06 maio 2014

Copa do Mundo 2014: talvez alguns problemas

A pouco menos de um mês e meio do início da Copa do Mundo, o que sabemos na Europa da
situação no Brasil?

Não muito: alguns trabalhadores que precipitam nas obras, alguns choques nas favelas. E de vez em quando temos até que ouvir Pelé.

A violência nas favelas chegou a níveis preocupantes. No início de Abril, mais de 2.500 policiais e fuzileiros navais foram enviados nas áreas mais sensíveis para ajudar a polícia local e manter a situação sob controle, mas sem grande sucesso. Na periferia do Rio de Janeiro, até o exército foi enviado nos confrontos entre a polícia e a população.

Na verdade, o problema não são os habitantes das favelas, mas os bandos que aí operam e que fazem crescer os índices de criminalidade de forma exponencial. Em particular, na favela Mar, não muito longe do aeroporto de Rio, há uma sangrenta guerra de bandos: Terceiro Comando Puro dum lado e Comando Vermelho do outro, com ataques contra unidades policiais no meio segundo as autoridades.

Até agora, este ano, 16 policiais foram mortos no "Programa Pacificador", conforme definido pelo governo há dois anos, quando foi implementado para reduzir o nível de criminalidade nas favelas.

Ao Sunday Telegraph, um membro dessas comunidades disse:
A verdade é que não há paz. A polícia fica no interior das favelas, mas o tráfico de drogas continua e nada mudou. Tudo isso é para os turistas e para a Copa do Mundo, mas não vai mudar nada.
Além disso, muitos acusam a polícia de uso indiscriminado e excessivo de violência até provocar a morte de inocentes. No passado 22 de Abril, um famoso cantor local, Douglas Rafael da Silva Pereira, foi morto em Pavão Pavãozinho, uma favela perto de Copacabana, e a população está convencida de que a polícia foi a responsável. A situação tornou-se tão perigosa que os hotéis na área tiveram que barricar as portas, com a polícia que fechou as estradas e a estação do metro nas proximidades.


Um morador desta favela em Copacabana disse à Associated Press:
Este esforço para pacificar as favelas é um fracasso; a violência policial substituiu a que era praticada pelos bandos do tráfico de drogas.
De facto, muitas pessoas argumentam que este programa, concentrado principalmente no interior da cidade, não tem feito nada mais que deslocar as actividades criminosas desde o centro para os subúrbios, onde os níveis de criminalidade têm aumentado significativamente: de acordo com um relatório da ONU no ano passado, onde os roubos eram 4.700 no ano passado, agora são 6.700 este ano; ainda mais grave é a taxa de homicídios, 50.000 por ano, o que torna o Brasil mais perigoso do que Ruanda, Serra Leoa ou Nicarágua.

No entanto, é importante relatar que inicialmente este programa de pacificação tinha conseguido algumas melhorias: em 2007 a ​​taxa de homicídios era de 37,8 por 100.000 habitantes, em 2012 foi reduzida pela metade (18,9).

A tensão é elevada: são esperadas 600 mil pessoas de todo o mundo e a presidenta Dilma Rousseff encontra-se em plena campanha.
A mesma FIFA está preocupada com a situação, nas palavras do director de marketing Thierry Weil: Entre os nossos parceiros comerciais há muita discussão sobre os distúrbios e se irão repetir-se na Copa das Confederações, por isso há um monte de perguntas. [...] Acreditamos firmemente no País, nas cidades, no governo e no seu avançado sistema de segurança.
Mas há motivos de preocupação: o assassinato de Pereira provocou uma revolta violenta, onde os moradores fabricaram explosivos caseiros e puseram fogo em vários pontos de bairro.
E faltam um mês e seis dias...

Para acabar, eis a voz de Pelé, outrora um deus da bola, agora um indivíduo com alguns problemas:



Ipse dixit.

Fontes: International Business Times, Miami Herald

19 comentários:

  1. Chaplin6.5.14

    É como enxugar gelo. Os policiais formaram milícias e acabaram por tornarem-se parceiros do tráfico. Os verdadeiros chefões não aparecem no noticiário, pois são pessoas ligadas a classe dominante. Ações "pacificadoras" nada mais visam do que fixar uma imagem de controle até o final das próximas Olimpíadas em 2016, a ser realizada na cidade. Essas populações ficam entre a cruz e a espada. De um lado o Estado que está à serviço dos interesses de uma minoria, de outro, traficantes que se fazem de "protetores" de quem não tem nada...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo6.5.14

    Eu não sou um entusiasta da política atual desse país, mas todos os países tem os seus problemas. Estão tentando pregar o catastrofismo em relação a copa do Brasil. As coisas saem exageradas nos jornais. Em 2006 a TV Globo estava mostrando um Rio de Janeiro em guerra, ônibus queimados, violência por todo o lado. Quando cheguei a cidade estava uma calmaria total. É muito mais político esse jogo, estão tentando manchar a imagem do Brasil. Não acreditem em todas as notícias que são postadas, sabemos bem para quem trabalha a mídia. Sempre que grandes eventos vem ao Brasil tratam logo de dizer que está tudo com problema, tudo errado, que vai ser o caos: "Imagine na Copa"! Estou cansado dessa imprensa marrom que tenta só prejudicar a imagem desse país.

    Augustus

    ResponderEliminar
  3. Acredito que há neste texto uma quantidade grande de "informações incorrectas".
    Quem o "um famoso cantor local, Douglas Rafael da Silva Pereira"?
    Por aqui ninguém conhece cantor "famoso" com este nome.
    Acho que deves analisar melhor tuas fontes de informações.
    Folha de São Paulo, Estadão e Globo não são nenhum pouco confiáveis.

    ResponderEliminar
  4. Derli!

    Então não conheces o grande Douglas Rafael da Silva Pereira? O autor de "Coração de manteiga", "Cavalo branco mas também marrom" e "Traz as chaves do carro que esqueci das minhas na mesa de cabeceira"?

    Fogo, é uma lenda! Mas não era cantor, era dançarino: http://www.youtube.com/watch?v=gFHZPMJkpRo

    Quantos às fontes: são listadas abaixo do artigo, como do costume. Nada de Globo, Estadão, Folha, nada de diários brasileiros.

    Pssssst! É muito, muito, muito mas mesmo muito difícil conseguir "apanhar-me" desprevenido em relação às fontes. Quem escreve neste blog (eu!) faz questão não apenas de traduzir o texto (nem me daria o trabalho de ter um blog assim) mas também de efectuar verificações cruzadas: é a característica primária do blog. Neste caso, a mesma notícia pode ser encontrada no Los Angeles Times, no Guardian e no Telegraph (é só pesquisar com Google, mas se precisam dos links posso pô-los aqui).

    Isso não significa que não possa errar, como é óbvio (a imprensa é o que é...), mas torna a possibilidade mais remota.

    Abraço para todos!

    ResponderEliminar
  5. Anónimo6.5.14

    Isto é complexo Max.
    O meu irmão está no Rio e já me falou por outras palavras o que o Chaplin e o Augustos referiram até muito mais detalhado. Eu sou Nuno já deves ter visto no Facebook, aliás vais ver o meu irmão no complexo do alemão e outros lugares assim. A grande maioria desses "antros" é composta por boa gente que convive quase diariamente pela violência perpetrada por uns poucos. Ele inclusivamente chegou a levar turistas lá e a grande maioria gostou...mas agora as coisas mudaram um pouco para pior não me vou alongar mas o Chaplin em poucas palavras descreveu pelo menos o que se passa no Rio.
    Quanto ao mundial, vai correr bem como os outros. Povos assim acolhedores como nós os Brasileiros e o teu excelente país Italia, eheh até me punham a falar italiano são poucos.
    Abraço
    Nuno

    ResponderEliminar
  6. Olá Nuno!

    Mas eu não tenho dúvidas acerca do Mundial: irá correr bem, tenho a certeza disso.

    Assim como estou convencido de que um lado político do Brasil explora a situação para atacar o governo.

    O facto é que eu estou "de fora", num outro continente, e tenho que juntar as peças que encontro (televisão e/ou diários estrangeiros: não vou consultar os diários brasileiros para o blog, se os Leitores do Brasil querem ler as notícias da imprensa brasileira não vêm a visitar Informação Incorrecta!).

    Nestes dias foi dado espaço (mas nada de exorbitantes) ao caso das favelas. Aliás, é um assunto que já tem alguns tempos (sempre ligado ao Mundial) e que viu a participação dos Leitores na discussão.

    Para mim, como para todos os Leitores que não vivem no Brasil, os Vossos comentários são fundamentais para perceber qual o verdadeiro clima no País.
    Se uma televisão transmite autocarros incendiados e polícia que dispara na rua, eu penso "Mas que raio se passa no Brasil?". Depois descubro que não se passa nada ou foi algo "aumentado" pelos media. Já aconteceu (era S. Paulo se não me engano).

    As favelas: por acaso, há dois anos, vi uma reportagem que julguei bem feita (ainda não se falava muito do Mundial): tratava das favelas como de lugares onde moram pessoas desfavorecidas, não uma cambada de criminosos.

    Depois, claro, há quem no meio da pobreza aproveite da situação para montar tráficos ilícitos. E as favelas, por como foram construídas, constituem um bom esconderijo. Mas este não é um problema só do Brasil; e tráficos ilícitos acontecem também nas zonas "vip" das cidades, em particular onde houver bancos. Só que aí nunca vão os jornalistas com as câmaras...

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  7. Victor6.5.14

    "Quanto ao mundial, vai correr bem como os outros. Povos assim acolhedores como nós os Brasileiros." looooooooooooooooooooool Povos acolhedores . É por causa de pensamentos assim como o teu seu ret@rdad0 m0ng0l0ide,k esse país é essa desgraç@ ,"Sou pobre mas sou feliz." frases k os média colocaram no vossa cabeça para aceitar o "pão e circo" k esses políticos desgraçad0s "nos" dão. Hipocrisia é o k não falta nesses comentários!

    ResponderEliminar
  8. Olá Victor!

    Para mim podem defender qualquer ideia, qualquer opinião, não há limites e não há censura.

    Só peço um mínimo de educação, obrigado.

    As desculpas do blog para o Nuno.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo6.5.14

    Olá Max! Moro em São Paulo e garanto a você e a seus leitores não brasileiros que a violência aqui não aumentou em função de eventuais protestos direcionados a Copa, mas sim em politicas sociais desastrosas dos últimos governos (08 anos de administração Lula e 04 da simpática Dilma). Além do mais as capitais mais violentas do país são as da região Nordeste como Salvador, Recife e Fortaleza. Quanto a ser contra ou a favor da realização da Copa em um país com tantas outras prioridades, fico com a primeira opção. No entanto, essa é uma discussão sem qualquer fundamento neste momento. Os protestos deveriam ser feitos em 2007 quando foi feita a escolha, ou no máximos em anos subsequentes. E não nos esqueçamos que este é um ano de eleições presidenciais e um evento como esse será muito explorado, tanto para o bem quanto para o mal.
    Eduardo!

    ResponderEliminar
  10. Olá Eduardo!

    "Os protestos deveriam ser feitos em 2007 quando foi feita a escolha"

    Pois, esta é a minha dúvida também. Voltar atrás agora, independentemente das cores partidárias, significaria deitar para o lixo rios de dinheiro e as mortes dos trabalhadores também.

    "Quanto a ser contra ou a favor da realização da Copa em um país com tantas outras prioridades, fico com a primeira opção"

    Se escrevo agora o que penso acerca disso, metade dos Leitores vão desejar matar-me.

    Com calma, depois dos jogos, haverá o tempo para falar disso.

    Abraço (e muito obrigado!)

    ResponderEliminar
  11. maria6.5.14

    Olá Max: qual o brasileiro que não quereria a Copa no seu quintal? Mas hoje a cabeça desse mesmo brasileiro já foi feita pelos mídia para rejeitar a realização da mesma aqui. A idéia é tornar o que poderia ser um trunfo do governo, em plena campanha presidencial, em um ponto negativo, contra esse mesmo governo.Violência,corrupção e miséria, meus amigos, com Copa ou sem Copa,é uma constante no estado da arte no mundo de agora.
    Creio que por aqui as coisas vão ser definidas pelo resultado da Copa. É curioso imaginar que assunto de tamanha importância, a política e a futura governança deste país esteja parcialmente nas mãos do técnico Felipão. Mas...isto é Brasiiiilllll, que eu tô torcendo que ganhe a Copa. Abraços

    ResponderEliminar
  12. Ilham disse :moro no Rio de Janeiro e não seria ingênua a ponto de negar que os problemas existem. Mas, podem acreditar que o uso político que se faz de muitos episódios é que dá uma dimensão maior a estes. A questão das favelas é muito complexa,pois envolve o próprio crescimento urbano desordenado,que pode ser explicado por uma concentração de renda absurda.Aliás, não me lembro onde li,mas a concentração de renda tem aumentado em todo os países,e não só no Brasil.Não é só a polícia que é violenta ,a sociedade como um todo o é.Quanto ao bailarino ( não era cantor) ninguém sabe realmente o que aconteceu. A morte foi violenta,mas quem foi o autor? Acusar a polícia de imediato me parece uma atitude irresponsável. De qualquer maneira Max o que acontece aqui não é muito diferente do que ocorre no restante das sociedades ocidentais,onde o egoísmo,o materialismo desenfreado descambam para um hedonismo que está levando todo mundo para o buraco.

    ResponderEliminar
  13. Ilham disse :moro no Rio de Janeiro e não seria ingênua a ponto de negar que os problemas existem. Mas, podem acreditar que o uso político que se faz de muitos episódios é que dá uma dimensão maior a estes. A questão das favelas é muito complexa,pois envolve o próprio crescimento urbano desordenado,que pode ser explicado por uma concentração de renda absurda.Aliás, não me lembro onde li,mas a concentração de renda tem aumentado em todo os países,e não só no Brasil.Não é só a polícia que é violenta ,a sociedade como um todo o é.Quanto ao bailarino ( não era cantor) ninguém sabe realmente o que aconteceu. A morte foi violenta,mas quem foi o autor? Acusar a polícia de imediato me parece uma atitude irresponsável. De qualquer maneira Max o que acontece aqui não é muito diferente do que ocorre no restante das sociedades ocidentais,onde o egoísmo,o materialismo desenfreado descambam para um hedonismo que está levando todo mundo para o buraco.

    ResponderEliminar
  14. Max, grato atenção de tua resposta.

    ResponderEliminar
  15. A violência vem de dentro para fora, vem do sistema liberal, do sistema econômico capitalista, a violência vem das mídias que bombardeiam dioturnamente com a ideologia do mais forte nas suas séries de TV, nas suas novelas imprestáveis de desprovidas de valores humanos, tudo se resume a uma caricatura repetitiva de uma sociedade doentia. É um lugar que todo mundo tem razão, todo mundo só tem direitos, mas não tem deveres. Fica fácil criticar o atual governo que está mergulhado na podre política que é somente um retrato dos seus eleitores. Esse governo que aí está fez o possível para dar um alento aos mais pobres o que de fato tem conseguido, entrementes a classe média refuta que esses mesmos pobres venham se juntar a ela para disputar o mesmo espaço. A elite por sua vez tem o seu ódio atávico à massa dos trabalhadores que põem comida na sua mesa, ainda mais que os ganhos reais de salário tem incomodado aos barões que não sabem fazer outra coisa do que secularmente explorar esse país. E por isso para eles é necessário que se mude esse governo, ainda que esse mesmo governo tenha lhes proporcionado um confortável aumento de riqueza através do juros mais altos do mundo. Porém não estão satisfeitos com o sucesso, é preciso apertar o povo com os grilhões do desemprego e sofrimento, isso causa-lhes um certo prazer mórbido. Ainda há que se falar do judiciário inquisitivo da mais alta corte do país composto por juízes que usam da sua atividade não para promover a justiça, mas para punir os desafetos dessa mesma elite e nessa mesma sanha de prazer egocêntrico no estertor das vaidades ficam a politizar a vida pública como se isso fosse a coisa mais natural do mundo. Quanto a copa, os meios de comunicação que a criticam, deveriam tê-lo feito a três anos atrás, hoje criticam mas vão transmitir transmití-la as custas dos contratos milionários que receberão. E se o Brasil não tivesse trazido a copa, o que diriam? Diriam que o governo foi incompetente. Com copa ou sem copa, com a nossa mídia ordinária e tendenciosa só vejo uma razão para tudo isso, esse movimento político não é interno, mas vem de outros lugares dos donos do big stick que não se conformam com a sua perda de influência cultural e econômica sobre o Brasil e a América do Sul.

    ResponderEliminar
  16. Anónimo7.5.14

    Max, no mês de abril o Partido Trabalhista (PT) organizou um "camping digital" em São Paulo para "ensinar" seus militantes a responderem, entende-se atacar, aqueles que discordam de suas idéias. O discurso é sempre o mesmo, a direita burguesa a "elite dominadora", bla´, blá, blá... Pelo visto surtiu efeito.
    Desculpe-me, não quero usar seu blog para discussões partidárias. Foi apenas uma informação que achei pertinente diante do contexto,
    Abraço, Eduardo.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo7.5.14

    Corrigindo: Partido dos Trabalhadores.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  18. Anónimo7.5.14

    Victor disse...

    "Quanto ao mundial, vai correr bem como os outros. Povos assim acolhedores como nós os Brasileiros." looooooooooooooooooooool Povos acolhedores . É por causa de pensamentos assim como o teu seu ret@rdad0 m0ng0l0ide,k esse país é essa desgraç@ ,"Sou pobre mas sou feliz." frases k os média colocaram no vossa cabeça para aceitar o "pão e circo" k esses políticos desgraçad0s "nos" dão. Hipocrisia é o k não falta nesses comentários!

    OK Victor
    Eis a resposta do retardado mongolóide:
    Por acaso já se deu ao trabalho de ver os meus posts anteriores? Cara eu já morei aí e sei bem o tipo de media tendenciosa que voçes aí têm, algo já ia mal na altura quando o noticiário menos mau vinha da record da iurd, a globo, sbt e outras que tais aquilo é mesmo mau(fox news mas pior). Alem de revistas como a veja e outras maravilhas que nem falo os jornais como o estadao e a folha outras pérolas iguais, ahh sim mas depois tinha que gramar o bota ai na globo, na altura inclusive desenvolvi um ódio a novela que ficou.
    Em baixo o participante Pamplona Pernalonga falou mais ou menos o que penso(por isso não vou colocar por outras palavras o que é essencialmente o meu ponto de vista).
    Pão e circo só cai quem quer, mas já funcionava pelo menos desde o Império Romano.
    Aqui em Portugal o Europeu 2004 correu bem mas foram construídos vários elefantes brancos vulgo estádios em Aveiro,Algarve,Leiria(o estádio leva mais gente que a população da cidade!).
    Quando menciono povos acolhedores é possivelmente porque conheço vários países, diferentes povos e na minha opinião onde me sinto melhor é nos países do sul com óptimas excepções pela Europa fora mesmo do norte varia...

    Quando digo acolhedores não digo submissos está entendido?

    ",k esse país é essa desgraç@"

    É para rir ou chorar é daqueles caras que aí conheci que adoram falar mal do vosso próprio pais mas se for um gringo é tipo volta para a tua terra, tá calado etc...

    Fique bem Victor

    ass:retardado mongolóide

    ResponderEliminar
  19. Chaplin8.5.14

    Desconsiderando opiniões eminentemente partidarizadas, até porque a questão aqui é muito maior do que qual Partido está no poder político, fico surpreso com comentários de pessoas que possuem posições avançadas mas que aqui sucumbiram ao próprio imaginário."Qual brasileiro não gostaria de sediar a Copa"? Como se uma competição esportiva que oculta um mega negócio, gestado por uma entidade corrupta e com abrangência global pudesse seduzir a todos...não cabe mais qualquer visão romântica no mundo do futebol...

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...