07 junho 2014

Dilma e a hora de Pavlov

Estava a escrever isso como resposta ao artigo Copa: os dentes de Dilma, depois pensei que isso afinal pode ser o começo dum discurso diferente.

Dilma ou não Dilma?
Tanto faz.

É perfeitamente inútil defender perante mim qualquer ideologia ou cor política: felizmente ultrapassei esta fase e hoje posso observar os vários actores políticos com o mesmo afastamento. Isso, que fique claro, não tem nada a ver com a inteligência ou as capacidades duma pessoa; acho serem mais as experiências que moldam neste caso.

No caso de Dilma e, como diz o amigo Cara Pálida:
Caro Max a tua fonte de informação não precisava estar no Perú e escrever em italiano e posteriormente fazeres a tradução para o português. Quanto trabalho, hiperbólico. Tu escreve e lê em português, bastaria visitar os blogs brasileiros, temos milhares e de todos os matizes e para todos os gostos.
Justo: mas assim não teria sido possível propor aos Leitores Brasileiros uma visão do Brasil de quem está "fora" dele. Visitar blogues brasileiros? É o que faço todos os dias (inclusive há blogues brasileiros que republicam quanto escrito aqui). Mas a ideia de base era outra.
não se pode julgar um governo por conta de um evento esportivo e fazer disso argumento para justificar a endêmica pobreza do Brasil,cujo governo nos últimos onze anos fez o "milagre" de tirar milhões de brasileiros da extrema pobreza, ainda que tendo que conviver com um sistema capitalista selvagem que privilegia o capital sobre o ser humano.
Não acho que a subida dos indicadores económicos seja um bom sistema para medir a bondade dum governo. Se assim fosse, deveria ser necessário reavaliar pessoas que no passado tiveram o poder e fizeram milagres também. Um nome? Adolf Hitler. É óbvio que seria absurda qualquer comparação com Dilma, mas não podemos esquecer que Hitler pegou num País de miseráveis e tornou-o uma potência económica no prazo de poucos anos. Mussolini também fez algo parecido.

Onde quero chegar com isso? Simples. Acho que é como crescer um filho: o que desejamos deixar ao nosso filho? Uma enorme riqueza, para que não tenha problemas no futuro? Eu acho que não: eu gostaria muito, infinitamente mais deixar ao meu filho os instrumentos para que ele possa escolher, construir a sua própria fortuna, entender como é e como funciona o Mundo, o Homem. Os instrumentos para que possa ter consciência de quem ele é, quais os seus reais desejos e como realiza-los. Ou, pelo menos, tentar realiza-los.

Esta é uma herança, a melhor que seja possível deixar, a única com um sentido..
O dinheiro? Valha-me Deus. O dinheiro.

É por isso que não entendo a Copa. Será uma Copa bonita? Já disse, acredito que sim. Mas importa?
A razão pela qual publiquei a reflexão não minha é outra.
 
A razão

É suficiente criticar Dilma (mas nem tanto) para ter o espaço dos comentários cheio de pessoas que defendem, justificam , explicam. Na altura em que escrevo, ainda ninguém teve o bom gosto de tratar do mesmo assunto do artigo: as favelas. Não, preferem vir aqui e defender Dilma, a honra de Dilma. É um gesto nobre, que fique claro: mas não é disto que o artigo falava.

Nem por um segundo passou na mente dos Leitores algo do tipo "Mas olha este filho da .... de Max que, mais uma vez, provoca os Leitores do Brasil". Faço isso há quatro anos, tal como costumava fazer com os Leitores Portugueses (depois fartei-me: não dá gozo ser inteligentes em Portugal). E a resposta é sempre a mesma: levantam-se os escudos para defender. É como uma reacção de Pavlov.

Quatro anos a tentar explicar porque não acredito nos partidos, porque as ideologias falharam, porque o que conta nesta sociedade não são as bandeiras mas os cheques dos bancos. Aplausos, bravo Max, isso sim que é falar.

Depois meia palavrinha contra Dilma? Então passar de bestial para besta é um segundo.
A vitória de Pavlov.

O que tentei fazer entender muitas vezes é que a mais valia deste blog não é o que eu penso ou o último artigo sobre o Bilderberg, estes são disparates que cada um pode escrever. A mais valia deste blog é o que pode transmitir, e nisso o meu papel nem é tão relevante.

A Europa é um continente ainda muitas vezes mais rico do que a América do Sul, mas o que conta é que está mais velho, já passou pelas mesmas experiências que o Brasil enfrenta hoje. Assim como os Estados Unidos são o futuro da Europa (com um desfasamento de 15-20 anos), a Europa é o futuro da América do Sul. Atenção: não falo aqui do aspecto económico, falo das dinâmicas sociais.

Isso não autoriza ninguém da Europa a dar lições acerca da América do Sul: mas permite que Vocês, os Brasileiros, possam desfrutar as nossas experiências para tentar melhorar o vosso futuro, por exemplo evitando os mesmos erros. Quantas vezes atiro para o meio do artigo a frase ("porque afinal é assim que funciona em todos os lados, não apenas aqui" (mais ou menos com estas palavras)? O que significa isso?

Ainda Cara Pálida (peço desculpa por tomar sempre ele como exemplo, nada de pessoal!):
Bem sabe que o problema não é a copa do mundo, o problema é macro-econômico, as mazelas daqui estão replicando aí. Enquanto a Banca ditar na política não haverá solução tanto para nós brasileiros como para os queridos europeus.
Exacto. Poucos entre nós gostam da globalização, mas todos vivemos nela, esta é a realidade. Há um padrão, muito claro e definido, que juntos descortinámos (e nem todo) ao longo do tempo. É um padrão que não respeita língua, cor da pele ou ideologia política: é um padrão transversal e por isso excepcionalmente perigoso e eficaz. Se ainda raciocinam em termos de "bons dum lado" e "maus do outro", então é triste mas tenho que avisar: erraram de blog.

Por razões económicas e históricas, o padrão começou a ser implementado na América do Norte, depois chegou no Velho Continente e agora observa a Ásia e a América do Sul. E, mais uma vez: atenção, porque não estamos a falar apenas dum padrão económico. É algo muito mais complexo, que parte da economia para depois abranger toda a nossa sociedade, inclusive a nossa maneira de pensar.

Quatro anos depois de ter começado, publico um artigo (não meu) que enfrenta um problema real (podem corrigir-me se acham o caso: existem as favelas ou é apenas a imaginação de quem mora fora do Brasil? Há confrontos por causa da Copa ou é só a vontade de criticar a Grande Dilma?) e lá vamos outra vez. Pavlov.

Um gajo aqui espera "será que depois de tantos escritos, por uma vez, não haverá a defesa ideológica"? Será que alguém consegue afastar-se das bandeiras e observar a realidade com os olhos da curiosidade?

Nada.
Critiquei Dilma. Tive a ousadia de escrever algumas linhas que não concordam com quanto estabelecido pelo PT. Horror. Em defesa, já, formação quadrada para defender a nossa bandeira, este é um ataque (e dum Europeu, imaginem!).
Pavlov.

Admito: o objectivo deste blog falhou. E como sou eu que aqui trata dos artigos, é um falhanço todo meu. Paciência, há coisas piores na vida, não é? A fasquia era muito elevada, provavelmente demais para um simples blogueiro. Nisso sim, reconheço ter sido arrogante: pensava fosse possível reunir um grupo de pessoas com as quais não falar apenas para defender esta ou aquela ideologia, mas para tentar olhar para o mundo de forma diferente.

Algumas pessoas receberam a mensagem ou já estavam na mesma onda (e, em qualquer caso, agradeço-as, profundamente), outras (a maioria) nem por isso.

Realçar os erros, as falhas de quem está no poder, sem abrandar perante "um dos nossos", porque eu não sou assim e espero que Vocês não sejam assim também (erro!). E tentar individuar as possíveis soluções. Não para serem implementadas já, até eu percebo que isso seria demais, mas porque cedo ou tarde este blog irá fechar e, analogamente ao exemplo do filho, o melhor que pode deixar não é repetir vezes sem conta quanto afirmado pelos partidos ou pelos apoiantes do partido: é deixar a curiosidade.

Curiosidade que significa olhar para tudo e para todos à procura duma verdade, duma explicação, dum padrão, para não ficar presos a uma ideologia e continuar a dividir. Porque já sabemos quem ganha com as divisões.

Ontem encontrei as reflexões do italiano que mora no Peru, li e pensei "vamos fazer o teste de Pavlov". Após este tempo todo, bem sei para que lado "pende" a maioria dos Leitores, apesar de ser este um blog totalmente apolítico (e sou mesmo, acreditem!). Infelizmente funcionou mais uma vez. E, tipo Nostradamus, posso já antecipar outra consequência: o blog vai perder Leitores ao longo dos próximos dois dias.
Pavlov.

Voltarei a fazer isso no futuro e, fiquem descansados, continuará mais uma vez.
É sempre a hora de Pavlov.

Bom fim de semana para os Leitores.


Ipse Dilma!

35 comentários:

  1. Olá Max, por aqui criticar a Dilma ainda passa, criticar o molusco é que é pedir para apanhar.
    Por conta disso a realidade aqui no Brazil é bem outra, temos por um lado defensores do governo extremamente corrupto que o defendem pois no passado apostaram alto que ele seria a salvação do país saido da ditadura e agora recusam-se a ver e a admitir o erro (coisa de humanos) e a brutal desigualdade social que se instalou.
    Por outro lado temos uma imprensa e "oposição" descaradamente criminosa a inventar/aumentar noticias como essa de remoções de favelas crises extremas e a provocar greves e parar o país (São Paulo hoje está parada) da maneira mais irresponsável possível.
    Infelizmente o brasileiro de um modo geral é BURRO, pesquisas sérias falam em 35% da população com trasntornos mentais necessitando de tratamento, os que sobram não tem informação (nem mesmo incorrecta) para analizar friamente o que ocorre.
    Qual objetivo de toda essa guerra? claro que você sabe, dinheiro! o gigante é deitado em berço explendido de riquezas e tem faturado alto (graças as empresas), tem muitas reservas, já li que o orçamento superou o dos EUA.
    Então tem aquela história que li aqui outro dia, para que um lado ganhe outro tem que perder, e acredito que até dezembro teremos uma "primavera" brasileira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18.6.14

      Caminhamos para o lamentável destino de nossos irmãos venezuelanos. Comandados por ignorantes, geridos por estúpidos e acossados por truculentos.

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Burgos, qual honra!

    Anos de silêncio, mas agora que está na altura de defender o partido temos uma aparição!

    Como deves saber, costumo apagar os comentários insultuosos. Mas o teu fica e nem sei se torna-lo um post.

    Porque? Porque é um concentrado. E nem vou comenta-lo, fica assim, obra-prima que não precisa de mais nada, pede só para ser admirada.

    As melhoras.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo7.6.14

    http://abrazilianoperatinginthisarea.wordpress.com/2014/05/08/brazilian-elite-uses-the-world-cup-to-show-their-discomfort-in-being-brazilian/

    ResponderEliminar
  8. Olá Cara Pálida!

    "E provavelmente disso tudo seja a tua única intenção repassar a quem quer que seja as informações dos teus comentaristas, veja tu mesmo disse que estava fazendo uma experiência, portanto me permita essa ilação".

    Comecei a ler o teu comentário com interesse, pois sei seres tu pessoa que bem raciocina, até que encontrar esta frase. Cara Pálida, chegamos até este ponto? A quem passo estas "valiosas" informações? À CIA? I.I. parte duma monstruosa maquinação que recolhe dados sensíveis para que os Poderes Obscuros possam preparar expedições punitivas? Tudo bem com as ilações, mas que não caiam no ridículo.

    Acho melhor ignorar e continuar a leitura.

    Dilma? Eu, como já escrevi, gostava bem mais de Lula, mas esta é uma opinião pessoal. Mas isso não conta. O que conta é que não estão em causa as conquistas do PT e os graves erros (eufemismo) do antigo regime FHC. Tudo verdadeiro, que fique claro, e não há uma só linha em todo este blog que diga o contrário.
    O colonialismo é uma desculpa? Alguma vez afirmei isso? Nem me passa pela cabeça, nenhuma pessoa com um mínimo de cérebro pode fazer uma afirmação desta ou negar os enormes passos pela frente que o Brasil deu nas últimas décadas.

    Mas realçar um fenómeno, o das favelas, não significa pôr tudo em causa. Significa concentrar a atenção em algo que acontece agora, nestes dias, nestas horas e que tem destaque nos media ocidentais. Eu não concordo com a ideia da Copa no Brasil: penso que o dinheiro "investido" (e haveria muito de que falar acerca disso, acredita: em Portugal tivemos o Euro2004 e as contas estão à vista) na Copa poderia ter sido utilizado para outras necessidades. Em vez de apertar a mão a Blatter, Dilma nesta altura poderia estar a inaugurar umas novas universidades com o mesmo dinheiro e apertar as mãos dos novos estudantes. Mas esta é apenas uma ideia minha e, em qualquer caso, a Copa está prestes a começar, pelo que é até inútil falar disso.

    "Agora falando da imagem do Brasil, essa imagem ao que o Max se refere, é o que a nossa imprensa ordinária passa do Brasil no exterior. Temos crimes, assassinatos, sim temos. Temos todas as mazelas do mundo? Não. "

    Claro que não.
    E não é só a imprensa brasileira: um filme como "Tropas de elite", por exemplo, difunde uma determinada imagem da realidade brasileira. E sabemos quanto importantes sejam todos os media, sem distinção.

    "Concluindo. Talvez não tenha desenvolvido e atingido todo o espectro de respostas a que me propus e por outra, pouco se me dá como esses estrangeiros enxergam o Brasil, se eles não têm a competência de estarem bem informados, se acreditam na mídia ordinária, pouco ou nada posso fazer".

    E aqui temos um problema.
    Porque quando eu escrevo acerca da Síria são aplausos. Líbia? Aplausos. Nigéria? Aplausos. Mali? Aplausos. Falo mal de Obama? Aplausos. Bem de Putin? Aplausos. Mal do Vaticano? Aplausos. Ligeiramente menos bem não do Brasil mas dum político do Brasil? Sou uma besta.
    Então algo não funciona.

    (continua)

    ResponderEliminar
  9. (continua)

    Cara Pálida, o Brasil não é um País isolado do resto do mundo e o canal brasileiro que costumo ver na televisão não é a Rede Globo (e nem a Recorde). Na internet brasileira não há só o Estadão. Pior: moro num País onde Brasileiros não faltam: posso encontra-los nas ruas, nas lojas, no trabalho. Falo com ele, porque sou naturalmente curioso, quero saber, pergunto. O Brasil não é a Coreia do Norte. Se vivem num mundo de sonho onde o Brasil é uma realidade mistériosa e conhecida só aos olhos de alguns iniciados, desciam da árvore porque o Brasil é um País igual a todos os outros.

    Portanto, se é reconhecida a este blog a "autoridade" para falar de outras realidades, não é possível fazer quadrado e começar a dizer "mas tu não vives aqui, tu não sabes" quando o assunto for o Brasil. Sabes, eu até gostava de dedicar mais espaço ao Brasil: mais artigos, mais pesquisas. Já repararam quanto pouco do Brasil falo neste blog? Esta é uma escolha minha, porque, apesar de desejar fazer isso, não faço. E quem me aconselhou não fazer isso (com toda a razão, dado os resultados que são visíveis) foi uma amizade brasileira. "Deixa lá, vão só insultar-te, é só problemas".

    E é verdade. Neste blog posso falar de tudo: judeus, annunaki, carros eléctricos. Posso até falar mal de Portugal. Nada acontece. Mas publicar meia palavra contra uma escolha dum político de Esquerda brasileiro? É um suicídio. Logo torno-me Europeu escravagista, informador dos poderes obscuros, ignorante que fala de coisas que não sabe. Curioso: eu também não vivo na Síria, na Nigéria, no Mali, na Ucrãnia...mas nunca li um comentário dum Leitor (Brasileiro ou não) a dizer "Ehi Max, tu não moras lá, não podes falar". Pelo contrário: nem os Leitores moram aí mas não deixam de comentar.

    Voltando: eu não quero saber da Direita ou da Esquerda do Brasil. O que sempre defendi neste blog é que as divisões ideológicas Direita vs. Esquerda já deixaram de fazer sentido: acho ser altura de ir além disso. Provavelmente é um discurso que não pode vingar numa democracia jovem como aquela brasileira, onde as feridas do antigo regime ainda estão bem presentes na memória de todos. Faz sentido. Mas é uma pena: porque é nesta altura, em que o ferro ainda está quente, que a sociedade pode ser moldada. A Europa é velha, já passou por isso, pelo que é simples verificar para onde leva este tipo de divisão. É algo que beneficia só uma pequena parte da população e nem a mais desfavorecida.

    Este blog não é de Esquerda e nem percebo a razão pela qual tem tantos Leitores de Esquerda (a grande maioria). Ainda menos é de Direita, do Centro ou do que raio for. Mas vai continuar a falar de tudo, porque há algo que não é nem de Esquerda e nem de Direita, algo superior, que explora as nossas divisões, que joga com elas para manter todos escravos, entretidos com a defesa do nosso quintalzinho.

    Se um Leitor de Esquerda sente-se ofendido neste blog é porque não entendeu que este blog não defende ideologia alguma. Aqui não encontram a negação das coisas positivas que aconteceram no Brasil, aqui não há uma cruzada anti-Dilma, mas também não há descontos só pelo facto de ser branco ou vermelho.

    “Um copo com água pela metade está meio vazio, ou meio cheio?”

    É um copo perfeito, porque contém as duas versões em partes iguais.


    Ipse dixit.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo7.6.14

    control C e control v
    "fez o "milagre" de tirar milhões de brasileiros da extrema pobreza"
    mais:
    "Não acho que a subida dos indicadores económicos seja um bom sistema para medir a bondade dum governo."
    Sr. Max, permita discordar por que acho que há uma imprecisão:
    penso que não são indicadores econômicos mas sim sociais. muitos que não comiam passaram a comer.
    A defesa do partido dos trabalhadores é sempre densa e apaixonada por seus simpatizantes.
    explico: a mídia nativa mente, inventa, manipula e denigre sem cessar esse partido que representa melhor os interesses dos pobres.
    A pressão da mídia pig que é o partido da oposição é covarde porque essa detêm o monopólio da informação pré internet.
    a luta aqui como em qualquer lugar do mundo, é por dinheiro e por diferenciação social. Os setores privilegiados lutam por manter o sistema de castas que sempre prevaleceu.
    aqui um pouco mais de Dilma:
    http://mudamais.com/ruas-e-redes/como-o-mundo-ve-dilma
    emerson57

    ResponderEliminar
  11. Olá Max,
    Sei que estás informado sobre o Brasil, pois cheguei até teu blog, via um blog brasileiro.
    Entendo que publicas estas asneiras sobre o Brasil apenas para polemizar e porque não gostas da Dilma e do PT. Ainda bem que este teu blog é apolítico.
    Sobre as favelas, vale dizer que elas foram crescendo durante 500 anos e, se nos últimos onze anos 30 milhões de brasileiros saíram da miséria e melhoraram sua condição de moradia, precisaríamos de mais onze anos para diminuir consideravelmente as favelas.
    Elas não se extinguirão, pois em geral estão em locais privilegiados e seus moradores não quererão abandoná-las.
    Apenas para contrapor ao italiano que escreveu aquele texto, gostaria de acrescentar que a Europa resolveu o problema das favelas emigrando seus favelados para as Américas.
    Ass. Derli Dallegrave

    ResponderEliminar
  12. Estimado Max, quer conhecer as raízes da sociedade brasileira ?
    Leia: "1808" de Laurentino Gomes.
    Você vai se surpreender. Nada pessoal , é a história.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  13. Olá Emerson!

    Nada daquilo que escreve é novidade: são coisas que já aconteceram, cem, mil vezes.

    Na Italia do segundo pós-guerra, os media estavam nas mãos do capital, com um único diário comunista. E não era um confronto tão "delicado". Após 1945 (por isso depois da guerra) e até os primeiros anos '50 foram não menos de que 4.500 os mortos e não eram ajustes de contas com o passado: eram "inimigos de classe".

    É normal que haja a defesa das ideias e do partido. Esta é a consequência das divisões.

    "A pressão da mídia pig que é o partido da oposição é covarde porque essa detêm o monopólio da informação pré internet".

    Sim, sei disso, e trata-se duma péssima situação.

    "Os setores privilegiados lutam por manter o sistema de castas que sempre prevaleceu."

    Verdade. Mas aqui temos que parar um segundo: há quanto séculos ou milénios esta história vai em frente? Há quanto tempo pobres dum lado (a maioria) e ricos com monopólios do outro (a minoria)?
    Não haverá algo de errado em tudo isso? Porque após séculos de luta ainda estamos na mesma situação?

    Podemos apoiar uma das duas partes, cegamente até, e continuar este jogo por outros mil anos.
    Ou podemos lutar pelos nossos direitos (isso sim, claro) e ao mesmo tempo começar a pensar em algo diferente, não acha?

    Sei que não é simples, eu não tenho respostas. Mas já vimos que o jogo assim como está afinal não muda nada, a não ser temporariamente. Fiquem com Dilma, ora essa, votem nela, quem diz o contrário? Leram uma indicação diferente neste blog? Alguma vez sugeri como votar? Nem me passa pela cabeça.

    Mas a minha sugestão é: entretanto, podemos falar também do que existe além de Dilma, do PT e da Direita? Porque Dilma, o PT, a Esquerda, a Direita, no Brasil e fora dele, não são a perfeição. Estão longe dela.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  14. Ola Derli?

    Podes indicar-me onde escrevi que não gosto do PT? Só como curiosidade.
    Podes encontrar, com facilidade, que não gosto dos partidos no geral, isso sim e confirmo mais uma vez.

    Dilma? Eu continuo a desconfiar dela. Mas é verdade que recolheu uma herdade bem pesada e isso não facilita: a Copa nem foi ideia dela. Gosto de Lula, mas este foi um erro dele.

    "Elas não se extinguirão, pois em geral estão em locais privilegiados e seus moradores não quererão abandoná-las".

    Sim, há este aspecto também, que ainda não tinha sido citado, mas é verdade.

    "Gostaria de acrescentar que a Europa resolveu o problema das favelas emigrando seus favelados para as Américas".

    Isso significa que as favelas estão cheias de italianos, alemães, Franceses, Portugueses, etc.? Não sei, parece-me um pouco esquisito. Também porque outro comentário (num post mais antigo) tinha acusado a Europa de ter formado a classe dos ricos brasileiros, a mesma que hoje detém os media.

    Talvez a verdade fique no meio: o Brasil é um País que, como a maioria do continente americano, foi formado em boa parte pela emigração, à custa dos habitante originários.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  15. Olá Sergio!

    Li 1808, bom livro, muito bom mesmo.

    "Nada de pessoal"? Espero bem, na altura ainda não tinha nascido.

    Quanto ao livro, acho que deveria ser lido por todos, no Brasil e em Portugal (onde teve muito sucesso). Aí podemos encontrar muitas coisas: as raízes de alguns males que ainda hoje assombram o Brasil por exemplo.

    Inútil falar mal da colonização, isso parece-me óbvio. Mas é verdade que D. João VI foi o pior monarca na pior altura.
    Ainda hoje em Portugal é lembrado com bem pouco carinho (e este é um eufemismo). E não pelo facto de estar (no bem e no mal) na génese da independência brasileira, mas pela atitude que teve perante o avanço de Napoleão: o Rei fugiu, abandonou o seu povo no meio do caos, esta é foi a realidade.

    No Brasil, favoreceu os elementos mais ricos da sociedade, entregando-lhe o Banco do Brasil e abrindo os portos aos bens ingleses (que, claramente, tiveram um efeito nefasto na já escassa produção industrial brasileira).

    Conseguiu descontentar todos, nos dois lados do oceano. Uma empresa, sem dúvida.

    Sim, no Brasil fez algo de positivo: abriu portos, academias, etc. Mas isso não é suficiente para compensar algumas decisões que tiveram repercussões negativas ao longo de muito tempo.

    Uma vez regressado para Portugal, antes de ser morto com arsénico (1826), deixou as premissas da futura Guerra Civil Portuguesa (1828-1834).

    Repito: o pior monarca na pior altura.


    Abraço!

    ResponderEliminar
  16. Salve pessoal!

    Antes de tudo:
    * Sou brasileiro
    * Odeio o PSDB e derivados
    * Odeio o PT e derivados

    Nós temos que fazer a autocrítica, meus conterrâneos. Já passou o tempo do PT, eles não são mais os bonzinhos que eram quando oposição. A cúpula é formada por ladrões. Dilminha, nem pensar. Já passou o tempo do PSDB também. Aécio Cheirado Neves vai vender todo o país. Marina Silva e Eduardo Campos? Prefiro pensar nos dois trepando do que liderando o nosso país... O que nos resta? Em ano de eleição, estamos perdidos! Precisamos girar a democracia, mas passar o bastão do poder para quem?

    Também não acredito em partidos políticos, mas o futuro tem que ser planejado, senão vamos acabar com o Tiririca ou com algum ex-Bigbrother como presidente, aí vamos sentir saudades dos PT/PSDB de hoje.

    ResponderEliminar
  17. KKKKK eu te disse, eu te disse, mas eu te disse !

    ResponderEliminar
  18. Anónimo7.6.14

    EU ODEIO A CLASSE MÉDIA.

    Estou com o Burgos .
    Estes reacionários deviam ser todos executados.
    Este é meu vídeo preferido com o LULA.

    http://www.youtube.com/watch?v=uhpsgGjDuI4

    É MENTIRA O FILHO DO LULA SER DONO DO FRIGORIFICO FRIBOI.

    É MENTIRA O FILHO DO LULA TER SIDO GARI DE BOSTA DE ELEFANTE.

    É MENTIRA O LULA, SEGUNDO A REVISTA FORBES, TE RUM PATRIMONIO DE 2 BILIÕES DE DOLARES.

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHA

    BURGOS ........ VAI DAR BANHO AO CÃO !!!!!!!

    ResponderEliminar
  19. Olá Tony!

    "Odeio o PT e derivados"
    Estás feito. Acabaste de enforcar-te.
    Os meus pêsames.

    "Odeio o PSDB e derivados"
    Tarde demais. O pior já foi dito.

    "Sou brasileiro"
    Duvido: Brasileiro que se preze ou é do PT ou do PSDB. Pensar fora deste esquema é blasfémia. No máximo posso conceder-te o estatus de "anomalia". Em qualquer caso: és perigoso.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  20. Olá Anónimo!

    Apesar de Burgos ter feito uma intervenção infeliz, peço respeito para todos os participantes, com os cães deles também.


    Obrigado !

    ResponderEliminar
  21. Uma nota acerca do vídeo de Lula e a classe média.

    No Brasil há uma concepção de "classe média" que é um pouco diferente da ideia europeia.

    Tenho aqui ao meu lado uma revista local brasileira enviada por uma amiga e, de facto, a classe média dá uma imagem bastante triste. Também as descrições que me foram feitas falam duma classe média reaccionária, que trava a evolução do País.

    Um vídeo como aquele, mostrado a um qualquer cidadão europeu, seria uma desgraça e daria uma ideia totalmente diferente da realidade: porque aqui, por exemplo, a classe média representa 90% da população. Qualquer trabalhador hoje pertence à classe média: tendo sido a pobreza erradicada à muito, tendo subidos os salários, o nível cultural etc. ao longo das décadas, a quase totalidade da classe trabalhadora foi lentamente absorvida pela classe média.

    Da mesma forma, um Leitor Brasileiro que ouvisse dizer que a classe média na Europa é hoje 90% da população ficaria horrorizado. Sem saber, por exemplo, que a maioria dos Portugueses nas últimas eleições votaram o Partido Socialista, com uma subida também do Partido Comunista (não vamos agora falar aqui do que é na verdade o PS ou o PCP: ficamos com os nomes, por enquanto). E Portugal é um dos Países mais pobres da União Europeia, aquele onde a classe média pior está. Mesmo assim, pensar numa classe média portuguesa "reaccionária" seria um erro.

    E o vídeo? A intervenção de Marilene Chauí dispensa comentários, pois não é semeando ódio que os problemas vão ser resolvidos: bem pelo contrário, o ódio sempre foi a melhor forma de preparar problemas para o futuro também.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  22. Anónimo7.6.14

    Deêm uma olhada no video.

    https://www.facebook.com/photo.php?v=1625553554336343


    Ana S.

    ResponderEliminar
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  24. Anónimo7.6.14

    sr. Max,
    "Dilma, o PT, a Esquerda, a Direita, no Brasil e fora dele, não são a perfeição."
    Exatamente! Fico feliz em concordar contigo na maioria dos itens discutidos.
    Eu disse que o PT representa MELHOR os interesses do povo pobre.
    Hoje se convencionou no Brasil chamar de classe média o povo pobríssimo que apenas passou a comer.
    E a viajar de avião. E a frequentar shoppings. E a comprar carrinhos 1000 CC. E a cursar cursos superiores. E a poder ter um emprego regular.
    Ai o motivo da luta de classe. Os antigos privilegiados não se conformam em ter que dividir esses direitos. Nessa empreitada são tangidos pela mídia PIG. Bateu neles o desespero quando constataram que qualquer empregada doméstica (antigas aias)tem telefone celular com acesso ao mundo da internet.
    O partido dos Trabalhadores foi uma benção para o povo despossuído. Hoje no pais falta mão de obra. Está difícil conseguir empregadas domésticas que hoje exigem salários maiores do que os dos professores!
    Realmente há muito a ser feito. Mas a base mínima começou a ser implantada pelo governo popular.
    Minha fé no futuro da humanidade passa pelo declínio do número de pessoas na face da terra, fenômeno que já está ocorrendo nos países mais adiantados socialmente.
    Hoje há mais gente sobre a terra do que a soma de todos os que já morreram. Com a diminuição haverá de ser naturalmente implantado um pacto mais justo de convivência entre os viventes.
    Abraço.
    emerson57

    ResponderEliminar
  25. Anónimo8.6.14

    Caro Max

    Não ligue a estes comentários da Fada / Burgos / Cara Pálida.
    Eles não me enganam mais, são pseudo esquerdistas de meia tigela.

    Gostam de ser classe média, mas se horrorizam quando um terceiro mundista começa a gritar perto deles.

    Gostava de vê-los serem vítimas de sequestro relâmpago aqui em São Paulo, ou terem uma filha violada pelos coitadinhos dos desfavorecidos,que andam com fuzis e metralhadoras em punho.

    Aí clamavam por justiça.
    O Brasil onde nasci, é um país de governantes corruptos e imorais, igual a Portugal.

    Estes pseudos salvadores da pátria esquerdistas de meia tigela, PT - PARTIDO DOS TRABALHADORES, se apresentou como a ÚNICA opção consciente, legitima e honesta para governar o Brasil, e hoje o que vemos ?

    O FILHO DO LULA DONO DA FRIBOI, E DAS MAIORES FAZENDAS DE GADO DO BRASIL.
    EM 2002 O FILHO DE LULA, ÉRA GARI DE BOSTA DE ELEFANTE NO ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO ( UM CAUSE ESTUD PARA HARVARD )

    LULA É DONO DE UMA FORTUNA AVALIADA EM 2 BILIÕES DE DÓLARES ( ONDE CONSEGUIU ESTE DINHEIRO ???? )
    A FILHA DE DILMA TEM UM FORTUNA AVALIADA EM 8 MILHÕES DE DÓLARES.

    Bem vou parar por aqui,
    Isto é só para demonstrar que estes que governam o Brasil, PT, são iguais aos outros todos, por mais que queiram dourar a pílula.

    Abraços, a todos Max.


    ResponderEliminar
  26. Olá Anónimo!

    Obrigado, bem sei quem são estes "esquerdistas ricos": inútil desenvolver uma discussão aqui, a maior parte dos Leitores ficaria aborrecida.

    Lamento, pois com Cara Pálida estava de pé uma conversa interessante: temos dois pontos de vista bem diferentes, o que é sempre bom. Só demasiado tarde apercebi-me que era apenas instrumental.

    Seja como for:
    "LULA É DONO DE UMA FORTUNA AVALIADA EM 2 BILIÕES DE DÓLARES ( ONDE CONSEGUIU ESTE DINHEIRO ???? )
    A FILHA DE DILMA TEM UM FORTUNA AVALIADA EM 8 MILHÕES DE DÓLARES."

    Certeza? Não sei, pergunto porque nunca fui espreitar. É que 2 biliões parece-me mesmo muito...

    Abraço!

    ResponderEliminar
  27. Anónimo8.6.14

    "O FILHO DO LULA DONO DA FRIBOI, E DAS MAIORES FAZENDAS DE GADO DO BRASIL.
    EM 2002 O FILHO DE LULA, ÉRA GARI DE BOSTA DE ELEFANTE NO ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO ( UM CAUSE ESTUD PARA HARVARD )

    LULA É DONO DE UMA FORTUNA AVALIADA EM 2 BILIÕES DE DÓLARES ( ONDE CONSEGUIU ESTE DINHEIRO ???? )
    A FILHA DE DILMA TEM UM FORTUNA AVALIADA EM 8 MILHÕES DE DÓLARES."

    ri muito com isso ai.
    isso só comprova a capacidade da mídia pig em hipnotizar a população. tanto que a tv principal também é chamada em certos meios de GLOEBELS.
    quem quer um pouco mais de informação pode ler aqui:
    http://www.ocafezinho.com/2014/06/07/economist-hegemonia-da-globo-nao-tem-comparacao-no-mundo/
    e quem quer continuar acreditando no pig, deve salvar o endereço seguinte para não ter mais trabalho de escrever bobagens:
    http://zueracard.com.br/coxinheitor/
    abraço a todos e bom domingo.
    emerson57

    ResponderEliminar
  28. Anónimo8.6.14

    Acho que o Shanerrai no primeiro post em parte sintetiza e bem...o grande problema é o que vem a seguir, opções válidas. Parte do problema. Governo corrupto em parte sim mas e a oposição que na vez de desenvolver um programa com cabeça corpo e membros, só usa os erros desse governo actual. Utiliza na vez de ser uma campanha construtiva com alternativas é o oposto, como diz Shanerrai no mesmo post. Pode-se confiar neles governo e oposição claro assim como o nosso e a nossa oposição.
    Escolher entre o menos maus?

    Nuno

    ResponderEliminar
  29. Anónimo8.6.14

    Ok queria dizer cabeça tronco e membros obviamente.

    Agora imagino o Coelho como líder do Brasil e a oposição o Seguro...impeachment não duravam nem meio ano.

    "A Europa é um continente ainda muitas vezes mais rico do que a América do Sul, mas o que conta é que está mais velho, já passou pelas mesmas experiências que o Brasil enfrenta hoje. Assim como os Estados Unidos são o futuro da Europa (com um desfasamento de 15-20 anos), a Europa é o futuro da América do Sul. Atenção: não falo aqui do aspeto económico, falo das dinâmicas sociais.

    Se os Estados Unidos com o que se lá está a passar( a todos os níveis) é o futuro da Europa, coitada da Europa. Aliás a Europa já é mais um capacho dos EUA, bastou ver o delirante episódio de como trataram o Evo Morales (nunca se tinha visto nos últimos anos ou décadas algo que vá contra todas as regras e decretos internacionais e a figura que fizeram e as respostas que deram é só escolher o/a pior). A antiga Europa ou os nórdicos são um assunto claramente à parte.
    Mais rico em quê? Pessoas mais instruídas sim em geral, o continente a nível social mais equilibrado também mas se caminhamos irremediavelmente para um padrão tipo EUA, tudo o que tanto custou a adquirir vai pela sanita abaixo.
    Privatizamos tudo, aliás não é o que estão a fazer? E depois o que temos? educação, saúde, segurança social etc...nem sei como acabar! Servem em dois sabores para quem tem $$$ quem não tem $$$.
    Aliás é o que se tem visto aqui neste pais a beira mar plantado.
    E ainda gozam com a nossa cara e chamam Piigs? Sabendo as manobras interessantes como estas:
    http://www.publico.pt/economia/noticia/ajudas-a-portugal-e-grecia-foram-resgates-aos-bancos-alemaes-1635405?page=-1

    Pouco a pouco vai se destapando a poeira.

    Quanto a mais ricos em dinheiro é logico ao fim ao cabo andamos a fazer o que os americanos fizeram a muito, a chamada deslocalização para a China e Asia em geral da maioria das nossas empresas que contribui para uns poucos os outros pelintras vão para o desemprego mmm food stamps (e falta acrescentar vindo do típico tuga : não querem é trabalho).
    Ricos em matéria prima, riquezas naturais? Mas nem de longe o pouco que tínhamos já está no fim.
    Aonde ou de onde vem essa "riqueza" toda? Até o já obsoleto petróleo decerto não virá do Mar do Norte parece vem de outros lados incluindo o celebre axis of evil(que é que se vai fazer não jogam pelas regras dos autoproclamados "mestres", invade-se, explora-se e que se lixem quando não forem necessários). Exceto aquele lugares legais e muito democráticos tipo Arabia Saudita e outros que tais.

    Mais pobres também basta ver Portugal de austeridade em austeridade a minha família e cada vez mais já só gasta no essencial, é tudo cada vez mais apertado. Salários cortados e reduzidos em nome dos mercados do FMI do BCE. Lá para 2030 mais década menos década teremos isto equilibrado...E o povo desequilibrado ou fora daqui.

    É um ponto de vista diferente caro Max. Se quiseres publicar publica se não paciência.
    Não desejo nenhuma desunião neste local essencialmente de troca de ideias. Muito pelo contrario. Mas a que ver cada cabeça sua sentença.

    Abraço

    Nuno

    ResponderEliminar
  30. Carlos9.6.14

    Olá Max
    Sobre a discussão acerca do post Dilma e Pavlov, fiquei sem entender.
    Independente de ter compreendido o sentimento dos leitores que lhe contra argumentaram, no que toca o propósito experiencial do seu post, conforme você mencionou, também concordo com boa parte das justificativas em seus comentários, Max. Porém, em certos comentários de leitores, que foram apagados, não vi ofensas, mas um legítimo contra ponto.
    Acredito que algo desvirtuou-se por um momento. Se houve o apontamento de certos complexos, desses já muito bem rotulados, também houve o ego a sobressair.
    Realmente, o propósito nobre deste blog e pelo qual reúne a todos aqui, deveria ficar acima disso. Por um momento, a luz estremeceu.

    ResponderEliminar
  31. Olá Carlos.

    Não, a luz não estremeceu.

    O que podem parecer como comentários e respectivos utilizadores "desligados" entre eles, são na verdade parte duma única "frente" que se alimenta destas pequenas aparições nas quais pode mitigar o sentimento de frustração com acusações dirigidas não apenas contra o autor do blog mas também aos Leitores.

    Não entendo aqui, nem agora nem no futuro, tratar do que está na origem destas manifestações: é algo imensamente ridículo e acredito que o Leitor esteja à espera de encontrar no blog conteúdos mais sérios do que uma rivalidade entre blogueiros.

    Nem fico preocupado com as acusações explícitas dirigidas contra a minha pessoa: quem publica textos num blog deve estar preparado para receber qualquer tipo de comentários, insultos também. O importante é dar o justo valor às palavras e a quem as escreveu.

    Todavia, num ponto fui sempre extremamente claro: não são admitidos insultos dirigidos contra os Leitores. A "frente" em questão excedeu-se (e, dito entre nós, não poderia ter sido de forma diferente) pelo que a censura foi medida automática.

    Ao mesmo tempo, não tenciono publicitar gratuitamente as paginas web dos vários membros de frente, nem de quem simpatiza com eles.

    Posso fazê-lo mas sendo pago para isso.

    Dado que os comentários são também uma forma de publicitar um blog (o nome do comentador em azul é um link), decidi apagar parte deles, inclusive aqueles que tinha julgado como genuínos (isso é: uns legítimos contrapontos).

    Não vou dar-me o trabalho de apagar tudo, tenho mais que fazer na vida, como quase todos nós. Só alguns.

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  32. Chaplin10.6.14

    A quase totalidade dos conteúdos explicitados aqui se enquadram naquela frase: É MAIS DO MESMO! Esta é a verdadeira sociedade pêndulo. Gira, ora para um lado ora para outro mas não sai um milímetro do lugar. Consequências dos valores sociais, religiosos ou econômicos, todos doutrinários, e que preparam o indivíduo para ser racista, mercenário, hipócrita e escravo de si mesmo. Valores maiores, como os humanistas, são descartados gradativamente e nem mesmo sinais de rebeldia permanecem. Quanto ao copo de água pela metade, apesar da pergunta diversionista, continuará sendo apenas um copo de água pela metade...
    Ideologia??? A única praticada é a burguesa, muito além de qualquer Partido. Somos todos burgueses!
    Desigualdade social?? Produto de exportação brasileiro patrocinado desde os monopólios judaicos concedidos pelos monarcas lusitanos, os verdadeiros donos do Brasil, protagonistas ocultados pela história oficialista.
    Mídia? Exerce a função de crítica até o limite de não estabilizar o governo, pois é privilegiada com bilionárias verbas publicitárias governamentais. Derrubará o governo quando a equação negocial deixar de ser rentável para si e para seus, leia-se banqueiros e grandes corporações.
    Favelados europeus? Transformaram-se em colonos vassalos do poder judaico, sendo privilegiados em detrimento de negros, mestiços e índios.

    ResponderEliminar
  33. Anónimo15.6.14

    Palhaço

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...