04 fevereiro 2014

Yohio, o Homem Novo

Peguem num rapaz sueco de dezoito anos, que ama a música metal e a cultura japonesa, que sabe tocar um pouco de guitarra e fascinado pelo imaginário pop nipónico.

Misturem tudo junto: o que sai é difícil de imaginar, é mais rápido espreitar:


Ele é Yohio, também conhecido como Kevin Lucas Johio Eires Rehn, filho de Tommy Rehn, vocalista dos Corroded, banda de heavy metal escandinava.

Aos dez anos, Yohio descobre o mundo dos mangas, aprender a falar japonês fluentemente e sob o olhar encantado (?) do pai chega ao mundo da música.

Combinando as suas paixões, começa a escrever canções, influenciado pelo som de metal
escandinavo, e cantar em japonês, até conquistar popularidade no Japão, graças também ao seu visual. Yohio, de facto, veste-se como uma lolita, mesmo tocando essencialmente rock com influências metal, e nos seus vídeos dominam a estética do kitsch e as cores típicas da moda dos jovens japoneses.

Uma vez os escandinavos queimavam aldeias e mosteiros, agora aparentemente preferem cantar e vestir-se como uma lolita.

Um aspecto importante: Yohio não é gay (pelo menos, não oficialmente) e, paradoxalmente, nada tem a ver com a homossexualidade. O jovem sueco representa, à sua maneira, uma síntese perfeita do homem novo que está a ser moldando: multicultural, aberto a todas as formas de influência, sem um sexo específico.

O termo correcto é "metrossexualidade", originado nos finais dos anos 1990, pela junção das palavras metropolitano e sexual, sendo uma gíria para um homem urbano que decide assumir o aspecto que mais lhe agrada e não obrigatoriamente ligado as suas tendências sexuais.

O metrossexual ultrapassa as fronteiras entre homem e mulher, escolhe a estética que preferir.
O seu sucesso entre os jovens japoneses também mostra que agora a nova geração está finalmente pronta para abraçar o tal modelo e que não consegue ver nada de estranho em tudo isso. E talvez não por acaso Yohio é escandinavo: na Suécia introduziram o pronome de género neutro referido a uma pessoa.

Mais uma etapa num percurso que nos últimos tempos tem sofrido uma certa aceleração.


Ipse dixit.

Fontes: Tra Cielo e Terra

18 comentários:

  1. Anónimo4.2.14

    Julgava que "metrossexual" era outra coisa: o fim do homem "machão", que agora se preocupava também com a sua imagem perante as mulheres (como, por exemplo, David Beckham fez). Se isso incluía preocupar-se com muitos aspetos de beleza com os quais as mulheres se preocupavam (depilação, esfoliação, etc.), sim, incluía, mas julguei que não tinha nada a ver com esbatimento do género...afinal estava errado.

    E se tivermos em conta muita coisa que já sabemos sobre engenharia social...vejam bem para o que nos encaminhamos.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo4.2.14

    Isso tem um nome e não é metrossexual, é decadência humana! É o ser humano tornando-se numa "coisa" sem identidade.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo4.2.14

    Se ele tiver o azar de ir para a uma prisão japonesa, os Yakuza chamam-lhe um figo.

    Krowler

    ResponderEliminar
  4. Anónimo4.2.14

    Max, o termo adequado seria "Andrógino/Androginia" e não "Metrossexual".

    Vamos ver no que vai dar essa "tendência".

    ResponderEliminar
  5. maria5.2.14

    Olá Max: seria bom que as pessoas se preocupassem com as formas de pensar , agir e interagir dos demais, e não tão intensamente com seus gostos particulares com a beleza, a aparência estética, o vestir, a tendência musical, sexual e o raio que o parta. Justo porque o que nos espera não depende destas últimas coisas mencionadas, mas essencialmente das primeiras. Abraços

    ResponderEliminar
  6. Anónimo5.2.14

    Estou 100% de acordo com o que Maria disse. Preocupamo-nos muito com coisas fúteis hoje em dia. Aliás o russel brand goza com o ridículo a que os media chegaram ao vivo e na msnbc:

    http://youtu.be/ADJhErmJuoQ

    O pai do jovem é musico na banda citada ver metalarchives.com, tem mais detalhes. Sim é escandinavo gosta desse tipo de música, cabeludo como eu já fui e daí? O que importa é o que vai na cabecinha das pessoas a chamada massa cinzenta e não inutilidades com que gostam de rotular cada pessoa, engraçado que numa sociedade que se diz democrática, avançada e tolerante (sic) ainda se julga e muito as pessoas pelo visual, cor da pele, tendências sexuais etc... Irrelevante não incomoda nem chateia ninguém não é? não faz mal a ninguém(tipo pedófilo, assassino, ladrão) Então deixa andar senão qualquer dia fica tudo igual e perdemos a nossa própria diversidade.
    cabeludos, carecas, motards, e x gostos sei lá, de tudo um pouco.
    N-f

    ResponderEliminar
  7. Anónimo5.2.14

    Concordo inteiramente com os dois comentários acima.
    Em que isso nos afeta? Em nada. Precisamos nos policiar para não nos tornarmos como aqueles "maravilhosos" manifestantes franceses (La Manif pour Tous), que não movem uma palha contra a guerra, silenciam diante da desigualdade social, não se importam com a degradação ambiental, nem com a intoxicação coletiva, mas ficam absolutamente furiosos, capazes de virar o país do avesso apenas para impedir o casamento e a felicidade alheia.
    É preciso que sejamos parte da solução e não do problema.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo5.2.14

    Não concordo. Como já foi aqui dito, existe engenharia social em curso, da qual fazem parte a agenda gay e a androginização do ser humano. A manipulação do sentido de identidade sexual serve para manipular o sentido de identidade humana.
    Isto não passa de uma manobra.
    E Russell Brand já foi fotografado a dar o que (parecia ser) um aperto de mão à rainha de Inglaterra.

    ResponderEliminar
  9. Bom assunto Max!

    Antes de mais, gostaria de pedir ao primeiro anónimo que me esclarecesse sobre qual o objectivo da engenharia social sobre a "androginia" (e não estou a ser provocativo; quero mesmo saber qual a sua opinião).

    Eis a minha ideia:
    Por um lado, acho que não importa o nosso aspecto exterior, mas sim as nossas ideias - vejamos o Ghandi, ele revolucionou o mundo enrolado nalguns tecidos (que me parecem uns lençois).

    Não acho errado haver um preocupação com a aparência, preocupa-me sim a vaidade das pessoas - e uma coisa não implica a outra. Neste caso específico, vejo mais uma boa manobra de marketing, do que alguém com qualquer tipo de distúrbio que só Freud conseguiria justificar.

    Tanto se fala na igualdade dos sexos, que realmente a melhor forma de o obter é sermos todos semelhantes em aspecto.
    Será que assim seremos menos tentatos pelas paixões terrenas?
    (Assumindo que)Se formos seres espirituais em evolução, a diferença de género é só mesmo uma questão reprodutiva e de manutenção da espécie, que em nada está relacionado com a nossa evolução intelectual e (acima de tudo) moral.

    Eu prefiro um amigo com este aspecto "anormal" que seja honesto, sincero e cultive os bons sentimentos, do que um outro qualquer "homem" ou "mulher" com mau carácter.

    As minhas ideias sempre foram um pouco confusas, mas espero ter-me explicado bem.


    Com saudades de Portugal, um abraço desde São Tomé e Príncipe,
    --
    R. Saraiva

    ResponderEliminar
  10. Anónimo5.2.14

    Ricardo Saraiva:

    Antes de mais, deixe-me estabelecer a diferença entre "sexo" e "género": "sexo" é aquilo com que cada um nasce naturalmente; "género" é uma construção psicológica baseada na representação mental que se tem de cada um dos sexos.
    Mas ambas as coisas podem ser manipuladas.
    Não quero com isto dizer que um homem tem necessariamente de passar o dia a martelar nas obras, nem a mulher a cuidar dos filhos. Mas, em qualquer cultura do planeta, há algo que se espera de um homem e algo que se espera de uma mulher: é que se se é homem, estime esse facto, não se esqueça que é homem e se comporte como um, e se se é mulher, estime esse facto, não se esqueça que é mulher e se comporte como uma mulher. Além de que é suposto saber com quem estamos a lidar, se com um homem, ou se com uma mulher.
    Gandhi vestiu-se humildememente; não se vestiu de mulher. Era o descalabro se o fizesse. Não meta as duas coisas no mesmo saco, por favor.

    Vejo, pelo vocabulário que usa, e por outras mensagens que deixou antes neste blog, que é adepto da filosofia new-age. Deixe-me dizer-lhe que a difusão de tudo quanto se enquadra nesse tipo de doutrinas é uma das coisas que as elites secretas deste planeta usam para acabar com a velha ordem mundial e estabelecer a nova - daí o termo "engenharia social". Um mundo onde não existem diferenças nem limitações sexuais de qualquer tipo e onde cada um pode ser um deus da sua própria cabeça faz parte de tudo quanto o que os pertencentes a essa elite, seguidores da entidade também andrógina "baphomet", querem.
    O indivíduo do vídeo contribui para que quem o vê lhe siga os passos e assim se aproxime dessa ideologia. Não é por acaso que o Max usou o termo "homem novo" no título do post - refere-se com certeza ao tipo de homem que os instigadores da nova ordem mundial pretendem que exista nela.
    E já que falamos de velha e de nova ordem mundial, deixe-me dizer-lhe que se há coisa que comanda a velha ordem mundial (e que portanto querem demolir) é uma coisa que, por ser infelizmente mal compreendida, hoje em dia as pessoas detestam: a Bíblia. E lá diz que é abominação uma pessoa vestir-se como alguém do sexo oposto. Isto não se refere apenas ao próprio facto em si, mas a tudo o que significa e ao que lhe está inerente: visto que o sexo com que uma pessoa nasce é uma parte daquilo que é, o género tem de estar de acordo com isso, pelo que achar que se é do sexo oposto ou que "tanto faz" não passa duma distorção da pessoa em causa.
    Por favor pense nisto, você e quem ler.

    ResponderEliminar
  11. Marta5.2.14

    Caro Anónimo, estive a ler o que escreveu.
    Vejo que já leu bastante sobre o assunto.
    Se tiver links/livros que recomende em concreto sobre a questão sexo/género/engenharia social e quiser partilhar agradeço as suas indicações.
    Obrigada.
    Marta

    ResponderEliminar
  12. Anónimo5.2.14

    Marta:

    Não tenho nenhum link em concreto, o que tenho é anos a pesquisar sobre o assunto na internet. A informação sobre isto abunda: confissões feitas, pedaços de informação conectados, etc., etc..

    E deixe-me dizer que o próprio facto da mulher ter reivindicado a igualdade de papéis também foi manipulada: procure uma entrevista dada a Alex Jones por Aaron Russo.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo5.2.14

    http://youtu.be/ZGhFlRelN4M


    claro!...

    ResponderEliminar
  14. Marta5.2.14

    Obrigada pelas indicações.
    Marta

    ResponderEliminar
  15. Olá anónimo,

    obrigado pela resposta e pelo seu ponto de vista, no entanto, continuo sem entender qual seria o objectivo de "sermos todos iguais" (em aparência de género). O que ganharia a (suposta) NOM com isso?


    Com os melhores cumprimentos,
    --
    R. Saraiva

    ResponderEliminar
  16. Anónimo6.2.14

    Uma breve explicação e um dos melhores videoclipes que já vi:

    http://historiaemresumo.blogspot.pt/2010/07/vejamos-um-clipe-que-retrava-evolucao.html

    o mesmo em condições melhores porque as versões legendadas no youtube não funcionam aqui.

    http://www.youtube.com/watch?v=aDaOgu2CQtI

    Engenharia social claro sempre existiu basta ver a história até agora.
    Para que querem "pessoas" maquinas imperfeitas(leia-se robots) que/ou até se podem pensar de maneira diferente e tornar contestatárias ou questionar o sistema desenhado para as elites, ou algums?

    https://www.blogger.com/comment.g?blogID=153208619951051530&postID=5483092718958402670

    A ideia é dividir para reinar agora como na Suméria, no antigo Egipto e claro que melhor exemplo que o Imperio Romano...até aos nossos dias claro. Vou mais longe quem já viu o filme Gladiador do R. Scott ou o Apocalypto do M.Gibson dois bons exemplos de como entreter e enganar, com o circo do coliseu ou no segundo aproveitar conhecimentos adquiridos de tanto observar o céu as estrelas, um eclipse é um milagre uma resposta dos deuses, e assim continua tudo anestesiado. Basicamente sempre foi e continuará a ser. Até a próxima revolução(em parte ajudada por parte da mesma elite que por algum motivo assim o deseja) é claro! Acho?
    N-f

    ResponderEliminar
  17. Anónimo6.2.14

    Ricardo Saraiva:

    A elite fica a ganhar através da corrupção do indivíduo. Há montes de negócios nas mãos deles que não floresceriam se a mentalidade continuasse a ser a mesma de há 50 anos atrás, ou ainda menos.
    E a identidade sexual é das que mais bem-estruturadas deve estar na mente e na personalidade do indivíduo. Além disso, quanto mais conseguirem afastar o indivíduo da velha ordem mundial (a Bíblia), e o aproximarem da nova, mais poder de influência têm sobre ele...e mais controlável, mais manipulável é.
    A propósito, já ouviu falar do decálogo de Lenine? Não é coincidência que 10 passos que ele escreveu para controlar o povo sejam os mesmos a que se assistem agora. Sabe qual é logo o primeiro? "Corrompa a juventude e dê-lhes liberdade sexual.", ou seja, distorcê-los enquanto são jovens, pois serão os adultos/líderes de amanhã. Isto não inclui apenas promiscuidade, inclui deturpação.

    ResponderEliminar
  18. Anónimo8.4.14

    Decadência. Mas costumas nos referir a esta como evolução. Deus nos ajude.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...