13 março 2015

UFO: as primeiras imagens

...e para acabar a semana em alegria: UFO!

Criar uma fotografia de UFO é extremamente simples. Com a actual tecnologia é um trabalho de 2 minutos (ou ainda menos) ao alcance de qualquer pessoa com um computador. Todavia, conseguir eliminar todos os vestígios das intervenções digitais não é simples. Há especialistas nesta área que conseguem detectar as mais minúsculas imperfeições, ao nível de pequenos bytes fora do lugar.

Criar uma boa fotografia de UFO, que possa ultrapassar os exames mais rigorosos (os laboratoriais), não é nada simples. Peguem, por exemplo, no 99% das imagens presentes no Youtube: podem tranquilamente atira-las para o lixo.

E até poucas décadas a situação era ainda mais complicada, dado que a tecnologia digital estava disponível apenas para quem tivesse grandes recursos. Indo mais atrás no tempo, chegamos na altura em que o digital não existia. Significa isso que todas as imagens de UFO anteriores aos ano'70, por exemplo, são autênticas? Nem pensar. Na verdade, é possível criar falsos completamente analógicos e com bom aspecto.
Aliás: em alguns casos, criar um falso analógico dá resultados melhores do que um homólogo digital. Isso porque com o digital somos obrigados a intervir directamente na imagem, com alterações que deixam rastos. No analógico isso não acontece (a não ser que haja manipulação em fase de processamento): é fotografado um objecto tal como ele é ou parece, sem intervenções sucessivas.

Mas também neste caso a realidade não é tão simples assim. Um fio de nylon que segure um objecto no ar, invisível a olho nu, torna-se evidente com uma acurada análise. Da mesma forma, atirar para o ar um objecto discoidal e depois fotografa-lo pode ter inconvenientes: um aumento da imagem até distinguir os mais ínfimos pormenores pode detectar erros nas proporções (distância aparente e real do objecto).

Temos depois o problema dos UFO que têm uma explicação perfeitamente natural. Não é raro que imagens de UFO sejam afinal insectos demasiado perto da câmara ou até alegremente apoiados na lente para descansar. Há as imagens criadas de forma involuntária durante o processamento do negativo e nem podemos esquecer fenómenos atmosféricos mal interpretados.

Por todas estas razões, boa parte das imagens que ao longo das décadas foram apresentadas cabem em duas categorias: falsos e erros de interpretação.

"Boa parte", todavia, significa "nem todas". E, de facto há algumas imagens capazes de resistir a qualquer tipo de análise. São aquelas imagens que irritam profundamente os cépticos, pois não há uma explicação, dado que ultrapassaram as melhores análises disponíveis (como aquelas dos laboratórios da Nasa) e para as quais uma explicação de tipo "natural" não parece existir.

As mais valiosas, neste aspecto, são aquelas fotografias tiradas quando ainda de UFO nem se falava, portanto antes de 1947.
Eis as melhores.

1870 EUA
Esta é até hoje a mais antiga fotografia dum objecto não identificado. E, ao mesmo tempo, uma das mais importantes: porque foi tirada em 1870, quando os aviões ainda não existiam e as técnicas para a manipulação das imagens eram bastante primitivas e limitadas. Nada de Photoshop. O que podemos observar é uma fotografia na qual aparece uma formação de nuvem vista  do topo de Monte Washington (EUA), no Inverno de 1870.


1910 França
Poucas informações acerca desta imagem. Trata-se duma corrida de carros, em França, no início do século passado (1910).


1917 Portugal
A inclusão desta imagem pode surpreender. Trata-se duma imagem oficial do Osservatore Romano, o diário do Vaticano, tirada durante uma das aparições em Fátima. Como será possível entender mais à frente, as ligações entre religião (e em particular no caso das aparições marianas) e a ufologia é mais forte daquilo que seria possível pensar.


1920 EUA
Fotografia tirada não longe das costas da América do Norte na segunda década do século passado. O objecto no círculo mal aparece: mas com um bom aumento é possível apreciar a forma, mais parecida com a dos UFO do que com as dos aviões . Na altura não era tão comum observar um avião, em particular os monoplanos, que na prática nem existiam.


1927 EUA
Esta fantástica fotografia (talvez do 1926 e não do '27) foi tirada por um bombeiro voluntário no Estado do Oregon, na localidade de Cave Junction. Esta é uma daquelas fotografias várias vezes analisadas e que ainda aqui estão...


1929 EUA
A autor desta fotografia escolheu fotografar a serralharia perto da casa dele, em Slide Ward (Colorado). Durante o "click" ouviu um estrondo (tipo trovão) e o objecto ficou retratado na imagem. Os trabalhadores da pequena empresa não viram o objecto mas ouviram o estrondo e sentiram o chão estremecer.


1932 EUA
O homem da fotografia é George Sutton, perto do seu carro em St. Paris (Ohio). A data pode ser vista na imagem original (faz parte da matricula do carro) e na altura ninguém se deu conta do objecto, que apareceu só durante o processamento da película.


1937 Canada
Algumas dúvidas acerca desta imagem.Tirada pelo soldado Leonard Lamoreux enquanto visitava a nova Vancouver City Hall (o prédio à esquerda), a fotografia retrata um objecto que, segundo o mesmo Leonard, ao vivo parecia ser formado por dois pratos empilhados de cor azul escuro.

O objecto movia-se na horizontal antes de desaparecer a enorme velocidade, sem emitir ruído.

A dúvida nasce do facto que da imagem não existe o negativo (o que dificulta grandemente as análises) e que o objecto, apesar de evidenciar um ténue rasto, bem pode ser uma macha provocada durante o processamento.


1942 China
A qualidade é péssima, mas o objecto aparece de forma bastante clara no centro da imagem.
A fotografia foi tirada por um homem de negócios americano numa rua de Tsietsien, na província de Hopeh, na China ocupada pelo exército japonês.

É possível observar um transeunte que indica com o braço o objecto no céu, pois o objecto foi fotografado de propósito.


1942 EUA
Uma foto bem conhecida: é a famosa "Batalha de Los Angeles" de 1942.
Pessoalmente tenho algumas dúvidas: a verdade é que ainda hoje não é claro o que aconteceu nos céus da cidade dos Estados Unidos naquela noite e não pode ser excluído um falso alarme.

É importante realçar que as luzes claras "iluminadas" pelos holofotes não são UFO, mas os tiros da contra-aérea. O UFO neste caso é só um e mal é visível por causa da escuridão.

Testemunhas da altura (convencidos de estar perante um ataque japonês) descrevem 2 tipos de objectos: um primeiro tipo pequeno, prateado ou avermelhado, com uma velocidade estimada de 29.000 km/h; um segundo tipo, maior (é aquele da foto) e muito mais lento, que desaparece em direcção de Santa Mónica. Segundo a contra-aérea, este segundo objecto foi atingido por numerosos projecteis.

Às 4 da manhã os objectos desaparecem definitivamente, após terem sido alvo de 14.306 kg. de balas...


1942 EUA
No dia 29 de Outubro de 1942, um objecto apareceu no céu de Washington. À primeira vista parecia um avião, mas a forma (discoidal) e sobretudo a velocidade não batiam certas. Além disso, deixava um rasto escuro bastante comprido, algo típico dos jets. Um dos primeiros protótipos?


1944 Reino Unido
Infelizmente não há muitas informações acerca desta imagem. É um disco, na Inglaterra, em 1944. E a qualidade nem é grande coisa. E isto é tudo.


1945 EUA
Uma fotografia não muito conhecida mas que foi analisada ao microscópio (literalmente), enquanto o papel foi alvo das atenções do FBI. Considerado o tempo de abertura do diafragma (f-11 com velocidade de 1/50), é excluído que possa tratar-se dum objecto atirado para o ar, pois teria aparecido desfocado. E nem podemos esquecer de que em 1945 os UFOs "não existiam" como fenómeno.

Apesar de poder fazer lembrar uma lâmpada, o objecto em questão apareceu numa manhã de Junho na localidade de Pickwick Riding, Burbank, (Califórnia). O homem é Jack LeMonde, do Corpo dos Marines, pouco antes de deixar a casa dele após ter recuperado de dois ferimentos de guerra.

Segundo os cálculos, o objecto devia ter um diâmetro de 3.6 metros e voar a uma altitude de 210 metros.


1947 Polónia
Dado que encontrar imagens de Foo-Fighter ou de outros objectos observados durante a Segunda Guerra Mundial é muito simples, ignoramos e vamos ver uma fotografia mais interessante dada a origem.

A localidade é Czaplinek, na Polónia: sinal de que o dos UFO não era apenas um histerismo imperialista, como declarou a União Soviética ao longo das décadas.


1947, Reino Unido
Para concluir, eis aquela que provavelmente é a primeira fotografia a cores dum UFO.
Foi tirada na Escócia, nas ilhas das Hébridas Exteriores e pertence à série das "analisadas e re-analisadas"...

Mas afinal: como encarar estas imagens?
A palavra aos Leitores.


Ipse dixit.

Relacionados:
UFO: os Clássicos - Foo Fighters
UFO: os Clássicos - Kenneth Arnold e os foguetes-fantasma
UFO: os Clássicos - Roswell

Sem comentários:

Enviar um comentário

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...