12 janeiro 2015

Insólito: UVB-76

Um sinal intermitente transmitido de forma contínua ao longo de quatro décadas.

Então, de repente, o sinal deixa de espaço para uma voz fria, marcada por um forte sotaque russo, que diz: "UVB-7-6" antes de enumerar uma série de palavras e números em código.
De repente, a leitura da mensagem termina e recomeça o zumbido durante alguns meses, até que uma nova mensagem seja lida.

Os que analisam a enigmática transmissão, conhecida desde 1970, rotularam o fenómeno como The Buzzer ou UVB-76; mais recentemente como MDZhB. No entanto, o significado da transmissão permanece um mistério.

Há muitos que propõem teorias acerca de UVB-76, mas nenhuma delas parece ser capaz de dizer qualquer coisa de definitivo sobre a transmissão. Alguns pensam que seja um código de comunicação usado pelos militares, outros argumentam que pode ser um experimento ligado à atmosférica. Outros ainda pensam que seja uma ferramenta que pode até desencadear um ataque atómico.

O sinal intermitente é transmitido na frequência de 4625 kHz e pode ser ouvido por qualquer pessoa, até mesmo online, usando um dos fluxos streaming disponíveis: por exemplo na página da Universidade de Twente (Hollanda).

Uma vez aberta a página (que de certeza não é um exemplo de modernidade), é necessário procurar o campo Frequency e inserir a frequência usada pelo sinal UVB-76, que é a seguinte: 4625 kHz. Agora podem ouvir o sinal.



Monótono, não é? Pois, e pode continuar ao longo de meses.

Durante anos, a transmissão parecia vir da cidade de Povarovo, perto de Moscou, mas em Setembro de 2010 a posição deve ter mudado. Agora, os especialistas acreditam que o sinal é transmitido da Rússia Ocidental, perto de Pskov.

Embora qualquer pessoa possa ouvir a emissão, ninguém ainda foi capaz de decifrar o código. Todas as mensagens de voz, no entanto, são transmitidos no mesmo formato: operadores de rádio relataram que alguns códigos foram repetidos por meses ou anos, por razões claramente desconhecidas. Em 26 de Janeiro de 2011, o operador leu o código "ILOTICIN 36 19 69 46", que foi repetido durante os quatro meses seguintes.

No entanto, a frequência das mensagens vocais não é regular. Às vezes podem passar meses ou até anos entre uma mensagem e outra. Outras vezes parecem ocorrer perto de eventos significativos.

Por exemplo, em 18 de Março de 2014, 24 horas após a Criméia ter votado para a adesão à Federação Russa, o operador leu: Terrakota. Dimitri Mikhail Zhenya Boris. MDZhB. Mikhail Dmitri Zhenya Boris. 81 26 T-E-R-R-A-K-O-T-A.

Obviamente, este é um terreno fértil para teorias delirantes. Alguns acham que The Buzz está ligado ao arsenal nuclear soviético, no oeste da Rússia: se o zumbido intermitente pára, desencadeia um ataque nuclear automático. Nada menos (na realidade, o zumbido já parou em 2010 mas sobrevivemos). Para outros, este seria um radio-faro para a navegação dos UFO (que, como é sabido, utilizam todos autorrádios) ou um sinal capaz de controlar e reprogramar as nossas mentes.

Mais provavelmente estamos perante uma transmissão de origem militar, assim como as de outras estações da China e dos Estados Unidos: um tipo de comunicação que parece ser muito útil uma vez que não requer o uso de satélites ou de tecnologia sofisticada.

Nas páginas de Numbers Stations é possível ouvir exemplos das seguintes transmissões parecidas:
Segundo o mesmo site, que é especialziado no sector das radiocomunicações, The Buzz é uma emissor militar que utiliza nas transmissões mensagens conhecidas entre os militares russos como "monólitos" (монолит). Os objectivos dos monólitos são vários: testar a preparação das várias unidades, alertas, mobilizações.

O monólitos mudam constantemente, o mesmo monólito pode ter sentidos diferentes com o passar do tempo e são lidos em directo.

E esta parece ser a explicação mais razoável.


Ipse dixit.

Fontes: no texto, Il Navigatore Curioso.
essages with more than one codeword are sometimes observed and messages with no end numbers after the codeword are rarely spotted.  There has been observations of radio operator sending message incorrectly and then says “sboj” (error) that proves the message is read live.
- See more at: http://www.numbers-stations.com/the-buzzer#sthash.dvDkizfg.dpuf

1 comentário:

  1. Cada vez que leio algo sobre isto, lembro-me disto: http://www.hobotrashcan.com/downthehatch/photos/090521-computer.jpg

    Saudades de Lost :)

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...