20 julho 2014

As coincidências

Existem as coincidências?
Sim, com certeza, inútil nega-lo.

Mas há mais além das coincidências: há factos que acontecem porque planeados, eventos interligados. Podemos alargar os braços e dizer "acontece". Ou podemos tentar ver as coisas mais de perto.
A companhia

Por exemplo:
  • no dia 8 de Março de 2014, o voo Malaysia Airlines 370 desaparece, literalmente, como todos os 227 passageiros e 12 membros da tripulação;
  • No dia 17 Julho de 2014, o voo Malaysia Airlines 17 é abatido no espaço aéreo da Ucrânia, provocando a morte dos 283 passageiros e dos 15 membros da tripulação.
São acidentes (um desaparecimento, outro um acidente de guerra), podem acontecer.
Todavia há um par de dados interessantes:
  • ambos os aviões pertenciam à mesma companhia aérea, a Malaysia Airlines.
  • ambos os voos eram desenvolvidos pelo mesmo tipo de avião, um Boeing 777-200 ER.

Até o desaparecimento do voo 370, a Malaysia Airlines tinha sofrido apenas dois acidentes com vítimas mortais: o primeiro em 1977, quando um velho Boeing 737 (voo 653) foi desviado por piratas do ar e precipitou na Malásia (um caso ainda não esclarecido: ignoram-se quem foram os piratas envolvidos); o segundo em 1995, quando o voo 2133 (um Fokker 50) falhou a pista de aterragem em Tawau (Malásia), matando 32 dos 49 passageiros.

Houve outros acidentes menores que não envolveram mortes ou feridos. Nada mal por uma companhia que iniciou as suas operações em 1972 e que alcança diariamente 4 continentes (os destinos do continente americanos já não são servidos).

De repente, no espaço de quatro meses, 2 acidentes e 537 vítimas mortais.
Interessante.

A avião

Interessante também o registo histórico do avião, o Boeing 777.

Entrado em serviço em 1995, até o ano de 2013 era possível lembrar apenas um único acidente com uma fatalidade: um técnico queimado durante as operações de abastecimento, em Denver (Estados Unidos, ano de 2001).
Não falamos aqui do modelo Boeing 777-200 ER mas de todos os Boeing série 777 (portanto: 200, 200 ER, 300, 200 LR, 300 ER).

Em 2013, o até então único acidente com passageiros como vítimas: em San Francisco, o voo 214 da Asian Airlines (Coreia do Sul) falha a pista de aterragem de San Francisco, provocando a morte de 3 passageiros (um atropelado pelos meios anti-incêndio, os outros dois no hospital).

Portanto, até 2014, nenhum passageiros dum Boeing 777 tinha morrido durante o voo. Um avião seguro, disto não há dúvidas.

Depois, como lembrado, em 2014 e no espaço de quatro meses 537 mortos.
Interessante.

Só como curiosidade: quantas probabilidades existem de dois Boeing 777 da mesma companhia serem envolvidos em dois acidentes no espaço de 4 meses e provocar 537 mortos, os únicos registados durante os voos?

Para responder, é bom não esquecer que no mundo há 1.204 Boeing 777 em circulação, de 64 companhias aéreas diferentes.

E a Malaysia Airlines nem é a operadora com o maior número de 777 à disposição: a Emirates Airlines dispões de 128 Boeing 777, a United Airlines (EUA) de 74, a Air France (França) de 64, a Singapore Airlines (Singapura) de 59, e a lista poderia continuar.
A Malaysia só tinha 17 (e agora são 15, como é óbvio.).

A Air India (Índia), que tem um historial bem mais preocupante e dispõe de 20 Boeing 777, nunca registou vítimas com este modelo.

Tudo não passa duma triste coincidência?


Ipse dixit.

Fontes: várias páginas de Wikipedia inglesa (assuntos: Boeing, Malaysia Airlines, etc.).

8 comentários:

  1. Anónimo20.7.14

    Creio que por coincidência se refere ao facto de no mesmo espaço temporal o Irão ter recomeçado uma nova operação na Faixa de Gaza. Tive o cuidado de fazer alguma pesquisa pelas capas dos principais jornais portugueses e quase sempre era destaque o acidente supra citado no artigo e em alguns nem era mencionado a invasão por parte de Israel, o único em que encontrei a relação inversa foi o Expresso (passo publicidade), coincidências? Para mais quando sabemos que a informação mediática exposta ao público é sempre oriunda de algumas identidades "específicas", essa informação que depois é " mastigada " para o resto da média. Serão demasiadas coincidências, pois eu já não sei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónimo!

      Esta é outra curiosa coincidência: o avião foi abatido na altura certa, a melhor para ofuscar o massacre israelita em Gaza. É verdade: nestes dias os principais títulos são dedicados ao avião.

      Doutro lado, sabemos também que os quase 300 mortos do avião contam muito mais do que os mais de 300 mortos palestinianos. Os mortos do avião eram pessoas "como nós", boas pessoas, do lado justo. Os palestinianos, pelo contrário, estão habituados à guerra, aliás, a maioria deles deseja só explodir-se em mil pedaços (nascem já terroristas).

      Sim, são todas coincidências, podemos dormir descansadamente.

      Abraço!

      Eliminar
  2. Anónimo20.7.14

    Correcção ao lapso do primeiro parágrafo em vez de Irão queria dizer Israel.

    ResponderEliminar
  3. MAX, seria para hoje 20 de julho (20/07) algum acontecimento a nível econômico mundial, haja visto a discurso hermético da diretora do FMI em janeiro, estando na internet a acrobacia cabalística e numerológica de Cristine Lagart...quando ela referiu o ano de 2014 mágico, dado que a soma dos numeros fora o zero, é 7... numero da maçonaria... assim como citado o G7 por coincidência e de passagem o G20... portanto se estava relacionando com dia 20 do mes 7(julho)de 2014... não me consta ainda que algo esteja acontecendo a nível mundial. Mas que existem sinais de algum golpe econômico e mundial em vias muitos consideram que sim. O 11 de setembro das torres gêmeas não nos deixa esquecer.

    ResponderEliminar
  4. Eu penso que a queda do avião interessa sobretudo aos que pretendem escalar a guerra na Ucrânia - 300 ocidentais mortos devem legitimar a morte de milhares de inocentes que nasceram na Ucânia...

    O que me surpreende são os pormenores:

    Porque é que um avião comercial sobrevoa uma zona onde se sabe que já foram destruídos aviões de guerra? (e assim os combatentes não devem estar armados com lanças).

    Se outros aviões fizeram o mesmo, que inimigos tinha cada uma das pessoas que ia a bordo?

    ResponderEliminar
  5. Anónimo21.7.14

    coincidência: muito estralho abordo 100 cientista q tal vez estaria ai com acura da aids porq ele viajavam todos juntos e o mesmo voo sera q tava ali mesmo os cientistas sera que eles ja estão viajando com a maquina do tempo e ja estão manipulando o futuro quem tem provas que os cientistas estavam na quele voo só loco para acreditar em coincidência: isso foi um aviso de algo muito grande que vai acontecer para comunidade iluminat para que melhor menino de recado que todos os tele jornais do planeta eu vim do futuro eu sei hoje pode não ser teu amanha

    ResponderEliminar
  6. Anónimo21.7.14

    Há alguma informação concreta e objectiva que leve a pensar que o avião foi abatido por uma razão concreta ou é apenas uma conjectura com base na teoria da conspiração?

    ResponderEliminar
  7. Anónimo21.7.14

    A unica prova que há, é uma gravação onde os militares pro-russos se gabam de terem abatido o aviao. Acho que não vale a pena tentar juntar coincidencias de forma a esboçar uma explicação mais rebuscada.

    parece é que os pro-russsos não querem entragar a caixa negra, não se sabe porque

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...