14 abril 2015

Coitado, era tão bom rapaz...

O general francês Christophe Gomart, chefe da Direção du Renseignement Militaire, deve ter deixado boquiabertos muitos dos que estavam reunidos na câmara baixa do parlamento francês.

Não que as suas palavras desvendassem quem sabe qual obscura trama, nada disso: é que certas coisas não se dizem.

Vamos ler:
O verdadeiro problema é que dentro da Nato a inteligência predomina, ao contrário da francesa. A Nato anunciou falsamente que os Russos queriam invadir a Ucrânia, enquanto que, de acordo com as informações do DRM [o serviço secreto francês, ndt] não havia nenhuma evidência que apoiasse esta hipótese.


A partir das nossas observações, ficou claro que os Russos nunca tinha implementado qualquer comando ou logística, incluídos os hospitais de campanha ou os batalhões de movimento, tais que fosse possível considerar o início duma invasão militar. A realidade mostrou que estávamos no caminho certo. E se os soldados russos foram realmente visto para além da fronteira ucraniana, esta foi mais uma manobra para colocar pressão sobre o presidente ucraniano Poroshenko do que uma tentativa de invasão.

O general Christophe Gomart ainda é jovem, tem apenas 55 anos e já alcançou o topo da hierarquia militar. Pena que a sua brilhante carreira esteja perto do fim. Uma inesperada transferência para a Caiena, um escândalo (droga ou sexo?), o carro que deixa de travar... São coisas que acontecem.
Uma pena.


Ipse dixit.

Fontes: Assembleé Nationale - Commission de la défense nationale et des forces armées - Audition du général Christophe Gomart, directeur du renseignement militaire, sur le projet de loi relatif au renseignement 2

3 comentários:

  1. Bandido14.4.15

    É preciso coragem para dizer a verdade nos dias que correm.

    Tiro o chapéu ao General francês Christophe Gomart.
    Salut.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo14.4.15

    Existem sempre umas cartas fora do baralho.
    Deve haver muitos outros com vontade de abrir o bico, mas preferem ficara calados com medo.
    Se ele fosse americano não devia tardar muito a ir fazer companhia ao Bradley Manning, perdão, Chelsea Manning.

    Krowler

    ResponderEliminar
  3. Anónimo15.4.15

    Isso é o foco primitivo na pessoa.
    O que importa é os actos/raciocínio/ser humano e questionar.
    Atacar figuras/personages/actotes e facil para desacreditar, ser humano com todos os defeitos e virtudes.
    Chelsea? O que é que um bom "programa" ou show, rebentar com o sistema de crenças, quebrar/rebentar o intelecto do dito/a cujo!? Funciona? Sim claro. Além disso ficam quase ou ficam "mentalmente ou confusos/diminuídos.
    A partir daí é só desacreditar o/a personagem.
    Resumo: o que importa é o conteúdo e não acessórios.
    Mas hoje em dia mais do que nunca o que conta é a imagem.
    O nosso cérebro....funciona?...mas com dificuldades ou informatiques cheio de firewalls externas.

    N

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...