10.13

    A cronologia tem menos de um século?! Essa foi a matar! :D

    ResponderEliminar
  3. Olá António!

    Acho necessário fazer isso, pois não quero vender "gato por lebre": este não é um blog para pessoas que aceitam tudo sem questionar e isto vale também para o autor (eu!).

    Desde o início o lema foi: "Duvidem, de tudo, incluído de mim". A razão é simples: com as dúvidas surgem as perguntas, com as perguntas a pesquisa. E, com um pouco de boa sorte, com a pesquisa podemos ter as ideias (ligeiramente) mais claras.

    Acerca da NWO: acho existirem demasiadas contradições. Não que tudo seja para deitar fora, pois como já disse acredito que haja grupo(s) que desejem concentrar o poder: provavelmente na Cronologia aqui apresentada aparecem pessoas que fazem ou fizeram parte de tal (ou tais) grupo(s).

    Mas a teoria em si é extremamente simplista. Quem conhece um pouco dela sabe que todos os acontecimentos dos últimos 300 anos têm como justificação a NWO. Na prática, desde o aparecimento dos "Illuminati", a História acabou e foi substituída integralmente pelos planos maléficos da NWO.
    Isso é ridículo.

    Como afirmado: é o Bem dum lado e o Mal do outro, como nas melhores produções de Hollywood. Mas o mundo é muito mais complexo do que isso.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  4. Olá Anónimo!

    "A cronologia tem menos de um século?! Essa foi a matar! :D"

    Peço desculpa mas não percebi esta.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  5. anónimo 5618.10.13

    Não estou nada desiludido.

    Confesso que a minha última intervenção foi mais bem de cortesia, pois não me senti confortável ao desvalorizar o esforço do Max, a elaborar tão extenso artigo , com os meus anteriores comentários.

    Enganei-me quanto ás suas intenções...

    Reverto para o comentário anterior... Que reflecte aquilo que realmente penso sobre o exposto.


    Continuo a pensar como disse anteriormente: que existem muitas informações interessantes nessa cronologia. E muitas outras erradas, seja por especulação ou desinformação.


    Que existe uma agenda secreta! Há quem veja sinais que indicam que sim, e não será necessário meter Reptilianos e Nibiru á mistura.
    Basta estar atento ao que se passa no Mundo Financeiro e Geopolítico.

    Mas seria bom que se entendesse um pouco melhor como funciona a desinformação.

    Ela alimenta-se exactamente dessas ridicularizações e estereótipos criados...


    Por outro lado aproveito para informar o Max, de que as tais " Teorias da Conspiração Global " que afirmam que o tal "radicalismo Hebraico" tentou com o Marxismo acabar com as Religiões, fê-lo com o fim de instaurar (mais tarde) a Hebraica como R. única. ( ver "Os Protocolos de Sião").
    E não para acabar com todas.

    Um pormenor sem grande significado na conjuntura do exposto, mas fica a informação ...

    ResponderEliminar
  6. anónimo 5619.10.13

    Já agora,para rematar a questão Sionista de que tenho eu e outros denunciado aqui, e como não terei oportunidade de participar próximamente no Blog como gostaria, não queria deixar de divulgar estes testemunhos. E o meu respeito ao povo Judaico que se demarca desse radicalismo.





    A voz dos Israelitas moderados de que nunca ouvimos falar.


    Norman Finkelstein:

    Judeu Norte Americano, professor Universitário, filho de pai e mãe ambos sobreviventes de Campos de concentração Nazis.

    Os seus testemunhos de extrema coragem, levaram-no a perder o emprego nos USA e está proibido de entrar em Israel por ser considerado uma ameaça...

    Um homem admirável...
    https://www.youtube.com/watch?v=oubv7uimM18

    ---------------------------------------

    Miko Peled:

    É um judeu israelita, nascido e criado em Jerusalém, cujo pai era um jovem oficial do exército em 1948 e um importante general da IDF em 1967. Ou seja, Miko Peled nasceu e cresceu em uma família e em um ambiente de profundas raízes sionistas. Não obstante isso, as contradições da vida e seu sentimento humanista foram abrindo-lhe os olhos para a realidade que o circundava. É esta realidade o que ele trata de transmitir em seu livro O filho do general (The general's son) e no relato do presente vídeo.

    https://www.youtube.com/watch?v=ToYDesW47Wc


    Entrevista em R.T (inglês)

    https://www.youtube.com/watch?v=qD9RISk9T2o


    --------------------------------------

    Hajo Meyer:

    Sobrevivente de Auschwitz, tornou-se no diretor do Philips Physics Laboratory.

    Acusa Israel de abusar do Holocausto para justificar os seus crimes contra a Palestina.

    Torna-se membro do International Jewish Anti-Zionist Network.

    http://www.youtube.com/watch?v=f5t7x12lZvI
    -----------------------------------------------------

    Shulamit Aloni:

    Foi ministra sem pasta no governo de Yitzhak Rabin, mas demitiu-se do cargo quando o Mafdal, um partido religioso, se uniu à coligação governamental.

    Pertence ao Bat Shalom, um grupo de mulheres israelitas e palestinianas que lutam pela paz na região.

    Sobre o anti-semitismo como argumento para calar as vozes contrárias aos interesses Sionistas.

    http://www.youtube.com/watch?v=jBGxSU5qdHU



    Muitos mais haveria a divulgar.

    Não se confunda todo o povo Judeu com o Radicalismo de uma Elite Judaica que predomina em Israel+USA e mundo.

    Não se confunda os povos Islâmicos com os terroristas Islâmicos.

    ResponderEliminar
  7. Olá Max: suponho haver um montão de agendas secretas em função de um também grande número de grupos de interesse e seus lacaios, visando acumulação de poder das mais diferentes formas. Então, me parece não existir um desenho de nova ordem mundial, mas vários, alguns cúmplices, associados entre si, outros ferozes concorrentes, mas todos visando dominação, poder e dinheiro, mas se utilizando de estratégias diversas e até discursos antagônicos. Abraços

    ResponderEliminar
  8. Anónimo19.10.13

    Da minha parte penso que o maior sinal de que de fato há uma ameaça real ao ser humano, é o fato de que eleição após eleição, muito pouco, quase nada, é alterado no cenário mundial. Direita e esquerda lutam uma luta encenada, onde quem está a esquerda faz concessões homeopáticas à sociedade, mas mantém a entrega generalizada do patrimônio do Estado ao grande capital. Exatamente igual o que a direita faz, só que esta vai no seco mesmo, sem conversinha pra calibrar o supositório no bumbum do neném.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo19.10.13

    continuando:

    E agora estão dando meia volta e retirando tudo o que foi conquistado pela sociedade. O povo, como sempre, é o vilão. O supositório tem nome de to big to fail. Com jeitinho e boa conversa o neném aceita. Sobre o nome de quem conspira contra o furico do neném, pouco importa os personagens já estão manjados.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo19.10.13

    É isso aí! e mesmo se tudo fosse verdade, nem sempre o que tá no campo teórico dá 100% certo na prática! Mas também trabalho com a ideia de que tem mais sensacionalismo que verdade, nesse geral!

    Achei interessante essa interação da teosofia, isso é qualquer um lance rosacruz, tenho um colega que frequenta! E pelo que sei eles fazem algo como orações, meio contrário a uma ideia de abolição da religião (ou fé)

    ResponderEliminar
  11. Anónimo19.10.13

    Nova Ordem Mundial isso é algo de abstrato no meu ponto de vista. Explico-me tenta-se pegar num todo dissertado nessa cronologia e fazer o que é habito hoje em dia dar-lhe um nome(tag). Pelo que vi e tenho visto aqui no blog, seu blog Max chamado Informação Incorrecta. Tudo isto não passa de uma teia de interesses. Mas como são demasiados ratos para um queijo traduzindo várias entidades demasiado poderosas a querer controlar localmente ou mundialmente uma quota de uma coisa chamada mundo(leia-se mercado) que está cada vez mais povoado ao ponto de se dizer que está ou irá ficar sobrepovoado(leia-se mais clientes mas a maioria sem dinheiro para comprar bens)certas individualidades entram em discursos de eugenia controlo populacional e por aí fora. Discordo em parte com esse nome mas foi o que apareceu feliz/infelizmente. Irrelevante, é um nome podia-se ter dado outro, mas ao ler o post da participante Maria(alô SC-BR)não podia estar mais de acordo. Vendo bem chamaria nova desordem mundial porque se sabe serem vários grupos de pressão em vários locais poderosos o suficiente para governar quem foi de facto eleito para tal. Aliás enquanto no séc. XX tínhamos lideres hoje temos marionetes que obedecem cegamente a um ou vários grupos de interesses. Se no século passado as vidas em geral e particularmente aqui na Europa melhoraram foi porque tínhamos gente a altura, algo que não se passa hoje em dia. Os direitos que adquirimos e agora estamos a perder foi porque alem da luta por uma melhor vida, tínhamos políticos que ouviam e realmente mesmo não sendo anjos de facto ajudaram-nos. Não estavam afastados como hoje(salvo boas e raras exceções), não estavam do lado de lá da muralha com um numero crescente de guarda costas, davam-se ao respeito e eram respeitados e o nível de vida mesmo depois de duas guerras realmente (mais tarde em uns locais que outros) melhorou.
    Acordamos agora após uma década quase desperdiçada(Europa)com estes lideres de fazer de conta que fazem o que os grandes bancos e agencias de rating mandam fazer sem pestanejar.

    ResponderEliminar
  12. Anónimo19.10.13

    Ora bem já aqui se falou do trabalho humano estar a ser substituído por computadores, máquinas, robots ou seja pouco a pouco vamos sendo algo descartável, um numero, algo útil para pagar cada vez mais impostos e taxas(cada vez mais absurdas, aliás a maioria nem tem explicação).
    Qualquer dia se as coisas seguem este rumo acordamos e não temos é nada ou quase nada(aliás estes carteis estão se pouco borrifando)ou haverá um fosso profundo entre os chamados 1,2 vá 10% e os restantes. Quem vai reclamar, ou será que fazem como nos US em que os meios de comunicação não deram cobertura nenhuma ao fenómeno occupy Wall street não por culpa dos jornalistas mas de quem lhes paga, claro. Claro que os computadores e maquinas não reclamam e nós ficamos reduzidos a uma massa amorfa, números, uma nova idade do pensamento letárgico, se é que isso existe?
    Peço desculpa por este post ser tão chato, mas estão me a ocorrer várias ideias e o quadradinho para deixar o comentário não ajuda e pode tornar desconexas as ideias.
    Fala-se também numa redução da população mundial por meios pouco ortodoxos em que só ficariam os uteis(os que podem pagar)os restantes nem quero imaginar. Mas o contrassenso disto tudo é que quanto mais gente maior o mercado. Os recursos do planeta são finitos é logico. Mas o que garante que estamos a ir pelo caminho certo usando as atuais energias que nos foram impostas como as únicas, quando tal é falso, alias o lóbi do petróleo não é um dos mais poderosos? Quando se sabe existir alternativas a mais de 60 anos mas esse lóbi lá continua e continuará, upas os petrodólares e que o Iraque a Líbia queriam usar outra moeda, já se sabe o resultado...
    Já ouvi falar em taxar a agua, o sol(Espanha),os ciclistas porque consomem mais oxigénio devido ao esforço(Seattle)a agua da chuva(Maryland)o que virá a seguir?
    Alias acredito que vivemos muito provavelmente num mundo baseado em pilares muito frágeis tendo como desculpa sendo verdades absolutas quando de facto não são e que isso sim poderia irritar as massas a um extremo em que corriam de lá com esta gente.
    Fim da parte I---
    Ideias correções para estes pensamentos meio desconexos são mais que bem vindas.
    Abraços
    Nuno-F.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo19.10.13

    Nuno-F gostei do comentário.
    Venha a Parte II

    Krowler

    ResponderEliminar
  14. Anónimo20.10.13

    nem mais, venha a parte 2.

    uma adenda.
    em relação à redução da população mundial, aos não úteis e a ficarem apenas os úteis, é olhar para o que se faz agora por esse mundo fora privando as pessoas de cuidados médicos e comida, por exemplo, e sim há mais, ou olhar para trás para o que se passou, por exemplo, durante o nazismo com a esterilização forçada (nada de transmitir doenças consideradas hereditárias) e depois com as execuções dos deficientes...
    olhando apenas para a história do século XX é possível ver muitas maneiras de controlar o número de "não úteis"...

    ResponderEliminar
  15. Anónimo20.10.13

    LOL Max... Sou eu mesmo, o mal educado.
    Sobre esse assunto, estou certo que nunca iremos "acertar agulhas", no entanto dou.te uma achega do "porque nao acreditas na Historia conduzida segundo as vontades de uma elite", em duas palaras simples, porque foste educado por eles.
    Acerca do resto fica aqui uma passagem para ver se sabes do que estou a falar e porque e que para ti e tao dificil de acreditar... Mas ca Max, e a ultima prometo, senao IRRITO.me!

    " Os Fundamentos foram lancados no Sec. 17. Com a criacao de duas potencias globais ( primeiro o Imperio britanico, depois os Estados Unidos da America, ambos eles uma ja criacao mais antiga mas nao adenssemos muito a retorica.), eles foram capazes de moldar grandes partes do mundo de acordo com a sua doutrina totalitaria. Com o seu sistema Mundial de Sociedades Secretas, monopolios comerciais e relacoes familiares, bem como sua influencia sobre o sistema financeiro internacional, e "educativo", eles conseguiram se infiltrar nas estroturas politicas de praticamente todos os paizes do mundo e instalar regimes-marionetes de um tipo ou de outro.
    A democracia nao impede que eles prossigam as suas atividades de modo significativo, uma vez que o regime democratico, seja ele amplo ou restrito, e simplesmente um sistema de revezamento das marionetes que estao no Governo. Na verdade, a democracia constitui o sistema de governo preferido pela Elite, uma vez que reforca a ILUSAO de que o consenso Popular dirige o Paiz"
    - PINDAR -
    Ipse Dixit!

    ResponderEliminar
  16. Anónimo20.10.13

    P.S. - Sabes MAx a verdade verdadinha, e que este assunto nao e para quem quer, e para quem pode!

    E tu se subiste muito nas escadas vais cair de cara ao chao, mas para ja deixo.te "FILOSOFAR" <>
    Nao tenho intencao de o fazer aviso ja, este assunto morre aqui para mim... Nao vou comentar!

    ResponderEliminar
  17. Anónimo20.10.13

    Antes de mais obrigado. Cheguei a pouco do trabalho a cuca está um pouco cansada.
    Mas vou começar por dizer mal do aparelho que estou a usar e do meio, sim um pc e a seguir da própria WWW(embora sejam uteis, logo aqui começo a contradizer o que disse acima)
    O problema será em parte mesmo as contradições. Vou lá mais tarde.
    Vou fazer uma pergunta simples o pulo tecnológico que tivemos nas ultimas décadas foi benéfico para quem, numa esmagadora maioria, quem de facto beneficiou mais de facto? O homem comum sim em parte se tiver acesso(alguns)a essa mesma tecnologia o que se sabe ser uma falacia. Foram como de costume as grandes corporações aliás os mesmo lóbis que antes eram poderosos agora ficaram muito mais poderosos. Temos o que? "Armamento"- Armas mais sofisticadas, mais destrutivas, drones etc..."Energética" uma continua procura de combustíveis fosseis agora através de “fracking” com os perigos que isso implica(lençóis freáticos irremediavelmente contaminados)e a procura cada vez maior em áreas com uma biodiversidade insubstituível que se pode perder também..."Farmacêutica/Drogas"- Apesar da evolução nesta área e que tem melhorado e muito a vida das pessoas, inclusive o aumento da esperança de vida e muitos outros aspetos positivos não se pode esquecer que os laboratórios são os maiores criadores de vírus e doenças degenerativas, que passado algum tempo possuem a cura para os males por eles fabricados(mais um negócio), nem vou entrar no ramo agrícola aqui já bem retratado no blog, ou até os gmo's e outros negócios menos lícitos como a droga...
    Nuno-F.
    continuando

    ResponderEliminar
  18. Anónimo21.10.13

    ...
    A informação, outro lóbi/poder aliás bem retratado neste mesmo blog do Max. O que tenho a elogiar é ter até liberdade de debitar um raciocino algo antagónico mas a sociedade em que vivemos é isso mesmo cheia de contadicões, por vezes o que parece não fazer sentido e até confunde qualquer um é mesmo a forma como as coisas funcionam em certos meios(alias os propósitos até podem ser positivos)tipo a politica e até a geopolítica a nível global, só que por vezes torna-se difícil quando não impossível certas uniões serem publicas porque tudo porque a própria mentalidade dessas sociedade não aprovariam.
    "verdades absolutas", ou tidas como tal, e vendo de outras prestativas/ângulos, não serão verdades se calhar tão absolutas. Aqui não poderei acrescentar nada novo a não ser dizer o obvio quem controla este poder, controla tudo ou quase tudo. Seja por que meio for desde que percetível. Aliás já deverá ter sido publicado aqui mas eu acho que a grande luta atual é pelo contrário pela Desinformação, eu chamaria as agencias de desinformação e de estupidificação, para o "Zé" e a "Manuela" não terem ideia aproximada do que realmente se passa, ora eu estou para aqui a escrever isto mas sei que isto é um pouco como andar num circulo ou talvez e com sorte ver a ponta do iceberg(o que já é muito). Quando noto um contraditório e noticias desconexas e outros indicios muito mais subtis mas identificáveis é porque a mensagem está a ser tratada/editada logo pode até não corresponder minimamente a verdade. Por agora fico por aqui, tenho a histérica da t. guilherme a soprar nos ouvidos e sono, combinação letal.
    Abraço
    Nuno-F.

    ResponderEliminar
  19. Olá pessoal!

    Em primeiro lugar: obrigado pela participação, obrigado a todos.

    Gostava deixar apenas uma nota para esclarecer um pormenor.

    Diz Pindar:
    "Sou eu mesmo, o mal educado".

    Pindar, agradeço-te muito, e falo a sério. Não apenas de mal educado, como é óbvio, não tens mesmo nada, mas demonstraste como seja possível discordar de ideias, critica-las e defender uma tese contrária de forma soberbamente civil.

    Lolol, se calhar "sobermamente" é demais: "este assunto não e para quem quer, e para quem pode"...enfim, prefiro não comentar.

    Mais: até inseriste uma citação, que é sempre bem vinda.

    Nunca iremos "acertar agulhas"? Mas não é isso que interessa: o objectivo aqui não é criar uma igreja de fieis que nunca discordem. Pelo contrário: o blog nasceu como forma de trocar ideias e informações, não para impor uma visão (se assim fosse, nem teria publicado uma cronologia acerca duma coisa na qual nem acredito).

    Tudo isso para lembrar o seguinte:
    1. até alguns tempos atrás, os comentários eram livres e nunca censurados. Resultado: spam e insultos.
    2. fartaram-se alguns Leitores, fartei-me eu também e desde então alguns comentários são simplesmente apagados.

    Mas quais comentários? Apenas aqueles que contêm insultos. E acho não ser preciso fazer exemplos, pois a ideia deve ser clara.

    Portanto: discordem à vontade, pois em três anos de existência, NUNCA neste blog foi censurado um comentário pelo simples facto de discordar do autor (eu!) ou dos Leitores.

    O máximo que pode acontecer é errar, pois o autor tem sempre razão :)

    Abraço para todos!

    ResponderEliminar
  20. Anónimo21.10.13

    Ola Max... Um esclarecimento, nunca me apagas-te nada, mas o Mordechai levi deu o seu impulso... :) (LOL)

    Sem problema Max, eu sei bem o que estou a fazer... :) Mesmo que nao pareca... :) LOL

    Abraco (PINDAR) ...

    ResponderEliminar
  21. Gostei muito da cronologia e acredito que algumas das personagens tiveram de facto um significativo poder e que esse mesmo poder possa ter sido mantido concentrado durante muito tempo, até aos dias de hoje.

    Quando percebemos que a meia-dúzia dos maiores bancos do mundo controla uma quantidade inexcedível de dinheiro, que não existe em papel mas apenas na memória dos computadores, e que daria por hipótese para comprar tudo o que existe à venda, ou ainda que há uns quantos humanos com a capacidade de eliminar a humanidade enquanto espécie, seria ingénuo acreditar que tais personagens não interferem no destino do mundo.

    Agora acreditar numa NWO parece-me disparatado essencialmente pela natureza idelológica dos objectivos pois penso que o poder não tem ideologia.

    Qual é a natureza do poder? Talvez o Max, o nosso sábio e prazenteiro anfitrião, queira responder, mas eu reconheço pelo menos duas características:

    Uma é a obscuridade, como alguém disse, o poder é vampiresco pois dissolve-se na presença da luz. Toda a acção é feita às escondidas de forma que apenas os que estão envolvidos (como cúmplices ou vítimas), ou se atreveram a pensar (como observadores), são capazes de perceber o seu âmbito.

    A obscuridade compreende o controlo da informação à bruta, mas também e essencialmente pela colossal multi-indústria de relações públicas, que mais do que alterar o facto lhe muda o contexto, conseguindo uma perfeita supressão ética da maioria dos espectadores.

    E provavelmente nunca houve tantos espectadores como no presente, isto é pessoas que estão a salvo de qualquer acção do poder - eu suspeito que a maioria dos leitores do blog - e que potencialmente poderiam expor e assim dissolver o poder.

    No entanto estes espectadores, na sua vasta maioria, traíram as restantes pessoas. A traição prospera neste grupo de forma que a consciência não se torna pesada. Agora o poder tem que se manter na obscuridade pois não queremos ver à luz do dia os crimes que consentimos de noite.

    Outra característica é a agressividade pois o poder é um desequilíbrio de justiça que para continuar necessíta de ir escavando o abismo. Como um esquiador nos Alpes, a cada instante aumenta a velocidade ou trava, não há outra forma de manter o controlo.

    Como limitar a agressividade? Bem, a pista terá que ser tão sinuosa que será o esquiador a travar.

    A solução na minha opinião não passa por criar um contra-poder, por uma combatividade como num jogo de xadrez, mas sim num sair para fora, um recusar todo um conjunto de regras subentendidas na nossa instituição social e fazer algo diferente, mais pessoal.

    Boa noite a todos!

    ResponderEliminar
  22. anónimo 5623.10.13



    Não é uma Nova Ordem.

    É o que temos...

    Sem pele nem espinhas...


    http://www.iarnoticias.com/2010/secciones/contrainformacion/0048_israel_poder_oculto_04jun2010.html

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...