18 novembro 2014

Porque lutar contra uma Nova Ordem Mundial?

Muitos entre os Leitores acreditam na ideia da Nova Ordem Mundial (NWO).

Na verdade, este é um conceito bastante confuso onde podemos encontrar Illuminati, Maçonaria, Rothschild, Bilderberg, Sionistas, Reptilianos...não falta nada, é como um grande mercado no Sábado de manhã: com um pouco de paciência é possível encontrar tudo.

Pessoalmente não acredito no NWO tal como difundido na internet, não penso ser algo assim orgânico e tão bem planeado. Pelo contrário, a minha é uma visão mais "rústica", muito menos esotérica e baseada no dinheiro: simplesmente há grupos de poderes que trabalham para manter, e se possível melhorar (do ponto de vista deles, claro), a sociedade onde vivemos.

Seja como for, o que importa é que mais ou menos todos estamos de acordo num ponto: temos que lutar contra este "projecto" (que depois significa: futuro). Mas por qual razão? Aqui começam os problemas.

Se o Leitor acreditar no NWO como plano diabólico dos Reptilianos, por exemplo, lutará para defender a raça humana. Caso o Leitor veja o NWO como expressão da Maçonaria milenária, lutará para que a verdadeira Luz seja revelada. E seria possível continuar. Afinal, até as razões para lutar contra o NWO parecem saídas do mercado do Sábado de manhã.

Depois há outra questão. O nosso mundo vive há séculos entre guerras, divisões, injustiças: não será que um mundo com um único governo poderia ser melhor? Um só governo, uma só autoridade...tudo mais simples, não é?

Acho que há uma série de pontos fundamentais acerca dos quais todos podemos concordar, além do genérico "Lutemos!". São válidas razões para contrastar uma visão do mundo que de democrático e livre tem bem pouco.

No curso de nossas vidas e em toda a nossa cultura moderna, somos condicionados a aceitar os conceitos de falsa divisão. Somos levados a acreditar que os partidos Democrata e Republicano são distintos e opostos, quando na verdade são dois ramos do mesmo mecanismo político de controle. Somos informados de que os banqueiros internacionais estão de alguma forma separados, quando a realidade é que todos os bancos centrais responder a uma única autoridade central: o Banco de Compensações Internacionais

Somos entretidos com a história dos constantes conflitos e divisões porque é importante que o poder (seja ele qual for) mantenha as pessoas divididas e assustadas com inimigos imaginários. Mas a verdade é que só há uma batalha que importa: a batalha entre aqueles que procuram controlar os outros e aquelas pessoas que só querem ser deixadas livres.

A Nova Ordem Mundial não é um conceito criado por "teóricos da conspiração": embora as várias causas e definições que é possível atribuir-lhe, como vimos, de facto há uma elite (do meu ponto de vista: mais do que uma) que assumem o direito de determinar o destino de cada homem, mulher e criança em detrimento da liberdade individual e da auto-determinação. Não importa que isso faça parte dum plano pré-determinado ou seja apenas a lógica consequência da nossa sociedade onde o "livre mercado" impera: o que conta é que esta é a realidade.

Não é preciso falar da Sociedade Fabiana para entender que a nossa sociedade é refém dum conjunto de empresas económica-financeiras que atropelam diariamente qualquer conceito democrático. E é disso que vamos falar.

1.Liberdade

Ninguém sabe qual a ideologia necessária para uma sociedade perfeita. Se calhar nem existe. Mas raramente, ou nunca, podemos ouvir pessoas sugerirem que mais liberdade individual pode ser uma peça fundamental dum futuro melhor. As  soluções oferecidas envolvem cada vez menos liberdade, mais controle e força para moldar a sociedade de acordo com "novos parâmetros".

Cada vez mais existem movimentos em favor duma mentalidade colectivista (ver o caso da União Europeia), onde o indivíduo deve desistir da sua autodeterminação e independência (depois de ter desistido do seu País, claro). Não importa qual a desculpa, socialismo, comunismo, fascismo ou algo no meio, o objectivo é sempre o mesmo: o colectivismo como forma de escravidão para as massas e um cheque em branco para as oligarquias (políticas, económicas, etc.).

2. A ideologia da força.

Se a ideia de melhorar a sociedade for boa e racional, não deveria servir a força para levar as pessoas a aceitá-la. Apenas uma ideia negativa exige o uso da força para "criar" adeptos.

A globalização (que de qualquer sistema NWO passagem necessária) tem sido constantemente vendida como parte da evolução natural da raça humana, mas esta "evolução natural" sempre precisa das utilização de mentira, manipulação e violência. Qualquer conceito de NWO implica uma centralização total, a centralização que não pode ser alcançada sem o uso do medo: quem iria apoiar a criação de uma única super-autoridade global, se não por medo?

O uso da força é moralmente aceitável só no caso da auto-defesa. Portanto, sempre que o poder ataca as nossas liberdades, somos rotulados como "extremistas", "complotistas", "conspiracionsitas", etc.. Infelizmente, parte desta acusação é fundada. Mas a metodologia utilizada para promover uma nova ordem e os seus "novos" valores é regida por um poder psicopata, manipulador e repressivo: nada de sabedoria ou verdade por aqui.

3. A política de desonestidade

A propósito de "verdade". Além da violência, muitas vezes o poder utiliza as mentiras para alcançar os seus objectivos. E alcança. As elites mais "conceituosas" justificam essa lógica afirmando que há mentiras nobres e que as massas necessitam de ser enganadas para ser induzidas a agir da melhor maneira para elas próprias e para o mundo no geral. Esta é uma sociopatía que implica o facto de existir também "alguém" dono da verdade absoluta, que obviamente conhece qual o caminho que deve ser seguido.

Toda esta pseudo-lógica não tem sentido: implica o facto das massas (nós) não terem o direito de conhecer toda a verdade, nem o caminho que estamos a seguir, nem qual o último fim. Qual a necessidade de esconder a verdade se o fim for bom?

Isso significaria também aceitar a ideia de que o poder trabalha unicamente para o nosso bem; que os grandes bancos, a grande finança, só operam para melhorar a nossa vida. Muito difícil de acreditar.

Se uma metodologia exige o sigilo e o engano para garantir a hegemonia cultural, então é mais provável que esta tenha uma influência negativa sobre a nossa sociedade.

4. O controle oligárquico

Por qual razão a humanidade precisaria duma elite seleccionada? O que realmente poderia produzir uma oligarquia? O poder centralizado é realmente mais eficiente e prático?

Existem infinitos exemplos de como, ao longo da História, o poder centralizado tenha constituído um obstáculo para o desenvolvimento da humanidade. Os apoiante do NWO argumentam que um governo global é algo inevitável e que a soberania dos vários Estados é, de qualquer forma, a causa de todos os nossos males.

Todavia, olhando para trás, é possível observar como nos momentos mais delicados da História a causa real da maioria dos males foi a existência de certos grupos de poder incapazes de gerir a realidade.

A definida "eficiência" derivante da centralização é útil apenas para aqueles que estão no topo da pirâmide: quem fica na base não encontra graça nenhuma nisso. E a base somos nós.

A centralização torna a vida mais difícil, eliminando a nossa capacidade de efectuar escolhas, sufocando a voz do indivíduo, pois centralizar significa remover todas as opções alternativas até que toda a estrutura siga um único caminho.

É perfeitamente inútil mudar o funcionamento duma sociedade sem antes ter mudado a nossa visão da sociedade mesma. Uma realidade fundada sobra a exploração dos mais fracos, como é o nosso caso, nunca poderá ser melhorada sem antes difundir uma cultura do reciproco respeito e da ajuda.


Um único governo mundial baseado no poder das multinacionais seria apenas uma sociedade igual à nossa, com os mesmos egoísmos e as mesmas injustiças: só teria menos pessoas no poder. Mas aquelas pessoas são as mesmas que participaram na formação da nossa actual sociedade, aquela que deveríamos ser capazes de mudar para melhor: como é possível continuar a entregar o futuro nas mãos de quem já agora demonstra não merecer nenhum tipo de confiança? Como aceitar que aqueles mesmos grupos peçam uma redução das nossas liberdades quando já agora atropelam qualquer lei ou princípio democrático?

Eu não acredito num plano dos Reptilianos, dos Illuminati ou de quem for. Acredito no (infeliz) poder do dinheiro e de quem tiver muito dinheiro: há uma estrada, talvez nem muito bem planeada, que conduz até uma sociedade onde as leis são cada vez mais subordinadas à um pequeno grupo de empresas multinacionais que, com a cumplicidade da política, tende a limitar as nossas liberdades.

Mas os pontos acima listados vão além da origem do problema: seja por vontade dos Reptilianos, seja por vontade do CEO duma multinacional, a nossa sociedade está num caminho perigoso. Um caminho no fundo do qual há só menos liberdades e mais poder concentrado em poucas mãos.


Ipse dixit.
  
Fontes: o artigo foi inspirado por um post do blog Alt-Market

5 comentários:

  1. Anónimo18.11.14

    Sou partidário da tese de que para o controle, só a redução populacional pode dar jeito. Como entregar nossa saúde ao próprio vírus? Entregar àqueles que sempre espalharam as doenças. Enfiaram na mente do homem que ele é o caos, quando na verdade o caos está no topo da pirâmide social e de lá é irradiado. Estudar a NWO é viver sendo bombardeado diariamente por versões propositalmente conflitantes. Não há a menor chance de uma maioria se aperceber dela. Mesmo uma guerra nuclear em nada alteraria, aliás, acentuaria o tal jogo bem x mal nas cabeças. Então rolaremos abismo abaixo trocando tapas uns com os outros. E os caras assistindo os melhores momentos em slow motion. Tudo regado a caviar e espumantes franceses.

    ResponderEliminar
  2. Era uma vez uma sociedade:

    - As camadas mais jovens eram enclausuradas até aos 18 anos durante mais de 5 horas diárias. Sem se poderem mexer (levantar) tinham que pedir autorização para fazer as necessidades mais básicas, ou então esperar o toque duma qualquer campainha, tal como no experimento de Pavlov.

    - Os adultos tinham que se prostituir (trabalhar) diariamente para ter acesso aquilo que chamavam direitos (habitação, alimentação, etc) , não mais do que benesses desde que pagassem por elas! Para se prostituírem tinham que ter o cadastro limpo e o boletim das vacinas em dia.

    - Era praticamente impossível viver fora desta sociedade sem se prostituir, pois o poder detinha todo o território sob sua alçada.

    Enfim, quais as diferenças entre a nossa sociedade e a NWO?

    ResponderEliminar
  3. Luiz Michel19.11.14

    Max eu compreendo perfeitamente seu ponto de vista , abster-se de conceitos ufológicos, conspiratórios, religiosos traz uma definição mais segura e realista sobre este assunto .Sua visão "rústica", neste mundo de olhares "google glass", traz uma visão que aproxima a todos, nos uni e nos inspira a descomplicar. Uma visão do obvio que nos cerca, mas que ninguém percebe pois todos estão de binóculos procurando ver longe, o que está além.

    Você diz o DINHEIRO, que bem poderia ser........ simplesmente o PODER

    "E, elevando-o, mostrou-lhe, num momento, todos os reinos do mundo.
    Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser."

    Lucas 4:5-6

    Quando um dia li isto pra alguém este me perguntou se seria Deus quem tivesse dado este poder ao diabo. A resposta é não, não foi Deus , fomos NÓS.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Anónimo19.11.14

    EXP001
    "somos condicionados a aceitar os conceitos de falsa divisão. Somos levados a acreditar que os partidos Democrata e Republicano são distintos e opostos"
    Cá em Portugal temos os 3 partidos do arco da velha (queria dizer arco do poder) que se vão revezando ao longo de 40 longos anos.

    Este video de desenhos animados de 5 minutos diz tudo.
    Dica: nos somos os ratinhos que votam nos gatos umas vezes pretos outras vezes brancos ou malhados ou as pintinhas ;)

    MAX e caros leitores recomendo vivamente
    http://www.youtube.com/watch?v=MEL48khJHRQ

    ResponderEliminar
  5. Chaplin22.11.14

    Numa hierarquia de valores, imposta por grupos elitistas e controladores da economia mundial, onde o conceito de liberdade é subjugado na sua origem onde um conjunto de doutrinas e dogmas tornam o indivíduo um simples escravo do sistema estabelecido pelos mesmos grupos, não há qualquer relevância em discutir a existência de uma pseudo nova ordem, pois tal polêmica ajuda a desfocar o que sempre e será importante. As trocas de roupagens do poder e seu exercício de dominação. Nada mais conspiratório do que o poder. E identificar tais grupos faz parte de quem realmente se interessa por entender o funcionamento do poder. O resto é folclore e faz de conta.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...