10 julho 2014

Insólito: as pedras de Gornaya Shoria

Excepcionais estruturas megalíticas foram descobertas recentemente na Rússia.
Algo muito esquisito.

No Monte Shoria, no sul da Sibéria, alguns pesquisadores encontraram uma parede de tamanho "ciclópico", formada por pedras de granito. Estima-se que algumas dessas pedras possam pesar mais de 3.000 toneladas.

Formações naturais? As pedras estão cortadas com superfícies planas, ângulos rectos e bordas afiadas. Se de formação natural temos que falar, isso tem a ver com a última glaciação e o gelo que, de facto, tem a capacidade para mover pedras de tamanho enorme.

Para pôr uma palavra definitiva acerca do assunto seriam precisas análises, mas verdade seja dita: as imagens deixam perplexos. 

A excepcionalidade da descoberta reside principalmente no tamanho. Até agora, as maiores estruturas parecidas eram aquelas de Baalbek, no Líbano, cujos pesos é todavia inferior a 1.500 toneladas.



Óbvias as perguntas: se a formação não for natural, quem realizou o trabalho? Porque? Com quais meios? Como é possível que alguém possa ter cortado pedras de granito com peso superior a 3.000 toneladas, com tanta precisão? E como foi possível transportá-los ao longo dum declive para formar uma estrutura com 40 metros de altura?

Segundo a versão normalmente aceite da história, seria impossível para os seres humanos antigos, com tecnologia muito limitada, conseguir tal coisa. É possível que a história humana seja muito mais intrincada e complexa do que imaginado até agora?


A primeira expedição para estudar estas pedras remonta apenas há alguns meses atrás, antes não existiam fotos conhecidas das estruturas. O que é certo é que estes megálitos são muito maiores (até 2-3 vezes mais) do que os grandes megálitos conhecidos anteriormente, como referido: em alguns casos podem atingir as 4.000 toneladas.


Foi também relatado que as bússolas dos geólogos estavam a comportar-se muito estranhamente perto da estrutura, mas esta é uma notícia que deve ser confirmada: é normal ouvir histórias de "bússolas enlouquecidas" um pouco por todos os lados, até nos crop-circles, depois nunca passam de boatos.


A verdade é que até agora não há respostas, apenas perguntas. Até a datação é apenas uma hipótese (10.000 anos?). Podemos só esperar para novas expedições.
O que não é simples, pois a Sibéria não fica mesmo ao lado...


Ipse dixit.

Fonte e imagens: Valery Uvarov

2 comentários:

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...