02 março 2015

Os Limites do Crescimento


Depois de quatro décadas após a sua publicação, as previsões de The Limits to Growth ("Os Limites do Crescimento") são confirmadas por uma nova pesquisa australiana. Os primeiros sinais de colapso planetário podem aparecer muito em breve; ou talvez já tenham aparecido.

The Limits to Growth foi lançado em 1972 e previa o colapso da nossa civilização dentro deste século: uma conclusão que tem sido criticada como uma fantasia desde o dia da sua publicação. Em 2002, o especialista no meio ambiente Bjorn Lomborg entregou o livro para o "caixote do lixo da história".

Mas os recentes estudos da Universidade de Melbourne relatam que as previsões do livro, 40 anos depois, estavam certas: continuar a seguir o modelo descrito no livro significa, como afirmado, o aparecimento dos primeiros sinais de colapso planetário muito em breve.

A ideia do livro foi do Clube de Roma, as pesquisas tinham sido efectuadas por Donella Meadows, Dennis L. Meadows, Jørgen Randers e William W. Behrens III. Foram consideradas uma série de variáveis (população mundial, industrialização, poluição, produção de alimentos e esgotamento dos recursos) e foi utilizado um novo programa computacional (World3) para simular as consequências da interacção entre o planeta Terra e a sociedade humana.

O livro (que desde Junho de 2013 está disponível sob Creative Commons Attribution mas apenas em língua inglesa) constituía um projecto muito ambicioso: prever nada menos do que o futuro. Mas em 1972 o trabalho estava feito e o resultado não era nada animador.

Em particular, duas as principais conclusões:
  1. se a actual taxa de crescimento da população, industrialização, poluição, produção de alimentos e exploração de recursos continuará sem alterações, os limites do crescimento neste planeta serão alcançados dentro dos próximos cem anos. O resultado mais provável será um declínio súbito e incontrolável da população e da capacidade industrial.
  2. é possível alterar as taxas de crescimento e alcançar uma condição de estabilidade económica e ecológica sustentável no futuro. O estado de equilíbrio global deve ser projectado de modo que as necessidades de cada pessoa na Terra estejam satisfeitas e todos tenham a mesma oportunidade de realizar o seu potencial.
O tempo-limite? Até o ano 2070, mais ou menos. Mas pode ser antes.
O núcleo central do livro, portanto, é que a Terra é um sistema finito, limitado, e um crescimento populacional infinito, um gasto de recursos infinitos, etc. teria inevitavelmente levado até um colapso generalizado  (e o livro nem considera uma eventual crise económica como a actual).

Faz sentido? Faz totalmente sentido. Mas o livro, como vimos, foi alvo de ferozes críticas.
A previsão de que, após o ano de 2000, a humanidade teria iniciado a chocar com o esgotamento dos recursos naturais foi essencialmente rejeitada pela cultura económica internacional, incluindo ilustres prémios Nobel como o economista Amartya Sen, absolutamente convencido de que o desenvolvimento tecnológico teria ultrapassado qualquer escassez.

Apenas poucos analistas continuaram nas décadas seguintes a ter em conta este trabalho de investigação (podemos lembrar Lester Brown).


Em 1992 foi publicada uma primeira actualização, Beyond the Limits ("Além dos limites"), no qual argumentava-se que já tinham sido ultrapassados ​​os limites do planeta.

A segunda actualização, Limits to Growth: The 30-Year Update (Os Limites do Crescimento: a Actualização dos 30 Anos) foi publicado em 2004 e estava focalizado mais na vertente da degradação ambiental; além disso, o sistema de análise era melhorado, tendo sido acrescentada uma maior quantidade de dados e ferramentas computacionais mais modernos.

Basicamente, as actualizações introduziram no estudo dois conceitos que foram estabelecidos somente após a edição de 1972: a necessidade dum desenvolvimento sustentável e a medição do impacto do Homem sobre a Terra através da "pegada ecológica". Neste aspecto, os dados indicam que a nossa pegada ecológica começou por volta de 1980 a exceder a capacidade da Terra e agora já ultrapassa os limites em 20%.

No ano passado, como afirmado, a Universidade de Melbourne (Austrália) pegou nas conclusões do livro e começou a compara-las com dados de vária origem: ONU (e os seus departamentos de Assuntos Económicos e Sociais, a UNESCO, a Organização para a Alimentação e Agricultura, Estatísticas), Administração dos Estados Unidos sobre os dados oceânicos e atmosféricos, a avaliação estatística da BP e mais ainda.

O resultado é muito preocupante: o nosso mundo real é um lugar bem parecido com aquele descrito em Limits to Growth.

Os gráficos abaixo mostram:
linha subtil = dados reais até a saída do livro
linha espessa = dados reais depois da saída do livro
linha pontilhada = previsões do livro

Clicar para ampliar!


Como explicado em 1972, o crescimento da população e da demanda por bens materiais e riquezas levam necessariamente a um excesso de produção e de poluição. Os gráficos confirmam isto.
Os recursos do planeta estão a ser consumidos rapidamente, a poluição aumenta, a produção industrial e o consumo de alimentos também. O mesmo acontece com a população.

Até o momento, portanto, Limits to Growth corresponde à realidade. E agora?

De acordo com o livro, continuar a aumentar a produção industrial apenas pode aumentar o consumo dos recursos também. No entanto, os recursos vão ficar mais caros enquanto são consumidos; dado que mais capital é investido para extrair os minerais, a produção per capita começa a declinar.

Com aumento da poluição e o declínio do investimento industrial na agricultura, há uma queda na produção de alimentos per capita. Começam os cortes nos serviços como saúde e educação, e isso leva a um aumento da mortalidade. Em seguida, inicia uma diminuição da população (talvez com uma taxa de meio bilião por década). O padrão de vida vai cair para níveis comparáveis ​​aos de início do século XX.

No livro são principalmente os recursos cada vez mais limitados a causar o colapso global, mas também é levado em conta o prejuízo provocado pela poluição.

Paradigma desta situação é a extracção do petróleo: muitos estudiosos estão convencidos de que o petróleo "fácil" (o petróleo extraído de forma convencional) já ultrapassou o limite de produção máxima, e a recente queda dos preços não deve enganar, sendo esta uma manobra meramente política. Sabemos também que as novas técnicas de extracção são mais caras e ecologicamente desastrosas.

Então, um futuro já escrito? Depende.
Ninguém tem a bola de cristal e uma "simples" guerra mundial poderia deitar abaixo todas as previsões. Ninguém pode indicar com certeza absoluta a data dum colapso generalizado da economia ou duma irremediável crise ambiental.

Mas uma coisa é clara: as previsões de Limits to Growth até agora são o espelho da actualidade e isso algo deverá significar. Parece cada vez mais improvável que o crescimento económico possa continuar nos actuais moldes ainda ao longo de muito tempo sem provocar desastres.

Porque um dado não pode ser contestado: a Terra é um sistema finito.
Pelo que: não é possível viver num sistema de consumismo em constante aceleração num mundo que se renova de forma muito mais lenta. Mas não há nenhuma compreensão emocional e talvez seja tarde para convencer o mundo político e a aristocracia do dinheiro a mudar de rumo. Os únicos que podem mudar algo somos nós.


Ipse dixit.

Relacionados:
2012: a Grande Descida
Os limites
O fio da navalha - Parte I
O fio da navalha - Parte II
Direcção: abismo. Com 130 km de autonomia.
I = P A T
O Decrescimento

Fontes: Foreing Policy, ABC - What's the limit to the planet's growth?, Oxford Martin School: Are there limits to growth? (vídeo, inglês), The Oil Drum - Cassandra's curse: how "The Limits to Growth" was demonized, The University of Melbourne - Is Global Collapse Imminent? (ficheiro Pdf, Inglês), The Guardian: Limits to Growth was right. New research shows we're nearing collapse

11 comentários:

  1. Anónimo2.3.15

    Não é preciso um livro para ver a realidade! Ela está à frente dos olhos, basta parar um pouco, sentar num banco à frente de um jardim, e começar a pensar.

    Isto só muda de duas maneira:
    Ou uma elite começa a mudar a favor do resto ou o resto começa a desviar o caminho que os leva para o abismo via consumismo. E sinceramente não estou a ver nenhum deles cederem por vontade própria.
    O outro é mais simples cortar o mal pela raíz (nós).

    ResponderEliminar
  2. Até o fim do século? é muito tempo, acho que se nesse verão (hemisfério norte) uns dois ou tres vulcões entrarem em ereupção, vamos ter um verão bem frio (lado norte) e aqui no sul um inverno de rachar os ossos, ai lá foi para o saco a produção de alimentos.
    Acho que a terra vai reagir e acabar com a virose que somos em menos tempo, pelo que tenho visto contam em até 25 anos uma erupção em yellowstone.
    Revisem os aquecedores asim que puderem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo2.3.15

      Nem mais!

      Nuno

      Eliminar
    2. Anónimo2.3.15

      ps: Post abaixo

      Eliminar
  3. Anónimo2.3.15

    A terra provê o sustento necessário ao Ser Humano, basta utilizá-la com inteligência... A tecnologia está aí para facilitar ainda mais o processo. Tantas tecnologias alternativas que dariam uma independência maior ao Homem são sabotadas, não recebem o investimento necessário, pois para a Elite não é um bom negócio, pois eles perderiam o controle "Feudal" que conquistaram com tanto custo. Manter essa dependência custa caro, e acredito que o sonho dessa Elite é continuar com esse Sistema Feudal.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo2.3.15

    Até quando?
    Seja lá as idiotices que fizeram, fazem e farão. Não passam de hominidios com poder. Uma espécie de homo sapiens sapiens psicopatas.
    Esse discurso não convence por duas razões: no mundo dito desenvolvido as taxas de natalidade ou são negativas ou o crescimento é quase nulo, filhos únicos ou dois.(senão é decréscimo da população).
    No mundo dito em desenvolvimento, sim no futuro sobrepoados e sem condições (de aguentar, uma falácia em parte tanta gente).
    A falácia é que são muitos o que para os psicopatas-aproveitadores tem um significado= mao de obra barata ou semi escravos.
    Esse tipo de gente devido ao problema de neurónios não atingem várias coisas óbvias(vem com o sangue, "alguns inclusive chamam azul", enfim os chamado "gado submisso" sempre à espera de umas migalhas).
    Criam um futuro negro para os seus descendentes (inclusive). Mas como não jogam com o baralho todo talvez prefiram uma guerra ou pandemias para reduzir a população, coisas próprias de doidos varridos...
    Qualquer um vê que a maneira de corrigir isso é facil. Educar as pessoas uma coisa tão simples como planeamento familiar.
    Funciona é barato e dá milhões...menos exploração das crianças tipo: prostituição, trabalho escravo infantil, mendicidade (não têm sequer para comer) tráfico de órgãos humanos e posso continuar, mas acho que chega.
    Funciona? Claro.
    O problema é daqueles ao longo da nossa história neste maravilhoso planeta sempre impediram o verdadeiro desenvolvimento a todos nós.
    Nuno

    ResponderEliminar
  5. Chaplin3.3.15

    O poder dominante jamais cederá por vontade própria, são os mesmos que controlam as instituições "responsáveis" pelas pesquisas e monitoramentos da situação, e igualmente, jamais divulgarão a realidade. Tenho uma única dúvida. Quem definirá nosso fim. O próprio homem ou a natureza.

    ResponderEliminar
  6. HenryWallace3.3.15

    Se os cálculos estiverem certos no futuro, como estiveram até agora, segundo o gráfico, teremos cerca de 5-7 anos para o planeta chegar ao limite. E a não ser que aconteça um colapso económico ou uma guerra mundial até lá, vai ser muito difícil de conseguir mudar a maneira de pensar e de actuar desta sociedade.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo3.3.15

    Então esse tal de poder dominante está a mais.

    Nuno

    ResponderEliminar
  8. Get all your favorite alcoholic drinks on Duty Free Depot!

    All the world famous brand name beverages for unbeatable low prices.

    ResponderEliminar
  9. Quantum Binary Signals

    Professional trading signals sent to your cell phone daily.

    Start following our signals right now & profit up to 270% daily.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...