19 maio 2014

EUA: as cidades-tendas

As cidades das tendas crescem.

Debaixo das pontes, nas floresta, nas margens das autoestradas, vivem as pessoas sem uma casa, com uma tenda e poucos bens pessoais. Por enquanto são mais de 100, mas as tent-cities (as "cidades-tendas") dos Estados Unidos aumentam, principalmente nas grandes cidades de estados como Alaska, Califórnia, Hawaii e Connecticut.

Esta é uma das informações contidas no último relatório do National Law Center on Homelessness & Poverty (NLCHP), uma organização sem fins lucrativos que presta assistência aos desabrigados.

As cidades das tendas, improvisadas, surgem como comunidades e, com o tempo, aumentam de dimensão até tornar-se quase cidades em miniatura: têm a sua própria organização interna e, às vezes, até mesmo um "prefeito". Algumas são mantidas com cuidado, outras estão cheias de lixo. Algumas são reconhecidos pelos Estados, a maior parte não.

Para as pessoas que já não têm uma casa, as cidades-tendas são muitas vezes a única alternativa que pode ser encontrada a rua.

Geralmente surgem nas áreas onde o custo da vida (especialmente o custo das habitações) é insustentável ou onde os abrigos não podem assistir o elevado número de quem procura ajuda.

Mas é apenas uma explicação parcial deste fenómeno social: na verdade, não são poucos os que afirmam escolher voluntariamente a vida nas tendas. Preferem isso porque representa a liberdade, uma vez que nesses campos não há as restrições típicas dos abrigos: não há dormitórios separados para homens e mulheres, não são necessários documentos, não há horários de entrada e de saída, não é proibido o uso das drogas ou do álcool.

A cidade das tendas, brotam como cogumelos e tão rapidamente deixam de existir. Muitas, as que não são reconhecidas, são evacuadas pelas autoridades.

Um dos últimos caso ocorreu em Camden, New Jersey: após a intervenção das autoridades, alguns ocupantes não foram capazes de encontrar um abrigo nos centros de acolhimento, simplesmente não havia espaço suficiente para todos.

As cidades das tendas nascem por uma razão: a sobrevivência. Ou pelo menos essa é a explicação que dá o NLCHP no relatório, no qual analisa o problema e tenta oferecer uma solução:
A solução para a proliferação de campos nos Estados Unidos é a oferta de habitação a preços acessíveis.
Pois, dito assim parece simples...


Ipse dixit.

Fontes: NLCHP: Welcome Home (ficheiro Pdf, inglês), America24 

3 comentários:

  1. Anónimo19.5.14

    "They live" começa a tornar-se realidade...

    ResponderEliminar
  2. maria19.5.14

    Então Max: aí tem-se o subproduto do coração do sistema. Os sem teto na Espanha fazem o movimento Ocupa e encontram um teto nos inúmeros prédios abandonados. Os sem teto no Brasil participam de associações, reinvidicam e conseguem ocupar edifícios inteiros até em regiões centrais de grandes cidades. Mas os sem teto nos EUA, creio que só resta a alternativa de uma tenda. Nas vezes que estive no Alaska, já era um absurdo ver containers e treilers servirem como casa numa região que as antenas parabólicas encostam no chão, tão próximas do polo se encontram. Imagina uma tenda!!Abraços

    ResponderEliminar
  3. Em breve estarão nos campos de concentração já construídos em todo país. Avançam a agenda da implantação da Guantánamo planetária. Aguardemos o resultado da Copa 2014...

    Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...