29 setembro 2014

Insólito: Pedro, o Nimeriga

Em Junho de 1934, dois indivíduos que estavam a procurar ouro nas montanhas de San Pedro, precisamente em Carbon County (Wyoming, EUA), depararam-se com uma descoberta surpreendente.

Cecil Mayne e Frank Carr, depois de ter dinamitado uma espessa parede de rocha, notaram uma passagem que dava para uma pequena caverna escavada na montanha, com cerca de 1,2 metros de altura e 4,6 metros de profundidade.

Dentro do nicho, os Mayne e Carr encontraram aqueles que pareciam ser os restos mumificados do menor ser humano já descoberto, cujas origens eram um verdadeiro mistério.

As lendas das tribos locais, formadas por nativos americanos, tinham transmitido histórias sobre "homenzinhos" ou "pequenos espíritos", também conhecidos como Nimeriga. Em algumas daquelas histórias, estes minúsculos seres estavam na posse de poderes mágicos benignos, em outras ainda eram pintados como uma espécie feroz que atacava os nativos americanos com flechas envenenadas.

A descoberta da pequena múmia despertou muito interesse, mas também muita polémica. Alguns cientistas, especialmente no início, não conseguiram colocar o alegado ser na teoria que explica o aparecimento do Homo Sapiens, questionou até a veracidade da descoberta ou definindo a múmia como uma farsa.

No entanto, outros pesquisadores encararam o assunto em termos mais sérios, com o desejo de determinar a verdade por trás da minúscula pessoa minúscula (mais tarde apelidada de "Pedro") que tinha uma altura estimada de 36 cm.

Pedro foi posto à disposição dos cientistas para uma série de testes. Foi estabelecido que a pequena estava em posição sentada, com as pernas cruzadas: com os seus olhos esbugalhados e um crânio achatado, Pedro resultou em muito bom estado de conservação, de modo que até as unhas estavam visíveis.

A substância gelatinosa encontrada na cabeça de Pedro deixou claro que o corpo tinha sido preservado usando líquido feito para este fim. O nariz parecia esmagado, o número de dentes era completo e sua pele enrugada e acastanhada dava-lhe a aparência de uma pessoa idosa.

Nos anos seguintes, os cientistas realizaram testes mais invasivos para desvendar o mistério de Pedro, usando raios-X e técnicas de exploração no interior. Alguns antropólogos concluíram que Pedro poderia ser a múmia duma criança com anencefalia, uma grave malformação congénita que pode ser encontrada durante o primeiro mês de gestação: no qual caso, o bebê está parcialmente ou totalmente desprovido de crânio e de cérebro.

No entanto, a hipótese foi contestada por outro grupo de cientistas, que acreditavam que aqueles de Pedro eram os restos de um adulto de sexo masculino, com idades entre 16 e 65 anos. O exame de raios-X, de facto, revelou a presença de dentes cortantes, comida no estômago (algo que parecia ser carne crua) e uma coluna típica dum indivíduo adulto.

A varredura com raios-x também sugeriu que Pedro tivesse sofrido uma morte violenta, e isso por causa dos ossos quebrados e de alguns danos ao crânio.

Com as técnicas de pesquisa moderna, certamente seria possível para lançar luz sobre o mistério representado por Pedro. No entanto, na década de 50, Pedro desapareceu misteriosamente da circulação: a sua localização é totalmente desconhecida.

Diz-se que os restos mortais foram colocados em exposição numa feira em 1940 e que foram posteriormente comprados por um homem chamado Ivan Goodman. Com a morte de Goodman, em 1950, os restos passaram para as mãos de um homem chamado Leonard Waller (por vezes relatados como Walder).

E aqui a história acaba, como demasiadas vezes acontece com objectos que não podem ser enquadrados nas teorias oficiais.

Uma curta nota antes de acabar.

Wikipedia costuma "arrasar" qualquer assunto que não possa ser enquadrado nos moldes das teorias científicas normalmente aceites e a história de Pedro não é uma excepção. Na versão inglesa, de facto, é relata a história de Pedro mas com algumas "pequenas" diferencias.

Em primeiro lugar é dado como certo o facto da múmia pertencer a uma criança doente, ignorando os dentes, os restos de comida no estômago e a coluna "adulta".

Depois fala-se duma "segunda múmia" analisada em 1990 no hospital de Denver, cujo DNA mostraria uma criança afecta pela mesma patologia e morta por volta de 1700 d.C.; o que "confirmaria" que Pedro também não passava dum bebe doente.

Mas temos um problema: donde surgiu esta segunda múmia? O mesmo Wikipedia reconhece que Cecil Mayne e Frank Carr tinham encontrado apenas uma múmia, não duas.

Entretanto, é ainda válida a oferta de 10.000 Dólares para quem conseguir encontrar Pedro para que seja submetido à análises.


Ipse dixit.

Fontes: Casper Star Tribune (1, 2) Before It´s News, WyoHistory, Wikipedia (versão inglesa)

5 comentários:

  1. http://www.youtube.com/watch?v=Zzf7gMp6J9s
    http://thoth3126.com.br/grecia-descoberta-tumba-dos-tempos-de-alexandre-o-grande/
    http://www.youtube.com/watch?v=qsjrMps3AjE

    ResponderEliminar
  2. Smithsoniam institute tem a tarefa de sumir com tudo que foge ao convencional.

    ResponderEliminar
  3. Poderia ser apenas uma pessoa com uma doença genética do esqueleto, claro que o corpo mumificado deve valer bastante para um coleccionador...

    ResponderEliminar
  4. Anónimo1.10.14

    De 16 à 65 anos... Margem de erro um tanto quanto plausível ! Com certeza um Nibiruense, ja que vivem milhares de anos, esse com 25 anos (média), seria apenas um recem-nascido

    ResponderEliminar
  5. Anónimo1.10.14

    Esqueci...e sendo um ser reptiliano, nasceu dum ovo e foi alimentado com carne!!! Lógico.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...