24 fevereiro 2014

Suicídios - 1

Anda por aí uma virose que mata pessoas ligadas ao mundo dos bancos.

Na verdade não é este o primeiro surto, mas nas últimas semanas o vírus parece ter ganho força.

19 de Janeiro: morre Tim Dickenson, Director das Comunicações na Swiss Re AG, sede inglesa. As causas da morte são ainda desconhecidas.

26 de Janeiro: um ex top executive da Deutsche Bank, William Broeksmit, é encontrado morto na sua casa de Kensington (Londres). Causa da morte: suicídio por enforcamento. A polícia afirma que a morte não é suspeita. Broeksmith tinha fortes ligações com o chef-executive Anshu Jain.

27 de Janeiro: Gabriel Magee, 39 anos, Senior Manager da sede de JP Morgan’s Europe, envia um e-mail para a namorada, diz-lhe que acabou o trabalho e que vai ter com ela; depois atira-se do telhado da empresa (Londres), o que não é uma boa ideia, pois o telhado encontra-se a 300 do chão.

29 de Janeiro: Mike Dueker, Chefe Economista da Russell Investments e ex-assistente da Federal Reserve de St. Louis, salta uma vedação da autoestrada no Estado de Washington e atira-se para uma ravina de 30 metros, naquele que a polícia define como "suicídio".

06 de Fevereiro: Richard Talley, 57 anos, fundador da American Title Services Centennial (Colorado, EUA), dispara com uma pistola para pregos. Infelizmente, do outro lado da pistola está sempre ele, o bom Richard, que consegue assim suicidar-se com 8 pregos no tórax e na cabeça.

12 de Fevereiro: o Executive Director da J P Morgan Ryan Henry Crane, 37 anos, morre por causas desconhecidas em New York (EUA). Os exames toxicológicos tentam estabelecer a causa da morte, o que vai demorar cerca de 6 semanas.

18 de Fevereiro: Li Jie, 33 anos, Foreing Trader da JP Morgan's de Hong Kong (China), atira-se do telhado da empresa e voa o longo de 30 andares, depois pára de repente.

Estes as mortes das últimas semanas. Mas, como afirmado, o vírus já tinha atingido antes:

10 de Junho de 2013: o CEO Daniel Eicher, da ABC Verlag, suicida-se na sua casa de Berna (Suíça)

23 de Julho de 2013: o CEO Carsten Schloter, 49 anos, do Grupo Swiss Telecom, é encontrado enforcado

26 de Agosto de 2013: O CEO Pierre Wauthier, 53 anos, do Grupo Zurich Insurance AG, enforca-se em casa.

Pausa de alguns meses e depois outra vez o vírus de volta:
 
23 de Dezembro de 2013: o Executivo de Wall Street Robert Wilson, 87 anos, suicida-se com um salto do 16 º andar.

Como é possível observar, trata-se dum vírus que atinge os banqueiros de topo, pessoas bem sucedidas, com um nível de vida acima da média e que, numa certa altura e sem razões aparentes, decidem pôr fim a uma triste existência feita de restaurantes de luxo e outras mordomias que a maior parte das pessoas nem sonham.

O vírus ainda não tem um nome oficial, no entanto, os pesquisadores parecem inclinados para o termo Banqueiro-morto-não-fala virus.


Ipse dixit.

Fontes: Bloomberg (1, 2, 3), Daily Mail (1, 2, 3), Bangkok Post, Reuters, CNN MoneyBlindspot,

2 comentários:

  1. maria24.2.14

    Olá Max: estes eu chamaria de suicidados, ou seja, devem ter cometido suicídio por livre e espontânea pressão.Nós, simples mortais, não corremos este risco Abraços

    ResponderEliminar
  2. Anónimo24.2.14

    São trabalhos muito bem pagos, mas muito inseguros!

    Há uns tempos atrás era a grande fuga, com demissões em massa. Agora parece que os banqueiros mudaram de opinião, e resolvem suicidar-se ou pelo menos porem-se a jeito.

    Se a moda pega, qualquer dia há anúncios para CEO's de bancos no Jornal da Ocasião.

    Krowler

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...