05 março 2014

Ucrânia: mapas e Grívnias

Alguns dados acerca da Ucrânia, para tentar perceber melhor o que se passa.

A Ucrânia tem mais de 45 milhões de habitantes, dos quais 77% ucranianos e quase 20% russos. As restantes são minorias romenas e moldavas (0.8%), bielorrussas (0.6%), tártaras da Crimeia (0.05%) e outras ainda mais reduzidas. 
A maior parte dos russos vive na Crimeia, tal como os Tártaros, e nas províncias orientais de Luhans'k e Donec'k.

Politicamente, o País fica dividido em três áreas: a mais ocidental. Liviv, nacionalista, a central que segue o partido União Pan-Ucrâina Pátria (Vseukraїns'ke Ob'jednannja "Bat'kivščyna") de Julija Volodymyrivna Tymošenko, as provincias orientais que elegeram o Partido das Regiões de Viktor Fedorovych Yanukovych.

Este é o mapa fundamental para entender a importância da Ucrânia e os recentes desenvolvimentos.
O País não tem recursos energéticos naturais e depende integralmente das importações de gás metano da Rússia; todavia, representa o ponto de acesso do gás para o resto do Ocidente, pois 77% dos metano utilizado no Ocidente passa pela Ucrânia.

Dito de outra forma: quem controlar a Ucrânia, controla o gás no Ocidente (Europa mas não só).

Desde 2010, Ucrânia e Rússia têm um acordo que autoriza a presença de forças armadas de Moscovo na Crimeia. Este é um acordo mais abrangente que deve ser enquadrado no âmbitos dos relacionamentos comerciais entre os dois Países: a Ucrânia é o primeiro partner comercial da Rússia, mas isso não chega para reduzir a enorme dívida que Kiev tem em relação à Rússia por causa das importações de gás:
  • 40 biliões de Dólares que Kiev tem que pagar nos próximos dois anos;
  • 130 biliões de dívida pública total;
  • nos cofres 4 milhões de Grívnia, a moeda do País
E sabendo que 1 Grívnia = 0.101 Dólares, percebe-se que em Kiev têm pouco para rir...


Ipse dixit.

Fontes: os mapas foram publicados pelo diário Il Corriere della Sera

3 comentários:

  1. maria5.3.14

    Olá Max:e isso explica tudo, tudinho.Talvez se pudesse dizer que a guerra fria de ontem aparece com suas razões declaradas nas guerras "civis" quentes de hoje.Abraços

    ResponderEliminar
  2. Anónimo5.3.14

    Penso que todos aqueles que têm seguido com atenção a questão da Ucrânia, já terão percebido a história toda. É um 'Dejá vu'.
    Já aconteceu noutros países e vai continuar a acontecer no futuro.
    Rapina pura e dura e controle.
    O resto é conversa fiada.

    É um delírio ver a histeria dos países ocidentais a avançar com sanções e ameaças a toda a hora.

    Vamos ver o que isto vais dar. Na Síria não deu nada e na Ucrânia deve ser algo parecido.

    Krowler

    ResponderEliminar
  3. A segunda guerra começou assim. Só que foi na Polônia.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...