27 fevereiro 2014

Heroicamente, fotografando

Nenhuma novidade, só uma confirmação.

No seguinte vídeo, alguns soldados israelitas (uma dezena, mais ou menos) enquanto heroicamente cercam um rapaz palestiniano ferido e caído no chão. Depois, máquinas fotográficas e telemóveis para imortalizar o evento.

O rapaz, Yassin al-Karaki de 13 anos, tinha sido atingido por uma bala de metal revestida de borracha (isso porque os israelitas têm o coração de manteiga): afirma que a molotov recolhida pelos soldados não é deles, mas os soldados insistem e Yassin é preso.

Obviamente, tudo acontece em pleno território palestiniano, na cidade de al-Eizariya (Jerusalem Leste).

Ritinha na África

Hoje post inútil, dedicado a uma nulidade.
Só que fiquei mesmo incomodado.

A nulidade é Rita Pereira, "actriz" (ehm...) de novelas. A nulidade foi contactada por outra nulidade, Micaela Oliveira, estilista.

O que acontece quando somarmos os cérebros de duas nulidades? "0 + 0 = 0"? Tomara!
Se fosse tão simples, boa parte dos problemas do mundo estariam resolvidos.
Infelizmente "0 + 0 = idiotice".
E assim foi.

Os dois neurónios (um por cada sujeito) uniram os esforços e o resultado foi este: apresentar a nova colecção 2014 num País pobre, nomeadamente Moçambique.

Agora, pensem nisso: um País onde ainda há miséria, onde o problema é a sobrevivência, à beira da guerra civil. Pode existir um palco melhor para um desfile de roupa requintada? Sim, claro que pode, mas tentem explicar isso aos dois neurónios...

26 fevereiro 2014

O mercado dos escravos

O mercado dos escravos nunca acabou. Mudou de nome, mas a essência não.

Hoje é um volume de negócio de 10 biliões de Euros por ano, segundo as estimativas da ONU, atrás só do mercado da droga. E, como as drogas, tem custos: a agência Frontex, que controla (mal) as fronteiras externas da União Europeia, investe a cada ano 85 milhões de Euros, isso enquanto um traficante da África ganha 5 ou 6 milhões, sempre por ano.

Uma viagem ilegal entre o Afeganistão e o Reino Unido tem um preço de 25.000 €, de Bangladesh para o Brasil 10.000 €, da China para o Reino Unido 40.000 €, da Coreia do Norte à Coreia do Sul 6.000 €, do México para os Estados Unidos entre 1.000 e 4.000 €.

Ínsólito: o sismoscópio de Zhang

É verdade: a nossa tendência é pensar que os povos antigos fossem incapazes de alcançar resultados tecnológicos digno de nota, algo que achamos ser uma exclusiva da nossa sociedade.

O sismógrafo, por exemplo.
O primeiro sismógrafo moderno foi inventado em 1703 pelo físico francês Jean de Hautefeuille. O dispositivo deu aos cientistas a capacidade de medir com precisão a intensidade de terremotos e as suas dinâmicas.

No entanto, aquela de Hautefeuille foi apenas uma re-invenção, dado que um mecanismo semelhante já tinha sido inventado 17 séculos antes, graças ao gênio de Zhang Heng, astrónomo, matemático, engenheiro, geógrafo e inventor que viveu entre 78 e 139 d.C.

Obviamente, os antigos chineses não sabiam que os terremotos fossem causados ​​pelo movimento das placas tectónicas da crosta terrestre:da Terra: acreditavam que os tremores de terra fossem o resultado de um desequilíbrio cósmico do yin e yang, causado pelos maus actos cometidos pela dinastia reinante na época. Por esta razão, era importante para os líderes chineses estar cientes de todos os terremotos que ocorriam durante o reinado.

25 fevereiro 2014

A Revolta de Tau

Vivemos num mundo estranho.

E "estranho" é um eufemismo. Haveria espaço para mais do que isso, muito mais.

Todavia, nada acontece. Deixamos que poucos decidam as nossas vidas e o futuro dos nossos filhos.
E já sabemos que o futuro dos nossos filhos será, na melhor das hipóteses, igual ao nosso.

Porque as pessoas não se rebelam? Rebelar-se não significa necessariamente pegar nas armas e partir tudo: há rebeliões pacíficas, construídas com as palavras, os acordos, as iniciativas.

Povos, pessoas, gente, massas, podemos defini-los de várias formas, mas a substância é sempre a mesma: nós, os que vivem nesta sociedade. Os sem-reacção.
Porque?

Suicídios - 2

Karl Slym, 51 anos, decidiu suicidar-se duma forma um pouco estranha.

Encontrava-se num quarto do Hotel Shangri-La, em Bangkok, com a sua esposa. No quarto uma janela, muito pequena, ao ponto que teve de fazer um esforço considerável para passar. Mas conseguiu e acabou para parar só 22 andares mais em baixo.

O tenente-coronel Somyot Boonnakaew, da polícia:
Não encontrámos qualquer sinal de luta. A janela estava aberta. A janela era muito pequena, assim não é possível um acidente. Teve que enfiar-se através da janela pois era um homem grande. Pela minha investigação inicial pensamos tenha sido suicídio. 
No quarto, também uma carta de três páginas de despedida, logo enviada para a análise.
A esposa demasiado "chocada " para responder às perguntas dos investigadores.

24 fevereiro 2014

Suicídios - 1

Anda por aí uma virose que mata pessoas ligadas ao mundo dos bancos.

Na verdade não é este o primeiro surto, mas nas últimas semanas o vírus parece ter ganho força.

19 de Janeiro: morre Tim Dickenson, Director das Comunicações na Swiss Re AG, sede inglesa. As causas da morte são ainda desconhecidas.

26 de Janeiro: um ex top executive da Deutsche Bank, William Broeksmit, é encontrado morto na sua casa de Kensington (Londres). Causa da morte: suicídio por enforcamento. A polícia afirma que a morte não é suspeita. Broeksmith tinha fortes ligações com o chef-executive Anshu Jain.

27 de Janeiro: Gabriel Magee, 39 anos, Senior Manager da sede de JP Morgan’s Europe, envia um e-mail para a namorada, diz-lhe que acabou o trabalho e que vai ter com ela; depois atira-se do telhado da empresa (Londres), o que não é uma boa ideia, pois o telhado encontra-se a 300 do chão.

21 fevereiro 2014

Brasil: os Justiceiros

Copio e colo do diário Público:
Os episódios de justiça popular estão a multiplicar-se no Brasil, com grupos de milícias populares a organizarem-se nas redes sociais, onde têm divulgado relatos e vídeos de ataques violentos contra indivíduos suspeitos de envolvimento em assaltos ou contra homossexuais.

“A sociedade civil está ficando progressivamente descontrolada”, observou o sociólogo José de Souza Martins, em declarações ao jornal Folha de São Paulo. O especialista em fenómenos de justiça popular, que documenta a sucessão de casos há cerca de duas décadas, detectou uma “ligeira intensificação de ocorrências” de uma média de quatro por semana para uma por dia, e uma tendência de inflexão da violência, outrora concentrada nos grandes centros urbanos de São Paulo, Rio de Janeiro e Baía, para o interior do país.

Ucrânia: o filme já visto

E agora o bom blogueiro deveria escrever algo acerca da Ucrânia.

O que não é simples sem cair em repetições. Porque tudo isso é algo que já vimos, várias vezes.

As revoluções "democráticas" varreram a Líbia, o Egipto, a Síria nos últimos tempos, onde tomaram o nome de "Primavera Árabe". Mas houve mais antes destsa, conhecidas como "Revoluções Coloridas".

Em qualquer caso, o enredo é sempre o mesmo: uma organização "civil" apoiada (de forma mais ou menos oculta) pelos Estados Unidos, manifestantes (sempre pacíficos) nas ruas, reprimidos pela polícia (sempre brutal).

20 fevereiro 2014

Marwan, o garoto no meio do deserto

A bonita menina ao lado é Hala Gorani, jornalista da CNN International.

Nestes últimos dias, um "tweet" dela tem feito versar rios de lágrimas: este tweet. Que pode ser resumido assim: uma equipa das Nações Unidas tem encontrado no meio do deserto um menino de 4 anos, Marwan, sozinho, perdido, afastado da família.

Vamos ler a notícia como relatada pelo diário O Tempo:

19 fevereiro 2014

O reformado investidor

Finalmente uma boa notícia.

As poupanças de 500 milhões de cidadãos da União Europeia podem ser utilizadas para financiar investimentos de longo prazo, impulsionar a economia e ajudar a preencher o vazio deixado pelos bancos após a crise financeira.

Isto é o que se pode ler num documento da UE, como informa a agência Reuters.

Cada um poderá ajudar activamente a retoma económica. Mas mais do que isso, tudo será feito para o nosso bem (tudo é sempre feito para o nosso bem): a ideia das Mentes Pensantes de Bruxelas, de facto, encontrar uma maneira de afastar os 28 Países-membros da forte dependência dos empréstimos bancários e financiar as pequenas empresas privadas, com projectos de infra-estrutura e outros tipos de investimento.

18 fevereiro 2014

I = P A T

E hoje falemos da equação de Ehrlich.
Por qual razão? Porque ajuda a perceber o motivo pelo qual no planeta devem existir Países atrasados, pessoas que não têm comida suficiente, economias que não funcionam.

Sim, claro, séculos de colonialismo, as consequências e tudo o resto: uma explicação simples e imediata. Mas não pode haver mais do que isso? E se o estado de atraso fosse funcional, até necessário na óptica de alguns? Uma pobreza "obrigatória", que deve ser cientificamente mantida? 

A verdade é que não podemos tornar a tecnologia livre para todos, não podemos permitir o consumo ilimitado para todos, não podemos permitir uma reprodução livre e um crescimento populacional sem limites.

17 fevereiro 2014

Crise 2.0

Informação Incorrecta tem com o Geab um relacionamento que mais parece aquele dum alcoólico: "esta é a última vez, depois paro". E o vício continua.

É que este mês o Geab traz algo interessante.
Vamos ler? E vamos.

Geab nº 82, título: 2014 - a crise sistémica global retoma o seu curso "normal"
Será? Sim, muito provável.

Mas antes de continuar, um breve resumo dos episódios anteriores para os Leitores mais recentes.
Fala-se aqui de Quantitative Easing (QE), assunto que pode ser encontrado neste velho artigo: Quantitative quê?

Sinteticamente, a Federal Reserve começou a imprimir dinheiro a partir do nada. Coisa que em princípio não é mal, pois já ninguém imprime dinheiro tendo como base uma riqueza guardada nos cofres do Estado, seja esta ouro ou outros bens. O problema é que há maneira e maneira de fazer as coisas. E imprimir mensalmente 85 biliões de Dólares é um bocado exagerado, mesmo que a ideia seja "ajudar a economia" (seria mais apropriado dizer "ajudar as instituições bancárias e os grandes investidores"). Este é o QE: um rio de dinheiro atirado para o mercado.

Srebrenica: os dois lados da verdade - Parte II

O diário inglês The Guardian já em 2002 publicou confirmações acerca das notícias que viam a
colaboração entre os Estados Unidos e os independentistas muçulmanos da Bósnia.

Com base em muitas provas, encontradas tanto na Bósnia quanto no estrangeiro, delineou-se um quadro de estreita e secreta colaboração entre Washington e movimentos fundamentalistas islâmicos ao redor do mundo. Nesta óptica, as forças americanas começaram nos primeiros anos da década de '90 a ajudar os muçulmanos bósnios para combater os sérvios.

16 fevereiro 2014

Insólito: a cratera Patomskiy

Quando, em 1949, Vadim Kolpakov deparou-se com uma estranha forma geológica em forma de funil na região de Irkutsk, na Sibéria, não tinha a menor ideia de que a sua descoberta teria desencadeado um dos mistérios científicos mais controversos do nosso tempo.

O geólogo russo viu-se diante de um enorme cone convexo com um monte oco e arredondado em forma de funil ao centro, muito parecido com um ninho de águia com tanto de ovo preservado no interior.

Mais tarde, a cratera foi baptizada Patomskiy por causa do rio que corre nas redondezas. Kolpakov tentou voltar ao lugar, sem então conseguir organizar uma expedição científica para colectar amostras a serem analisadas; mais tarde, todavia, várias expedições foram realizadas, permitindo avançar algumas suposições .

Em primeiro lugar, procurou-se identificar a época de formação. De acordo com os estudos realizados, a cratera formou-se entre 350 e 300 anos atrás: isso significa no final do XVII século. A divisão das áreas da cratera sugere uns processos geológicos ainda activos, talvez causados por emissões de gases a partir da base da cratera.

Mas como é que é foi criado?

Srebrenica: os dois lados da verdade - Parte I

Após a morte de Tito (no dia 4 de Maio de 1980), a Jugoslávia viveu entre 1980 e 1986, um período
de relativa calma. Parecia que o sistema construído e revisto ao longo das décadas por Tito fosse capaz de resultar após o desaparecimento dele.

Tito tinha sido capaz de equilibrar as representações étnicas e controlar os ódios antigos (para saber um pouco mais acerca destes ódios, aconselho o romance A Ponte Sobre o Drina, magnifico quadro sobre a realidade da região ao longo dos séculos, obra prima do Prémio Nobel Ivo Andrić); com as armas da diplomacia e da repressão, o Marechal tinha conseguido um delicado quanto improvável equilíbrio que parecia estável.

Mas desde o ano 1986, a situação começou a deteriorar-se com rapidez. A província autónoma do Kosovo, formalmente em território da Servia mas de maioria muçulmana, reclamava a independência, isso enquanto os mesmos sérvios achavam-se alvos duma campanha de descriminação. Apesar do plano económico de 1983 resultar, em 1990 teve lugar o 14º e último congresso dos comunistas jugoslavos, no qual as divergências atingiram o ponto de não regresso.

14 fevereiro 2014

F**k the EU

Nos passados dias, a imprensa ocidental sublinhou a expressão utilizada pela Assistente do Secretário
de Estado dos Estados Unidos, Victoria Nuland, em relação à União Europeia.

Esta expressão:
F**k the EU.
Que podemos traduzir desta forma:
Apesar do profundo respeito e admiração que sinto em relação às instituições sediadas em Bruxelas, acho que hoje a minha vida não vai ser condicionada unicamente pela presença da União Europeia.
Mais ou menos é isso.
O facto provocou uma onda de indignação porque, apesar de ser esta uma expressão que vários cidadãos da União Europeia utilizam diariamente (traduzida nos respectivos idiomas) e acerca da qual é quase natural concordar, no ambiente diplomático certas coisas pensam-se mas não se dizem.

13 fevereiro 2014

Insólito: parem de olhar para o céu, obrigado.

Conhecimento é poder, ou pelo menos é isso que temos sido levados a acreditar.

Mas se fosse também destruição?
Se, paradoxalmente, saber demais accionasse uma contagem decrescente (ou regressiva, como dizem no Brasil) para o fim do Universo?

Não é ficção científica, é especulação teórica que encontra as bases na teoria quântica. A conclusão dramática é de Lawrence Krauss, da Case Western Reserve University (Ohio, EUA) e do colega James Dent, segundo os quais o estudo da astronomia tem acelerado o processo de destruição do Universo ao longo das últimas duas décadas, principalmente com a medição da energia escura, a força misteriosa que torna possível a expansão do mesmo Universo.

E agora: a Alianza

Na indiferença geral dos media, Colômbia, Chile, México e Peru nas últimas semanas assinaram um acordo que elimina, com acção imediata, as taxas aduaneiras sobre 92% dos produtos comerciais, com a intenção de aumentar o comércio e conquistar os mercados da região da Ásia- Pacífico, atraindo também o investimento estrangeiro.

Liberalização para o capital e as pessoas, que podem viajar sem visto.

O acordo sobre o tratado de livre comércio foi assinado durante uma cerimonia na cidade de Cartagena, na presença dos presidentes da Colômbia, Juan Manuel Santos, do Chile, Sebastián Piñera, do Peru, Ollanta Humala, e do México, Enrique Peña Nieto .

12 fevereiro 2014

México: a revolta dos vigilantes

O Estados Unidos percorrem o planeta todo para espalhar o verbo da democracia e da liberdade, contra qualquer forma de terrorismo. Mas enquanto as tropas do Tio Sam tratam dos problemas do Afeganistão, por exemplo, ninguém em Washington parece demasiado preocupado com aquilo que se passa mesmo "ao lado".

Pelo menos, até hoje, pois as coisas podem estar prestes a mudar. A falência do México é evidente. Não falência económica, mas politica e social: uma crise de autoridade, um desafio que arrisca destruir a relativa "tranquilidade" da América Central.

O desafio é aquele dos cartéis da droga. Têm nomes diferente, tais como "Ordem dos Templários" ou "Gang Sinaloa", grupo antigamente limitado à província da homónima cidade (Sinaloa, no Sul-Oeste do México), mas que rapidamente expandiu-se até "trabalhar" o resto do País. Cada banda tem específicas alianças regionais e sua própria cultura, mas todos elas usam o mesmo tipo de práticas: brutais. Para além da venda das drogas ilegais, os cartéis estão envolvidos em extorsão em massa, que atinge tanto os ricos empresários quanto os pobres camponeses: quem se recusa a pagar é eliminado, sem  muitas cerimónias.

Wordpress

Avisam-se os estimados Leitores que a partir de hoje o blog estará também disponível na
plataforma Wordpress.

O link é o seguinte: Informação Incorrecta no Wordpress

A diferença de Informação Incorrecta versão Blogger (esta), a do Wordpress poderá não ser actualizada diariamente: é mais provável que no fim de semana sejam publicados os artigos dos últimos sete dias.

Vantagens: o Leitor pode ligar-se uma vez por semana e estar a par das últimas publicações.
Desvantagens: não há, juro.

Por enquanto o layout da versão Wordpress não está acabado, mas quase.
Mais a frente será introduzido um tema personalizado (provavelmente perto do 2018 ou 2019, tempo permitindo).

Lembro também que Informação Incorrecta pode ser seguido no Twitter e no Facebook (onde acabo de perceber que a página não está actualizada desde Dezembro. E porque raio não está actualizada?).

Obrigado pela atenção.


Ipse dixit.

11 fevereiro 2014

O referendo da Suíça

Diário Expresso, colunista Daniel Oliveira, notoriamente de Esquerda.
Título da peça:
Democracia directa: o populismo como forma de governo
Surpreendidos? Não é o caso.
Também a Esquerda (ou aquela que se faz chamar assim) vê o povo como um grupo de ovelhas, com uma actividade cerebral bastante reduzida, cujo único fim é ser conduzidas por uma elite de mentes superiores.

Então qual a diferencia entre Esquerda e Direita?
Simples: segundo a Esquerda as ovelhas são boas, segundo a Direita são ovelhas e basta.
O caso do referendo na Suíça é gritante. A maioria dos cidadãos foi votar e votou contra as indicações dos principais partidos, do governo, dos sindicatos. O povo suíço, graças ao sistema da democracia directa, escolheu.

Insólito: o coelho, a Lua e o Ufo chinês

A aventura do rover chinês na Lua acabou de forma repentina. Tão repentina que até é difícil entender como realmente aconteceu.

Yutu, que na língua original significa "coelho de jade" (a propósito: imaginem o gozo se os americanos enviassem para a Lua um rover chamado "lebre de esmeralda". Mas como estes são chineses...), é a sonda robótica enviada para a lua de e parou de funcionar.

Conforme relatado pela agência de notícias chinesa Xinhua, os engenheiros da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST) explicaram que as falhas do veículo foram causadas ​​pelo ambiente hostil da superfície lunar.

Os problemas começaram um pouco antes do rover entrar pela segunda vez em hibernação, uma modalidade definida para enfrentar a longa noite lunar, que dura cerca de 14 dias terrestres e traz o termómetro abaixo de - 180°C (assim, uma espécie de Aquecimento Lunar...). A primeira modalidade stand-by tinha sido um sucesso, enquanto em ocasião da segunda Yutu não respondeu.
Adormeceu? Provavelmente não.

10 fevereiro 2014

O frio

O Aquecimento Global.
E vamos ver de que forma o planeta está a aquecer.

Eslovénia

A Eslovênia está a enfrentar uma vaga de frio polar, a pior de que há memória. A neve caiu abundante e em boa parte do território a rede de distribuição de energia eléctrica regista falha e/ou interrupções do serviço (uma casa em cada quatro está sem electricidade). Já houve dificuldades no fornecimento de água potável e supermercados estão sob ataque.

A situação mais séria é aquela nas florestas eslovenas: o gelo destruiu muita da vegetação fala-se do maior desastre natural na história da região.

Escravos modernos - Parte II

Esta segunda parte é um pouco comprida. Peço desculpa. É que por aqui passou a tempestade Stephanie, muita chuva, vento, então a gente fica em casa e escreve para molestar os Leitores.

Hugo Salinas Price. Pois.

Salinas basicamente diz que milhões de trabalhadores no Ocidente hoje teriam, do ponto de vista puramente económico, conveniência em fazer os servos, assim como tem sido ao longo de milhares de anos e ainda é um muitas partes do planeta (como no México, onde as famílias como a dele, por exemplo, têm uma equipa de vinte pessoas fixas, às quais fornece abrigo, comida e emprego para todos os membros).

Salinas é irónico? Nem por isso.

Nos Estados Unidos, como na Europa (só para falar do Ocidente mais "desenvolvido") há hoje milhões de pessoas, especialmente os jovens, que permanecem desempregados ao longo de vários anos, com a perspectiva de emigrar (e fazer o escravo no estrangeiro) ou adaptar-se a empregos precários e ocasionais, pagos 4-5 Euro líquidos por hora: um trabalho que podem perder dum dia para outro e com o qual deveriam alugar uma casa cujo custo está fora do alcance. Pelo que, ou partilham o apartamento ou voltam para a casa dos pais, sem a possibilidade de construir-se um futuro.

07 fevereiro 2014

A Onu e a questão moral

Na passada Quarta-feira, dia 5 de Fevereiro, a Comissão das Nações Unidas sobre os Direitos da
Criança, que está a lidar com os casos de abuso sexual de crianças relacionados com o Vaticano, divulgou um documento pedindo a Santa Sé para retirar imediatamente os membros do clero que cometeram crimes sexuais contra crianças ou que são suspeitos de terem feito isso.

No documento, além de criticar o Vaticano por causa da suas opiniões sobre a homossexualidade, a contracepção e o aborto (com referência explícita ao caso da menina de 9 anos no Brasil, estuprada pelo seu padrasto, e às excomunhões feitas pelo bispo em relação aos médicos que praticaram o aborto), há também a queixa pelo facto de que não foram tomadas medidas necessárias para prevenir os abusos.

06 fevereiro 2014

Insólito: a lareira dos antepassados

De acordo com os pesquisadores, os humanos começaram a controlar o fogo mais de um milhão de anos atrás.

No entanto, a recente descoberta duma lareira com 300 mil anos em Qesem, um sítio arqueológico localizado a 10 km a leste de Tel Aviv (israel), poderia lançar uma nova luz sobre como os seres humanos antigos começaram a controlar e utilizar este elemento.

Os resultados publicados no Journal of Archaeological Science descrevem o método utilizado pelos cientistas para analisar o depósito de espessa de cinzas de madeira encontrados dentro da caverna.

Escravos modernos - Parte I

Qual a nossa condição?

Em muitas página da internet é possível encontrar o termo "escravos", algo utilizado neste blog também. Mas nem todos concordam. Pelo contrário: a ideia geral é que mais o Homem teve tanta liberdade como agora.

Doutro lado: podemos pegar no carro, num avião, e visitar todos os Países do mundo; com o comando somos nós que decidimos qual canal televisivo ver; podemos escolher entre muitos diários e revistas, de várias tendências; livros não faltam; e temos direitos, muitos direitos, o principal dos quais é o direito ao voto, com o qual escolhemos os nossos governantes.

Definitivamente: não é um panorama que possa ser definido facilmente "de escravidão".
Ou talvez sim.

05 fevereiro 2014

Como no '29

Bloomberg não é uma revista de gossip.

Todavia, estes são alguns dos vídeos em destaques, isso é, as entrevistas e reportagens consideradas mais importante segundo o editor de Bloomberg, o principal serviço de informação financeira do mundo:
  • Os milionários que não gostam dos Yachts
  • Entrevista com o CEO da Caterpillar
  • Aqui está o banqueiro de um IPO de trilhões de dólares de Twitter
  • Como se conectam entre elas as pessoas mais ricas do mundo
  • O chip em Las Vegas para os clientes VIP'S costa 250 mil dólares
  • O que surpreendeu-te em tornar-te CEO?
  • As regras do sucesso do bilionário Eric Schmidt
  • Perguntamos a um bilionário: Como faz para despedir as pessoas?
  • Alyssa Milano: é o boss do império Fan-Gear
  • Quem é Satya Nadella e por qual razão é o CEO da Microsoft?
...mais umas quantas reportagens acerca de Rolex, Party de VIP's, etc.

Repito: Bloomberg não é Vanity Fair, não é uma revista que agrada a fantasia mostrando a vida dos bilionários, é um serviço top de informação financeira profissional nos Estados Unidos, tem a ambição de fornecer uma cobertura diária do mundo financeiro e económico, para saber e reflectir acerca do que está a acontecer no mundo, em termos de implicações para o investimento, como o Financial Times.

Queixa!

O artigo O Efeito Matilda não foi removido por mim mas por causa duma queixa recebida pelo Blogger. Aqui está a notificação:
Recebemos uma queixa DMCA relativamente ao seu blogue, Informação Incorrecta. Foi-lhe enviado um e-mail com os detalhes da queixa em 4/Fev/2014 e o estado da mensagem foi reposto para "Rascunho". Pode editá-lo aqui. Pode voltar a publicar a mensagem com o conteúdo ofensivo e/ou com o link(s) removido(s). Se achar que detém os direitos para publicar este conteúdo, pode apresentar-nos a sua defesa. Para saber mais sobre a nossa política DMCA, clique aqui. Agradecemos a sua atenção.
Eu nem comento.
Simplesmente vou seguir os passos sugeridos e, entretanto, deixo que o Leitor medite acerca do acontecido.

Ipse dixit.

04 fevereiro 2014

A ilha de plástico


Aquecimento Global? Os problemas do planeta são outros.
A ilha de plástico

Eu sou Nicoló Carnimeo, ensino na Universidade de Bari [Italia, ndt] mas também sou escritor e navegador; nos últimos três anos tenho feito uma longa viagem que me levou dos oceanos até o Mediterrâneo e quero contar-vos sobre isso.
A minha viagem no mar de plástico começou em Londres, onde conheci quem descobriu a Grande Mancha de Lixo do Pacífico. O que é? É uma imensa ilha formada por todos os resíduos de plástico que lançámos nos últimos 50 anos. O mar, através das correntes, os faz convergir em alguns pontos, aí ficam e continuarão a ficar, talvez para sempre.
O seu nome é Comandante Charles Moore. Fomos juntos para ver a ilha de plástico. No meu livro Como é profondo il Mare ("Como é profundo o mar") chamo-a "a ilha que não existe", porque na verdade é composta de biliões e biliões de pequenos fragmentos que ficaram em pó, porque o plástico no mar degrada-se.

Yohio, o Homem Novo

Peguem num rapaz sueco de dezoito anos, que ama a música metal e a cultura japonesa, que sabe tocar um pouco de guitarra e fascinado pelo imaginário pop nipónico.

Misturem tudo junto: o que sai é difícil de imaginar, é mais rápido espreitar:


Ele é Yohio, também conhecido como Kevin Lucas Johio Eires Rehn, filho de Tommy Rehn, vocalista dos Corroded, banda de heavy metal escandinava.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...